<bruna surfistinha>
BuscaPé, líder em comparação de preços na América Latina
brunasusrfistinha
quinta, 09 agosto, 2007
A safadinha

 Bom primeiramente deixa eu me apresentar. Sou Marcos tenho 19 anos,1,70m, moreno claro. Sou um cara tímido e es tava já ficando louco comas investidas de Gabriela, uma mo reninha deliciosa de 18 anos,aproximadamente 1,62m de altu ra, coxas grossas e uma bunda muito bemservida. Morávamos no mesmo prédio e quando me via ela fica- va naquelade abraçar e roçava aquela bunda enorme no meu pau só pra me excitar.Um dia não aguentei e acabamos fican do. Entre beijos e beijos fomospra casa dela já que seus pais estavam trabalhando. Ficamos lá no sofásó na bolina- ção e eu já estava excitadíssimo. Foi quando ela tirou otop preto e revelou seus pequenos seios para mim. Mamei feito loucoenquanto ela gemia alto de tesão. Suas mãozinhas acariciavam meu pintoque quase rasgava a bermuda de tão duro.
 Fui tirando a roupa no embalo.Quando abaixei a cueca meu pau surgiu empinado e duro como pedra. Aessa altura Gabi estava só de calcinha. Ela pegava meu pau com carinhoe esfregava me levando ao delírio. Mas a coisa ficou ainda melhorquando ela começou a me chupar. Nossa, que boquinha. Como meu pau tem14cm ela engolia inteirinho. Arriei a calcinha dela a força e medeparei com sua bocetinha de pelos ralinhos. Meu pau molhado pelasaliva dela pulsava de ansiedade. Encostei a glande na rachinha dela ecomecei a forçar. Não era virgem a putinha. E como gemia gostoso. Meus14cm entraram fácil. Estávamos deitados no chão e fodíamos como doisbichos. Eu puxava o cabelo dela só pra ver a carinha de tesão que elafazia. Foi quando percebi que tinha alguém nos observando. Parei de imediato e me levantei pra ver quem era.
 Gabi não parecia estar nervosa.Logo notei porque : quem estava ali era o Sandro, amigo nosso. A julgarpelo vo lume em sua bermuda ele estava adorando o show. A vadiazinha daGabriela sa bia que ele estava ali. Nem liguei, voltamos à trepada comcompanhia agora. Gabriela botou o pau do Sandro pra fora. Era uma picaquase do ta- manho da minha. Um pouco maior, devia ter 15 ou 16cm.enquanto eu fodia gos toso ela chupava a piroca do Sandro. Ficamosassim por um bom tempo até tro carmos as posições. Meu pau saiu bemavermelhado de dentro da xota e Gabi disse que ele estava quentinho.Sandro fodia a xota da Gabriela com força o que fazia a boquinha delair e vir no meu pau.
 Eu já não estava aguentando mais, ia gozar. Sandrofoi primeiro, inundando a boceta da Gabi. Eu esporrei bem no rostinhodela. Foi muita porra. O Sandro tirou o pau dele da boceta e ficoupassando junto com o meu e com o meu esperma no rosto dela. Submissaela só conseguiu dizer : "Vocês são meus machos tesudos..." Dias depoisSandro e Gabriela apareceram namorando. Acabamos tendo mais umaexperiência juntos, desta vez com a participação de mais uma garota,minha namorada na época.


postado por 12408 as 01:07:56 # 3 comentários
segunda, 08 maio, 2006
Visita ao Ginecologista

por Deinisi
Aquele dia estava enlouquecida de teso e tinha uma consulta marcada.No podia desmarcar e apesar de j ter me masturbado, minha excitaocontinuava forte e aumentando.

Fuiao mdico e depois de um tempo esperando chegou minha vez. Subi aoconsultrio, cumprimentei o mdico que falou que iria me examinar. Fuiao banheiro e coloquei o robe para consulta e deitei na cama. Elechegou em seguida e me fez algumas perguntas triviais, que respondienquanto ele abria o robe para examinar meus seios.

Passou asmos em cada um e a vontade era de falar para apertar com fora.. mecontrolei e tentei controlar meu teso ao mximo. Examinou minhabarriga, comentou que minha tatuagem era bonita e sentou-se a minhafrente, olhando para minha bucetinha peladinha.
Ouvi o barulho dele vestindo a luva e em seguida falou: "No vou suar olubrificante pois vejo que no teremos problemas com isso!".. fiqueiroxa de vergonha, mas no conseguia controlar.. estava com teso eminha xana pulsava, louca para ser preenchida.

Colocou2 dedos e apertou por cima para fazer o exame de toque.. sua moencostou no meu grelo que j estava duro o que me fez tremer.. elepercebeu.. acho que sorriu e antes de tirar os dedos encostounovamente. Coloquei a mo na boca para no gemer alto e quase queinvoluntariamente gozei...
Ele permaneceu com os dedos dentro de mim, at que meus espasmos passassem.

Nofalamos nada.. nem uma palavra durante o restante do exame. Quandoacabou, ele gentilmente me ajudou a colocar as pernas para baixo eroou nos meus peitinhos.. no impedi.. meu teso ainda estavalatente.. eu queria muito mais.
Vi o volume em sua cala, me virei de costas, me oferecendo para ele,que tirou seu caralho para fora, j duro e mirou na minha bucetamolhada. Me apoiou na cama e metia bem gostoso. Com os dedos, comia meucuzinho... na verdade, abria espao para o que viria em seguida.

Deuma s vez enfiou o caralho inteiro dentro de mim, enquanto tampou aminha boca para no gritar. "Vadia.. veio aqui assim s para meprovocar no ? Agora vai ver!" e quando consegui falar apenas pediamais... e mais.

Logo ele esporrou no meu c. Se recomps, falouque estava tudo bem comigo e que poderia voltar daqui a 6 meses.Agradeci e fui embora... feliz por ter sido fodida!
 

postado por 12408 as 01:39:11 # 8 comentários
sexta, 31 maro, 2006
Dentistas

Sempre liesses contos, mas nunca tive curiosidade de contar o que aconteceucomigo, mas agora vou contar . Eu trabalho em uma clnica odontolgicaonde trabalham muitas pessoas aproximadamente mais de 10, entredentistas e secretrias. Entre as dentistas existe uma que umamiragem da natureza, Baixinha, corpinho sarado, Barriguinha estilotanquinho, loira de olhos verdes, seus peito so mdio, mas emcompensao sua Bunda era muito grande. Eu tambm trabalho l comodentista sou alto, corpo normal, nem magro, nem gordo de olhos claros ecabelos loiros, as mulheres sempre falam que sou muito bonito... E sou.Ento vamos ao que se interessa... eu e Ela sempre que passamos peloscorredores da clinica, nos flertamos, mas nunca aconteceu nada. Sempreficava naquele chove e no molha... Para meu desespero, pois olhavapara aquela bunda e pensava um dia ele tem que ser minha, mas assim foipassando o tempo encontro e desencontros sempre que dava eu passava portrs dela num lugar apertado e roava o meu pau em sua bunda e nada.At que um dia chegou um paciente s 9:00 da noite que estava morrendode dor. Os dentistas j estavam se aprontado para ir embora, mas quemiria tratar daquele paciente morrendo de dor, ela logo se pronunciouque trataria, e eu nada bobo, falei que a ajudaria. As secretriastinham que ir embora, pois seus nibus passavam logo depois das 9,seno elas teriam que pegar o das 10. Ento as secretrias falaram quedeixariam a chave com ela e ela devolveria no dia seguinte j que cadauma tem uma chave. Ela falou tudo bem.Tratamos do paciente que ficou muito agradecido, marcamos horrio paraele na semana seguinte, pois seu dente tinha dado canal. Fechamos aporta e fomos lavar os instrumentais para poder ir embora.Ela comeou a lavar seus instrumentais e eu logo atrs dela j de pauduro com aquela situao, onde estvamos apenas ns dois. Uminstrumental dela caiu no cho e ela abaixou para peg-lo, nisso eu queestava atrs cheguei mais perto e rocei meu pau duro em sua bundamaravilhosa. Ela ficou curtindo aquele momento, pensei esta no papo,mas no estava assim to fcil pois ela fingiu que nada tinhaacontecido, recolhemos as nossa coisas e fomos embora.No dia seguinte assim que a encontrei na clinica ficou com um ar de quealgo estava inacabado, mas no falvamos nisso e foi assim a semanatoda. No estava agentado mais, aquela situao ento cheguei nasecretria e falei que ela poderia marcar um paciente pra mim as 9:00da noite que eu atenderia. Chegando no horrio de fechar a clinicatodos foram embora, ficaram apenas eu e ela, que disse que estavapagando pela gentileza que fiz a ela na semana passada. Atendemos opaciente e fomos lavar os instrumentais. Ela derrubou um instrumentalno cho mas dessa vez eu que tinha sido de propsito, peguei e chegueipor trs dela, peguei em sua cintura roando-a e falei em seu ouvidovoc gosta desta situao n. Ela desconversou, mas eu no e logo lhetasquei um beijo na boca. Ela tentou me empurrar mas no conseguiu eacabou se entregando ao beijo. Comecei a beijar se ouvido e descer parao pescoo, minhas mos percorriam todo o seu corpo, ela estava gostandomuito. Ai pensei vou ser mais ousado um pouco e comecei a beijar seuspeitinho por cima da blusa e logo j estava mamando naqueles peitinhosque cabiam na minha mo. Tirei sua cala e coloquei-a em cima do balcoda pia e comecei a chupar sua xoxotinha. Nossa que xoxota mais lindacom cabelinhos loiros, perfumados no agentei e fiquei chupando elapassando a lngua em seu grelinho e com os dedos enfiados nela. Chupeiela at ela gozar e gozar muito.Nossa ai que me surpreendi, aquela dentista que parecia no fazernada, de repente virou uma felina, arrancou a minha roupa com toda afora e assim que tirou minha cueca, o bichinho que estavacompletamente duro pulou para fora, ela logos exclamou nossa que paugrande, pois meu pau no era brinquedo no tinha mais de 23 cm e eramuito grosso, uma beleza de pau, mas ela no se fez de rogada e comeoua chup-lo com uma maestria que poucas putas sabem, chupava a cabea,as bolas, o tronco tudo, nossa como ela gostava de chupar, ai comecei afuder sua boca com toda fora e ela percebei eu estava para gozar, etentou escapar, mas no consegui gozei todinha em sua boca, e elaengoliu todinho.Deitei-a na cadeira de dentista e falei pra ela agora voc vai ver oque um homem de verdade. E comecei a passar meu pau em sua xoxotinha.Ela virou e me perguntou se tinha camisinha. Falei que no tinha, setinha algum problema. Ela falou que tinha, que ela no transaria semcamisinha. Falei ento que no transaria com ela, mas que s brincariacom meu pau na portinha de xota e continuei a brincar com ele mas iacolocando a ponta da cabea e tirava. Nisso ela estava ido a loucura,ai comecei a colocar a cabea inteira e tirar, e ela no falava nada,ate que coloquei a cabea inteira e fui jogando meu corpo m cima dodela e meu pau foi penetrando naquela gruta quente e molhadissima. Elaj no raciocinava mais e comeamos a meter, num vai e vemsincronizado. Ela logo chegou a gozo, mas eu no, e como eu gosto defazer as mulheres chegarem a loucura, comecei a meter de s com pontado pau, sabem tipo bem rapidinho com a cabea apenas e assim foi, elacravava as unhas em minha costas gemendo de teso, nossa que delicia,na hora que estava para gozar dei aquela penetrada profunda e gozeitudo dentro dela. Nisso ela j tinha gozado varias vezes.Descansamos um pouco, bebemos u pouco de gua, pois ningum de ferro.E ficamos conversando. Falei para ela que tinha muita vontade de comera bunda dela, que aquela bunda j fazia parte das minhas punhetasdirias e perguntei se ela gostava de fazer sexo anal. A resposta foique me deixou de boca aberta, ela falou que nunca tinha dado praningum e que nunca a daria, pois j tinha ouvido falar que doa muito.Eu falei que no que s tem que saber fazer. Ela falou nem pensar.Falei me deixa s por a cabecinha, s pra eu sentir como sua bunda ej tiro. Mas voc vai tirar, falei lgico pode confiar em mim. Ento tabom. Peguei um gel que tenho pra polir resinas de dentes e passei emseu czinho e enfiei um dedo e fiquei brincando com o dedo em suabunda, logo em seguida enfiei mais um para ela ir acostumando com agrossura, ela falou nossa como bom sentir os dedo no cu, peguei o meupau e fui posicionando na portinha daquele cu maravilhoso, e comecei acoloc-lo, ela comeou a reclamar de dor, falei pra ela que calma quepassa logo, e continuei colocando, na hora que a cabea do meu pauestava toda dentro dela parei e fiquei naquela posio esttica paraela ir se acostumando, com a dor e com a grossura do meu pau. Assim quepercebi que ela j tinha se acostumado comecei a bombar bemdevagarzinho e colocando cada vez mais dentro dela. Ela reclamava muitode dor, e falei que logo passava, continuei bombeando nela. Logo elacomeou a gemer e pedia mais, me enfia, me enfia tudo, nossa que paugostoso. Fui bombeando nela at que acabamos num gozo conjunto. Acamos desfalecido de tanto sexo. Colocamos nossas roupas e fomosembora. No dia seguinte no falvamos nada, mas ficou aquele ar dequero mais. Transamos muitas vezes e em muitos locais. At hoje elafala pra mim que ningum consegue dar prazer para ela como eu dei. Atque ela namora um carinha srio, diz at que vai casar, mas me d suaxoxotinha e sua bundinha pelo menos uma vez por ms.Podem ficar sossegados que eu conto as nossas experincias numa prximavez.Espero que tenha gostado do conto. ABRAOS A TODO!!!

postado por 12408 as 01:30:04 # 9 comentários
Perfil
12408
Meu Perfil

Meus Links
Sapequinha
amor e mulheres

Palavras-Chave
japas
percertidas
teso
masturbao
matsurbando

Favoritos
chaves
Dan Marsura Page
mais...

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
bruna surfistinha

Posts Anteriores
A safadinha
Visita ao Ginecologista
Dentistas
as japas
O Vizinho tarado
A expectativa aumenta o prazer
Loucura a Trs
Trecho o doce veneno do escorpio
Minha melhor amiga
A dentista

Arquivos
2007, 09 agosto
2006, 08 maio
2006, 31 maro
2006, 20 maro
2006, 09 maro
2006, 16 fevereiro
2006, 15 fevereiro
2006, 04 fevereiro
2006, 30 janeiro
2006, 26 janeiro
2006, 25 janeiro
2006, 21 janeiro
2006, 19 janeiro
2006, 15 janeiro
2006, 14 janeiro
2006, 08 janeiro
2006, 07 janeiro
2005, 31 dezembro
2005, 25 dezembro
2005, 04 dezembro

160246 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..