2ª CONTINUAÇÃO DO LIVRO DE RENESMEE OU LUA CHEIA
2ª CONTINUAÇÃO DO LIVRO DE RENESMEE OU LUA CHEIA

domingo, 18 julho, 2010
Capítulo 23

23. COMBINAÇÕES

Depois de alguns dias eu já não conseguia ver mais a Nessie que costumava ser a alguns meses atrás. Não havia mais a meio humana revoltada com sua parte vampira, mas agora, a harmonia de minha rápida infância tinha voltado. Como minha mãe me lembrava sempre, eu amadureci e agradeço muito a Jacob por isso.

Estávamos mais juntos do que nunca. Pensei que ele ficaria mais triste quando outros do seu bando desistissem, mas não, ele age como se amanhã ele fosse ter cabelos brancos, mesmo tendo a mesma cara jovem de sempre. Tudo estava começando a se organizar. Jacob estava passando a maior parte do tempo na casa antiga de Billy, arrumando o que estava deteriorado. Logo seria nossa casa. Seria um pouco estranho para mim viver lá.

Quando eu dizia minha casa uma sensação de vazio me tomava, porque a minha curta vida inteira o que eu conhecia como minha casa estava atrás da casa de Carlisle, rodeada das grandes e musguentas árvores naturais de Forks, e agora, tudo iria mudar.

Seria durante as férias de verão, minha cerimônia. Ao lado da antiga casa de Billy seria montado o altar e a recepção para os convidados. Esperava-se que não chovesse no dia que seria marcado. Hoje, domingo, eu iria para uma reunião na fogueira, e não teriam só lobos, não, hoje não. Celebraríamos de vez um tratado de união, onde todos os descendentes de Cullen e Black guardariam para sempre Forks e a reserva de La Push.

Foi ideia de Sam fazê-lo, já que os dois clãs se misturariam com a nossa união e era o certo a fazer, já que um Cullen nunca mataria nenhum humano. Seth decidiu deixar Andie fora dessas histórias, pois ele não seria mais lobo, assim que minha família  partisse e ela já conhecia as lendas.

-Todos nós temos que ir, Rose. Será uma celebração importante.-Carlisle explicava a minha tia.

-Por favor, tia Rosalie, venha conosco, é muito importante para mim e para todos nós. Faria isso por mim?-falei, vendo seus braços cruzados relaxarem e caírem ao lado dos quadris.

-Por você anjinho, eu mataria qualquer um.-ela sorriu e eu a abracei.

-Obrigada.

A noite, em volta da fogueira, todos estavam conversando, não havia mais uma antipatia entre os clãs, mas uma amizade estava nascendo ali. Carlisle cumprimentou a todos, assim como vó Esme e meu pai. Mesmo eles estando formais de mais, eu sabia que estavam gostando.

Assim que estavam todos acomodados em volta da fogueira, tanto vampiros quanto lobisomens, Sue pediu a palavra.

-Hoje, os grandes espíritos da nossa tribo devem estar muito contentes com o que nossos  clãs irão fazer. A guerra nunca foi uma opção, nunca foi uma escolha saudável para nenhum de nós. Nos foi passado o segredo do lobo para proteger nossa aldeia, no entanto, não há mais o que proteger. Perigos podem surgir sim, mas não devemos mais nos ter como inimigos, não mais. A natureza nos tornou inimigos naturais, mas agora podemos surpreendê-la, mostrando que a convivência pacífica é melhor do que o medo, do que o ódio e a rivalidade. Jacob e Renesmee irão se unir, não só em matrimônio, mas como homem e mulher, e isso nos tornará mais próximos do que nunca. Com a permissão do doutor Carlisle, eu tomo a iniciativa de selar esse acordo. Por favor, venha a frente, Jacob e Nessie.-Sue chamou, Jacob me encarou e eu levantei meio perturbada.

-Antes de se casarem, gostaria que diante do espírito do grande chefe Taha Aki, os dois jurassem as seguintes palavras: -Eu, lobisomem. Repitam os dois...-ela pediu, segurado nossas mãos uma em cima da outra. Meu coração estava com um ritmo acelerado e aumentando cadê vez mais.

-Eu, lobisomem.-eu e Jacob falamos em coro.

-E eu vampiro.

-E eu vampiro.-Jacob disse isso com a boca torta.

-Prometo unir nossa matéria, nossas terras, nossos espíritos...

Repetimos com a mesma seriedade que Sue falava, mantendo os olhos um no outro.

-Em harmonia, para que não haja mais guerra, mais conflito nem disputas. Para que nosso povo se torne forte e um único clã de guerreiros que defenderão sua terra e seu povo a cima de qualquer outro cuidado, seja ele de raça, de coração ou de família.-eu escapei meu olhar enquanto repetia essas palavras para espiar minha família, eles me olhavam atentos.

-Selo aqui a união de dois espíritos rivais que deixaram seus corações prevalecerem e estão se unindo contra a força natural, mas com a benção dos grandes espíritos.

-Eu água... repita apenas você Jacob.-Sue voltou-se para Jake.

-Prometo nunca danar nem censurar seu espírito denso, óleo.-Jake me olhou nos olhos, e enquanto sua voz rouca repetia essas palavras, seus olhos ardiam nos meus.

-Agora você, Nessie. Eu, óleo, prometo nunca sufocar você nem mantê-lo prisioneiro em mim, água.

Jurei aquilo, me encaixando no elemento que Sue designou para mim. E meditei, realmente era o que nós éramos. Água e óleo, algo que nunca se misturava, mas que podia se manter unidos, e mesmo que qualquer coisa tentasse quebrar o elo entre os dois, um nunca entraria no ser do outro, nunca abateria o espaço do outro, uma mistura improvável e impossível, mas que podia conviver juntos... para sempre.

-Selem a o acordo.-Sue pediu, tirando sua mão das nossas. Jake me olhou, seu rosto estava vermelho com a fogueira. Uma de suas mãos tocou minha bochecha, senti um calafrio tomar meu corpo, enquanto o dele se aproximava. Nossos rostos ficaram a centímetros um do outro e antes que selássemos qualquer coisa, senti a respiração dele ofegante, sua boca se abriu e ele sorriu.

-Eu te amo, óleo.

-Eu te amo, água.-sussurrei em resposta a sua declaração e não senti mais o mundo ao meu redor, apenas a mão de Jacob na minha nuca, sua boca na minha e algumas pessoas batendo palmas. O acordo estava finalmente selado, um união indestrutível e forte, entre vampiros e lobisomens.

-Aposto que em alguns anos, em volta de uma fogueira como essa, nossos filhos e quem sabe, nossos netos não contarão só as lendas de Taha Aki, mas essa história de vocês também vai virar lenda. Preparem-se para ficar famosos por longos anos.-Sam falou, quando estávamos sentados, Jacob comia e meu pai conversava com Sue sobre alguns detalhes de uma união tão improvável.

Duas semanas depois, meu vestido estava pronto. Pedi a minha mãe que não fizesse nada formal, nada para usar em uma igreja, mas um vestido esportivo, se existisse. Ela e tia Rosalie disseram que fariam o melhor. Não quis envolver tia Alice mais do que o necessário.

-E então, o que achou?-minha mãe perguntou, um pouco nervosa eu acho. Eu nunca tinha visto Bella daquela forma, Edward havia mencionado algo como emoções fortes.

-Mãe é... lindo!-eu girava na frente do espelho do meu closet, para admirar o vestido. Não era um branco alvo, era mais pérola. Tinha uma divisória entre o busto e os quadris, sendo justo em cima e em baixo descia rodado, com duas pregas na frente, fazendo um efeito de volume. As alças eram transversais, caídas no ombro. O busto era forrado, trabalhado em pedraria, canutilhos deixavam a frente do vestido deslumbrante. Não era longo o suficiente para arrastar no chão, porém não subia a ponto de ver meu tornozelo. Era perfeito.

-Que bom que gostou. Demorei muito para encontrá-lo.-Bella disse, sua cara evidentemente emocionada com meu vislumbramento.

-Nem acredito que você está vestindo um vestido de noiva! Meu Deus!-tia Rosalie suspirada do outro lado da porta do closet.

Demorei alguns instantes para me ver como uma noiva, até o momento, eu só me enxergava vestida em um lindo vestido, mas não era só isso. Era o vestido do meu casamento com Jacob.

-Já avisaram ao lobo que ele vai ir de terno?-tia Rose pareceu preocupada.

-Edward e Carlisle estão cuidando disso. A propósito, onde estão Emmett e Jasper?-minha mãe tirou seus olhos de mim e encarou tia Rosalie.

-Digamos que eles estão preparando uma surpresa para os noivos.-tia Rosalie suspirou de novo e me deixou ainda mais nervosa. Uma surpresa? De tio Emmett e tio Jasper? Eu nunca imaginaria o que poderia ser.

-Como o tempo passa depressa! Falta menos de um mês para que você esteja em uma casa vivendo sua própria vida. Eu não posso acreditar!-tia Rosalie dobrava meu vestido e eu e minha mãe estávamos sentadas na cama observando suas mãos habilidosas fazerem o serviço.

-Se você não acredita, o que eu digo? Sabe, esse foi o problema de ver Renesmee crescer tão depressa... em um minuto a temos, em outro, não temos mais...-melancólica, Bella suspirou, olhando em volta.

-Lembrem-se! Eu tenho lágrimas e vocês não, então não em façam ter que vê-las caindo!-eu avisei.

As aulas estavam quase no fim, as férias de verão estavam se aproximando e pensei em uma forma criativa de convidar Andie para o meu casamento. Pedi a Seth que não comentasse nada antes que eu falasse com ela e ele concordou.

-Vai viajar nessas férias?-Andie me perguntou, durante o almoço, uma semana antes das férias de verão.

-Na verdade, não. Eu e Jacob vamos...-olhei para a madeira lustrada da mesa, pensando em como explicaria tudo.

-É, eu sei, viajar sem o namorado é muito ruim. Não sei se vou sair da cidade também. Talvez fique na reserva com Seth.-ela me interrompeu, tornando as coisas mais difíceis.

-Andie, tenho algo para te dizer, mas é meio que... um convite.

-Convite? Para...?

Respirei fundo.

-Meu casamento.-despejei de uma vez vendo seus olhos azuis ficarem maior do que o normal.

-Wow! Desde quando você vai se casar?-ela agarrou minhas mãos e eu revirei os olhos.

-Bem, foi decidido de última hora, era para acontecer no ano que vem. Eu e Jake resolvemos não esperar que eu conclua o colegial. Meus pais querem viajar e eu não quero sair de Forks, então vou me casar com Jake e ficar aqui.-procurei nesse motivo uma explicação sucinta. Ela pareceu engolir essa.

-É, me parece uma boa. Bem... vocês se amam certo? É isso que as pessoas que se amam fazem. Mas... sei lá. Me parece um pouco cedo para tomar essa decisão.-finalmente a opinião que eu esperava.

-É o que todos acham, mas eu tenho certeza do que eu quero. E Jacob é tudo para mim.-revelei o motivo mais importante.

-Certo.  Quando será o matrimônio?-ela perguntou menos assustada e eu relaxei na cadeira.

-No começo das férias de verão. Assim que eu tiver uma data, aviso.-lembrei que o dia seria determinado pelos bons dias sem chuva de Forks.

-Pode contar comigo.-ela sorriu e eu desejei saber o que ela estava pensando. Que coisa ruim os dons vampíricos dos pais não serem hereditários.

Já em casa me lembrei que não estava vendo Jake o tempo necessário ou o tempo que eu gostaria de estar com ele a sós. Mas graças aos céus, esta noite ele estaria aqui em casa.

-Legal, o que vamos fazer?-Jacob perguntou, depois que eu disse a ele que não queria mais falar nem do casamento nem da casa, mas apenas ficar com ele.

-Pensei que poderíamos passear um pouco pela floresta agora a noite. É lua cheia e o céu não está com nuvens densas. Quem sabe ela não apreça?-olhei pela janela da sala da minha casa. Edward e Bella estavam na casa de Carlisle.

-Ótima ideia. Ir ver a lua cheia. Que tal um pulinho em um dos penhascos de La Push?-ele sugeriu e eu achei uma oportunidade de recuperar o tempo que fiquei longe dele.

-Acho que esse é o lugar mais lindo de La Push.-eu mencionei, enquanto ele estacionava a moto em baixo de um pinheiro. Tinha uma grama rala perto do precipício onde dava para sentar e olhar as ondas do mar, que estava negro, pois a lua ainda não havia aparecido.

-Esse não é meu local preferido.-ele mencionou, vindo se sentar ao meu lado, me abraçando.

-E qual é?-perguntei, tentando olhar para seu rosto, na escuridão da noite.

-É um precipício mais afastado da reserva. O mais alto. Lá você tem uma visão do oceano bem mais ampla. Aqui só dá pra ver a praia.

-Hum... qualquer dia nós daremos um pulo lá.-eu disse, antes de sentir seus lábios em meu pescoço.

-Não sabe o que eu senti quando você foi embora. Não posso comparar minha estadia de um ano e meio no Texas com a semana que você foi para a Itália. Nem de perto foi tão dolorosa.-ele sussurrou no meu ouvido, colando de volta sua boca em meu pescoço.

-Eu cheguei a te dizer que eu estava planejando ficar umas três décadas lá?-eu coloquei um de meus dedos no meu queixo, simulando lembrar.

-O quê? Você estava planejando me abandonar três décadas? Talvez um tiro me matasse mas rápido e evitasse meu sofrimento.-ele disse, revoltado.

-Eu estava meio que desesperada por uma saída para meu problema de não ter você comigo. Foi a minha única saída. Pensei que estando humana, morreria ao seu lado, não tendo que submeter você a uma eternidade sem seus amigos, seus parentes, sem ninguém que você gosta. Achei que para um grande chefe alfa, você estaria sendo egoísta com sua tribo. Com seu povo.-desabafei, sentindo ele sorrir baixinho no meu ouvido.

-Nessie, achou mesmo que eu não ficaria lobisomem para sempre só por causa da minha tribo ou dos meus parentes? Quando você vai entender que não sou apenas eu que gosto de você, mas meu ser inteiro? Com a impressão, a pessoa acaba se unindo a outra eternamente, quer ela viva ou não. Taha Aki viveu por três gerações, e só morreu quando teve a impressão pela primeira vez, isso foi com a terceira esposa. Então, quando ela morreu, o grande chefe desistiu de ser lobo para ficar com ela eternamente,onde quer que ela estivesse, por que para nós lobos, a vida não faz sentido se não podemos ter aquilo que é nosso. É assim com as nossas terras, com o nosso povo e com as nossas almas gêmeas. Por isso, não se preocupe com meu lado Jacob, por que tendo a impressão ou não, ele estará ao seu lado sempre, te amando e te protegendo para o resto da vida.-sua boca quente envolveu a minha e seu abraço ficou mais forte. Um calafrio escapou de meu corpo.

Senti agora, não um desejo mortal pelo seu sangue, mas um desejo humano pelo seu corpo. Deitei na grama sentindo suas mãos me vasculharem, minhas costas, minha nuca. Tudo em mim estava sendo percorrido por Jacob, pelas suas mãos. Nossas bocas sempre unidas desprezavam palavras inúteis. Me senti mais livre para usar seu corpo.

Minha mão direita achou um jeito de entrar dentro da sua camisa de algodão e encostar no seu abdômen. Meu corpo estava tremendo, minhas mãos também, o dele estava ardendo como nunca. Quando eu tirei sua camisa, sua boca saiu da minha.

-Vamos deixar esse passo para depois do casamento... pode ser?-ele me surpreendeu, eu me levantei, confusa e indecisa, meu corpo ainda estava meio que fora do controle.

-Por que?-eu respirei, tentando voltar a mim.

-Edward me pediu. Eu gostaria de pelo menos essa vontade dele, respeitar.-seu tom não era de zombaria, era de respeito.

-Ok. Não acho que demore mais tanto assim até o casamento. Vai dar para aguentar.-eu disse, vendo ele se erguer e me abraçar de novo. Assim que seu beijo suave me controlou, olhei o céu e o clarão da lua cheia fez tudo a nossa volta ficar prata, até o mar tomou vida, senti que aquilo era um sinal de que, o que quer que fizéssemos após o casamento, não seria tão mal.



postado por 121594 as 04:08:19
1 comentários:

joyce:
Ai,q lindo o jake e a nesse juntos,mas sinto pena do alec.Bem q vc podia fazer uma fic dele e elizabety,filha de renesmee,ia ficar swol!
22/10/2010 14:26:02
Comente este post
Início
Perfil
121594
Meu Perfil

Meus Links
Hotéis no Brasil
DNS Grátis
Blog Grátis
Criar Blog
Hoteis

Palavras-Chave
>> Cap
>> 23

Favoritos
Continuação do Livro de Renesmee
O LIVRO DE RENESMEE ou LUA CHEIA
mais...

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
Não há comunidades.

Posts Anteriores
>> Capítulo 24
>> Epílogo
>> NOVIDADES e CONSIDERAÇÕES FINAIS

Arquivos
2010, 01 julho
2010, 01 abril
2010, 01 janeiro

0 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..