Compartilhando Na Web
Jerusalém Celestial... Vamos?

Graça, Paz e Alegria!

Apocalipse 21.1-8

1 E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram o primeiro céu e a primeira terra, e o mar já não existe.
2 E vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus, ataviada como uma noiva adornada para o seu noivo.
3 E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles.
4 Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.
5 E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve; porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.
6 Disse-me ainda: está cumprido: Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. A quem tiver sede, de graça lhe darei a beber da fonte da água da vida.
7 Aquele que vencer herdará estas coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.
8 Mas, quanto aos medrosos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos adúlteros, e aos feiticeiros, e aos idólatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago ardente de fogo e enxofre, que é a segunda morte.

O texto é a descrição inicial da visão da Jerusalém Celestial. Muito mais que um lugar geográfico, uma disposição. A cidade de Jerusalém (aqui na terra - aí sim, o local físico e geográfico) é a escolhida para o local do Templo, onde a arca da aliança, símbolo da presença de Deus deveria repousar. Durante um tempo isso aconteceu, mas hoje, tudo indica, ela já está na Jerusalém Celestial (Apocalipse 11.19), o lugar que Jesus foi preparar.

A palavra no grego usada para "novo" é kainon, que indica algo novo tanto em qualidade como temporalmente. Não só uma nova cidade, um novo momento histórico. Essa novidade, além do temporal (em relação ao céu e terra que temos hoje), vai além: é algo muito melhor.

O que pode intrigar nesse texto é a alusão que o mar já não existe. Por que? Podemos caminhar na direção de algumas explicações:

- O mar muitas vezes simboliza local de uma aglomeração (numerosa multidão) e, algumas dessas vezes, a aglomeração pode causar crises e problemas. Na Jerusalém celestial isso não pode acontecer;

- Se Babilônia era reconhecida como a cidade sobre as águas, e o Anti-Cristo é uma besta que vem do mar (multidão), a nova Jerusalém não está baseada nisso;

- Com o mar, povos e civilizações ficam divididos. Não há esse tipo de situação na Jerusalém Celestial.

Talvez tenhamos outras possibilidades de encaminhamento, mas por enquanto fico pessoalmente satisfeito com essas, entendendo que a idéia da visão profética é, muito mais que falar algo especificamente físico, comparar para dar exemplos de como será.

O texto segue com a afirmação de como será essa nova Jerusalém: o Tabernáculo de Deus e Ele habitará com os homens, as lágrimas dos olhos são enxugadas, a morte, já lançada no lago de fogo, não existirá - uma volta ao plano original do Éden. Na verdade, vou mais além: se Quem está no trono declara que faz novas todas as coisas (mais uma vez a utilização de uma palavra com radial em kainon), algo ainda melhor: novo do ponto de vista da história e novo de novidade, de diferença para melhor.

O texto termina deixando claro uma lista de conduta, de atitudes que pessoas muitas vezes adotam. Quem vive de acordo com essas coisas, terá seu lugar no lago de fogo e enxofre. Será a segunda morte, a ausência de Deus. Em Jesus, somos salvos disso. Sem aceitá-Lo, podemos manter uma conduta contrária ao que é proposto pelo Senhor e ficar de fora da eternidade com o Senhor. Precisamos acertar nossa conduta, anunciar para outros tantos que ainda precisam mudar de atitude, pois o tempo está próximo. Não sei quanto tempo, mas sei que falta pouco. Não importa quanto tempo ainda vai demorar para acontecer no relógio da humanidade (Chronos). O que importa é que essas palavras são fiéis e verdadeiras e logo se cumprirão (no Káiros - Tempo de Deus).

Maranata!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor
www.ministeriocompartilhando.com.br
www.group.compartilhandonaweb.net

postado por 107800 em 09:49:24 :

2 comentários:Comente este post!
em 10/06/2010 17:08:16 , Arnaldo ou Israel escreveu:
O ALTISSIMO JÁ FAZ JUSTIÇA NA TERRA COM A DESTRA DO CRISTO:
(JR.33.2) – Assim diz o Senhor que faz estas cousas, o Senhor que as forma para as estabelecer (Senhor é o seu nome): Há meio século eu me tornei escravo da liberdade do meu próprio Ser em Cristo, empenhado em esquadrinhar o Tratado Bíblico, no afã de me preparar como Guia dos Guias espirituais, para poder conduzir o povo de Deus à terra prometida. Tenho testado as almas nessa fé, e muitas terão dificuldades em alcançar a relevância dessa obra, dado a sua complexidade aliada à descrença reinante nessa terra pagã e sem futuro. Mas Deus é testemunho de que é com a mais pura das intenções que exorto o estudo acurado da nossa bibliogênese; porque sei que essa humanidade infiel e pervertida, já não poderá subsistir sem o conhecimento que Jesus nos passa através dela.
(LV.17.12) – Portanto, tenho dito aos filhos de Israel: (SL.5811) – Na verdade, há recompensa para o justo, há um Deus, com efeito, que julga na terra: (1CO.9.3) – A minha defesa perante os que me interpelam é esta: É o Espírito Santo que revela ao mundo o ex-segredo guardado nas 98 letras e 7 sinais desta parábola:

(NM.16.28) – ENTÃO, DISSE MOISÉS: NISTO CONHECEREIS QUE O SENHOR ME ENVIOU A REALIZAR TODAS ESTAS OBRAS, QUE NÃO PROCEDEM DE MIM MESMO:

(MC.14.27) – Todos vós vos escandalizareis porque está escrito:

E CRISTO DIZ AOS HOMENS CONSCIENTES: ESTÃO VENDO QUE ESSE SER É MEU ESPÍRITO EM ARNALDO RIBEIRO, NAS MÃOS DO HOMEM QUE AMA.

(GL.4.16) – Tornei-me, porventura, vosso inimigo, por vos dizer a verdade? (1CO.4.3) – Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós ou por tribunal humano, nem eu julgo a mim mesmo;
(1CO.4.3) – porque se julgássemos a nós mesmos, não seriamos julgados. (2CO.5.10) – Importa que compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.






em 25/03/2010 20:16:46 , Arnaldo ou Israel escreveu:
O ESPÍRITO DOS PROFETAS REVELA O QUE ESTÁ ESCONDIDO NAS PARÁBOLAS BÍBLICAS:
(MT.15.18) – E chamando Jesus os seus discípulos, disse: (MC.14.41) Ainda dormis e repousais? Basta! (LC.8.10) - A vós outros é dado conhecer os mistérios do reino de Deus; aos demais, fala-se por parábolas, para que, vendo, não vejam, e, ouvindo, não entendam: (2CO.10.7) – Observai o que está evidente, na recomposição das 116 letras e dos 4 sinais, que compõe esta parábola:
(AP.2.7) – QUEM TEM OUVIDOS OUÇA O QUE O ESPÍRITO DIZ ÀS IGREJAS:AO VENCEDOR DAR-LHE-EI QUE SE ALIMENTE DA ÀRVORE DA VIDA, QUE SE ENCONTRA NO PARAÍSO DE DEUS:
(LC,20.17) – Que quer dizer, pois, o que está escrito? Quer dizer que hoje podemos ler, entender e saber ensinar que:
AGORA O CRISTO VIVO ESCREVE ENSINANDO O HOMEM A SER DE DEUS: QUER QUE O ESPÍRITO QUE É DONO DA VERDADE, ESPIRITUALIZE A ALMA QUE É DONA DA JUSTIÇA:
(JB.14.1) – Não se turbe o vosso coração, credes em Deus, crede também em mim; (EC.12.14) – porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até mesmo as que estão escondidas, quer sejam boas quer sejam más. (JB.21.14) – Este é o discípulo que dá testemunho destas cousas e que as escreveu, e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro; (IS.28.26) pois o seu Deus assim o instrui devidamente e o ensina.





CRIAR BLOG GRATIS   
..