CLÁSSICOS
CLÁSSICOS
quarta, 26 agosto, 2009
Palmeiras - 95 anos


Por: Eduardo Rios

No dia 26 de agosto de 1914, exatos 95 anos atrás, nascia um dos principais clubes do futebol brasileiro. A Società Sportiva Palestra Italia, que depois virou Palmeiras e conquistou dezenas de títulos e o coração de milhões de torcedores Brasil afora.

O Palestra Itália só faria sua primeira partida no ano seguinte, no dia 24 de Janeiro de 1915, contra o Savóia, de Votorantim, que na época era distrito de Sorocaba. Vitória palestrina por 2x0, com gols de Bianco (o primeiro jogador a marcar com a camisa do Palmeiras) e Alegrette.

O primeiro título do Palestra Italia só viria cinco anos depois, com o Campeonato Paulista de 1920. Quando o time venceu o então poderoso time do Paulistano, de Friedenreich, a grande força da época, por 2x1, na Chácara da Floresta.

Daí por diante foram vários títulos paulistas: 1926, 1927, 1932, 1933, 1934, 1936, 1940, 1942. Além de 2 Campeonatos Paulistas Extra, e o Rio São Paulo de 1933. Quando então o time teve de mudar de nome. Motivo: O Brasil ficou do lado dos Aliados contra o Eixo, da Itália de Mussolini, e então o Palestra Italia não pode mais usar o nome do país natal. Mudou o nome para Palestra de São Paulo. Não muito tempo depois virou Palmeiras. Sociedade Esportiva Palmeiras, e cresceu. Ainda mais.

O Palmeiras tem entre suas principais conquistas a Taça Rio, de 1951. Título que o próprio Palmeiras considera como um título Mundial. E, sem dúvida a mais importante de todas as conquistas: a Libertadores da América de 1999. Time comandado por Luis Felipe Scolari, que contava com vários craques no elenco. Como o eterno ídolo Marcos, o lateral Arce, Cesar Sampaio, Zinho, Alex, Paulo Nunes, Oséias e o matador Evair.

Falando em craques. Disso o torcedor palmeirense não tem do que reclamar. São tantos:

Ademir da Guia, Jorge Mendonça, Luis Pereira, Leivinha, Vavá, Julinho Botelho, Oberdan Cattani, César Maluco, Chinezinho, Djalma Santos, Zinho, Djalminha, Evair, Edmundo, Cafu, Cléber, Gaelano, Alex, Marcos, Velloso, Sérgio, Valdivia, Mazzola, Arce, Roberto Carlos, Dudu, Emerson Leão, Rivaldo, Luizão, entre tantos outros craques.

Títulos Alvi-Verdes:

Campeonato Paulista: 1920, 1926, 1927, 1932, 1933, 1934, 1936, 1937, 1940, 1942, 1944, 1947, 1950, 1959, 1963, 1966, 1972, 1974, 1976, 1993, 1994, 1996, 2008. - Paulista Extra - 1926 e 1938.

Torneio Rio-São Paulo: 1933, 1951, 1965, 1993, 2000.

Copa dos Campeões Estaduais Rio-São Paulo: 1927, 1942, 1947.

Campeonato Brasileiro: 1972, 1973, 1993, 1994.

Campeonato Brasileiro Serie B: 2003

Copa do Brasil: 1998

Taça Brasil: 1960, 1967

Torneio Roberto Gomes Pedrosa: 1967, 1969

Copa dos Campeões: 2000

Copa Libertadores da América: 1999

Copa Mercosul: 1998

Copa Rio Internacional: 1951


postado por 111670 as 11:00:37 # 0 comentários
segunda, 24 agosto, 2009
A força azul do Palmeiras


O Palmeiras continua invicto jogando de azul. Depois de vencer o Internacional, no último sábado, por 2 a 1 pelo Campeonato Brasileiro, o Palmeiras tem o retrospecto de 3 jogos com o unforme azul, sendo que venceu duas partidas e empatou uma.

A primeira vez que o Palmeiras jogou de azul foi no ano de 1929, contra o Ferencvaros, da Hungria. A partida era válida pela Taça Estevão Ronai. O jogo terminou 5 a 2 para o Palmeiras. Apesar de ter sido realizado no Parque Antártica, o Palmeiras foi azul para prestar homenagens a membros italianos que estevam no estádio.

A segunda vez que o Palmeiras jogou de azul foi por um motivo, digamos, menos nobre. O time por sugestão de um macumbeiro enfrentou o Corinthians em jogo válido pelo Paulista de 1954. A partida foi realizada já no ano de 1955, no dia 6 de fevereiro, e terminou empatada por 1 a 1.


postado por 111670 as 12:56:03 # 0 comentários
sexta, 19 junho, 2009
Direto do Arquivo - Corinthians 1x5 São Paulo - Brasileiro 2005


Dia 8 de maio de 2005, domingo, estádio do Pacaembu. Essa foi a data e o local de uma das maiores catástrofes para o Corinthians e a lembrança recente mais positiva do São Paulo no clássico.

O Corinthians passava por um momento complicado, apesar das estrelas galáticas como Roger, Carlos Alberto e Tevez, o time comandado pelo argentino Daniel Passarela havia sido eliminado da Copa do Brasil, pelo Figueirense, três dias antes.

O São Paulo estreava novo técnico, Paulo Autuori. O time do São Paulo, que posteriormente seria campeão da Libertadores tinha em seu elenco jogadores como Cicinho, Luizão e Lugano.

A partida ficou marcada também pelo vandalismo de parte da torcida do Corinthians após o jogo, quando tentou invadir o gramado do Pacaembu. Vale lembrar que alguns torcedores conseguiram a invasão, mas a maior parte da torcida conflitou-se com os policiais.

CORINTHIANS
Tiago; Anderson, Betão (Bruno Octávio) e Marquinhos; Edson, Marcelo Mattos, Carlos Alberto, Roger e Gustavo Nery; Tevez e Gil (Jô)
Técnico: Daniel Passarella

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Fabão, Alex e Edcarlos; Cicinho, Mineiro, Josué, Danilo e Júnior (Fábio Santos); Grafite (Souza) e Luizão (Diego Tardelli)
Técnico: Paulo Autuori

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Nilson de Souza Monção (ambos de SP)
Cartões amarelos: Josué (S), Marcelo Mattos (C), Edcarlos (S), Roger (C), Anderson (C), Grafite (S), Edson (C), Fabão (S), Alex (S)
Gols: Rogério Ceni, aos 3min, Luizão, aos 13min, e Danilo, aos 16min do primeiro tempo; Luizão, aos 2min, Cicinho, aos 28min, e Carlos Alberto, aos 43min do segundo tempo

Curiosidade - O gol de Rogério, aos 3 minutos, foi o primeiro dele contra o Corinthians.

Campeão Brasileiro do ano - Corinthians

O Corinthians conquistou título no ano -   Brasileiro

O São Paulo conquistou título no ano - Paulista, Libertadores e Mundial

Imagem - Lance


postado por 111670 as 04:50:07 # 0 comentários
terça, 19 maio, 2009
Sir Alex Ferguson - O Monstro Escocês


ESCRITO POR: EDUARDO GARCIA

Alex Ferguson teve boa carreira como jogador, foi atacante fazedor de gols na sua época, mas não decolou em um cenário grande, passando toda sua carreira jogando em seu país, a Escócia. Começou no Queen’s Park com 16 anos, mas, apesar de marcar gols decisivos, não obteve sucesso. Transferiu-se para o St. Johnstone, onde ficou por quatro anos, mudando-se depois para o Dunfermline e conseguindo se destacar. O que o levou ao grande Rangers, de Glasgow.

No Rangers, Ferguson teve grande sucesso em seu começo. O Rangers se classificou para a final da Scottish Cup em 1969, mas no jogo decisivo, Ferguson cometeu um erro grave que custou a perda do título pelo time de Glasgow. Além disso, as relações entre Alex Ferguson e o Rangers já não estavam com um relacionamento muito bom. Isso por causa do casamento de Alex Ferguson com Cathie Ferguson, que era da religião católica, e que causou grande mal-estar no clube protestante.

Ferguson então recebeu uma proposta que mudaria sua vida de jogador, ir para o Nottingham Forest, um grande clube de um grande centro, mas sua esposa não queria mudar-se para a Inglaterra, então Ferguson acertou sua transferência para o modesto Falkirk. No clube escocês Alex Ferguson conseguiu o status de ídolo, fazendo 106 partidas no clube, e se tornando jogador-treinador. Foi a primeira experiência de Ferguson como treinador. Porém, ao contrario do que Ferguson pensava, ele assumira provisoriamente o comando da equipe, e quando a diretoria anunciou que contratara outro treinador, Ferguson então arrumou suas malas e partiu para o Ayr United, onde por lá encerrou a carreira.

Em 1974, com apenas 32 anos, foi nomeado treinador do East Stilingshire, da segunda divisão escocêsa na época (atualmente a liga escocêsa não tem duas divisões). Recebia £40,00 por semana, em um time que não contava nem com um goleiro profissional. O clube não fez campanha de título, tão pouco subiu para a elite, mas uma grande melhora foi apontada.

Na temporada seguinte mudou-se para o St. Mirren, também da segunda divisão, e neste time sim, conseguiu em sua primeira temporada o acesso até a primeira divisão. Mas desentendimentos com o presidente da equipe fizeram com que Ferguson saísse do time que prometia assustar no campeonato. Os rumores eram de que Ferguson, antes mesmo do final da temporada, já estaria acertado com o Aberdeen, e depois do final da temporada mudou-se para o primeiro time de vermelho que viria a dirigir.

Entrou no Aberdeen em 1978. Breve resumo: O Aberdeen é hoje a terceira grande força do futebol escocês, obtém quatro títulos da liga escocesa, porém antes de Ferguson o clube detinha apenas um. Ferguson ganhou três dos quatro títulos da história do Aberdeen. Com estes resultados, obviamente, Ferguson atraiu os olhares de alguns grandes clubes do futebol britânico, como o Rangers (Ferguson não aceitou, talvez pelos motivos e desentendimentos de sua época de jogador), Wolverhampton, Tottenham, mas o treinador não deixou o comando do time de Glasgow.

Depois de alguns meses novamente um grande clube foi atrás de Ferguson, e foi o Arsenal, porém o comandante não trocou o Aberdeen pelo clube Londrino. Em 1986, então, foi procurado pelo Manchester United, e por alguma razão que desconhecemos, não pensou duas vezes e mudou-se para os Red Devills.

Já se passam 22 anos desde que Sir Alex Ferguson entrou no comando do United, e o sucesso é estrondoso, nunca visto antes. O escocês tem o montante de 33 títulos no comando do time de Mancheter, são 11 Premier League. Antes de Ferguson o Manchester tinha sete títulos do Campeonato Inglês, agora tem 18, e junto com o Liverpool, é o maior vencedor da competição. Disputou mais de 1.000 partidas no comando do United.

Ferguson é Bi-Campeão Europeu e também Bi-Campeão do Mundo, em 1999 e 2008, e pode aumentar para Tri, já que está na final da Champions League deste ano. Além disso são oito Supercopa da Inglaterra, três Copas da Liga Inglesa, cinco Copas da Inglaterra, uma Supercopa Européia e uma Recopa Européia.

É o maior treinador da história do Manchester United, do futebol inglês, e quem duvida dizer, do Mundo.


postado por 111670 as 04:11:51 # 0 comentários
quarta, 13 maio, 2009
São Marcos - Libertadores 1999


                                Marcos depois de defender penalti de Vampeta

Escrito Por: Eduardo Garcia

Na noite desta terça feira o Palmeiras derrotou o Sport nos penaltis, em plena Ilha do Retiro, em Recife. O que nos remete ao passado, a exatos 10 anos, quando Palmeiras eliminou o Corinthians nas Quartas de Final da Libertadores de 1999, tendo Marcos como herói, assim como na noite de ontem.

No dia 12 de Maio de 1999, exatos 10 anos atrás, Palmeiras e Corinthians duelavam pelas Quartas de Final da Libertadores da América, onde nenhum dos dois times haviam conquistado a taça até então. Os dois times haviam se enfrentado na fase de grupos na mesma competição (assim como Palmeiras e Sport neste ano), com uma vitória para cada lado: Palmeiras ganhara por 1 x 0, e o Corinthians por 2x1, porém o time do Parque São Jorge ficou na primeira colocação do grupo, com 12 pontos, dois a frente do Palestra.

Depois de passar pelo Jorge Wilstermann nas Oitavas de Final, o Corinthians reencontraria o Palmeiras, que passara pelo então atual campeão Vasco da Gama. No primeiro jogo o Verdão arrancou uma boa vantagem, vencendo por 2x0, com grande atuação do jovem goleiro Marcos, que estreara como títular justamente naquele jogo. O Corinthians, no segundo jogo, conseguiu repetir o mesmo placar feito pelo Palmeiras (assim como fez o Sport este ano), vencendo também por 2x0, e levando a decisão para os penaltis.

Nos penaltis...

O colombiano Rincón abriu o duelo, e com uma belíssima cobrança deixou o Corinthians em vantagem. Para o Palmeiras, quem cobrou foi Arce, e com grande categoria empatou para o Palmeiras. Então foi a vez de Dinei, que desperdiçou, chutando na trave.

Evair, como sempre, marcou para o Palmeiras e depois foi a vez de Vampeta errar: O corinthiano chutou e Marcos fez uma grande defesa, dando boa vantagem para o Alvi-verde. Depois disso, Rogério converteu para o Palmeiras, Silvinho ainda deu esperanças para o Corinthians após converter sua cobrança, mas Zinho marcou e decretou a vaga nas Quartas de final para o Palmeiras, 4x2, e o direito de pegar o River Plate.

O final da história quase todos conhecem: O Palmeiras eliminou o River Plate nas Semi-Finais e depois venceu nos pentaltis o Deportivo Cali, conquistando assim seu primeiro, e até agora único, título da Libertadores.

Conhecidencias...

O Palmeiras enfrentou um brasileiro na primeira fase (O Sport), assim como o Corinthians em 1999.

O Palmeiras enfrentou um brasileiro nas Oitavas de Final (O Sport), assim como o Vasco em 1999.

O Palmeiras pode enfrentar um argentino nas Semi-Finais (O Boca Jrs.), assim como o River Plate em 1999.

O Palmeiras, se porventura campeão, pode enfrentar o Manchester United no Mundial Interclubes, assim como em 1999 (O clube inglês está na Final da UEFA Champions League). E assim como em 1999, Ryan Giggs e Marcos, os dois protagonistas daquela vitória dos Red Devils, estariam presentes no duelo. É claro, são só conhecidencias, mas não custa nada relembrarmos.


postado por 111670 as 02:20:27 # 0 comentários
 
Perfil
111670
Meu Perfil

Links
Conexão Futebol
Blog do PVC
Que fim levou?
Museu dos Esportes
Hoteis

Palavras-Chave
liverpool
celtic
dalglish

Favoritos
CONEXÃO FUTEBOL
mais...

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
Não há comunidades.

Posts Anteriores
Palmeiras - 95 anos
A força azul do Palmeiras
Direto do Arquivo - Corinthians 1x5 São Paulo - Brasileiro 2005
Sir Alex Ferguson - O Monstro Escocês
São Marcos - Libertadores 1999
King Kenny Dalglish
Tragédia de Hillsborough
Internacional 100 anos - Bicampeonato brasileiro
Internacional 100 anos - Campeão do Mundo 2006
Internacional 100 anos - Rolo compressor dos anos 40

Arquivos
2009, 01 agosto
2009, 01 junho
2009, 01 maio
2009, 01 abril
2009, 01 março
2009, 01 fevereiro

7336 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..