Aprendizagem no Ensino Medio
Aprendizagem no Ensino Medio
sexta, 04 setembro, 2009
Aprendizagem no Ensino Médio


ÍNDICE:

1.      INTRODUÇÃO

2.      OBJETIVO

3.      REVISÃO BIBLIOGRAFICA

4.      METODOLOGIA

5.      PROCEDIMENTO METODOLOGICO

6.      INSTRUMENTOS PARA COLETAR DADOS

7.      QUESTIONARIOS

8.      TRATAMENTO DOS DADOS

9.      BIBLIOGRAFIA

10.  RESULTADOS, DISCUSSÕES

11.  RECOMENDAÇÕES

12.  CONSIDERAÇÕES FINAIS

ADOLESCENTES DE 14 A 19 ANOS E APRENDIZAGEM ESCOLAR: DIFICULDADES EMINENTES

APRENDIZAGEM NO ENSINO MEDIO

1.INTRODUÇÃO

Toda estrutura educacional está organizada com a finalidade primeira de promover a aprendizagem e o desenvolvimento do ser humano. Isto  justifica a constante preocupação de psicólogos e educadores como também de pesquisadores de outras áreas que se encontram comprometidos com a complexa natureza desses processos.

As transformações ocorridas na sociedade e o grande volume de informações, com essas transformações exigem da escola que ela seja mais que uma mera transmissora de conhecimentos. O aluno para atender a demanda da sociedade precisa ser formado para ser critico e criativo, não um mero reprodutor de informações.

Se passar as informações de maneira mais construtiva representa um problema, a aprendizagem das mesmas representa um problema ainda maior.

O ensino escolar e a aprendizagem no mesmo constituem um problema na sociedade contemporânea, ainda mais serio, quando esta aprendizagem deve ocorrer no período da adolescência, no ensino médio.

Baseados nesta perspectiva, este projeto tratará da aprendizagem no ensino médio.

Segundo Piaget (1970) a capacidade de aprendizagem é intrínseca ao homem, este já nasce com seu potencial de conhecimento, cabendo ao educador ser instrumento de troca entre o aluno e o meio para desenvolver o potencial Maximo do aluno.

O conhecimento não pode ser concebido como algo predeterminado nem nas estruturas internas do sujeito, porquanto elas resultam de uma construção efetiva e contínua, nem nas características preexistentes do objeto, uma vez que elas só são conhecidas graças à mediação necessária dessas estruturas, e que estas, ao enquadrá-las, enriquecem-nos. (PIAGET, 1970: 1).

O conhecimento se constrói, portanto, na inter-relação entre o sujeito e o objeto; não existe um sujeito ou um objeto a priori, é na ação contínua que ambos se constroem e se transformam mutuamente e continuamente.

Para Piaget (1973), a construção do conhecimento se dá através do construtivismo, ou seja, exige uma interação entre o sujeito que conhece e o objeto que é conhecido.

A afetividade não é apenas uma das dimensões da pessoa: ela é também uma fase do desenvolvimento, a mais arcaica. O ser humano foi, logo que saiu da vida puramente orgânica, um ser afetivo. Da afetividade diferenciou-se, lentamente, a vida racional. Portanto, no início da vida, afetividade e inteligência estão sincreticamente misturadas, com predomínio da primeira. (WALLON, p.90)

Na teoria de Wallon a dimensão afetiva ocupa lugar central, como não acontece em nenhuma outra. Nela a afetividade constitui um domínio funcional tão importante quanto o da inteligência, desempenhando um papel fundamental na constituição e funcionamento dessa última e determinando os interesses e necessidades individuais. Afetividade e inteligência constituem, portanto, na sua concepção, um par inseparável na evolução psíquica, pois embora tenham funções bem definidas e diferenciadas entre si, são interdependentes em seu desenvolvimento, permitindo à criança atingir níveis de evolução cada vez maiores.

 Segundo Galvão (2000), Wallon argumenta que trocas relacionais do individuo com os outros são fundamentais para o desenvolvimento da pessoa.

Cabe à educação, em cada um desses momentos, a satisfação das necessidades orgânicas e afetivas, a oportunidade para a manipulação da realidade e a estimulação da função simbólica, depois a construção de si mesmo. Esta exige espaço para todo tipo de manifestação expressiva: plástica, verbal, dramática, escrita, direta, ou indireta, através de personagens susceptíveis de provocar identificação. (DANTAS, 1992, p.95)

Assim, é fácil inferirmos a partir dessa afirmação que um processo de ensino aprendizagem limitado ao desenvolvimento de algumas poucas habilidades, exigidas socialmente, através de atividades curriculares, onde predominam as de caráter lógico matemático, intelectualista-pragmático, estaria apenas obstruindo inestimavelmente o desenvolvimento dos educados ao qual estão submetidos.

Vygotsky (1989) argumenta que a aprendizagem tem um papel fundamental para o desenvolvimento do saber, do conhecimento. Essa teoria apóia-se na concepção de um sujeito interativo que elabora seus conhecimentos sobre os objetos, em um processo mediado pelo outro. O conhecimento tem sua gênese nas relações sociais, sendo produzido na intersubjetividade e marcado por condições culturais, sociais e históricas.

Cada perspectiva aqui apresentada tem sua importância e a nosso ver se completam. O educador deve buscar desenvolver o potencial existente em cada aluno estimulando-o; (PIAGET 1970). O cognitivo não se isola do emocional (WALLON 1912); a aprendizagem é fruto de internalizações possíveis através do meio (VYGOTSKY 1989);

O adolescente está voltado para si mesmo, para as transformações que estão ocorrendo em seu corpo e as conseqüências que estas transformações implicam, se liga mais ao grupo do que à escola em si; aceita-a, seja por interesse, pela necessidade de uma certa autonomia ou em função de um espaço que possibilita novas amizades. Está mais concentrado em si, mais suscetível a ações e reações do meio para com sua auto-imagem e auto-estima.

A nosso ver, os conflitos típicos da adolescência são iguais e diferentes para cada individuo, iguais no que diz respeito ao fisiológico e diferentes no que diz respeito ao psicológico; cada uma vê, vive e resolve estes conflitos de maneira singular.

A aprendizagem, em qualquer perspectiva, não ocorre sem uma curta dose de concentração e atenção. Como as escolas devem se portar para captar a atenção do aluno do ensino médio para a aprendizagem? Como este aluno deve proceder para ser capaz de absorver o conhecimento passado pela escola? Estas são algumas das indagações provenientes da problemática resultante da aprendizagem no ensino médio que buscaremos responder.

O problema ou a solução, para a aprendizagem no ensino médio está na conscientização e no respeito à individualidade de cada aluno. O professor não deve apenas se preocupar em ensinar o aluno, mais também a perceber o mesmo, tomando assim, conhecimento dos inibidores e dos motivadores da aprendizagem efetuado pelo aluno.A postura da escola é fundamental neste processo de aprendizagem.

2.OBJETIVO:

 Identificar os inibidores e motivadores da aprendizagem dos alunos do ensino médio e a influencia da escola em ambos. Identificar a posição dos alunos diante dos esforços da escola para ensinar.

3.REVISÃO BIBLIOGRAFICA:

A escola no Brasil não é autônoma para determinar sua grade curricular, ela é controlada por leis e decretos.

Como meio socializador, a escola expande um conhecimento padronizado para que a sociedade tenha uma integração e organização maior. Aliás, este papel é muito importante, considerando-se que a sociedade atual tende a ser extremamente fragmentada pelas múltiplas ideologias que a compõe e dominam.

Ao padronizar o conhecimento a escola entra em um processo circular e se torna padronizada também. E como meio socializador, transforma e é transformada pelo social. Dadas as intensas mudanças sociais na atualidade e a sensível mudança no sistema escolar, a escola é um paradigma em crise.

Kuhn em sua obra A estrutura das Revoluções Científicas, define o terma paradigma:

(...) de um lado indica toda a constelação de crenças, valores, técnicas, etc. partilhadas pelos membros de uma comunidade de determinada. De outro, denota um tipo de elemento dessa constelação: as soluções concretas de quebra-cabeças que, empregadas como modelos ou exemplos, podem substituir regras explícitas como base para a solução dos restantes quebra-cabeças da ciência normal ( KUHN. p.218).

Na educação formal brasileira, os valores e regras empregados não estão sendo condizentes com a realidade na atualidade, se tornando funcionais e questionáveis. O que exige mudanças no paradigma escolar.

A escola em crise reflete na aprendizagem dos alunos, o que se agrava quando está ocorrendo em um período de grandes e suscetíveis conflitos em potencial, a adolescência.

Trataremos de definir a adolescência em suas diferentes perspectivas.

Etimologicamente, a palavra adolescência é derivada do verbo latino “adolescere” que significa crescer até a maturidade.

Segundo o que consta no livro: Teorias da Adolescência (Muus, Rolf, E.Interlivros, MG. 1974), existem alguns critérios quando se pensa na definição da adolescência: critérios sociológico, cronológico, fisiológico e psicológico.

Critério sociológico: adolescência é o período de transição da dependência infantil para a auto-suficiência adulta.

Critério cronológico: adolescência é o período que se estende de aproximadamente doze anos até vinte e um anos, com grandes variações individuais e culturais.

Critério fisiológico: adolescência é a etapa da vida compreendida entre a puberdade e a vida viril, quando o desenvolvimento físico está quase concluído, aproximadamente aos 20 anos.

Critério psicológico: período de extensa reorganização da personalidade, onde novos ajustamentos que distinguem o comportamento infantil do comportamento adulto têm que ser feitos.

A adolescência é um período de crises. Segundo Érickson (1976), a personalidade dos indivíduos é formada através de conflitos vivenciados em diferentes estágios da vida. Na adolescência o indivíduo vivencia o conflito identidade X confusão de papéis. Segundo Piaget (1970), na adolescência ocorre o estágio que propicia a abstração estrema de conhecimentos pelo indivíduo, o estágio das operações formais. A aprendizagem no ensino médio ao mesmo tempo em que é inibida pelos conflitos, é potencializada cognitivamente, o que gera uma ambigüidade na capacidade receptiva do adolescente. Segundo as teorias de aprendizagem citadas na introdução deste artigo, verificamos que aprendizagem ocorre de diferentes formas, mas em todas o indivíduo em questão é primordial na aprendizagem e esta envolve um certo grau de concentração e atenção. A escola é meio para que a aprendizagem ocorra. Pelo potencial cognitivo e pelos conflitos na adolescência, a aprendizagem pode ocorrer de maneira satisfatória, bem como de maneira não satisfatória. Utilizamos, aqui, o termo satisfatório não tendo como referência as notas, mas o desenvolvimento das capacidades cognitivas que propiciam a aprendizagem.

Cada indivíduo desenvolve sua lógica para a resolução dos problemas e para aprendizagem, de acordo com a configuração da sua percepção, o que coloca um fator individual nos mesmos. Em outras palavras, cada indivíduo utiliza sua lógica como um dos instrumentos principais para o concebimento da aprendizagem, tendo que ser esta compreendida pelo professor (ou outro profissional), através do diálogo e da escuta, antes de ser rejeitada ou aceita, sendo colocado argumentos que sustentem um ou outro, para auxiliar, de maneira fecunda e eficiente, o aluno na aprendizagem.

Outro fato importante para a aprendizagem é conhecer a história do aluno, os conflitos e os problemas os quais está vivenciando. O que ele traz com sigo é importante por influenciar diretamente na aprendizagem, já que esta se dá através de concentração e atenção e os conflitos e problemas os usurpam do aluno.

Sendo assim, a postura da escola enquanto meio para que a aprendizagem ocorra e o seu grau de conhecimento sobre o aluno que, pelo acima citado, deve ser considerado de maneira individual, serão fatores imprescindíveis para que a aprendizagem no ensino médio ocorra de maneira satisfatória.

4.METODOLOGIA:

A pesquisa constitui-se do métodos qualitativos, quantitativos e experimentais.

5.PROCEDIMENTO METODOLOGICO:

Faremos uma pesquisa na escola E.Eng.Amaro Ferreira, no município de Tarumirim com o intuito de corroborar ou rejeitar a hipótese proposta por nós e ao mesmo tempo colher dados qualitativos e quantitativos relacionados aos alunos do ensino médio e à escola.

Serão formados dois grupos focais, entendendo, aqui, como grupo focal um grupo formado pelos indivíduos em estudo, dotados das características que desejamos estudar. Assim, um grupo será formado por adolescentes que cursam o ensino médio e tem uma aprendizagem satisfatória e o outro grupo será formado por indivíduos, que também cursam o ensino médio, que não tem uma aprendizagem satisfatória.

O critério utilizado para classificar a aprendizagem em satisfatória e não-satisfatória, não será a nota alcançada nas avaliações. Entendemos que esta pode ser fruto da aprendizagem de terceiros e não do indivíduo em questão. Assim, o critério utilizado para esta classificação será a participação do aluno na aula e a demonstração de perícia ou imperícia na matéria estudada. Estes alunos serão escolhidos através da indicação de todos os professores do ensino médio da referida escola. Os alunos mais citados por eles, para um ou outro grupo, serão escolhidos para compor os grupos.

Cada grupo será composto por seis alunos (dois alunos de cada série do ensino médio), totalizando doze alunos (quatro de cada série).

Serão aplicados a estes grupos e à escola (entendendo por escola a diretora e os professores dos alunos em questão) questionários referentes aos inibidores e motivadores da aprendizagem e à postura da escola na mesma.

6.INSTRUMENTO PARA COLETAR DADOS:

Os instrumentos utilizados para coletar os dados serão questionários.

sendo um questionário para  os alunos do ensino médio e um questionário para os professores.

7.QUESTIONÁRIOS:

QUESTIONÁRIO (Professor)

A presente pesquisa tem como propósito analisar o processo avaliativo adotado pelos professores ao avaliarem os alunos da E.Eng.Amaro Ferreira Para tanto, solicitar sua colaboração respondendo ao seguinte questionário de forma clara e concisa.

1.Qual a sua formação?

( )Ensino fundamental completo

( )Ensino fundamental incompleto

( )Ensino médio completo

( )Ensino médio incompleto

( )Ensino superior completo

( )Ensino superior incompleto

( )Pós-Graduação. Qual?.....................................

2.Qual a sua atividade profissional ?

( )Estuda

( )Ensina

( )Estuda e ensina

( )Outra atividade. Qual?...............................

3.Quantas horas aulas você ministra por semana ?

4.Qual a relação com seu trabalho ?

( )Satisfeito

( )Insatisfeito

( )Nem satisfeito/Nem insatisfeito

5. Como você define os conteúdos para realizar a avaliação?

( )A cada conteúdo

( )A cada unidade

( )A cada semana

( )A cada mês

( )A cada bimestre

( )Diariamente

6.Para que você aplica provas escritas?

( )Para cumprir as normas da escola

( )Para verificar a aprendizagem

( )Para avaliar a metodologia aplicada

( )Para diagnosticar as dificuldades dos alunos

7.Qual o tipo de prova escrita que você costuma aplicar ?

( )Objetiva

( )Subjetiva

( )Objetiva e subjetiva

8.Para que serve a avaliação realizada na sala de aula?

( )Para atribuir notas

( )Para verificar a aprendizagem

( )Para criar alunos fracassados

( )Para avaliar o conhecimento do aluno

 ( )Para avaliar a metodologia aplicada

9.No momento em que você avalia o aluno da E...., que aspectos leva em consideração?

( )Participação

( )Assiduidade

( )Pontualidade

( )Interesse

( )Só a verificação dos conteúdos

( )Outro. Qual?...................................

( )Freqüência

( )Aprendizagem

10.Quais os instrumentos você utiliza para avaliar seus alunos?

( )Provas orais

( )Provas escritas

( )Seminários

( )Trabalhos em grupo

( )Atividades diárias

11.Qual o principal problema da avaliação ?

( )Por que é usada para punir

( )Por que classifica os alunos

( )Por que condiciona os alunos a nota

( )Por que desestimula os alunos e cria fracassados

12.Que função ou finalidade você atribui a avaliação ?

( )Para obter resultados

( )Para melhorar a sua atuação

( )Para verificar a aprendizagem

( )Para diagnosticar as dificuldades

13.O que você acha que deveria ser mudado na avaliação?

( )Os instrumentos utilizados

( )A função de atribuir nota

( )A sua finalidade

( )o seu desenvolvimento

14. Existe correlação ao nível comportamental, entre o aluno “bem sucedido” e o “mal sucedido’”? Justifique:

QUESTIONÁRIO (Aluno)

A presente pesquisa tem como propósito analisar o processo avaliativo adotado pelos professores ao avaliarem os alunos da E.Eng.Amaro Ferreira Para tanto, solicito sua colaboração respondendo ao seguinte questionário de forma clara e concisa.

 1.Que idade você tem ?

( )Entre 13 e 18 anos

( )Entre 18 e 25 anos

( )Entre 35 e 45 anos

2.Qual o seu sexo?

( )Feminino ( )Masculino

3.Você trabalha?

 ( )Sim ( )Não

4.Qual o horário que você trabalha ?

 ( )Manhã ( )Tarde ( )Manhã e tarde

5. Você acha que os professores são justos ao avaliá-lo?

 ( )Não ( )Sim ( )Às vezes Porque?

6. Para você, para que serve a avaliação realizada em sala de aula?

( )Para criar fracassados

( )Para atribuir notas

( )Para verificar a aprendizagem

( )Para diagnosticar as dificuldades

7.Para você qual a importância da nota?

( )Serve para quantificar

( )Serve para classificar

( )Serve motivar

( )Serve para aprovar/reprovar

( )Para cumprir uma norma da escola

8.Como você gostaria de ser avaliado?

( )Com provas escritas

( )Com provas orais

( )Com seminários

( )Com atividades em grupo e diárias

9.Como você queria que fosse a ação de seu professor na avaliação ?

( )Que o professor levasse em conta a participação

( )Que o professor levasse em conta o interesse

( )Que realiza-se mais trabalhos em grupo

( )Que só realiza-se provas escritas

( )Que não permita atrasos na entrega das atividades

( )Que realizasse menos provas

 ( )Que entendesse as dificuldades e suas diferenças

10.Você concorda com os instrumentos que seus professores utilizam para realizar a avaliação? Por quê?

11.Você acredita que a avaliação escolar é importante? Justifique sua resposta.

12.A maneira do professor repassar os conteúdos ajuda na aprendizagem dos alunos ?

( )Sempre ( )Ás vezes ( )Raramente ( )Nunca

13.As aulas ministradas pelo professor despertam o interesse do aluno?Explique.

( )Sempre ( )Ás vezes ( )Raramente ( )Nunca

14.Os conteúdos ministrados em sala de aula estão de acordo com a realidade dos alunos ?

( )Sim ( )Não ( )Raramente ( )Nunca

8.TRATAMENTO DOS DADOS:

As informações obtidas através de cada um dos questionários serão analisadas individual e coletivamente, a fim de obtermos informações mais precisas e generalizadas.

9.BIBLIOGRAFIA:

Zaia Brandão. A crise dos paradigmas e a educação. Edição 8

Papalia, E.D. e Olds, S.W. (2000). Desenvolvimento físico e cognitivo na adolescência  Em: Papalia, E.D. e Olds, S.W. Desenvolvimento humano. 7. ed. (pp. 491-519). Porto Alegre.

CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação

Desenvolvimento e aprendizagem em Piaget e Vygotsky a relevância do social (1998) Isilda Capaner Palangana Editora: Summus editorial

Piaget (1970): 1.(1973)

Wallon, (p.90)

Galvão (2000)

Dantas (1992, p.95)

Vigotsky (1989)

Kuhn obra: estruturas das revoluções cientificas (p218)

Livro: Teorias da Adolescência (Muus, Rolf,, MG 1974)

Erickson (1976)

10.RESULTADOS, DISCUSSÃO

11.RECOMENDAÇÕES:

12.CONSIDERAÇÕES FINAIS:


postado por Aprendizagem no Ensino Medio as 02:25:34 # 0 comentários
 
Perfil
aprendizagem_
Meu Perfil

Links
Hotéis no Brasil
Encontra Brasil
Guia RN
Encontra Rio Grande do Norte
DNS Dinâmico
Blog Grátis

Palavras-Chave
ensino

Favoritos
Não há favoritos.

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
Não há comunidades.

Posts Anteriores
Aprendizagem no Ensino Médio

Arquivos
2009, 01 setembro

672 acessos
CRIAR BLOG GRATIS
..