Conquiste e Fidelize Clientes
Conquiste e Fidelize Clientes
20090223
Cultive a auto-estima para vender melhor!


Na psicologia, a auto-estima é incluída como uma avaliação subjetiva que o indivíduo faz de si próprio, positiva ou negativamente.
Em outras palavras, é a opinião e ou sentimento que cada ser possui de si. É a consciência de nosso valor pessoal quando acreditamos em nós e nos respeitamos.
A auto-estima possui dois fatores fundamentais, o valor pessoal e a competência pessoal, todos dois em formas íntimas de sentimento. Primordiais na formação de nossa capacidade para lidar com a vida e todos os seus percalços.
Os psicólogos costumam afirmar que a auto-estima pode ser construída com características permanentes da personalidade humana, ou com condições psicológicas temporárias, em resumo, todos nos nascemos com uma auto-estima latente, mas sofremos forte influência dos ambientes em que vivemos.
Para sabermos como elevar o sentimento de auto-estima, precisamos antes conhecer algumas características típicas da baixa auto-estima:
· Sentimento de inadequação
· Apreensão e insegurança
· Perfeccionismo extremado
· Críticas excessivas
· Não aceitação dos erros
· Depressão
· Necessidades de aprovação, aceitação e reconhecimento.

Muitos fatores são responsáveis por baixar nossa estima pessoal, o fato de alguém ser positivo e ter a auto-estima alta, não que dizer que não se possa entrar em processo de diminuição desta estima pessoal. Constantemente vivenciamos situações diárias, que podem nos levar a patamares bem baixos de estima pessoal, como as frustrações, a inveja, insegurança, vergonha, carências, rejeições, medos, raiva, perdas, enfim, muitos destes sentimentos e situações derrubam nossa auto-estima, por isso, precisamos estar atentos, não podemos nos deixar abater.
Gosto de mostrar uma fórmula muito utilizada na psicologia, e que ilustra a construção do amor próprio e da autoconfiança.
 

AUTOCONHECIMENTO + AUTO-RESPEITO = AUTOCONFIANÇA

AUTOCONFIANÇA + AUTO-ESTIMA = AMOR PRÓPRIO



É claro que poderíamos nos aprofundar neste assunto por horas a fio, mas o essencial é que um profissional de vendas deve estar sempre atento a estes sentimentos, ele deve manter sua atenção redobrada, pois vender exige grandes doses de auto-estima. Um vendedor bem sucedido sempre esta de bem com a vida, ele sempre é positivo quanto ao seu futuro, por isso cultive alguns hábitos simples que lhe ajudarão a manter a auto-estima em alta.


· Mantenha sua forma física, dedique um tempo ao seu corpo, afinal você precisa dele em perfeito estado diariamente.
· Procure se autoconhecer, este processo contínuo deve sempre ser trabalhado com dedicação e afinco.
· Busque conhecimento técnico, um profissional de vendas deve evoluir constantemente.
· Aprenda a ouvir suas intuições.
· Busque experiências anteriores, elas são ótimas professoras da vida.
· Observe e aperfeiçoe suas qualidades, elas são o seu diferencial.
· Converse com você mesmo, repense sempre suas atitudes.
· Fuja dos pessimistas, eles são vampiros, prontos para sugar toda a sua auto-estima e autoconfiança, destruindo seu amor próprio.
· Acredite que você já é uma pessoa de sucesso e amada por todos, isto é fundamental!


Seguindo estes passos, sua capacidade para receber e fazer elogios vai aumentar, você também se tornará uma pessoa menos ansiosa e insegura, e conseguirá gerar mais harmonia no ambiente de trabalho, com isso, será mais tolerante e flexível na hora de administrar os problemas. Estas atitudes vão lhe transformar pouco-a-pouco em um profissional mas satisfeito e mais seguro de sua capacidade, você vai desenvolver relacionamentos mais sinceros e saudáveis, e conseqüentemente melhorará seu desempenho profissional.



Sucesso sempre!

Artigo escrito por:

Fábio Azevedo 

DO SITE: administradores.com.br 

___________________________________________________________________________________________

“Vender exige grandes doses de auto-estima,
um vendedor bem sucedido sempre esta de bem
com a vida,
ele sempre é positivo quanto ao seu futuro!”
Fábio Azevedo

Meus amados leitores, assuma o compromisso de amar primeiramente a si mesmo, de acreditar no seu potencial, de dar o seu melhor em cada atividade que for desenvolver de sorrir para cada porta que a vida lhe abrir e de fazer no mínimo uma pessoa feliz por dia.

Espero que o texto acima tenha lhe trazido uma reflexão sobre o seu papel de vendedor e de ser humano pois na vida estamos vendendo o tempo todo.

Pense nisso, sucesso e que Deus lhe abençoe abundantemente.

Agora é com você!

Um forte abraço e até a próxima. 

Adenivaldo S. Alves (Denny) 

Denny é Consultor Empresarial e presta serviços para um seleto grupo de mais de 50 escolas de informática espalhadas por todo o Brasil.

Para falar com Denny adicione o seu MSN: denidobem@hotmail.com


postado por 51514 as 02:06:01 # 0 comentários
20090123
Objetivos x Resultados


   Nós trabalhamos por objetivos ou por resultados? "Resultado" é a palavra de ordem na produção de bens e serviços. Resultado é conseqüência, efeito, seguimento. Amplamente conhecido como produto de uma operação matemática. Mas também empregamos o vocábulo para designar deliberação, decisão, resolução, termo, fim.

Nesta última concepção, a expressão talvez seja o resultado de todos os entendimentos organizacionais e estratégicos, porque se refere a lucro, proveito, ganhos, proventos. Enfim, de um termo técnico das Ciências Contábeis, lucro ou prejuízo de uma empresa em determinado exercício transformou-se em um indicador de competência humana amplamente cobrado e requisitado no mundo organizacional. Assim, ocorre com o conceito, uma perda inerente na vida prática, que nem todos percebem.

Afinal, porque pensar sobre o assunto, se o negócio é decidir com precisão e agir rapidamente. O resultado é um ingrediente, é fator componente, um parâmetro balizador, mas não é o objetivo. Em matemática, se diz que não é exato, mas é suficientemente correto para os fins a que se destina; aproximação. Então, qual a razão que leva os escritores e os gestores a enfatizar tanto a cobrança do resultado se ele não significa o "melhor possível"?

É apropriado pensar que as organizações - atualmente aceito a idéia de que elas são organismos vivos que interagem, aprendem e se adaptam ao ambiente - e pessoas têm objetivos, que em última instância é relativo ao objeto. Também se refere às coisas práticas, positivas. Como em filosofia sempre se vai além, diz-se do que é válido para todos, e não apenas para um indivíduo. E é neste último sentido que vale a referência às organizações como seres vivos, afinal, são constituídas por seres humanos que interagem para um objetivo.

Em verdade, na maioria das ocasiões, em vez de nos dedicarmos aos objetivos, as organizações, através de seus gestores, anunciam, propagam e cobram: "focar nos resultados". E estes, são componentes intercambiáveis do processo, fora dele nem fazem sentido, até porque adquirem rapidamente um contexto de passado.

Segundo a professora Regina Moraes - no livro "32 Tipos de Inteligências" - busca-se a solução, mas as respostas que encontramos não vão além do ponto de vista que temos sobre o assunto. Esta evidência é tratada com a imagem mítica de Sísifo - o fundador de Corinto.

Penso que as organizações geridas por gestores Zeus(es) oferecem as punições - na terra das empresas - àqueles que transgrediram as normas da gerência individualmente, ou equipe, isto é, não focaram, portanto não alcançaram os resultados. Por isso, estão condenados a rolar pedras montanha acima, que vão despencar - não dá para revogar a lei da gravidade. E recomeçaremos a jornada. Na prática, gestores estão fazendo isso: desligam os incompetentes - não foram orientados, não foram adequadamente avaliados e, portanto, não foram treinados - que não atingiram os resultados; contratam outros, outros, outros. E recomeçamos a jornada.

Segundo a interpretação de Albert Camus, "os deuses condenaram Sísifo a incessantemente rolar uma rocha até o topo de uma montanha, de onde a pedra cairia de volta devido ao seu próprio peso. Eles pensaram, com alguma razão, que não há punição mais terrível do que o trabalho inútil e sem esperança. Quanto a este mito, vê-se simplesmente todo o esforço de um corpo - mão-de-obra - esforçando-se para levantar a imensa pedra, rolá-la e empurrá-la ladeira acima centenas de vezes; vê-se o rosto comprimido, a face apertada contra a pedra, o ombro que escora a massa recoberta de terra, os pés apoiando, o impulso com os braços estendidos, a segurança totalmente humana de duas mãos cobertas de terra. Ao final deste longo esforço medido pelo espaço e tempo infinitos, o objetivo é atingido".

"O trabalhador de hoje trabalha todos os dias de sua vida nas mesmas tarefas, e seu destino não é menos absurdo. Mas é trágico apenas nos raros momentos em que ele toma consciência". Outra referência mitológica é que segundo o entendimento dos gregos antigos, o inferno é um lugar onde se realizam trabalhos infrutíferos. Quantas vezes, nos ambientes de trabalho as pessoas desabafam usando esta expressão?

Cogito a possibilidade: se as organizações, através de seus gestores, definissem mais claramente seus valores, políticas e missão, não enfatizassem tanto por resultados, pessoas e organizações atingiriam seus objetivos com mais competência, sentido de realização e felicidade.

E, concluímos com Camus: "Sempre se acha sua carga novamente. Mas Sísifo ensina a mais alta honestidade, que nega os deuses e ergue rochas. Ele também conclui que está tudo bem. A própria luta em direção às alturas é suficiente para preencher o coração de um homem".

Artigo escrito por:

Luiz Carlos Moreno

Site RH.COM.BR

___________________________________________________________________________________________

"Quem não aprende a nadar em época de sol é candidato a morrer em época de dilúvio"        Denny

2009 é o ano da inovação. Vamos juntos surpreender e fazer diferente!

Um forte abraço e até a próxima.

Adenivaldo S. Alves (Denny) 

Denny é Consultor Empresarial e presta serviços para um seleto grupo de mais de 50 escolas de informática espalhadas por todo o Brasil.

Para falar com Denny adicione o seu MSN: denidobem@hotmail.com


postado por 51514 as 06:49:36 # 0 comentários
20081006
A arte de saber mandar


Diferente do chefe, a primeira tarefa do líder é aprender a ser um líder. “Ser poderoso é como ser uma senhora. Se tem de dizer aos outros que o é, então é porque não é.” (Margaret Thatcher).

A diferença entre um chefe e um líder é a postura de cada um frente às necessidades de uma organização. Hoje, o diferencial de qualquer negócio está diretamente ligado aos talentos humanos. Na verdade, não seria bem hoje. É bem que provável que, daqui pra frente, seja assim. Então, administrar a Gestão de Pessoas, permitir a abertura para diálogos e orientar o colaborador é ponto-chave para qualquer empresa.

Ainda há quem valorize mais o controle do que o desenvolvimento da equipe, mas de forma geral a coisa não anda muito boa para o lado do chefe. A postura carrancuda, a valorização da obediência ao invés do aprendizado, e o respeito que vem do medo (principalmente do medo de perder o emprego) e não da admiração, já fazem parte de conceitos mais do que ultrapassados de liderança.

A figura do chefe saiu de moda. E parece que saiu para sempre. O que todo mundo espera é responder a alguém que cative pelo comportamento e que transmita confiança, ou seja, alguém cujo poder encontra-se mais na forma de fazer do que no cargo em que ocupa. Em outras palavras, um líder mesmo.

Mais do que o poder de delegar, o que conta mesmo é a relação saudável entre líder e colaborador, desde que ambos sejam capazes de responder aos desafios das atividades do dia-a-dia, claro. Sabemos que sempre haverá os colaboradores eternamente insatisfeitos e, além disso, como nem tudo são flores, é normal que existam também algumas divergências. Na verdade, desde que sejam na medida certa, são até saudáveis, favorecem o questionamento e impulsionam o crescimento. Quanto mais transparente for a relação entre os dois, maior será a satisfação da equipe e a retenção de talentos.

Mas um líder não nasce do dia para a noite. O famoso bordão “a vida é a melhor escola” pode até ser verdadeiro, mas não se aplica à prática da liderança que pode (e deve), ser aprimorada continuamente, por meio de cursos, treinamentos, mentoring, coaching etc. Como o capital intelectual é a principal fonte de riqueza de uma organização, é preciso investir na formação de um líder para que ele seja muito mais do que um bom chefe. Investir na equipe é (sim) muito importante, mas antes disso, é preciso pensar naquele que é responsável por ela.

O papel do líder passa longe do poder enquanto definição semântica, porque o líder de verdade, a quem aqui nos referimos, é aquela pessoa que troca experiências, que compartilha conhecimentos, que orienta e que influencia diretamente a equipe sempre no sentido de colocá-la pra frente, de motivá-la. Você já ouviu ou falou algo do tipo “se meu chefe não se importa, eu lavo as minhas mãos?”. É porque é pelo líder que um funcionário acredita e não na organização em que trabalha, mesmo aqueles que nem pensam nisso. E isso faz toda a diferença.

Primeiramente é preciso conhecimento e vontade de liderar. O líder precisa querer orientar a equipe para o planejamento das ações. Ele tem que desejar ser transparente quanto aos seus valores, objetivos e metas. Deve também incentivar, estimular o autodesenvolvimento, advertir quando necessário e investir nos recursos internos. E mais: precisa enxergar o sucesso dele na equipe. Resumindo, “quem quiser ser líder deve ser primeiro servidor. Se você quiser liderar, deve servir”, disse certa vez ninguém mais que Jesus Cristo.

Nenhuma equipe se desenvolve com um líder despreparado ou falsamente preparado (sim, porque assim como os falsos profetas, há uma porção de falsos líderes espalhados por aí). Por isso, cuide bem do solo antes de semear nele a sua melhor semente. Esta é a primeira tarefa de uma organização voltada para a forma assertiva e sustentável de crescimento, porque a falta de preparo reflete diretamente na falta de motivação e comprometimento como um todo. O líder está na linha de frente; suas atitudes vão refletir diretamente na conduta dos funcionários, e isso com certeza vai impactar resultados, sempre.

Artigo escrito por:

Alexandra Estela

Site RH.COM.BR

___________________________________________________________________________________________

"Cego é o homem que enxerga somente sua imagem no espelho"        Ana Maria B. Gil

 

Uma excelente semana para vocês e que Deus os abençoe;

Até a próxima, se ele permitir.

Adenivaldo S. Alves (Denny) 

Denny é Consultor Empresarial e presta serviços para um seleto grupo de mais de 40 escolas de informática espalhadas por todo o Brasil.

Visite seu escritório Virtual: www.dennyconsultoria.com Em atualização

Para falar com Denny adicione o seu MSN: denidobem@hotmail.com


postado por 51514 as 05:06:45 # 0 comentários
 
Perfil
51514
Meu Perfil

Links
Blog Grátis

Palavras-Chave
Empreender
e
inovar
uma
decisão
difícil
mas
viável

Favoritos
Conquiste e Fidelize Clientes
mais...

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
Não há comunidades.

Posts Anteriores
Cultive a auto-estima para vender melhor!
Objetivos x Resultados
A arte de saber mandar
Empreender e inovar: uma decisão difícil, mas viável
Somos estrategistas, lidando com pessoas e resultados!
12 coisas que você pode fazer agora mesmo (Parte II)
12 coisas que você pode fazer agora mesmo (Parte 1)
Ética: esta conduta vale ouro!
Quando consultar um consultor ?
Paixão, carreira e sucesso

Arquivos
2009, 01 fevereiro
2009, 01 janeiro
2008, 01 outubro
2008, 01 setembro
2008, 01 agosto
2008, 01 julho
2008, 01 junho
2008, 01 maio
2008, 01 abril
2008, 01 março
2008, 01 fevereiro
2008, 01 janeiro
2007, 01 dezembro
2007, 01 novembro
2007, 01 outubro
2007, 01 setembro
2007, 01 agosto
2007, 01 julho
2007, 01 junho

34206 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..