HISTÓRIAS SOBRE O CRISTIANISMO
HISTÓRIAS SOBRE O CRISTIANISMO
segunda, 28 junho, 2010
ESTUDO SOBRE ORAÇÃO

 Atos 17:11 Estudos Bís

Oração

ORAÇÃO CONVERSANDO COM DEUS

Lucas 11:1 (NVI) Certo dia Jesus estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: "Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele".

Neste estudo discutiremos ensinamentos encontrados no exemplo que Jesus nos deu quanto a oração; discutiremos a diferença entre "oração de fé" e "seja feita sua vontade"; justiça; humildade; e postura. A esperança é que o Espírito Santo use este estudo para reacender nossa paixão e disciplina para orar.

Mat. 6:7-8 (Phi) "E, quando vocês orarem, não fiquem enrolando com orações longas como fazem os pagãos, que pensam que serão ouvidos porque usam muitas palavras. Não sejam como eles. Pois o Pai de vocês sabe quais são suas necessidades antes de vocês pedirem".

A.W.Tozer: "Quando começamos a falar excessivamente em oração, podemos estar quase certos que estamos falando conosco mesmo".

1 Reis 18:25-40 (Leia esta passagem de Elias e os profetas de Baal, e perceba como Elias orou simples, mas zelosamente nos versículos 36-37, em contraste com o "circo" armado pelos seguidores de Baal. Eles estavam contando com suas ações, mas Elias estava contando com as ações de Deus).

O EXEMPLO DE ORAÇÃO DADO PELO SENHOR

Vejamos o esboço dado por Jesus em termos de oração (palavras em letras maiúsculas). Ao invés de analisarmos rapidamente esta questão, meditaremos em cada elemento, a fim de que possamos orar com entendimento (I Cor. 14:15). Como diz Larry Lea, o importante é orar a oração do Senhor "beeem devagaaaar". Gaste de cinco a dez minutos em cada frase, deixando com que as palavras penetrem bem fundo. Permita que o Espírito Santo revele outras Escrituras pertinentes, bem como revele o significado e a aplicação da Palavra na sua vida diária.

Mat. 6:9-13 (NVI) "VOCÊS DEVEM ORAR ASSIM: `PAI NOSSO, QUE ESTÁS NOS CÉUS!', (Phi) PAI CELESTE

Gal. 4:6 (NVI) E, porque vocês são filhos, Deus enviou o Espírito de seu Filho aos seus corações, o qual clama: "Aba, Pai".

1 Pedro 1:23 (NVI) Pois vocês foram regenerados, não de uma semente perecível, mas imperecível, por meio da palavra de Deus, viva e permanente.

1 João 2:29-3:3 (Phi) Todos vocês sabem que Deus é realmente bom. Estejam certos, então, que o homem que vive justamente é um verdadeiro filho de Deus. Considerem o incrível amor que o Pai nos mostrou quando permitiu que fôssemos chamados "filhos de Deus" - e não é que somos somente chamados assim, pois é isto que realmente SOMOS. É por isso que o mundo não nos reconhece, pois não reconheceu a Cristo. Aqui, e agora, meus queridos amigos, nós SOMOS filhos de Deus. Não sabemos o que nos tornaremos no futuro. O que sabemos é que quando ele aparecer, seremos como ele, pois o veremos como ele é! Todo aquele que tem em seu coração tal esperança, mantenha-se puro, como Cristo é puro.

1 Pedro 1:17 (NVI) Uma vez que vocês chamam Pai aquele que julga imparcialmente as obras de cada um, portem-se com temor durante a jornada terrena de vocês.

Efe. 3:14 (RA) Por esta causa me ponho de joelhos diante do Pai...

(RA) SANTIFICADO SEJA O TEU NOME. (Phi) QUE O TEU NOME SEJA HONRADO;

Muitos acreditam no benefício de se meditar sobre a natureza de Deus, de acordo com os adjetivos associados com Seu nome em hebraico.

SHALOM Paz/Descanco/ContentamentoIs. 53:5, Hb. 4:9-10, Jn. 14:27, Fp. 4:7, Col.1:20
ZIDKENU Justiça/Perfeição2 Cor. 5:21, 1 Cor. 1:30, Rom. 1:17
M'KADDESH Aquele que é Santo/Puro1 Cor. 6:9-11, 1 Tess. 5:23, Rom. 8:29
SHEMA Está PresenteEx. 3:13-15, Ez. 48:35b, Ef. 2:21-22, Hb. 13:5b
ROPHE Aquele que Cura1 Ped. 2:24, Rom. 8:2, Gal. 3:13, Col. 2:13-14
YIRA Aquele que Vê/Provê2 Cron. 16:9, Gen. 22:14, Sal. 34:15,18
NISSI Bandeira/Segurança/CapitãEx. 17:15, 1 Cor. 15:56-57, Ct. 2:4
ROHI Pastor/Companheiro/AmigoProv. 18:24b, Sal. 23, 1 Ped. 2:23

Prov. 18:19 (RA) Torre forte é o nome do SENHOR, à qual o justo se acolhe e está seguro.

(NVI) VENHA O TEU REINO. SEJA FEITA A TUA VONTADE, ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU. Lucas 17:20-21 (NVI) "...o Reino de Deus está entre vocês".

Mateus 26:39-42 (NVI) "...contudo não seja como eu quero, mas como tu queres" ...faça-se a tua vontade".

C.S.Lewis: "Que tua vontade seja feita por mim, agora!"

João 4:34 (NVI) Disse Jesus: "A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra.

Efésios 5:10-17 (NVI) ...aprendam a discernir o que é agradável ao Senhor... procurem compreender qual é a vontade do Senhor.

Mat. 16:19 (Phi) "...tudo o que proibires na terra será proibido no céu e tudo o que permitires na terra será permitido no CÉU!"

(NVI) DÁ-NOS HOJE O NOSSO PÃO DE CADA DIA (Phi) DÁ-NOS A CADA DIA O PÃO QUE PRECISAMOS PARA O DIA,

Prov. 30:8 (RA) Afasta de mim a falsidade e a mentira; não me dês nem a pobreza nem a riqueza: dá-me o pão que me for necessário.

Êxodo 16:14-16 (RA) E quando se evaporou o orvalho que caíra, na superfície do deserto restava uma coisa fina e semelhante a escamas, fina como a geada sobre a terra. Vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros: Que é isto? Pois não sabiam o que era. Disse-lhes Moisés: Isto é o pão que o Senhor vos dá para vosso alimento. Eis o que o Senhor vos ordenou: Colhei disso cada um segundo o que pode comer, um ome por cabeça, segundo o número de vossas pessoas; cada um tomará para os que se acharem na sua tenda.

João 6:32-35 (BLH) Jesus disse: - De fato não foi o pão do céu que Moisés deu a vocês, pois o verdadeiro pão do céu é o meu Pai quem dá. Porque o pão que Deus dá é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. - Senhor, dê sempre desse pão para nós!, pediram eles. Jesus respondeu - Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede.

Fil. 4:6-7 (Phi) Não se preocupem com absolutamente nada; quando quer que vocês orem, peçam a Deus cada detalhe do que vocês precisam, orando com agradecimento, e a paz de Deus que sobrexcede o entendimento humano, guardará constantemente seus orações e mentes, à medida que vocês descansarem em Cristo Jesus.

(NVI) PERDOA AS NOSSAS DÍVIDAS, ASSIM COMO PERDOAMOS AOS NOSSOS DEVEDORES.

Lucas 11:4 (RA) Perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todos o que nos devem. E não nos deixes cair em tentação.

Lucas 11:4 (Phi) E perdoa as nossas falhas, como perdoamos todas aqueles que falharam conosco.

Mateus 6:14-15 (NVI) "Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas".

Lucas 6:27-28 (Phi) "Mas eu digo a todos os que me ouvirem: amem seus inimigos, façam bem para aqueles que odeiam vocês, abençoe aqueles que amaldiçoam vocês, e orem por aqueles que tratam vocês com desrespeito."

(NVI) E NÃO NOS DEIXES CAIR EM TENTAÇÃO, MAS LIVRA-NOS DO MAL.

Lucas 22:40 (NVI) "...Orem para que vocês não caiam em tentação".

Efésios 6:11-17 (RA) Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau, e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois firmes, cingindo-vos com a verdade, e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus.

(NVI) PORQUE TEU É O REINO, O PODER E A GLÓRIA PARA SEMPRE.

1 Crôn. 29:11 (RA) "Tua, Senhor, é a grandeza, o poder, a honra, a vitoria e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céu e na terra; teu, Senhor, é o reino, e tu te exaltaste por chefe sobre todos".

1 Coríntios 4:20 (NVI) Pois o Reino de Deus não consiste de palavras, mas de poder.

Efésios 6:10 (NVI) Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder.

Salmo 145:10-13 (RA) Todas as tuas obras te renderão graças, Senhor; e os teus santos te bendirão. Falarão da glória do teu reino, e confessarão o teu poder, para que aos filhos dos homens se façam notórios os teus poderosos feitos, e a glória da majestade do teu reino. O teu reino é o de todos os séculos, o teu domínio subsiste por todas as gerações.

Isa. 42:8 (RA) Eu sou o Senhor, este é o meu nome; a minha glória, pois, não a darei a outrem, nem a minha honra à imagens de escultura.

QUAL É A DIFERENÇA ENTRE A "ORAÇÃO DE FÉ" E "SEJA FEITA A TUA VONTADE"?

Marcos 11:24-25 (NVI) "Portanto, eu lhes digo: tudo que vocês pedirem em oração, creiam que já o receberam, e assim lhes sucederá. E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados".

João 14:12-14 (RA) "Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim, fará também as obras que eu faço, e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei".

Comentário de C.S.Lewis sobre Mar. 11:25 e João 14:14: "Como conciliar estas tremendas promessas (a) Com a realidade dos fatos? (b) Com a oração no Getsêmani, e (por causa daquela oração) o consenso de que nós devemos pedir tudo com uma certa reserva, sempre orando, `se for a tua vontade'?"

Mateus 26:39 (NVI) "... não seja como eu quero, mas como tu queres".

Tiago 4:15-16 (BLH) Digam assim: "Se o Senhor quiser, estaremos vivos e vamos fazer isto ou aquilo." Porém, vocês são orgulhosos e vivem se gabando; e isso é mau.

"Em relação ao item (a), não há como escapar. Toda guerra, fome e praga, quase toda vez que alguém está morrendo, são momentos em que pedidos não foram atendidos... As pessoas buscaram, mas seus pedidos não foram atendidos. Elas bateram na porta, mas a porta não se abriu".

"Mas o item (b), apesar de não ser mencionado tão frequentemente, apresenta igual dificuldade. Como é possível ter uma fé perfeita... de que receberemos o que estamos pedindo... e ainda assim nos prepararmos submissivamente, com antecedência, para uma possível recusa? Se a recusa é possível, como você pode estar perfeitamente certo de que o que foi pedido não será recusado? Se você tem esta certeza, como você pode levar em consideração a possibilidade de uma recusa?"

"Eu não estou perguntando porque nossas petições são tão frequentemente recusadas. Qualquer um pode ver que, no geral, isto é necessário. Em nossa ignorância pedimos o que não é bom para nós ou para outros, ou o que é intrinsicamente impossível. Ou, por exemplo, responder a oração de uma pessoa significaria a recusa em responder a oração de uma outra. O problema principal não é ... o porquê há frequentes recusas, mas o porquê um resultado oposto é tão abundantemente prometido."

"1) O pior lugar possível para um cristão começar a ser instruído são estas Escrituras... Você provavelmente se lembra o que aconteceu quando a Viúva falou para Huck Finn que ele poderia conseguir o que quisesse através de oração. Ele começou a experimentar e, então, naturalmente, nunca deu uma segunda chance para o cristianismo. É melhor que não nos refiramos à Oração de Fé como sendo "elementar". É uma verdade para discípulos em estado avançado de instrução. É uma pedra para o telhado e não para o fundamento. Para a maioria de nós, a oração no Getsêmani é o único modelo existente. Remover montanhas pode esperar".

Tiago 4:3 (NVI) Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres.

"2) Nós não devemos ter a tendência de exigir de outros, ou de nós mesmos, que cheguemos a uma estratégia subjetiva, a ponto de, se sucedermos, declararmos que é a receita para se ter "fé", com a idéia de que isto, de alguma forma, é garantia certa para termos nossas orações respondidas. Provavelmente todos nós fizemos isso quando criança. Mas um estado de espírito que desesperadamente deseja desenvolver resultados através de imaginação não é fé no sentido cristão. É um ato de ginástica psicológica".

"Como e por que este tipo de fé ocorre algumas vezes, mas não sempre, mesmo que a pessoa seja um solicitador perfeito? Minha opinião pessoal é que isso ocorre somente quando a pessoa que ora o faz como um co-trabalhador de Deus, demandando o que é necessário para o trabalho conjunto. É a oração do profeta, apóstolo, do missionário, do que cura, que é feita com confiança e esta confiança é justificada pelo evento... O colega de Deus está tão unido a Ele em certos momentos que algo da presciência de Deus entra em sua mente. Como resultado, esta fé é a 'evidência' - ou seja, a manifestação, a observação - das coisas que não são vistas."

1 João 5:14-15 (Phi) Nós temos tamanha confiança nele, que temos certeza que ele ouve toda petição que é feita de acordo com seu plano. E, como sabemos que ele invariavelmente presta atenção a todas as nossas orações, qualquer que sejam, podemos estar certos de que o que pedimos já é nosso.

"Um grau de fé inferior é, eu espero, aceito por Deus. Mesmo a oração do tipo "Ajude-me na minha falta de fé" pode abrir caminho para um milagre..."

"Assim como o amigo está acima do servo, o servo está acima do solicitador, o homem que ora para o seu próprio benefício. Não é pecado ser um solicitador. Nosso Senhor se tornou um solicitador, orando a Seu próprio favor, no Getsêmani. Mas quando Ele o faz, a certeza a respeito da vontade de Seu Pai aparentemente desapareceu.

João 15:14-17 (Jer) Vós sois meus amigos, se praticais o que vos mando. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que seu senhor faz; mas eu vos chamo amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu vos dei a conhecer. Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e produzirdes fruto e para que o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome ele vos dê.

João 15:7-8 (NVI) Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido. Meu Pai é glorificado pelo fato de vocês darem muito fruto; e assim serão meus discípulos.

A ORAÇÃO DO HOMEM JUSTO

1 Pedro 3:10-12 (RA) Assim como as Escrituras dizem, "quem quer amar a vida e ver dias felizes, refreie a sua língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente. Aparte-se do mal, pratique o que é bom, busque a paz e empenhe-se por alcançá-la. Porque os olhos do Senhor repousam sobre os justos e os seus ouvidos estão abertos às suas respostas".

João 11:41-42 (NVI) ... Jesus olhou para cima e disse: "Pai, eu te agradeço porque me ouviste. Eu sabia que sempre me ouves, mas disse isto por causa do povo que está aqui, para que creia que tu me enviaste".

João 9:31 (NVI) [O homem cego que acabou de ser curado] "Sabemos que Deus não ouve a pecadores, mas ouve ao homem que o teme e pratica a sua vontade".

Salmo 66:16-20 (RA) Vinde, ouvi todos vós que temeis a Deus, e vos contarei o que tem ele feito por minha alma. A ele clamei com a boca, com a língua o exaltei. Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido. Entretanto Deus me tem ouvido, e me tem atendido a voz da oração. Bendito seja Deus, que não me rejeita a oração, nem aparta de mim a sua graça.

Tiago 5:13-16 (Phi) Se algum de vós está atribulado, que ore. Se alguém está prosperando, que cante louvores a Deus. Se alguém estiver doente, ele deve mandar buscar os presbíteros da igreja. Eles devem orar com ele, ungindo-o com óleo no nome do Senhor. A oração da fé salvará o homem doente; o Senhor o restaurará e qualquer pecado que ele tenha cometido será perdoado. Vocês deveriam desenvolver o hábito de admitir seus pecados uns para com os outros, e orar uns pelos outros, para que sejam curados. Tremendo poder está à disposição do homem que ora fervorosamente.

Tiago 5:16-18 (BLH) ...A oração de uma pessoa piedosa tem muito poder. O profeta Elias era homem como nós. Ele orou com fervor, e durante três anos e meio não choveu sobre a terra. Depois orou outra vez, e então choveu, e a terra deu a sua colheita.

1 João 3:21-22 (Phi) E se, meus queridos amigos, nossa consciência não nos acusa mais, temos confiança completa na presença de Deus. Recebemos o que quer que pedimos, porque obedecemos suas ordens e fazemos a sua vontade.

ORAÇÃO HUMILDE

2 Crônicas 7:13-14 (RA) Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra.

Lucas 18:9-14 (Leia sobre o fariseu e o coletor de impostos)

Tiago 4:2-10 (Phi) Vocês não recebem o que querem, porque vocês não pedem a Deus. E quando pedem, ele não dá a vocês, porque vocês pedem com um espírito errado - querem somente satisfazer os seus próprios desejos. Vocês são como esposas infiéis, nunca percebendo que ser amante do mundo significa ser inimigo de Deus. Ou vocês acham que o que as Escrituras tem a dizer a este respeito é mera formalidade? ...Seja humilde diante de Deus... Vocês são pecadores: limpem suas mãos novamente. Sua fidelidade está dividida: que seus corações se tornem para a verdade uma vez mais. Vocês deveriam estar profundamente arrependidos, deveriam afligir-se, deveriam estar em lágrimas. Sua risada deveria se tornar em pranto, e sua alegria em tristeza. Vocês tem que primeiramente se humilhar na presença do Senhor, para que Ele possa ex! altá-los.

EM RELAÇÃO À POSIÇÃO

Salmo 95:6 (RA) Vinde, adoremos e prostemo-nos; ajoelhemos diante do Senhor que nos criou.

Romanos 14:11 (NVI) "...todo joelho se dobrará diante de mim, e toda língua confessará a Deus".

Atos 21:5 (NVI) ...e ali na praia nos ajoelhamos e oramos.

Salmo 134:2 (RA) Erguei as mãos para o santuário e bendizei ao Senhor.

Salmo 63:4 (RA) Assim cumpre-me bendizer-te enquanto eu viver; em teu nome levanto as mãos.

1 Timóteo 2:1-8 (NVI) Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas...

ENCORAJAMENTO

Judas 1:20 (NVI) Vocês, porém, amados, edifiquem-se na santíssima fé que possuem, orando no Espírito Santo.

Efésios 6:18 (Jer) Com orações e súplicas de toda a sorte, orai em todo tempo, no Espírito, e para isso vigiai com toda perseverança e súplica por todos os santos.

Efésios 6:18 (NVI) Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isto em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos.

Romanos 8:26-27 (Phi) O Espírito também nos ajuda em nossas presentes limitações. Por exemplo, não sabemos como orar dignamente, mas na verdade, seu Espírito dentro de nós está orando por nós em anelos agonizantes que palavras não podem expressar. Aquele que conhece os segredos do coração entende a intenção do Espírito, à medida que ele ora para aqueles que o amam, de acordo com a vontade de Deus.

Atos 6:4 (RA) E, quanto a nós, nos consagramos à oração e ao ministério da palavra.

Atos 2:42 (NVI) Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e ...à comunhão, ao partir do pão e às orações.

1 Tess. 5:17,19 (Phi) Nunca parem de orar... Nunca apaguem o fogo do Espírito.

Deut. 4:7 (NVI) ...O Senhor nosso Deus está próximo quando oramos a ele...

Seal


Atos 17:11 Home page | email: atos@acts17-11.com

http://www.acts17-11.com/portuguese/oracao.html

Seal
Atos 17:11 Home page | email: atos@acts17-11.com

http://www.acts17-11.com/portuguese/oracao.html

postado por 4988 as 28.06.10 # 0 comentários
sexta, 17 julho, 2009
UMA RESENHA, PROFUNDA E LINDA, SOBRE A MAIS LINDA ORAÇÃO!

Um estudo lindo, palavras vindas do coração! Eternizo aqui para que todos tenham conhecimento e ajude a todos sempre!!!

Afinal, são palavras que saem do coração que merecem destaque!!!! E aqui, são palavras que nasceram do coração! Parabéns à criadora que fez com amor e com o coração!

Pai Nosso

O Pai Nosso recebe esse nome porque não é somente o MEU PAI, e nem apenas o SEU PAI. È o Pai de todos, crédulos e incrédulos, enfermos e sãos, ricos e pobres, ateus ou cristãos. “É um Pai ‘divisível” ser deixar de ser apenas um.

... Que estás nos Céus. Diz-se “Céus” porque o Céu simboliza tudo que há de bom e de melhor. E para nós, humanos, o Céu significa um infinito misterioso acima de nossas cabeças.

O Nosso Pai estános Céus, acima de nós, para não nos esquecermos de sua soberania.

...Santificado seja o vosso nome. Afinal, que nome tem o Pai dos Céus?!Conforme as escrituras, o criador Onipotente recebe diversos nomes, de acordo com os povos e culturas distintas. Alguns o chamam de Javé, Jeová, os que falam idioma Inglês, God, os Italianos, Dio, em Português Deus, e tantas outras denominações. E qualquer que seja a doutrina ou idioma, entende-se a santidade do Nosso Pai.

...Venha a nós o vosso reino. É a recompensa final daqueles que são verdadeiramente justos. Como na parábola do Joio e do Trigo. O Trigo representa o justo, que viverá eternamente no Reino do Pai. O Joio representa o injusto, que viverá para sempre onde há choro e ranger de dentes.

...Seja feita a vossa vontade, assim na Terra como no Céu. Muitas vezes reclamamos, pois não conseguimos fazer algo que gostaríamos de ter feito, ou não conseguimos chegar onde gostaríamos de estar. Com essa atitude mostramos todo nosso Orgulho, Egoísmo e Egocentrismo, esquecendo do propósito do Pai para conosco. Com o passar do tempo, reconhecemos que aquela vontade anterior não era realmente o melhor, pois somente o Pai tem a visão holística de nossa vida.

...O Pão Nosso de cada dia nos dai hoje. Na verdade, não queremos “PÃO” apenas “HOJE”, mas sim sempre. Pois não vivemos sem nos alimentarmos, E Nosso Pai jamais quer que isso aconteça; por isso devemos repartir nosso Pão com o irmão necessitado, pois a fome é uma das piores dores que um mortal sente.

...Perdoai nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tenha ofendido. São Francisco em suas pregações usava justamente essa frase em outras palavras, quando dizia: “É dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado”. Devemos fazer aos outros justamente o que gostaria que fizessem a si. Devemos perdoas as falhas alheias, afinal, quem de nós não falhamos?!

...E não nos deixei cair em tentação. Somos tentados SEMPRE, principalmente quando estamos engajados no caminho certo. De repente surgem diversos problemas, obstáculos; nessas situações que somos tentados a desistir, e seguir um caminho “mais fácil” mas, não mais feliz. Essas tentações são imperceptíveis àqueles que possuem uma fé grandiosa, do tamanho de um grão de mostarda.

...Mas livrai-nos do Mal. O mal é tudo que aquilo não é do bem. Sejam as más companhias, vícios, calúnias, depressão, violência, e outros.

...Amém. O Amém é a confirmação de tudo. É como dizer que assim seja hoje, amanhã e por todo o sempre.

Criação e agradecimentos à: Priscila Severino (priapsev@hotmail.com)


postado por 4988 as 17.07.09 # 0 comentários
domingo, 22 março, 2009
ESTUDO SOBRE VIDA APÓS A MORTE

Vida após a Morte

Bispo Alexander (Mileant).

Traduzido por Elga Drizul / Olga Dandolo


Conteúdo: Introdução. O que a alma vê "no outro" mundo. Avaliação de relatos contemporâneos sobre a vida após a morte. Relatos de suicidas. Estudos Ortodoxos a respeito do mundo espiritual. A jornada da alma para o céu, "julgamento." Paraíso e inferno. Conclusão.

: Introdução. O que a alma vê "no outro" mundo. Avaliação de relatos contemporâneos sobre a vida após a morte. Relatos de suicidas. Estudos Ortodoxos a respeito do mundo espiritual. A jornada da alma para o céu, "julgamento." Paraíso e inferno. Conclusão.

Suplemento: crítica sobre o estudo da reencarnação.


Introdução

"Eu estava deitado na sala da UTI do hospital infantil de Seattle, Estado de Washington, EUA, - conta o garoto Dean de 16 anos, cujos rins pararam de funcionar, - quando, de repente, senti-me em pé, movendo-me com incrível velocidade através de um espaço escuro. Eu não via paredes em minha volta, no entanto, parecia ser algo como um túnel. Não sentia vento, porém, percebia que me deslocava com incrível velocidade. Apesar de não entender o porque e para onde eu estava voando, sentia que no final do meu vôo algo muito importante me esperava e eu queria chegar ao meu destino o mais rápido possível.

Finalmente, eu me via em um lugar repleto de luz brilhante e então percebi que havia alguem perto de mim. Era alguém alto, com longos cabelos dourados; vestia roupa branca amarrada no meio com um cinto. Ele não dizia nada, mas eu não tinha medo pois, uma enorme paz e amor emanavam dele. Se não era Cristo, devia ser um de Seus anjos." Depois disto, Dean sentiu que retornou ao seu corpo e voltou a sí. Estas impressões, tão curtas mas muito marcantes, deixaram uma marca profunda na alma de Dean. Ele tornou-se um jovem muito religioso, o que influenciou positivamente toda a sua família.

Este é um dos relatos típicos, reunidos pelo médico pediatra americano Dr. Melvin Morse e publicados no livro "mais próximo da Luz" (Closer to the Light) [7].

Ele observou o primeiro caso de morte temporária em 1982, quando conseguiu fazer reviver a menina Catarina de 9 anos, que se afogou numa piscina pública. Catarina conta que, durante o tempo em que esteve morta, encontrou-se com uma adorável "senhora" que disse chamar-se Elizabeth, - era provavelmente o seu Anjo da Guarda. Elizabeth acolheu com muito carinho a alma de Catarina e conversou com ela. Ciente de que Catarina ainda não estava pronta para passar para a vida espiritual, Elizabeth permitiu que ela retornasse ao seu corpo. Durante este período de sua carreira médica, o Dr. Morse trabalhava em um hospital da cidadezinha de Pocatelo, no estado de Idaho, EUA.

Este é um dos relatos típicos, reunidos pelo médico pediatra americano Dr. Melvin Morse e publicados no livro "mais próximo da Luz" (Closer to the Light) [7].

Ele observou o primeiro caso de morte temporária em 1982, quando conseguiu fazer reviver a menina Catarina de 9 anos, que se afogou numa piscina pública. Catarina conta que, durante o tempo em que esteve morta, encontrou-se com uma adorável "senhora" que disse chamar-se Elizabeth, - era provavelmente o seu Anjo da Guarda. Elizabeth acolheu com muito carinho a alma de Catarina e conversou com ela. Ciente de que Catarina ainda não estava pronta para passar para a vida espiritual, Elizabeth permitiu que ela retornasse ao seu corpo. Durante este período de sua carreira médica, o Dr. Morse trabalhava em um hospital da cidadezinha de Pocatelo, no estado de Idaho, EUA.

Finalmente, eu me via em um lugar repleto de luz brilhante e então percebi que havia alguem perto de mim. Era alguém alto, com longos cabelos dourados; vestia roupa branca amarrada no meio com um cinto. Ele não dizia nada, mas eu não tinha medo pois, uma enorme paz e amor emanavam dele. Se não era Cristo, devia ser um de Seus anjos." Depois disto, Dean sentiu que retornou ao seu corpo e voltou a sí. Estas impressões, tão curtas mas muito marcantes, deixaram uma marca profunda na alma de Dean. Ele tornou-se um jovem muito religioso, o que influenciou positivamente toda a sua família.

Este é um dos relatos típicos, reunidos pelo médico pediatra americano Dr. Melvin Morse e publicados no livro "mais próximo da Luz" (Closer to the Light) [7].

Ele observou o primeiro caso de morte temporária em 1982, quando conseguiu fazer reviver a menina Catarina de 9 anos, que se afogou numa piscina pública. Catarina conta que, durante o tempo em que esteve morta, encontrou-se com uma adorável "senhora" que disse chamar-se Elizabeth, - era provavelmente o seu Anjo da Guarda. Elizabeth acolheu com muito carinho a alma de Catarina e conversou com ela. Ciente de que Catarina ainda não estava pronta para passar para a vida espiritual, Elizabeth permitiu que ela retornasse ao seu corpo. Durante este período de sua carreira médica, o Dr. Morse trabalhava em um hospital da cidadezinha de Pocatelo, no estado de Idaho, EUA.

Este é um dos relatos típicos, reunidos pelo médico pediatra americano Dr. Melvin Morse e publicados no livro "mais próximo da Luz" (Closer to the Light) [7].

Ele observou o primeiro caso de morte temporária em 1982, quando conseguiu fazer reviver a menina Catarina de 9 anos, que se afogou numa piscina pública. Catarina conta que, durante o tempo em que esteve morta, encontrou-se com uma adorável "senhora" que disse chamar-se Elizabeth, - era provavelmente o seu Anjo da Guarda. Elizabeth acolheu com muito carinho a alma de Catarina e conversou com ela. Ciente de que Catarina ainda não estava pronta para passar para a vida espiritual, Elizabeth permitiu que ela retornasse ao seu corpo. Durante este período de sua carreira médica, o Dr. Morse trabalhava em um hospital da cidadezinha de Pocatelo, no estado de Idaho, EUA.

Finalmente, eu me via em um lugar repleto de luz brilhante e então percebi que havia alguem perto de mim. Era alguém alto, com longos cabelos dourados; vestia roupa branca amarrada no meio com um cinto. Ele não dizia nada, mas eu não tinha medo pois, uma enorme paz e amor emanavam dele. Se não era Cristo, devia ser um de Seus anjos." Depois disto, Dean sentiu que retornou ao seu corpo e voltou a sí. Estas impressões, tão curtas mas muito marcantes, deixaram uma marca profunda na alma de Dean. Ele tornou-se um jovem muito religioso, o que influenciou positivamente toda a sua família.

Este é um dos relatos típicos, reunidos pelo médico pediatra americano Dr. Melvin Morse e publicados no livro "mais próximo da Luz" (Closer to the Light) [7].

Ele observou o primeiro caso de morte temporária em 1982, quando conseguiu fazer reviver a menina Catarina de 9 anos, que se afogou numa piscina pública. Catarina conta que, durante o tempo em que esteve morta, encontrou-se com uma adorável "senhora" que disse chamar-se Elizabeth, - era provavelmente o seu Anjo da Guarda. Elizabeth acolheu com muito carinho a alma de Catarina e conversou com ela. Ciente de que Catarina ainda não estava pronta para passar para a vida espiritual, Elizabeth permitiu que ela retornasse ao seu corpo. Durante este período de sua carreira médica, o Dr. Morse trabalhava em um hospital da cidadezinha de Pocatelo, no estado de Idaho, EUA.

Este é um dos relatos típicos, reunidos pelo médico pediatra americano Dr. Melvin Morse e publicados no livro "mais próximo da Luz" (Closer to the Light) [7].

Ele observou o primeiro caso de morte temporária em 1982, quando conseguiu fazer reviver a menina Catarina de 9 anos, que se afogou numa piscina pública. Catarina conta que, durante o tempo em que esteve morta, encontrou-se com uma adorável "senhora" que disse chamar-se Elizabeth, - era provavelmente o seu Anjo da Guarda. Elizabeth acolheu com muito carinho a alma de Catarina e conversou com ela. Ciente de que Catarina ainda não estava pronta para passar para a vida espiritual, Elizabeth permitiu que ela retornasse ao seu corpo. Durante este período de sua carreira médica, o Dr. Morse trabalhava em um hospital da cidadezinha de Pocatelo, no estado de Idaho, EUA.

Este é um dos relatos típicos, reunidos pelo médico pediatra americano Dr. Melvin Morse e publicados no livro "mais próximo da Luz" (Closer to the Light) [7].

Ele observou o primeiro caso de morte temporária em 1982, quando conseguiu fazer reviver a menina Catarina de 9 anos, que se afogou numa piscina pública. Catarina conta que, durante o tempo em que esteve morta, encontrou-se com uma adorável "senhora" que disse chamar-se Elizabeth, - era provavelmente o seu Anjo da Guarda. Elizabeth acolheu com muito carinho a alma de Catarina e conversou com ela. Ciente de que Catarina ainda não estava pronta para passar para a vida espiritual, Elizabeth permitiu que ela retornasse ao seu corpo. Durante este período de sua carreira médica, o Dr. Morse trabalhava em um hospital da cidadezinha de Pocatelo, no estado de Idaho, EUA.

O relato da menina teve um profundo efeito nele, que até então era céptico em relação a tudo que era espiritual, uma impressão tão forte, que ele resolveu estudar mais profundamente a questão sobre o que acontece com uma pessoa logo após a sua morte. No caso de Catarina, Dr. Morse admirou-se particularmente com a descrição detalhada de tudo que sucedeu na hora em que se encontrava morta clinicamente, - tanto no hospital, como em sua casa - como se ela estivesse alí presente. Dr. Morse verificou e se convenceu da veracidade de todas as observações de Catarina.

Após ter sido transferido para o Hospital Infantil Ortopédico de Seattle, e mais tarde, ao Centro de Medicina de Seatle, Dr. Morse começou a estudar sistematicamente a questão da morte. Ele questionava muitas crianças, as quais tiveram a experiência com a morte clínica; comparava e documentava seus relatos. Além disso, ele continuava a manter contato com seus jovens pacientes e observava o seu desenvolvimento intelectual e espiritual a medida que eles cresciam. No seu livro, "Closer to the Light," Dr. Morse afirma que todas as crianças que ele conheceu, que sobreviveram à morte temporária, ao crescer, tornaram-se jovens sérios e religiosos, moralmente mais puros que outros jovens que não passaram por isto. Todos eles aceitaram suas experiências como manifestação da misericórdia de Deus e como um sinal superior de que é preciso viver para o bem.

Relatos semelhantes sobre a vida após a morte, até há pouco tempo, eram publicados apenas na área da literatura religiosa. As revistas populares e livros científicos, via de regra, evitavam esses temas. Um número enorme de médicos e psiquiatras mantinham uma postura negativa em relação a quaisquer manifestações espirituais e não acreditavam na existência da alma. E há apenas vinte anos, durante o aparente triunfo do materialismo, alguns médicos e psiquiatras se interessaram seriamente sobre a questão da existência da alma. O impulso para este movimento foi o livro do Dr. Raymond Moody "Vida após vida"[1], publicado em 1975. Nesse livro, Dr. Moody coletou uma série de relatos de pessoas que tiveram experiência com a morte clínica. Relatos de alguns conhecidos levaram Dr. Moody a interessar-se pela questão, e quando começou a juntar informações, para seu espanto, descobriu que existem muitas pessoas, as quais, na hora em que tiveram morte clínica, tiveram visões fora de seus corpos. Porém, essas pessoas não contavam a ninguém a esse respeito para não serem ridicularizadas e consideradas pessoas loucas.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Relatos semelhantes sobre a vida após a morte, até há pouco tempo, eram publicados apenas na área da literatura religiosa. As revistas populares e livros científicos, via de regra, evitavam esses temas. Um número enorme de médicos e psiquiatras mantinham uma postura negativa em relação a quaisquer manifestações espirituais e não acreditavam na existência da alma. E há apenas vinte anos, durante o aparente triunfo do materialismo, alguns médicos e psiquiatras se interessaram seriamente sobre a questão da existência da alma. O impulso para este movimento foi o livro do Dr. Raymond Moody "Vida após vida"[1], publicado em 1975. Nesse livro, Dr. Moody coletou uma série de relatos de pessoas que tiveram experiência com a morte clínica. Relatos de alguns conhecidos levaram Dr. Moody a interessar-se pela questão, e quando começou a juntar informações, para seu espanto, descobriu que existem muitas pessoas, as quais, na hora em que tiveram morte clínica, tiveram visões fora de seus corpos. Porém, essas pessoas não contavam a ninguém a esse respeito para não serem ridicularizadas e consideradas pessoas loucas.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Após ter sido transferido para o Hospital Infantil Ortopédico de Seattle, e mais tarde, ao Centro de Medicina de Seatle, Dr. Morse começou a estudar sistematicamente a questão da morte. Ele questionava muitas crianças, as quais tiveram a experiência com a morte clínica; comparava e documentava seus relatos. Além disso, ele continuava a manter contato com seus jovens pacientes e observava o seu desenvolvimento intelectual e espiritual a medida que eles cresciam. No seu livro, "Closer to the Light," Dr. Morse afirma que todas as crianças que ele conheceu, que sobreviveram à morte temporária, ao crescer, tornaram-se jovens sérios e religiosos, moralmente mais puros que outros jovens que não passaram por isto. Todos eles aceitaram suas experiências como manifestação da misericórdia de Deus e como um sinal superior de que é preciso viver para o bem.

Relatos semelhantes sobre a vida após a morte, até há pouco tempo, eram publicados apenas na área da literatura religiosa. As revistas populares e livros científicos, via de regra, evitavam esses temas. Um número enorme de médicos e psiquiatras mantinham uma postura negativa em relação a quaisquer manifestações espirituais e não acreditavam na existência da alma. E há apenas vinte anos, durante o aparente triunfo do materialismo, alguns médicos e psiquiatras se interessaram seriamente sobre a questão da existência da alma. O impulso para este movimento foi o livro do Dr. Raymond Moody "Vida após vida"[1], publicado em 1975. Nesse livro, Dr. Moody coletou uma série de relatos de pessoas que tiveram experiência com a morte clínica. Relatos de alguns conhecidos levaram Dr. Moody a interessar-se pela questão, e quando começou a juntar informações, para seu espanto, descobriu que existem muitas pessoas, as quais, na hora em que tiveram morte clínica, tiveram visões fora de seus corpos. Porém, essas pessoas não contavam a ninguém a esse respeito para não serem ridicularizadas e consideradas pessoas loucas.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Relatos semelhantes sobre a vida após a morte, até há pouco tempo, eram publicados apenas na área da literatura religiosa. As revistas populares e livros científicos, via de regra, evitavam esses temas. Um número enorme de médicos e psiquiatras mantinham uma postura negativa em relação a quaisquer manifestações espirituais e não acreditavam na existência da alma. E há apenas vinte anos, durante o aparente triunfo do materialismo, alguns médicos e psiquiatras se interessaram seriamente sobre a questão da existência da alma. O impulso para este movimento foi o livro do Dr. Raymond Moody "Vida após vida"[1], publicado em 1975. Nesse livro, Dr. Moody coletou uma série de relatos de pessoas que tiveram experiência com a morte clínica. Relatos de alguns conhecidos levaram Dr. Moody a interessar-se pela questão, e quando começou a juntar informações, para seu espanto, descobriu que existem muitas pessoas, as quais, na hora em que tiveram morte clínica, tiveram visões fora de seus corpos. Porém, essas pessoas não contavam a ninguém a esse respeito para não serem ridicularizadas e consideradas pessoas loucas.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Após ter sido transferido para o Hospital Infantil Ortopédico de Seattle, e mais tarde, ao Centro de Medicina de Seatle, Dr. Morse começou a estudar sistematicamente a questão da morte. Ele questionava muitas crianças, as quais tiveram a experiência com a morte clínica; comparava e documentava seus relatos. Além disso, ele continuava a manter contato com seus jovens pacientes e observava o seu desenvolvimento intelectual e espiritual a medida que eles cresciam. No seu livro, "Closer to the Light," Dr. Morse afirma que todas as crianças que ele conheceu, que sobreviveram à morte temporária, ao crescer, tornaram-se jovens sérios e religiosos, moralmente mais puros que outros jovens que não passaram por isto. Todos eles aceitaram suas experiências como manifestação da misericórdia de Deus e como um sinal superior de que é preciso viver para o bem.

Relatos semelhantes sobre a vida após a morte, até há pouco tempo, eram publicados apenas na área da literatura religiosa. As revistas populares e livros científicos, via de regra, evitavam esses temas. Um número enorme de médicos e psiquiatras mantinham uma postura negativa em relação a quaisquer manifestações espirituais e não acreditavam na existência da alma. E há apenas vinte anos, durante o aparente triunfo do materialismo, alguns médicos e psiquiatras se interessaram seriamente sobre a questão da existência da alma. O impulso para este movimento foi o livro do Dr. Raymond Moody "Vida após vida"[1], publicado em 1975. Nesse livro, Dr. Moody coletou uma série de relatos de pessoas que tiveram experiência com a morte clínica. Relatos de alguns conhecidos levaram Dr. Moody a interessar-se pela questão, e quando começou a juntar informações, para seu espanto, descobriu que existem muitas pessoas, as quais, na hora em que tiveram morte clínica, tiveram visões fora de seus corpos. Porém, essas pessoas não contavam a ninguém a esse respeito para não serem ridicularizadas e consideradas pessoas loucas.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Relatos semelhantes sobre a vida após a morte, até há pouco tempo, eram publicados apenas na área da literatura religiosa. As revistas populares e livros científicos, via de regra, evitavam esses temas. Um número enorme de médicos e psiquiatras mantinham uma postura negativa em relação a quaisquer manifestações espirituais e não acreditavam na existência da alma. E há apenas vinte anos, durante o aparente triunfo do materialismo, alguns médicos e psiquiatras se interessaram seriamente sobre a questão da existência da alma. O impulso para este movimento foi o livro do Dr. Raymond Moody "Vida após vida"[1], publicado em 1975. Nesse livro, Dr. Moody coletou uma série de relatos de pessoas que tiveram experiência com a morte clínica. Relatos de alguns conhecidos levaram Dr. Moody a interessar-se pela questão, e quando começou a juntar informações, para seu espanto, descobriu que existem muitas pessoas, as quais, na hora em que tiveram morte clínica, tiveram visões fora de seus corpos. Porém, essas pessoas não contavam a ninguém a esse respeito para não serem ridicularizadas e consideradas pessoas loucas.

Logo após o lançamento do livro do Dr. Moody, a imprensa sensacionalista e a TV divulgaram amplamente os dados coletados por ele. Começaram as discussões acaloradas sobre o tema da vida após a morte e houve até debates públicos. Então, uma série de médicos, psiquiatras e líderes espirituais considerando-se afetados em seu campo de perícia por fontes incompetentes, resolveram conferir os dados e as conclusões do Dr. Moody. Muitos deles ficaram surpresos quando verificaram a veracidade das observações do Dr. Moody, - ou seja, que mesmo após a morte a existência do homem não termina, e sua alma continua a ouvir, pensar e sentir.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, bem como profundas análises a respeito do assunto em pauta.

Também é valiosa a pesquisa sistemática do psiquiatra Kenneth Ring, publicada no livro "Life at Death" (Vida na Morte)[6]. Dr. Ring montou um questionário para ser respondido pelos sobreviventes à morte clínica. Nomes de outros médicos que se envolveram nessa questão estão citados na parte da bibliografia. Muitos deles começaram suas observações, sendo céticos. Mas, vendo casos novos que confirmavam a existência da alma, mudavam sua perspectiva.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Neste artigo, relataremos alguns casos de pessoas que sobreviveram à morte clínica, compararemos estes dados com os ensinamentos cristãos tradicionais sobre a vida da alma no outro mundo e daremos conclusões comparativas. No suplemento, examinaremos o ensino teosófico sobre a reencarnação.

Entre as pesquisas sérias e sistemáticas sobre a questão da morte, deve-se mencionar o livro do Dr. Michael Sabom "Lembranças da Morte" (Recollections of Death) [5].O Dr. Sabom é professor de medicina na universidade de Emory e médico no hospital para veteranos na cidade de Atlanta. Em seu livro, podemos encontrar dados precisos e documentados, b


postado por 4988 as 22.03.09 # 0 comentários
terça, 27 janeiro, 2009
ESQUECI DE MENCIONAR.

Um post fácil, rápido e simples.

Esqueci de começar um novo ano por aqui, e mais, esqueci de dizer que estou terminando um livro, que espero seja logo "editado", mesmo porque, nos dias de hoje, pode-se usar a internet para várias coisas, e uma delas e deixar eternizada a nossa "marca registrada".

Então, se não sair publicado "logo", publico-o eletronicamente via blogs!!!!

Enfim, consta-me aqui dizer, hoje é um novo dia de um novo ano de uma nova era, e, será que você se deu a entender que amanhã podemos estar na glória? Muitos nem querem se dar ao luxo de pensar nisso, mas, é um fato real, hoje estamos aqui, amanhã poderemos estar com os nossos na eternidade, e, o que fizemos para ganhar o céu?

Creio que isso venha a ser meu projeto de 2009, um dos, pois o mais importante é a oração do Pai-Nosso, que é uma prece direcionada, e uma prece completa, em que se pede e se agradece e se reconhece, e o segundo deles é, já parou para pensar, a eternidade está aí, pois, se Jesus não voltar em sua segunda vinda, a vinda gloriosa, o que se fará é irmos nós a seu encontro, esperando o dia feliz da ressurreição, e, quantos dos nossos estão lá já?

No mais, eu desejo um feliz ano bom para todos, repleto de graças e bênçãos do céu!!! Agradeço muito as visitas até agora, mais de 12000 acessos, e prometo que, enquanto eu estiver neste plano, (me preparando já para o próximo - afinal, a vida eterna vem aí em instantes), vou manter este blog atualizado!!!

É isso, sem mais por hora (rs)!!!!

Deus sempre.


postado por 4988 as 27.01.09 # 0 comentários
quarta, 15 outubro, 2008
A ORAÇÃO QUE O PRÓPRIO JESUS NOS ENSINOU.


A profundidade da oração do Pai Nosso.
“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome”
(Mateus 6:9)

A Bíblia nos diz uma coisa: “…a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.” - (Hebreus 4:12). A Palavra de Deus é viva, e não somente um monte de letras escritas. Além do que podemos ler com nossos olhos há muita coisa por trás que o Senhor colocou, que só podemos ver e discernir pelo Espírito Santo, quando o temos dentro de nós e nos dispomos a buscar a Deus através de sua Palavra e a examiná-la.

E assim é a oração do Pai Nosso. Jesus ali nos revelou muita coisa acerca do plano de Deus para as nossas vidas; ensinando-nos como nos devemos dirigir ao Pai e qual deve ser a nossa posição diante Dele. Muitas pessoas utilizam a oração do Pai Nosso repetindo-a sem prestar atenção no seu significado e no seu valor, e isso não agrada a Deus. Não é errado orar o Pai Nosso, porém deve-se estar atento ao seu significado e estar disposto a se colocar debaixo de tudo que ele propõe.

Vamos, em Nome de Jesus, ir caminhando aos poucos nesta abençoada oração que o Senhor nos ensinou. Vejamos hoje a primeira parte dela: “Pai nosso”.

O Senhor Jesus nos ensinou a chamar “Pai Nosso”. A Palavra de Deus diz o seguinte: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome” - (João 1:12). Aqui nós vemos como nós podemos nos tornar filhos de Deus: recebendo Jesus. Se Deus deu a estes o poder de serem feitos seus filhos, significa que existem os que não são filhos, mas podem se tornar. Mas, o que significa receber Jesus?

A Bíblia nos mostra no Antigo Testamento uma ordem de Deus, um ato profético que apontava para Jesus: o sacrifício do cordeiro.

“E falou o SENHOR a Moisés e a Arão na terra do Egito, dizendo: (…) Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família. (…) O cordeiro, ou cabrito, será sem mácula, um macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras. (…) E tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambas as ombreiras, e na verga da porta, nas casas em que o comerem. E naquela noite comerão a carne assada no fogo, com pães ázimos; com ervas amargosas a comerão. Não comereis dele cru, nem cozido em água, senão assado no fogo, a sua cabeça com os seus pés e com a sua fressura. E nada dele deixareis até amanhã; mas o que dele ficar até amanhã, queimareis no fogo. Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do SENHOR.” (Êxodo 12:1-11)

Essa foi a ordem de Deus para a celebração da Páscoa, que foi criada naquele momento, caminhando para a libertação do povo de Israel da escravidão do Egito. O cordeiro também era sacrificado para o perdão dos pecados. Se continuarmos a ler os livros que Moisés escreveu (também conhecidos como o Pentateuco) veremos mais a respeito disso. Mas o importante aqui é que o cordeiro é uma sombra, um ato profético, um tipo do Senhor Jesus, que viria a ser sacrificado para a nossa libertação do pecado e da morte:

“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” (João 1:29)

“Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado” (1 Pedro 1:18, 19)

E também é importante observar que o Senhor, neste sacrifício de Êxodo, instrui o povo a comer o cordeiro completamente e a não deixar nada; até aqui que não agrada comer, como a cabeça, os pés e a fressura (vísceras). E assim é com o Senhor Jesus: para recebê-lo e nos tornarmos filhos de Deus, temos que estar dispostos a comer por inteiro o que Jesus propôs; que é tudo o que está em sua palavra. Entre elas:

  • Amar e servir a Deus com todas as forças (Mt 22:36-38)
  • Amar o próximo (Mt 22:39)
  • Andar em santidade (1Pe 1:16)
  • Não andar de acordo com o mundo e com a carne (1Jo 5:19; Mt 26:41; Rm 8; Gl 5:16-23)
  • Confiar em Deus; e não em si mesmo (Pv 3:5-10)
  • Andar no espírito, e na direção do Espírito Santo (Jo 14:26; Jo 7:38,39; At 1:8)
  • Ainda tem mais; não se esqueça disso! Vale a pena gastar ainda um tempinho lendo Êxodo 20…

  • Querido, deixe-me dizer uma coisa: se você não está disposto a comer de Jesus por inteiro, a praticar tudo o que ele mandou, você não é um filho de Deus.

    Jesus é o filho unigênito de Deus. Para nos tornarmos filhos de Deus, temos que ser como Ele; ou você acha que Deus chama qualquer um de seu filho só porque é um ser humano? Não; senão o sacrifício de Jesus não teria sentido aqui. Isso é um engano do diabo! Jesus disse: “Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos.” (João 6:53). Tem que comer de Jesus por inteiro; senão a sua vida e a sua Salvação não estará em nós.

    Ser santo não é um privilégio de apenas algumas pessoas que morreram; ser santo é para todos os filhos de Deus; porque Deus é santo.

    “Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.” (1 Coríntios 3:17)

    Quando o apóstolo Paulo falou isso, ele se dirigia aos santos da igreja; sim aos membros, aos convertidos! E mais, para ser um filho de Deus, tem que ter o Espírito Santo:

    “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.” (Romanos 8:14-16)

    É realmente necessário ser limpo e se encher do Espírito Santo de Deus, e andar na direção Dele; essa é uma característica do filho de Deus. Você como filho dos seus pais naturais herda as características genéticas deles; e assim também, os filhos Deus herdam seu Espírito e suas características.

    “Aba Pai”, que está nesta passagem da carta de Paulo aos Romanos, é um chamado carinhoso, como “paizinho”, “papai”. Deus te chama para ter essa intimidade com Ele; para ser seu verdadeiro filho, como Jesus o é. Deus tem um plano para a sua vida como filho Dele. Deus te ama é neste momento está te chamando. Mas não se firme nos seus conceitos, se endurecendo diante da voz de Deus. Para ser um filho de Deus, você vai ter que se negar a si mesmo! A você, o Senhor Jesus diz:

    “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me” (Mateus 16:24)

    Você que ir atrás de Jesus, ser o próximo filho de Deus? Esse é o caminho…

    “Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo.” (Lucas 14:33)

    Da próxima vez que você pensar em começar uma oração do Pai Nosso, lembre-se de saber se sua oração toda vai chegar a Deus, ou vai parar nessa primeira parte, o “Pai Nosso”. Olhe para a sua vida e responda a você mesmo: quem está sendo o seu pai?

    “Disse-lhes, pois, Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente me amaríeis, pois que eu saí, e vim de Deus; não vim de mim mesmo, mas ele me enviou. Por que não entendeis a minha linguagem? Por não poderdes ouvir a minha palavra. Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.” (João 8:42-44)

    “Se me amais, guardai os meus mandamentos.” (João 14:15)

    Amado, recentemente li em um livro uma frase interessante, que diz “a vida cristã não é difícil - é impossível”. Realmente, é impossível seguir tudo rigorosamente sem ajuda do Espírito Santo. Portanto, não se desanime. Não é sozinhos que alcançaremos tudo o que precisamos. Deus estará proposto a nos ajudar se firmarmos um propósito de se voltar. Jesus disse “o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora” (João 6 : 37). Portanto, se você quiser ser um filho de Deus, basta começar por Jesus que ele te ajuda a conseguir o resto. Estimulo você, leitor, a acompanhar as próximas mensagens deste estudo, que terá prosseguimento, e a ir para o seu quarto, fechar a porta (ou aí mesmo aonde você está, se não for possível), orar a Deus e dizer “Deus, fala comigo. Eu creio que Jesus veio a terra como homem, morreu e ressuscitou e quero me tornar seu filho. Deus, se faça real para mim.”.

    Deus te abençoe!

    fonte: http://www.adrianoweb.com.br/prospero/modules/wordpress/2006/05/14/a-profundidade-da-oracao-do-pai-nosso-parte-1/


    postado por 4988 as 15.10.08 # 0 comentários
    segunda, 13 outubro, 2008
    RETORNANDO ...


    Estou voltando, e agradecendo em primeiro as visitas aos meus blogs e aos comentários, e, dizendo que estou já atuando, afinal, agora sou profissional liberal, e é muito gostoso, pois, posso ajudar as pessoas, e é isso que falta neste mundo, o sentimento de ajudar.

    Falo pois, não penso em ser bilionário, nem milionário, nem nada, quero somente ter o meu salário justo pelo meu trabalho, pois a Lei de Deus diz: "... o operário é digno do seu salário." (Lc 10, 7b)

    E, a vida continua, estou me pós-graduando em direito processual, já atuo como advogado, tenho número de OAB já registrado aqui em São Paulo, enfim, só falta agora a mulher certa pra minha vida.

    No mais, agora estou na ativa, escrevendo (tentando) meu primeiro livro em direito e meu primeiro livro cristão e isso me faz muito bem, é muito legal fazer isso, e é muito bom estar ciente que isso só acontece pois " ... o Espírito socorre a nossa fraqueza. Pois, não sabemos o que pedir como convém; mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inefáveis, e aquele que perscruta os corações sabe qual o desejo do Espírito; pois é segundo Deus que ele intercede pelos santos." (Romanos 8, 26-27).

    Enfim, a vida está caminhando, e eu fazendo a minha parte, ajudando as pessoas como posso do modo mais coerente e dentro da lei, afinal, ser advogado é viver a lei dos homens SEM DEIXAR A DE DEUS DE LADO, e ajudar a todos que precisam, isso é o mais gratificante.

    No mais, vou indo, pois vou escrever meu livro, e de pouco em pouco eu vou colocando também no blog que tenho do Cristianismo, e a vida continua.

    Orando a Deus também pelas pessoas que precisam, pelas almas que estão precisando, e por mim, e claro, agora, MAIS DO QUE NUNCA, oro para que o bom Deus me inspire a fazer o meu melhor sempre, sem deixar a verdadeira Lei de lado (a dEle) e para que eu consiga formar a minha família de modo cristão e firmado na fé e na graça da Sagrada Família.

    Se alguém precisar, é só me chamar, estou sempre pronto a ajudar, claro, conforme eu consiga e possa, e para quaisquer problemas, dúvidas, críticas, sugestões estou sempre às ordens.

    Com o bom Deus sempre à nosso lado, uma excelente semana.

    Deus sempre.

    Fabio Tadeu - agora podendo sem medo usar o título de "advogado".


    postado por 4988 as 13.10.08 #
    segunda, 07 julho, 2008
    SEMPRE VOLTO ...


    Sempre eu volto :)

    falo isso pq nestes últimos dias, o uniblog estava péssimo, não dava pra entrar, nem pra acessar, nem nada.

    Bem, quero, a princípio, mandar um hiper beijão pra todos que se recordaram do meu aniversário, no último dia 01, e, quero mandar um beijo pra Vanessa, afinal, ela é show de bola!!! (ela vai entender, e a foto anterior mostra isso, foto do flog, rs).

    E, quero dizer que estou no myspace, para poder juntar tudo lá, e sem problemas de ficar vários dias fora do ar.

    Então, se quiserem me ver mais, estou no:

    http://www.myspace.com/tadfabio

    Lá, vou expor tudo que nos meus blogs estão, leia-se, leis, cristianismo, e meu dia a dia.

    E, assim vai ser.

    E, meu site: www.tadfabio.cjb.net

    E, aqui eu continuo também, mas, com muito mais freqüência no myspace, pois lá, NUNCA DÁ PAU, e a gente pode atualizar sempre que quiser.

    Então, mais sobre mim: http://www.myspace.com/tadfabio com, blog, flog, e tudo mais, e meu site: www.tadfabio.cjb.net

    Um grande abraço e Deus sempre.

    OBS: AQUI EU CONTINUO TAMBÉM, TÁ? SÓ QUE LÁ, SEMPRE COM MAIS ATUALIZAÇÕES, AFINAL, LÁ NÃO DÁ PAU PRA ENTRAR, MAS, FICO AQUI E LÁ, (LÁ TEM MAIS RECURSOS).

    ABRAÇOS, DEUS SEMPRE.

    http://www.myspace.com/tadfabio

    http://www.myspace.com/tadfabio

    http://www.myspace.com/tadfabio

    FABIO.


    postado por 4988 as 07.07.08 #
    sábado, 19 abril, 2008
    MEU DIREITO DE RESPOSTA!


    SÓ QUERO AVISAR QUE ...

    DEMORO MAS ESTOU SEMPRE TOMANDO CONTA DESTE BLOG, AFINAL, EU SEMPRE FUI MUITO CRISTÃO, E RESPEITEI (e respeito mto) AS RELIGIÕES DE TODOS!!!!

    AGORA, DESCULPEM, MAS, OS COMENTÁRIOS ESTÃO CRESCENDO "CONTRA" (é, isso mesmo, contra mesmo) A MINHA RELIGIÃO, POIS, SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO, COM MUITO ORGULHO ... E, ACRESCENTO, ESTIVE POR 2 ANOS E MEIO DE MINHA VIDA, NAS IGREJAS EVANGÉLICAS, NOME NÃO INTERESSA, E RESPEITEI, COMO RESPEITO ATÉ HOJE, A IGREJA DE TODOS, MESMO PARTICULARMENTE NÃO GOSTANDO DA TEOLOGIA PREGADA EM ALGUMAS.

    FUI UNGIDO PASTOR NUMA DENOMINAÇÃO, NÃO É SEGREDO PRA NINGUÉM, SÓ QUE ...

    SER PASTOR NÃO É FALAR MAL DE NOSSA SENHORA, E NEM ESCULHAMBAR COM O SANTO PADRE, E MUITO MENOS DUVIDAR DO PODER DE INTERCESSÃO QUE HÁ ENTRE AS PESSOAS.

    Olha, uma coisa eu vou dizer, DEUS NÃO É PROBLEMÁTICO, DEUS É A SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS.

    DEUS NÃO É RANCOROSO, DEUS É AMOR!!!!

    DEUS NÃO É EGOÍSTA, POIS ELE MESMO DIZ, POR MEIO DE JESUS EM SUA BÍBLIA QUE, A GENTE TEM QUE AMAR ATÉ AOS NOSSOS INIMIGOS ... DEUS É AGREGADOR, ELE JUNTA A TODOS.

    E, de boa, encheu o saco receber e-mails, comentários do tipo: "Deus é nervoso!", "Deus é vingativo!", "Deus não quer que as imagens sejam adoradas!" e assim vai ...

    PRIMEIRO, DEUS NÃO É NERVOSO, NEM INVEJOSO, NEM RANCOROSO E NEM NADA DISSO, POIS, SE O FOSSE, A BÍBLIA SAGRADA PODERIA SER RASGADA, E DEUS SERIA ENTÃO UMA CRIANÇA BIRRENTA BRINCANDO DE BONEQUINHOS, E NÓS SERIAMOS OS BONEQUINHOS QUE ELE FAZ O QUE, E COMO QUER DO JEITO QUE QUER.

    SEGUNDO, DEUS NÃO É VINGATIVO E JAMAIS O SERÁ, ELE É JUSTO, E JUSTIÇA NÃO SE CONFUNDE COM VINGANÇA.

    TERCEIRO, CATÓLICOS NÃO ADORAM IMAGENS, E A "PEDRA" QUE OS CATÓLICOS RECEBEM SEMPRE É ESSA ... por isso tb que larguei mão de ser "neo-pentecostalista" ... PQ OUVI BARBARIDADES SOBRE NOSSA SENHORA, E DESCULPEM-ME EU AMO MUITO A MÃE DE DEUS, MARIA É FABULOSA E TEM MUITO PODER SIM, SE ASSIM NÃO FOSSE, COMO EXPLICAR QUE ELA FOI ASSUNTA AO CÉU? ... ENFIM, É FÁCIL JOGAR PEDRAS QUANDO NÃO SE SABE A DIFERENÇA ENTRE "ADORAÇÃO E VENERAÇÃO", ENTÃO, DE BOA, ANTES DE FALAREM MERDA PRA MIM, E EU TENHO OS E-MAILS E MENSAGENS, POR FAVOR PENSEM, eu fui ungido pastor, e sei do que falo, e sei as "PORCARIAS" que tive que aprender, pra combater a religião!

    AGORA, DE BOA, RESPEITAR É PARTE DO TODO, ESTOU APENAS EXERCENDO MEU DIREITO DE RESPOSTA AOS E-MAILS QUE RECEBO COM MENSAGENS E TUDO MAIS.

    QUANTO AO MAIS, SERIA LEGAL SE NOSSA CONSTITUIÇÃO FEDERAL FALASSE BEM ALTO, E FOSSE MUDADA QUANTO A QUESTÃO DE ISENÇÃO DE TRIBUTOS FRENTE A TODOS, e vejam bem que eu disse todos, católicos inclusive, OS TEMPLOS RELIGIOSOS E TUDO QUE SE REFIRA AOS CULTOS, POIS, SE HOUVESSE INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA FRENTE A ISSO, MUITA COISA SERIA DIFERENTE, E MUITAS DENOMINAÇÕES NÃO SERIAM ABERTAS, E, O VERDADEIRO PENTECOSTALISMO SERIA EXERCIDO, apenas minha opinião enquanto bacharel em direito.

    E, DESCULPEM-ME TODOS OS QUE NÃO ENTENDERAM ESTE POST, NÃO É ATAQUE À IGREJA ALGUMA, MESMO PQ EU ESTIVE EM QUASE TODAS, VIVI UM TEMPO EM VÁRIAS, E FUI UNGIDO PASTOR NUMA DELAS, AGORA, DESCULPEM, MAS, NÃO ADMITO JOGAR PEDRAS NO CATOLICISMO, SEM OLHAR PROS PROBLEMAS BEEEEEEEEEEEEEEEEEEEM GRANDES QUE MUITAS IGREJAS EVANGÉLICAS TÊM, POIS, É MUITO FÁCIL ATACAR UMA IGREJA PRESENTE HÁ MILÊNIOS, USANDO SEMPRE DO MESMO ARGUMENTO.

    RESUMINDO - IGREJAS, NENHUMA DELAS LEVA NINGUÉM AO CÉU, NENHUMA MESMO, E NÃO ADIANTA QUEREREM SER OS DONOS DA VERDADE, POIS NÃO SÃO, NEM OS CATÓLICOS SÃO DONOS DE NADA, AGORA, O QUE VAI LEVAR ALGUÉM PRO CÉU, SÃO AS ATITUDES QUE ESSA PESSOA TEM.

    ASSIM COMO HÁ PROBLEMAS NA IGREJA CATÓLICA, E SÃO MUITOS VIU? HÁ TAMBÉM NAS IGREJAS EVANGÉLICAS, E, COMO HÁ PADRES ENVOLVIDOS EM ESCÂNDALOS, E EXISTEM MUITOS, HÁ PASTORES TAMBÉM, E A MÍDIA EXISTE PARA ISSO.

    AGORA, DESCULPEM, IGREJAS, PADRES, BISPOS, PAPA, PASTORES, NADA DISSO, (nada disso mesmo), VAI LEVAR NINGUÉM PRO CÉU, E NEM PRO INFERNO.

    QUEM VAI DETERMINAR PRA ONDE IREMOS DEPOIS QUE MORRERMOS SOMOS NÓS MESMOS, PELAS ATITUDES QUE VIVENCIAMOS HOJE, AFINAL, NOSSO PASSAPORTE PRA VIDA ETERNA ESTÁ COMPRADO, DO DIA EM QUE NASCEMOS, AGORA, EM QUE AVIÃO VAMOS EMBARCAR, SÓ NOSSOS ATOS, (nossos particulares atos, e não guiados em padres, pastores, bispos, papa), VÃO DETERMINAR.

    CHEGA DISSO DE MANDAR MENSAGENS BOMBARDEANDO A IGREJA CATÓLICA, DE BOA AMIGOS, PRA QUEM NÃO É ATEU, CLARO!!!!!, DEUS DEU A VIDA PRA QUE CADA UM CUIDE DA SUA, AGORA, NÃO CABE A NÓS FICAR DIZENDO ... DEUS É ISSO, DEUS É AQUILO, TOMARA QUE VOCÊ ACEITE A DEUS ... AFFFF!!!! DE BOA GENTE, SÓ EVANGÉLICO VAI PRO CÉU? DESCULPA, SOU PASTOR UNGIDO (e isso me faz melhor que alguém? Não, claro que não, somos todos EXATAMENTE iguais em face de Deus), COM ISSO, COM ESSE TIPO DE MENSAGEM, CAI POR TERRA ALGO DITO NO EVANGELHO DE SÃO (é são mesmo) MATEUS, (7,1), QUANDO DIZ: "NÃO JULGUEIS, PARA QUE NÃO SEJAIS JULGADOS!", e daí vem o direito de resposta quando no mesmo evangelho de São Mateus, 7,2.

    Enfim, antes de mandar e-mails pra mim, leiam DIREITINHO SÃO MATEUS, CAP. 7, VERSOS 1 A 6, E DEPOIS VENHAM ME ENCHER, COM EMAILS E MENSAGENS DO TIPO: "ACEITE A JESUS NA MINHA IGREJA", "VOCÊ SÓ VAI PRO CÉU SE NÃO ADORAR IMAGENS!" ... E OUTRAS BABAQUICES DAS MAIS IDIOTAS.

    DE BOA, EU JAMAIS ADOREI IMAGENS, E JAMAIS ADORAREI, EU VENERO SIM, E TENHO A JESUS COMIGO, ACEITEI A ELE NO MEU CORAÇÃO E NÃO EM IGREJA NENHUMA, E PRA MIM, ELE É O ÚNICO SALVADOR, MAS, AMO A MARIA MUITO, E ESSE AMOR NINGUÉM VAI TIRAR NUNCA, COMO TAMBÉM, AMO DEMAIS A SÃO JOSÉ, PELO CARINHO, DEDICAÇÃO E AMOR QUE DEU À NOSSA SENHORA, E À JESUS, MAS, É OUTRO CASO. 

    E POR FIM, MUITOS MANDAM E-MAIL PRA MIM, OU MENSAGENS, ENFIM, COM ISSO DE "ACEITE A JESUS E NÃO ADORE ISSO, NÃO FAÇA AQUILO ..." ENTENDAM UMA COISA SOMENTE:

    AS PESSOAS NÃO VÃO ENTENDER O QUE É ADORAÇÃO E O QUE É VENERAÇÃO, SEM VIVER ISSO DESDE CEDO, COMO TAMBÉM, NÃO VÃO NUNCA CONSEGUIR ENTENDER A BASE BÍBLICA DE MUITOS SACRAMENTOS, E AFINS.

    AGORA, ME DIZER, COMO UMA MENSAGEM QUE EU RECEBI ... "VOCÊ NÃO VAI PRO CÉU SE NÃO SE CONVERTER PRA IGREJA X" (não vou citar o nome), LAMENTO, É O CÚMULO DOS CÚMULOS, É O MESMO QUE EU DIZER AQUI, "VOCÊ NÃO VAI MAIS SE ALIMENTAR SE NÃO ESCOVAR OS DENTES ANTES!" ... UM TOTAL ABSURDO.

    Me dei esse direito de resposta, pois este blog ERA PRA CONTAR A HISTÓRIA DO CRISTIANISMO, QUE VENHO ESTUDANDO DESDE 1988, MAS, A PARTIR DE ENTÃO, VOU MUDAR O RUMO DA PROSA, POIS, SE AS PESSOAS AQUI NÃO RESPEITAM AS RELIGIÕES DAS PESSOAS, E, TINHAM AQUI COMENTÁRIOS AOS POSTS DOS MAIS DIFERENTES, E METENDO O PAU EM TODAS AS RELIGIÕES, ENTÃO, acabou aqui o lance de comentários, eu escrevo o que estudo, e, DE BOA, SE AS PESSOAS NÃO CONCORDAM, NÃO ACESSEM MAIS, MAS, MANDAR E-MAIL PRA MIM, XINGANDO, FALANDO MERDA, PRINCIPALMENTE SOBRE O CATOLICISMO, DESCULPEM ISSO NÃO DÁ PÉ!!!!! VÃO PRIMEIRO LER A BÍBLIA PRA DEPOIS VIR FALAR MERDA PRA MIM, OU PROS POSTS QUE EU DEIXAVA AQUI.

    EU AMO, RESPEITO, ADMIRO E ACHO MUITO LINDO TODAS AS RELIGIÕES E CAMINHOS QUE FAZEM COM QUE O SER HUMANO VOLTE-SE A DEUS, POIS NO MUNDO DE HOJE, AO INVÉS DE FICAR FALANDO ASNEIRAS, E DIZENDO QUE SÓ QUEM É DA RELIGIÃO X OU Y VAI PRO CÉU, SERIA MELHOR NOS UNIRMOS COMO IRMÃOS, CADA UM EM SUA RELIGIÃO, PARA JUNTOS NA ORAÇÃO, CONSTRUIRMOS UM MUNDO MELHOR!!!!

    E, MAIS UMA VEZ, DESCULPEM USAR ESTE ESPAÇO PARA ESTA DECLARAÇÃO, MAS, EU PRECISAVA ME DAR O DIREITO DE RESPOSTA, POIS LER AS COISAS QUE EU ESTAVA RECEBENDO E LENDO AQUI, INFELIZMENTE ESTAVAM MEXENDO DEMAIS COM MEU ESPÍRITO.

    SE VOCÊ TEM RELIGIÃO, E RESPEITA A RELIGIÃO DOS DEMAIS, PARABÉNS, E MUITAS FELICIDADES. DEUS É ASSIM!!!!

    SE VOCÊ TEM RELIGIÃO, E SÓ A SUA RELIGIÃO É A MELHOR, PARABÉNS, MUITAS FELICIDADES, E NÃO ENCHA A PACIÊNCIA. DEUS NÃO É ASSIM!!!!

    LEMBRE-SE:

    SEJA VOCÊ CATÓLICO, EVANGÉLICO OU ESPÍRITA, DEUS É UM SÓ!!!!!

    SÓ DEUS DIRÁ QUEM VAI PRO CÉU, E QUEM NÃO!!!!!

    Obrigado!!!! Te amo em Jesus!!!!

    DEUS, (SÓ ELE!), SEMPRE!

    SOU CATÓLICO, APOSTÓLICO E ROMANO, PRATICANTE, COM MUITO AMOR, E ORGULHO, FUI PASTOR UNGIDO, E RESPEITO DEMAIS AS RELIGIÕES, POSSO NÃO CONCORDAR COM TUDO, MAS, SEI RESPEITAR MUITO, ADMIRAR, LOUVAR E HONRAR A TODAS AS RELIGIÕES QUE LEVAM A DEUS!!!!! AFINAL, SÓ NOSSOS ATOS VÃO NOS ABSOLVER, OU CONDENAR!!!!!

    DEUS SEMPRE!!!!


    postado por 4988 as 19.04.08 # 0 comentários
    sexta, 04 janeiro, 2008
    PADRE LEO

    Pe. Léo Tarcísio Gonçalves Pereira, mais conhecido como Padre Léo, (Delfim Moreira, 9 de outubro de 1961São Paulo, 4 de janeiro de 2007) foi um sacerdote da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus e ativista social brasileiro. Morreu no Hospital das Clínicas em SP de infecção generalizada conseqüência de um câncer incurado.

    Filho de Joaquim Mendes e Maria Nazaré, nasceu numa família simples e sempre quis ser padre. Entrou para a Renovação Carismática Católica (RCC) em 1973. Era músico, cantor, compositor, apresentador, pregador e escritor. Em 12 de outubro de 1995, fundou a Comunidade Bethânia, que, hoje, conta com mais de 30 membros e 5 casas espalhadas pelo Brasil, cuja missão é restaurar jovens dependentes químicos, portadores de HIV e marginalizados em geral.

    Essa missão começou quando padre Léo atendia jovens envolvidos com drogas e se sentiu chamado a ajudá-los de forma mais completa. Irreverente e profundo em suas pregações, atraía milhares de pessoas em todos os encontros que promovia, pois era grande conhecedor das Sagradas Escrituras.

    Escreveu sete livros pela Editora Canção Nova e catorze pela Loyola. O último, recentemente lançado no ‘Hosana Brasil 2006’, intitula-se “Buscai as Coisas do Alto”, escrito durante o tratamento, período em que se submetia a sessões de radioterapia e quimioterapia. Sempre com bom humor e entusiasmo pela vida, o sacerdote dehoniano começou o tratamento contra o câncer em abril de 2006 e, mesmo debilitado, esteve presente no ‘Hosana Brasil 2006’ em dezembro, visivelmente abatido pelo longo tratamento.

    Faleceu recentemente, aos 4 de Janeiro de 2007, após árduo tratamento contra o câncer.

    FONTE: WIKIPÉDIA - http://pt.wikipedia.org/wiki/Padre_L%C3%A9o


    postado por 4988 as 04.01.08 # 0 comentários
    HOMENAGEM AO PADRE LÉO - PRIMEIRO ANO DE VIDA ETERNA!!!!

    Sexta-feira, 04 de janeiro de 2008, 08h52 Saudades de quem deixou os rastros de Deus em nossa vida
    Da Redação

    Quanta saudade! E quanta alegria e ensinamento padre Léo nos trouxe ao nos deixar a Palavra e as coisas de Deus tão próximas de nós e tão palpáveis. Com seu jeito inigualável, divertido e mineiro de ser, ele nos mostrou que o céu é logo ali...

    E quanta seriedade em suas brincadeiras! Quanta profundidade em sua simplicidade. Ah! Como ele nos faz falta!

    Como poucos, este grande homem de Deus lutou para viver e nos ensinar a também viver as coisas do Alto, a santidade e o amor. Mas sem nunca deixar de lado a grandeza, a delicadeza e a alegria de ser gente.

    Sacerdote do Sagrado Coração de Jesus (SCJ), encontrou sua vocação, refúgio e razão de viver doando-se plenamente aos jovens da Comunidade Bethânia, fundada por ele, os quais eram por ele chamados de "filhos". Tinha o dom do acolhimento de Lázaro, Marta e Maria, os amigos de Jesus. Por isso, sua comunidade não poderia ter outro nome senão este. Comunidade do amor, da restauração, da vida, "do Coração de Jesus".

    Padre Léo está na eternidade, mas continua vivo em nosso interior. Suas palavras ainda ecoam dentro de nós com suas pregações e obras iluminadas e cheias de sabedoria. Ele nos evangelizava – e continua nos evangelizando! – pois transformava suas pregações em vida. Ninguém ficava indiferente às suas palavras incisivas sim, mas que jamais perdiam de vista a alegria e a humanidade de cada um.

    Quantos – Brasil e mundo afora – não foram ressuscitados ao ouvir esse profeta da atualidade, irreverente, ousado e acima de tudo alegre? Ele "combateu o bom combate" lutando para viver a santidade e passá-la adiante, e como todo homem de Deus, não reteve nada para si; ao contrário, dividiu tudo com todos. Deu sua vida a Cristo, à Igreja e a todos nós.

    Hoje, 4 de janeiro, data que marca a entrada do saudoso sacerdote dehoniano na eternidade, prestamos um pequeno tributo a ele, pois, com você, queremos relembrar os momentos que marcaram a família Canção Nova com a presença desse inesquecível amigo, que muito contribuiu para o crescimento desta obra e de todos nós.

    DESCULPEM-ME PELO PARÊNTESES NO BLOG, COM ESTA HOMENAGEM, MAS, O PADRE LÉO FOI UM HIPER HOMEM, QUE AJUDOU MTO A TODOS, INCLUSIVE A MIM, POR ISSO MINHA ETERNA GRATIDÃO :)

    DEUS TE GUARDE SEMPRE, ATÉ UM DIA, GRANDE PADRE LÉO!


    postado por 4988 as 04.01.08 # 0 comentários
    terça, 01 janeiro, 2008
    ANO NOVO FELIZ, É ANO NOVO COM CRISTO!


    Sábado, 29 de dezembro 2007
    Feliz Ano Novo!

    Deus quer que a Canção Nova seja, neste mundo de violência, uma explosão de Amor. A expressão que mais me encanta, desde os inícios de seu surgimento é: "o Amor está no ar". Veja: é Amor com letra maiúscula, porque não é um simples amor humano, mas o próprio Deus-Amor que vai pelos ares e que chega aos lugares mais imprevisíveis. Graças a Deus, a Canção Nova faz isso 24 horas por dia, com um meio muito eficaz, há muitos anos. Deus-Amor visita pessoas e famílias muito necessitadas deste sinal. E muitos milagres acontecem!

    A Canção Nova precisa de você para continuar levando o Amor pelo ar. Este Amor precisa chegar a todo lugar onde exista um filho de Deus necessitado da visita d’Ele.

    Pela Santa Missa diária, pela adoração ao Santíssimo Sacramento, especialmente em nosso dia de adoração às quintas feiras, pela recitação do rosário todos os dias, pelos nossos Acampamentos de Oração, pelo programa "O Amor Vencerá", que levamos ao ar todas as semanas, pelo terço da Divina Misericórdia, enfim, em cada um dos nossos programas e simples mensagens, precisamos levar este Amor pelo ar.

    Por quê? Porque sabemos que a paz é fruto do Amor. Não haverá paz se não houver Amor, e só haverá paz onde e quando houver Amor. É missão nossa semear a paz, levando esta explosão de Amor. Temos a certeza de que o Amor Vencerá, porém, cabe a nós a tarefa dura de deflagrar esta explosão de Amor por toda parte.

    Eu conto com você. A Canção Nova precisa de você, porque é uma explosão em cadeia: ela não se fará sem que você participe dela. Comece por você! Comece pela sua casa! Do jeito de Maria, estaremos o ano todo semeando a paz, dando nosso suor, nossa lágrima e nosso sangue para que aconteça em cadeia esta explosão de Amor, porque temos a certeza de que o Amor Vencerá! E por mais impossível que pareça, a paz acontecerá!

    Feliz Ano Novo! Que 2008 seja um ano cheio de bênçãos para você e sua família!

    Seu irmão,


    Monsenhor Jonas Abib

    fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/pejonas/pejonas_msg_dia.php



    Terça, 01 de janeiro de 2008
    Onde começa o ano novo?


    Tome um tempo pra você!
    Coisas novas somente são duradouras quando são gestadas dentro de nós! Com paciência e firmeza!
    São coisas que levam tempo e possuem altíssimo preço! Por isso, quero lhe fazer um pedido: não se apresse em tomar novas decisões! Aprenda a gestá-las dentro de você, pois é no coração de cada um de nós que o bem é cultivado pra tonar-se realidade!
    Estamos num mundo apressado demais e você e eu temos tudo para sofrermos grandes decepções se não soubermos deixar que o bem crie raízes fortes, longas e firmes dentro de nós!
    Por favor, medite sobre isto, e feliz - de verdade - ano novo, começando dentro de você!

    Fonte: http://www.cancaonova.com/cnova/ministerio/temp/mensagem.php

    Terça-feira, 01 de janeiro de 2008, 14h52 Bento XVI pede intercessão da Virgem Maria em favor da PazLiliane Borges
    Canção Nova Notícias, Roma

    O Papa Bento XVI celebrou nesta manhã a Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus, e convidou a todos os fiéis reunidos na Basílica Vaticana a rezarem pela Paz, recordando o Dia Mundial pela Paz celebrado hoje, 1º de janeiro.

    A negação dos direitos da família, que obscurece a verdade do homem ameaça os fundamentos da paz! Proclamou Bento XVI durante a homilia desta segunda-feira. Acompanhado de milhares de fiéis o Pontífice celebrou a Festa de Santa Maria Mãe de Deus e o Dia Mundial pela Paz, que tem como tema: "Família humana, comunidade de paz!"

    Leia mais:
    .: Primeiro Ângelus de Bento XVI em 2008
    .: Mensagem do Papa para o Dia Mundial da Paz


    O Santo Padre afirmou que a sociedade atual aspira viver na paz, mas que esta não é somente fruto do esforço humano ou acordos politicos, mas antes de tudo, um constante pedir a Deus por este Dom.

    Lembrou que em 1948, a Assembléia Geral das Nações Unidas, publicou a Declaração Universal dos Direitos Humanos e Paulo VI inaugurou, após 20 anos, o primeiro Dia Mundial pela Paz, datas providenciais destacou o Pontífice.

    Aos fiéis reunidos destacou a importância da Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus, recordando que este título dado a Maria é um dos mais antigos e importantes títulos com que a Virgem é recordada seja no Oriente, quanto no Ocidente. 

    "Queridos irmãos e irmãs, exclamou Bento XVI, iniciemos este ano implorando a Benção Divina, invocando a intercessão de Maria, Mãe de Deus". 

    Bento XVI convidou a contemplar Maria, "mãe sempre virgem do Filho unigênito do Pai", aprendendo com ela a "acolher o Menino que para nós nasceu em Belém" e reconhecendo nele "o Filho eterno de Deus", "o nosso único Salvador".

    Ao concluir, o Papa referiu-se a um trecho do Evangelho do dia, que sublinha que "Maria guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração", em silêncio, os acontecimentos em que Deus a tinha envolvido e observou que a palavra grega usada significa literalmente, "juntar" (pôr em conjunto) e leva a pensar num "grande mistério que é descoberto pouco a pouco".

    Será "na escola de Maria" que se poderá "captar com o coração aquilo que os olhos e a mente, por si só, não conseguem entender, nem podem conter"…

    "Queridos irmãos e irmãs, só conservando no coração, isto é, juntando os diversos elementos e encontrando a unidade de tudo o que vivemos podemos penetrar, seguindo Maria, no mistério de um Deus que, por amor, se fez homem e nos chama a segui-lo no caminho do amor. Amor que se traduz a cada dia num generoso serviço aos irmãos".

    Após a celebração, Bento XVI rezou a oração do Ângelus, junto a cerca de 60 mil fiéis presentes na Praça São Pedro.

    fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=248631

    Feliz ano novo à todos, independente de sua religião, afinal, Cristo é a luz do mundo, e só por Jesus é que se pode buscar salvação!

    Deus nos abençoe, no ano todo que começa, oficialmente, hoje!


    postado por 4988 as 01.01.08 # 0 comentários
    terça, 13 novembro, 2007
    RESPONDENDO - AOS CATÓLICOS - APÓS A COMUNHÃO, O SINAL DA CRUZ!!!!

    O que se deve fazer após a comunhão?

    Quando nos levantamos da mesa de comunhão, carregamos Jesus no coração. Toda nossa atenção deve estar voltada ao hóspede divino que nos vem visitar com tanto amor e misericórdia. Uma atitude compenetrada, o olhar voltado para baixo, silêncio na alma e no corpo. Chegando ao nosso lugar, ficamos de joelhos, procuramos fechar os olhos e rezar em silêncio, saboreando este encontro sublime com Nosso Salvador. Podemos também, para ajudar a concentração, rezar as orações tradicionais de “ação de graças”, como se encontram no próprio missal ou nos livros de oração.

    Obs: não é necessário fazer sinal da cruz, após orar em silêncio, mas, como é fé e sinal do cristão, não se peca se fizermos o sinal de todo cristão (sinal da cruz), após receber Jesus sacramentado. Portanto, fixamos mais nossa fé, admitindo sermos católicos, MAS, isto de sinal da cruz quando recebemos Jesus, varia de pessoa para pessoa, não sendo necessário que se faça o sinal, mas, não se pecando também, caso não o tenhamos feito.

    Fonte: http://www.capela.org.br/Missa/manual.htm (adaptado)


    postado por 4988 as 13.11.07 # 0 comentários
    SOBRE E-MAILS E RESPOSTAS!!!!

    Só pra avisar:

    Tenho ainda que responder à alguns emails e mensagens, prometo que farei o possível e impossível :)

    Nestes próximos dias, eu ponho tudo em ordem!!!

    Obrigado pelas mensagens!!!! E pelas visitas.

    Deus sempre.


    postado por 4988 as 13.11.07 # 0 comentários
    O DOM DA INTERPRETAÇÃO DAS LÍNGUAS.

    Formações
    Imagem de Destaque O dom de interpretação das línguasInterpretar é diferente, é descobrir o sentido do que está sendo dito

    No dom de línguas se apresentam o “orar em línguas” e o “falar em línguas”. O orar em línguas é pessoal e voltado para Deus. Só o Senhor entende essa oração e, em geral, ela não é interpretada. Já o falar em línguas é uma mensagem para as pessoas que estão reunidas em oração, e só tem finalidade se dela resultar uma interpretação. “Por isso, quem fala em línguas, peça na oração o dom de interpretação, diz São Paulo (1 Cor 14,13).

    O falar em línguas é uma espécie de profecia. Dessa forma, é Deus quem fala ao seu povo. Fala porque quer que seus filhos o compreendam. Então, ao mesmo tempo que Deus suscita a profecia ou o falar em línguas, concede também, a alguém ali presente, o dom de a interpretar. Pode ser que Deus conceda o dom da interpretação à mesma pessoa que trouxe a mensagem em línguas. Pode ser também que o Senhor dê a mensagem em línguas a uma pessoa e a interpretação a outra. Mas a instrução é clara: "Se não houver intérprete, fiquem calados na reunião, e falem consigo mesmos e com Deus" (1 Cor 14,28).

    Podemos perceber que não se trata de tradução, mas de interpretação. Ninguém é capaz de traduzir o falar em línguas, mas é possível interpretá-lo. A interpretação é um dom e uma arte que podemos encontrar nas comunidades carismáticas que Deus tem suscitado.

    Na tradução, pegamos palavra por palavra e encontramos a correspondência em outra língua. Quando digo que a palavra “janela” corresponde a “window” em inglês e “fenêtre” em francês, estou traduzindo.

    Interpretar é diferente, é descobrir o sentido do que está sendo dito. No caso do dom de línguas, é reproduzir o pensamento de Deus, tornar claro o sentido da mensagem que Ele enviou. Estamos falando de uma mensagem que Deus dirige àquela comunidade de pessoas reunidas, ou a uma única pessoa. Normalmente acontece assim: Após um momento intenso de oração, em geral, depois de um bom tempo de oração em línguas, faz-se um profundo silêncio, cheio de adoração e expectativa para escutar o Senhor. Todos estão em silencio... de repente, uma única pessoa em todo o grupo começa a falar em línguas. Todos a escutam. Quando ela termina, todos devem permanecer em silêncio até que uma outra pessoa comece a falar aquela mesma mensagem na língua que todos entendem, no nosso caso, a língua portuguesa.

    Quem recebe o dom de interpretação percebe qua as palavras vêm a sua mente uma a uma. Nessa hora, podemos sentir como se os pensamentos sumissem e apenas aquela palavra o ocupasse. A palavra seguinte só surge em nossa mente depois que proclamamos a anterior. À medida que vamos falando, a próxima palavra surge. Exercer esse dom exige muita fé e coragem, pois, quando a pessoa abre a boca para trazer a interpretação, na verdade, ela dispõe de apenas uma única palavra. Só depois as outras vão se juntando a ela e formando a frase, a idéia, a mensagem.

    A pessoa que recebeu o dom da interpretação deve trazer a mensagem na primeira pessoa, em nome do Senhor. Ela deve proclamar essa palavra dizendo: "Eis o que o Senhor" ou "O Senhor fala", e logo em seguida falar na primeira pessoa a mensagem que recebeu em seu coração, como o próprio Deus falando. O Senhor nos concede o seu dom para que proclamemos a mensagem em seu nome e não para que expliquemos às pessoas o que Ele nos falou.

    Deus abençoe você!

    Foto

    Márcio Mendes
    marciomendes@cancaonova.com
    Missionário da Comunidade Canção Nova, estudante teologia, autor dos livros "Quando só Deus é a resposta" e "Vencendo aflições, alcançando milagres".

    Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/formacao/internas.php?id=&e=6752


    postado por 4988 as 13.11.07 # 0 comentários
    domingo, 22 julho, 2007
    ESTUDO SOBRE PREDESTINAÇÃO (pastor Silas Malafaia)

    A Predestinação


    Por Pastor Silas Malafaia

    Inicialmente queremos dizer que o nosso objetivo é enriquecer este assunto e não fazer alguma objeção ou acrescentar algo das minhas palavras que nosso Senhor não tenha dito ou o Espírito Santo. "Nós queremos trazer o assunto da predestinação à luz da Bíblia. A Bíblia fala em predestinação? Sim. Claro que a Bíblia fala em predestinação. Nós encontramos na Bíblia que Deus determinou o futuro de Israel e o futuro da Igreja; o que não aceitamos e não encontramos respaldo bíblico é que Deus já tenha determinado o futuro individual de cada ser humano, isto é, o homem quando nasce já está predestinado ao céu ou ao inferno, conforme uma escolha prévia de Deus. Isso, absolutamente não aceitamos e reafirmamos que não encontramos respaldo bíblico. Não aceitamos os seguidores da predestinação que fazem com que Deus escolha pessoas, previamente, umas para o céu e outras para o inferno. Absolutamente, não cremos nisso. É sobre isso que vamos colocar aqui, em nome do Senhor Jesus". Primeiramente, o que é Predestinação? “É o ato de destinar antecipadamente”. Predestinado quer dizer, “eleito de Deus. Destinado de antemão”. A predestinação está intrinsecamente ligada à salvação e esta é eterna. Uma vez que a tenhamos recebido, ela está garantida eternamente. Da parte divina a garantia é total e absoluta. Da parte humana é preciso permanecer na graça do Filho de Deus para que a salvação se concretize em sua vida. Analisemos o que o Espírito Santo nos diz sobre esse assunto:
    1º) Efésios 1:4-5,11 – "como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em caridade, e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade," Fomos escolhidos ou eleitos por Deus nosso Senhor antes da fundação do mundo (Cf. Mat.25:34; 20:23 e Mc.10:40; 13:20,27;). Não fomos nós que O escolhemos, mas foi o nosso Salvador quem nos escolheu (Cf. João 15:16) e Sua eleição não é por nossas obras, mas por Aquele que chama. Ele não apenas nos predestinou, mas também chamou-nos. Após haver feito a escolha, então Ele nos chamou (Cf. Rom.8:28-30; 9:11,22-24; Coloss.3:12 e II Tess.2:13). A eleição e o chamamento do Pai eterno foram iniciados por Ele mesmo, não por nós; eles são a segurança de nossa salvação (II Tim.2:10; I Pedro 1:2; II Pedro 1:10 e Apoc.17:14).
    2º) Romanos 8:29 - Fomos predestinados depois de termos sido conhecidos pelo nosso Deus. Quando Ele toma conhecimento de antemão das pessoas, faz recair nelas a Sua escolha (Gál.4:9; 1:15; Isa.49:1,5; Jer.1:5: I Cor.8:3 e Atos 9:15). Do mesmo modo o Senhor fêz quando foi p/ escolher um povo para Ele, a fim de que O servisse e refletisse o Seu caráter no mundo.
    O Israel literal: Cf. Deuter.7:7; Amós 3:2; Osé.13:5; e o Israel espiritual: Cf. Rom.11:5,7,28 e I Pedro 2:9). "Agora vamos ler Hebreus 5.9:
    "E, sendo ele consumado, veio a ser a causa de eterna salvação para todos os que lhe obedecem," E sendo Ele consumado, veio a ser a causa de eterna salvação para todos os que lhe obedecem. Quem são os que Lhe obedecem? Leiamos Apoc.14:12.
    Uma outra passagem bíblica, para respaldar o que vamos comentar aqui:
    "Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens," (Tito 2:11 RA). A graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens. Em outras versões diz que "a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens,” (RC). Muito bem. Eu li aqui a primeira passagem de Efésios 1.4-5 que diz que "também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em caridade, e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo". O que eu quero dizer para você querido; Paulo aqui, nessa passagem, está entrando na área da presciência de Deus. Você sabe que Deus possui atributos exclusivos da divindade: o atributo da onipotência (que Deus possui todo poder), o da onipresença (que Deus está em todo lugar) e da onisciência (que Deus sabe de todas as coisas). Dentro do atributo da onisciência, que Deus sabe de todas as coisas, existe a presciência. Deus sabe de todas as coisas e todas as coisas Ele sabe antecipadamente.
    O que Paulo está começando aqui a dizer é que Deus não é igual ao homem que faz as coisas de improviso e na hora que aparece os problemas. Deus é um Deus sábio. Deus é um Deus de planos e propósitos. O que Paulo está dizendo é que Deus preparou um grande plano.
    Eu quero que você preste atenção, no que está escrito em Apocalipse 13.8":
    "E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo." (Apocalipse 13:8 RC). Primeiro Ele está falando dos que adoram a Besta ou o sistema religioso e depois sobre os que estão escritos no livro da vida do Cordeiro. Você já está escrito? O que é ligado na terra é também ligado no céu.
    "Quando a Bíblia diz que Jesus foi morto antes da fundação do mundo, não está querendo dizer, na essência da palavra, que ele morreu antes da fundação do mundo. Por que? Jesus morreu aproximadamente há 2.000 atrás. O que a Bíblia está querendo dizer nessa passagem é que havia um plano preparado antes da fundação do mundo para salvar o homem do inferno. Agora, em Efésios 1.4-5, Paulo usa a mesma linguagem: "que antes da fundação do mundo, Deus já providenciara um plano. Ele elegeu, primeiro, a pessoa do nosso Senhor Jesus Cristo. Aquele que aceita Jesus hoje é eleito em Cristo". Veja que o versículo diz: "nos elegeu nEle". Isso significa que quando você aceita a Jesus hoje, por sua livre e espontânea vontade, você está, automaticamente, participando do plano que foi elaborado por Deus antes da fundação do mundo. Quando você aceita Cristo hoje, você está participando de um plano que foi elaborado antes da fundação do mundo. Deus elegeu a Cristo e todo aquele que aceita Jesus, está eleito em Cristo.
    É importante observar nessa passagem que a eleição é primeiro, isto é, ela precede à predestinação. Primeiro você aceita a Cristo. E você sabe que significa aceitar a Cristo? Aceitar a Cristo é submeter-se a Ele, é obedecê-lo, é segui-lo, é ser fiel até o fim, depois sim; depois que você é eleito a Cristo. Depois que você aceita a Cristo como seu Salvador, você estará pronto a estar predestinado para o céu. Se você seguir a Cristo aqui na terra, você terá a garantia do céu. Isso é o significado de Efésio 1.4-5. Eu posso citar um exemplo: um indivíduo se ingressa na faculdade, no primeiro ano de engenharia. Ele está predestinado a ser engenheiro, isto é, o seu futuro está predestinado que seja engenheiro. Mas para que ele seja engenheiro, tem que cursar 5 anos na universidade e tem que ser aprovado em todas as provas. Está implícito isso". É o caso da obediência! O discípulo de Cristo Jesus obedece a Lei de Deus porque é salvo e não para ser salvo, entende isso?(João 15:10 e Romanos 13:8-10)
    "Querido, o que Deus escolheu e predestinou foi um povo que “ guarda os Seus mandamentos e tem a fé de Jesus” e não uma denominação.(Apoc.12:17) É aí que nós diferenciamos da linha da predestinação de alguns que acham que Deus escolheu pessoas individualmente, ora uns para o inferno, ora outros para o céu. Isso não. A Bíblia quando diz respeito à predestinação, diz que Deus predestinou um povo. E você pode ver que em Efésios - capítulo primeiro - versículos 4 e 5 está no plural: "... nos elegeu nele ... para que fôssemos [é PLURAL] ... e nos predestinou para filhos [filhos é PLURAL]." Nós não encontramos uma palavra no singular dizendo que Deus determinou individualmente pessoas - Ele predestinou um povo - predestinou um grupo. E quem é que Deus predestinou para o céu? Está na boca de qualquer crente: Deus predestinou a Igreja - a Igreja está predestinada - o futuro da Igreja é ir para o céu", Ele não falou as igrejas, sabe por que? Porque a Igreja gerou filhos e filhas ou seja, membros; ela não gerou filhas(igrejas).
    "Vamos ler 1Pedro 2.9-10:
    "Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; vós, sim, que, antes, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia." (1 Pedro 2:9-10 RA). Olha o que Pedro está dizendo, ele diz: vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido; olha vocês que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; não eram, mas agora são - são por quê? Por causa de Cristo. Nós não encontramos nada no singular. Nós encontramos aqui, Pedro falando da Igreja" a qual inclui tanto judeus como gentios. E esta só pode ser a Igreja Remanescente, a qual está arrolada nos céus, entende?(Cf. Apoc.12:17 e Hebr.12:23) "Isto está bem claro - a Igreja está predestinada ao céu e quem participar da Igreja", estará ligado ao Corpo de Cristo.(Cf. Efésios 4:12 e Colos.1:24) E então, tem certeza de que você está ligado à Igreja verdadeira e não à Babilônia?
    3º)Apocalipse 21:7 – Quem é o vencedor? O vencedor é aquele que ouve a voz do Espírito Santo, corresponde ao Seu chamado e persevera firme na graça do Salvador e Senhor Jesus Cristo até o fim (Cf.Mat.10:22; 24:13; Mc.13:13; Lc.21:19; At.1:14; 2:42,46; 6:4; 11:23; 13:43; 14:22; Rom.2:7; I Cor.15:1;Efés.6:18; I Tim.4:16; II Tim.2:12; Hebr.10:36; 12:1; Tia.1:25; Apoc.1:9; 2:2-3,19; 3:10; 13:10). Finalmente o Espírito Santo diz quem são os perseverantes. Apoc.14:12). Portanto, é preciso perseverar: a) unanimemente em oração; b) na doutrina; c) unânimes na Igreja; d) no Senhor; e) na graça de Deus; f) na fé; g) no evangelho; h) com toda a oração e súplica; i) em fazer o bem; j) na obra de Deus; k) na perfeita lei de Deus; l) em guardar os Mandamentos de Deus e a fé em Jesus; m) na Palavra de Deus; n) até o fim.
    Como Isaías e Jeremias o Senhor nosso Deus te escolheu desde o ventre de tua mãe para que sejas Seu discípulo. Vais aceitar o chamado do teu Salvador? Se estás afastado da comunhão com a Sua Igreja, o Mestre te chama de volta para o aprisco das ovelhas, para que exerças o teu ministério. “Lembra-te de que Cristo não te purificou para que voltasses (como um porco) para o teu antigo lamaçal (II Pedro 2:22), mas sim, para que fosses uma nova criatura e vivesses nova vida, segundo a vontade de Deus. Sê diligente, pois, para não suceder que, por tua negligência e ingratidão, venhas a perder de novo este favor (imerecido) e esta misericórdia”. - F.F.Bruce, Romanos, p.229 – Série Cultura Bíblica. Se todos receberam a salvação e estão garantidos para sempre, então por que há joio na Igreja? (Veja o Tópico Os Salvos e os Perdidos na Igreja). Qual a sua conclusão? Você foi predestinado para a salvação ou a Igreja foi predestinada? O que você está esperando para aceitar tão grande salvação?(Apoc.22:17)

    Fonte: http://www.forumnow.com.br/vip/mensagens.asp?forum=39466&topico=814352


    postado por 4988 as 22.07.07 # 18 comentários
    UMA CURIOSIDADE

    Padre Quevedo

    Richard Simonetti

    01 – O padre Quevedo tem destaque no "Fantástico", da Rede Globo de Televisão, com um quadro fixo, quinzenalmente. Qual sua opinião a respeito?

    Apresentado como uma espécie de "Mister M" do psiquismo, a desvendar truques e mistificações, Quevedo é também um prestidigitador. Mobiliza seus esforços em torno da única "mágica" que o empolga: reduzir todos os fenômenos espíritas a simples manifestações da mente humana.

    02 – Para ele não existe o fenômeno mediúnico?

    Exatamente. Viria tudo do inconsciente de suposto médium. Carlos Imbassahy, o grande polemista espírita, dizia que esse ser interior, desvendado pelo padre, é um grande velhaco, porquanto nunca se identifica. Apresenta-se, invariavelmente, como a alma de um defunto.

    03 – O inconsciente seria um deus dentro de nós…

    Onisciente e onipotente, capaz de proezas, como vasculhar instantaneamente todas as bibliotecas, habilitando-se a responder qualquer pergunta. Realiza, ainda, intervenções prodigiosas na matéria, como entrar num aparelho de televisão e mostrar-se com morfologia humana, som e animação, a transmitir mensagens. Estudiosos que se debruçam durante anos sobre o fenômeno admitem a manifestação dos Espíritos, em transcomunicação instrumental. O padre, sem se dar ao trabalho da mais elementar pesquisa, conclui que é tudo obra do ardiloso inconsciente.

    04 – Como Quevedo explica o médium Chico Xavier?

    Diz ser um sensitivo capaz de exercitar intensamente faculdades como a clarividência, a telepatia, a psicometria… Isso lhe permitiria devassar, a intimidade das pessoas que o procuram em busca de notícias de familiares que morreram. A partir dessa assombrosa "varredura psíquica" habilita-se, instantaneamente, a incorporar a personalidade do defunto – suas lembranças, maneira de ser, a terminologia que usava, as datas significativas, a convivência, os afetos, as circunstâncias da morte, a grafia, e até a assinatura; um falsário perfeito! Isso, diga-se de passagem, envolvendo milhares de "mortos" que ao longo de décadas comunicaram-se pelo Chico. Um espanto!

    05 – E quando o fenômeno acontece no seio da própria Igreja?

    Aí ele diz que é milagre. Há dois problemas: se ele não acredita em milagre e diz o contrário, apenas para evitar problemas com seus superiores, como já aconteceu no passado, incorre em mentira. Se realmente acredita, não é um parapsicólogo, como pretende. A parapsicologia, ciência experimental, não admite a derrogação da lei natural.

    06 – E o Espiritismo?

    Também não aceita o milagre. O que nos parece milagroso é apenas a manifestação de fenômenos que desconhecemos, no contexto da Natureza. O intercâmbio com o além, por exemplo, é um acontecimento natural, envolvendo pessoas dotadas de sensibilidade para captar o pensamento dos Espíritos desencarnados que vivem numa outra dimensão.

    07 – O padre Quevedo tem plena convicção a respeito de suas idéias ou apenas está interessado em combater o Espiritismo?

    Respeitáveis pesquisadores, no passado, renderam-se à realidade espírita, a partir de suas experimentações. O fato de Quevedo manter-se irredutível, diante de fenômenos espirituais notáveis, onde se evidencia a presença dos Espíritos, demonstra que ele não está interessado em pesquisar com isenção. Quer simplesmente combater o Espiritismo. É uma idéia fixa. Felizmente, o efeito é sempre contrário, transformando-o em grande divulgador de nossa doutrina. Por onde passa, desperta interesse em torno do fenômeno. Pessoas dotadas de um mínimo de bom senso percebem que a realidade apresentada nos princípios codificados por Kardec é muito mais simples e convincente do que as fantasias propostas pelo padre.

    08 – Quevedo freqüentemente desafia os Espíritos. Procura demonstrar que tudo não passa de um processo de sugestão. Será ele tão poderoso, capaz de resistir ao assédio das sombras?

    O que de melhor pode acontecer para os chamados Espíritos inferiores, que perturbam os homens, é as pessoas não acreditarem em sua existência e influência, facilitando-lhes a ação. Quevedo trabalha em favor dessa idéia. Digamos, portanto, que é, sem consciência disso, um agente desses Espíritos. Obviamente, eles não têm nenhum interesse em causar-lhe embaraços. Certamente até o protegem, advertindo eventuais desafetos. "Não o perturbe. É dos nossos!".

    Fonte: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/simonetti/padre-quevedo.html


    postado por 4988 as 22.07.07 # 0 comentários
    ESTUDO SOBRE POSSESSÃO

    Possessão Demoníaca em Escala Nacional

    Demonstraremos que a possessão demoníaca de uma grande parte da população de um país é possível; detalharemos as várias portas que uma pessoa pode abrir e permitir a entrada de demônios na sua vida. Após descrevermos quais são essas portas, você perceberá que a vasta maioria da população do nosso país está permitindo a possessão por demônios.

    A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

    Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia a dia!!

    Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

    Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

    Agora você está na
    "THE CUTTING EDGE"

    A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

    Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia a dia!!

    Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!

    Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.

    Agora você está na
    "THE CUTTING EDGE"

    É possível que toda a população de um país seja possessa por demônios? Talvez devamos refazer a pergunta: É possível que toda a população de pessoas não-salvas de um país seja possessa por demônios? Demonstraremos que esse quadro tenebroso não somente é possível, como está ocorrendo na sociedade atualmente!

    Antes de iniciarmos, vamos examinar alguns fatos bíblicos pertinentes.

    1) Deus vê uma nação como o coletivo da maioria das pessoas que vivem naquele país. Portanto, a moralidade individual é criticamente importante para uma nação, especialmente à medida que esse tipo de moralidade passa a ser a posição da maioria. Deus avalia a moralidade de uma nação com base na moralidade da maioria das pessoas que vivem ali.

    2) Tanto isso é verdade, que Deus está muito preocupado com a moralidade das nações. Vemos esse fato bíblico muito claramente no Antigo Testamento. Uma vez que a moralidade da maioria da população de Sodoma e Gomorra tornou-se totalmente réproba, Deus atribuiu esse rótulo àquelas cidades-estados e elas foram destruídas. Deus enviou o profeta Jonas à poderosa cidade de Nínive, para advertir a população e exortá-la ao arrependimento, pois, em caso contrário, seria destruída em um julgamento físico. Sob a liderança do seu rei, o povo de Nínive arrependeu-se, e livrou-se da destruição física. No entanto, a história registra que, 120 anos mais tarde, o povo de Nínive voltou a praticar as mesmas impiedades que seus antepassados no tempo de Jonas, e dessa vez Deus destruiu aquele império. Finalmente, Deus advertiu Israel sobre sua impiedade por aproximadamente 150 anos antes de enviar Nabucodonosor, rei de Babilônia, para destruir militarmente a nação, e levar a maior parte da população sobrevivente para trabalhar como escravos em seu reino.

    3) Portanto, importa e muito o que as pessoas fazem na "privacidade do seu lar", nas salas de estar, nos quartos e em suas vidas.

    4) As pessoas hoje estão mal informadas sobre a realidade da Guerra espiritual que ocorre a nossa volta. A situação ficou tão ruim que Satanás pode arrastar muitas pessoas, puxando-as pelo narizes e elas não o reconhecem pelo que ele é!

    Uma das coisas que agradeço a Deus é pelas pessoas que ele colocou no meu ministério para ajudar-me a compreender as pessoas e organizações que estão levando este mundo para os braços do Anticristo. Deus colocou um ex-membro dos Filhos Universais de Deus neste ministério, um ex-satanista Iluminista, vários ex-católicos, e diversos ex-maçons. Como resultado, minha compreensão de todo o sistema ocultista que está sendo armado contra as nações e instituições deste mundo para colocá-las sob o domínio do Anticristo, foi muito clarificada.

    Da mesma forma, sou devedor a uma médica cujo ministério é com ex-satanistas que sairam da "arte" por terem se convertido a Jesus Cristo, pela compreensão específica de como uma pessoa pode atrair a si a possessão ou a aflição demoníaca. Essa pessoa é a Dra. Rebecca Brown, em seu livro "Vaso para Honra", editora Danprewan, tradução de César de Azevedo Gil, 293 páginas [leia a resenha]. Estou ciente que essa autora tem grandes problemas com sua teologia. No entanto, ela descreve o satanismo muito bem; confirmei as informações com o ex-satanista Doc Marquis, que hoje é um cristão nascido de novo. Portanto, quando eu citar o material da Dra. Rebecca Brown, estarei somente recorrendo ao seu conhecimento detalhado do satanismo e de suas práticas, mas sem apoiá-la na sua teologia.

    Se você não acredita em guerra espiritual, terá dificuldade em aceitar o assunto tratado neste artigo. Talvez você deva fazer uma leitura bíblica primeiro, para preparar-se para os fatos apresentados pela Dra. Brown. Nós o encorajamos a ler estas passagens nas Escrituras:

    1) 2 Reis 6:8-17 - Nesta passagem, o rei da Síria envia um grande exército para capturar e matar o profeta Eliseu. Na manhã seguinte, o servo de Eliseu sai de casa e vê o grande exército sírio cercando toda a cidade em que Eliseu estava residindo. Em grande pânico, o servo grita para Eliseu dizendo que eles estão perdidos. Eliseu diz uma coisa que deve ter feito o servo pensar que ele estava louco. Ele disse: "Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles." [verso 16] Eliseu sabia que o servo não tinha entendido bem o que ele queria dizer e orou pedindo que Deus abrisse os olhos do rapaz, para que ele visse o exército de Deus. Imediatamente, o servo passou a enxergar o mundo espiritual e viu "o monte cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu." [verso 17]

    É precisamente sobre esse tipo de guerra espiritual que a Dra. Brown fala. Na verdade, ela diz que, para a maior parte das pessoas envolvidas no ocultismo, a principal motivação para se envolver tanto, é o desejo de ver o mundo espiritual. No entanto, Deus proíbe essa atividade.

    2) Daniel 10 - Todo o capítulo dá-nos uma visão sobre o mundo espiritual, e uma melhor compreensão da guerra espiritual que está ocorrendo todos os dias nas regiões celestiais, no espaço sideral e na atmosfera da Terra. Neste capítulo, Daniel está orando a Deus para que lhe dê maior compreensão das profecias sobre o futuro de Israel. Daniel orou e jejuou parcialmente por "três semanas inteiras". No vigésimo-primeiro dia após começar a orar, um anjo veio até ele com a resposta de Deus. Esse anjo disse a Daniel que tinha sido enviado com a resposta à oração desde o primeiro dia em que ele começou a orar. No entanto, o anjo fora interceptado e atacado por um demônio muito poderoso, identificado como "Príncipe da Pérsia". Esse demônio era tão poderoso que o anjo santo de Deus precisou pedir ajuda ao arcanjo Miguel, o protetor pessoal de Israel, para enfrentar e derrotar aquele demônio. Em seguida, após terminar de dar às informações a Daniel, o anjo disse que teria de ajudar outros anjos santos na peleja contra os demônios pelo controle da Grécia. A partir dessa Escritura, vemos que Satanás coloca demônios poderosos para influenciar a liderança de várias nações do mundo, de modo a tentar influenciar suas políticas na forma que o interessa.

    Estude bem essas duas passagens, pois instruem bem sobre a guerra espiritual que está ocorrendo continuamente em torno do mundo, no espaço sideral, e no próprio céu, pois Satanás tenta diariamente estorvar o plano de Deus. Após você compreender essas situações, estará em uma condição muito melhor para compreender os princípios que a Dra. Brown está nos ensinando. Embora o cristão médio não compreenda a realidade da guerra espiritual, os satanistas praticantes a compreendem muito bem. Na verdade, eles são treinados especificamente para participarem nessa guerra espiritual diariamente.

    Portas Para a Entrada de Demônios

    Vamos agora voltar nossa atenção para o assunto deste artigo: 1) Como uma pessoa abre "portas em suas vidas que permitem a possessão ou aflição demoníaca?; 2) Essa mesma condição pode ocorrer com uma nação?

    Antes de iniciarmos, vamos examinar o modo como Deus criou todo ser humano desde Adão. Ele nos criou como seres formados de três partes. Temos corpos que são físicos e espiritual, e temos nossa alma eterna. Na morte, o físico e a personalidade espiritual morrem e deixam de existir. No entanto, a alma eterna volta para Deus. O apóstolo Paulo dá-nos uma compreensão sobre esse assunto; vamos revisar rapidamente o que ele disse.

    1) Corpo físico e corpo espiritual - "Se há corpo natural, há também corpo espiritual." [1 Coríntios 15:44] Como Paulo estava falando nesta passagem sobre o arrebatamento da igreja, podemos ter a certeza que o "corpo espiritual" aqui significa nossa alma eterna. No entanto, a próxima passagem que citamos de Paulo diz-nos que o corpo físico é formado por duas partes, corpo e espírito.

    2) Somos templos - "Acaso não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?" [1 Coríntios 6:19] Esse assunto é sério , pois revela que cada ser humano é formado por três partes! O templo, ou o Tabernáculo, era formado de três partes, por ordem de Deus! A primeira parte era o Átrio Exterior, onde os gentios e as mulheres podiam vir e adorar; a segunda parte era o Santo Lugar [Santuário], onde homens podiam adorar e onde os sacerdotes realizavam os sacrifícios; e a terceira parte era o Santo dos Santos, no qual a arca da aliança era guardada e onde o Espírito Santo de Deus residia.

    Portanto, se somos templos, temos um átrio exterior [corpo], a área do santuário [espírito, personalidade] e nosso santo dos santos interior, onde o Espírito Santo reside no crente. Nesse "santo dos santos" interior do incrédulo, o Espírito Santo não está residindo, de modo que existe um vácuo que Satanás quer ocupar. O problema de Satanás é que ele não pode simplesmente vir, sem ser convidado. Ou, pensando em termos jurídicos, ele precisar ter "uma permissão legal" para vir e ocupar o interior da pessoa, por alguma ação dela. Como diz a Dra. Brown, "Creio que o templo de Deus não é somente contaminado por participação ativa no pecado, mas também a presença de demônios... Os demônios não podem simplesmente vir e entrar em uma pessoa quando quiserem. Temos uma proteção contra a qual eles nada podem fazer, a não ser que quebremos um furo na nossa proteção... Chamo isso de pecados que permitem a entrada de demônios, "pecados que profanam o templo" [pg 147-149, ênfase adicionada].

    Quais são os pecados que abrem portas, permitindo que os demônios entrem na nosso Átrio Exterior e nos nossos espíritos? Lembre-se, "por meio da porta do pecado, os demônios podem entrar e fazer estragos em nossa vidas." [Ibidem, pg 169]

    Existem três categorias principais de portas, que, se forem abertas, podem dar a um demônio a permissão de entrar. Os demônios procuram fazer as pessoas abrirem essas portas para eles, para que possam entrar imediatamente.

    1. Herança - Se algum ancestral imediato seu esteve envolvido com feitiçaria de qualquer forma, e isso inclui Maçonaria, Mormonismo, ou qualquer falsa religião, precisa identificar esses antepassados e pedir especificamente que o Espírito Santo feche e lacre aquela porta.

    2. Pecados sexuais - "Os demônios passam de uma pessoa a outra por meio dos pecados sexuais. Esses pecados dividem-se em oito categorias básicas." [Ibidem]

    a) Relações heterossexuais fora do casamento. As pessoas estão cometendo este pecado o tempo todo. Sexo com alguém fora do matrimônio é o tema principal da maioria dos filmes, novelas, comédias de situação, e livros. Quando você considera que a pornografia gira basicamente em torno do sexo fora do casamento, começa a perceber como essa porta está sendo aberta nas vidas da maioria da pessoas. No Seminário 1, disponível em fitas cassetes e que pode ser encomendado no site da The Cutting Edge, damos as estatísticas sobre essa imoralidade nacional, para que você possa compreender este país como Deus olha para nós. Daremos aqui apenas algumas estatísticas representativas para que você possa compreender a gravidade desse tipo de pecado. Três-quartos dos adolescentes de hoje têm sexo antes do casamento; dois-terços de todos os bebês estão nascendo de mães solteiras. Dezenas de milhões de pessoas abriram essa porta do pecado em suas vidas, literalmente convidando os demônios a entrarem. Nos jornais e revistas que circulam nas grandes áreas metropolitanas, os classificados trazem uma grande seção de anúncios de "Acompanhantes". Esses anúncios nada mais são do que o oferecimento de prostituição. Muitas cidades proibem a atividade das prostitutas nas ruas, mas fazem vista grossa para esse tipo de prostituição por meio de anúncios nos jornais.

    b) Relações homossexuais - homossexualismo ou lesbianismo - Este tipo de atividade sexual começou a vir a público em nossa cultura nas duas últimas décadas. Hoje, existem as Passeatas do Orgulho Gay, anúncios em certas revistas e jornais, atores e atrizes que declaram sua opção pelo mesmo sexo, ou programas, como novelas e comédias de situação que tratam da questão do "assumir", ou "sair do armário". Não somente essas pessoas gays estão infestadas por demônios, mas todo nosso corpo nacional, está contaminado aos olhos de Deus, pois nossa sociedade tolera e encoraja esse comportamento.

    A Dra. Brown observa em seu livro que, "a violência e o homicídio caminham de mãos dadas com os demônios da homossexualidade. Não sei qual é a razão disso, mas é um fato" [Ibidem, pg 226]

    c) Incesto - A ocorrência desse pecado está aumentando todos os anos. Além disso, para cada incidente que vem a público, muitos outros estão ocorrendo e que ficam em segredo. Dentro da indústria da pornografia, o incesto é uma categoria de muito interesse.

    d) Sexo com crianças - Este tipo de pecado é de grande interesse nos círculos homossexuais. Na verdade, nos EUA existe uma organização chamada NAMBLA, que significa North American Man Boy Love Association [Associação Norte-Americana Para o Amor Entre Homens e Meninos]. O principal objetivo desse grupo é conseguir remover da legislação todas as leis que proibem o sexo com crianças. No entanto, os homens heterossexuais também interessam-se por meninas, pois essa categoria também é oferecida pela indústria da pornografia.

    e) Sexo com animais - A bestialidade é um daqueles segredos muito bem guardados, sobre o qual não existem dados estatísticos. No entanto, entre em qualquer loja especializada em material erótico e pornográfico e verá revistas e filmes sobre esse assunto. Como nenhuma loja oferece produtos para os quais não exista demanda, podemos assumir que há uma procura considerável por esse tipo de material.

    f) Sexo com demônios - Este tipo de sexo normalmente é reservado somente para as pessoas que estão envolvidas com o ocultismo. No entanto, quem consome material pornográfico e envolve-se na prostituição também pode experimentar esse fenômeno. Eis o que diz a Dra. Rebecca Brown:

    "As pessoas que estão envolvidas em todas as formas de feitiçaria, de satanismo e de religiões orientais experimentam relações sexuais com vários tipos de espíritos. Em países asiáticos, isso é chamado de 'sexo astral'. Como isso ocorre? A pessoa sente todas as sensações físicas do ato sexual, apesar de o parceiro ser um espírito e não um parceiro físico.... Muitas vezes, os atos sexuais com demônios são interpretados como 'sonhos', mas a pessoa acorda sexualmente excitada. Isso pode ser a causa de freqüentes 'sonhos molhados' em homens. O pecado da masturbação freqüentemente leva ao sexo com demônios, por causa da intensa visualização envolvida" [Ibidem, pg 224-225].

    O pecado do sexo fora do casamento e o da pornografia também pode levar ao sexo com demônios.

    g) Sadomasoquismo - Este pecado está crescendo atualmente. Novamente, tudo o que você precisa fazer para constatar isso, é entrar em uma loja de artigos pornográficos e ver quantos tipos de materiais existem disponíveis para venda. Em revistas de estilo de vida alternativo, você descobrirá grandes seções dedicadas ao sadomasoquismo.

    h) Pornografia - No Seminário 1, dedicamos um bom tempo falando sobre a gravidade do problema da pornografia nos EUA. Desde aproximadamente 1965, a pornografia tornou-se lugar-comum, e a maioria das pessoas não se preocupa muito com o assunto. Hoje, pode-se encontrar revistas pornográficas para o público heterossexual em qualquer banca de jornal.

    3. Envolvimento com Qualquer Forma de Ocultismo "O ocultismo tem uma infinidade de atividades por meio das quais as pessoas podem ser envolver. Seriam necessárias muitas páginas para descrever todas elas. Vou dividir o ocultismo em categorias e relacionar os problemas mais comuns." [Ibidem]

    Atividades Clássicas de Ocultismo

    a) Adivinhação - "É a arte de procurar prever ou predizer eventos futuros ou descobrir conhecimento oculto. As formas de adivinhação que abrem as portas da vida de uma pessoa para a entrada de demônios são leitura das mãos, bola de cristal, bacia d'água, pêndulo, vara de adivinhação para localizar água no subsolo, cartas de Tarô e qualquer forma de leitura de cartas, leitura das folhas de chá, estudo das vísceras de um animal [como é feito no Candomblé]." [Ibidem, pg 170-171]

    A "ciência" moderna criou algumas novas técnicas de adivinhação que são falsa ciência e 100% ocultistas. Entre elas estão: Grafologia, a análise da caligrafia. Existe uma grande legitimidade aqui, mas se ouvir coisas como 'você sofreu um acidente quando tinha onze anos e isso faz com que tenha dificuldades no relacionamento pessoal', saberá que está ouvindo adivinhação por meio do ocultismo. Iridologia - "A íris é a parte colorida do olho. Afirma-se que, simplesmente olhando a íris, pode-se diagnosticar qualquer doença do corpo." Isso é adivinhação. Cinesiologia - "É o estudo do movimento do ser humano. Lida com o estudo de quais músculos estão envolvidos nos vários movimentos do corpo. Isso é ciência e não há problema algum aqui. No entanto, tipos alternativos de cinesiologia, Cinesiologia Aplicada e Cinesiologia Comportamental são ocultistas. Citotoxologia - É o diagnóstico de qualquer doença a partir do suposto estudo de células do sangue. Muita informação pode ser legitimamente obtida estudando-se o sangue, mas é impossível diagnosticar todas as doenças estudando-se um tipo de célula sangüínea. Reflexologia - É o diagnóstico de doenças por meio dos reflexos: é adivinhação ocultista. Hipnotismo - É basicamente um transe demoníaco. Está em violação direta à Palavra de Deus. Somos conclamados a levar cativo todo pensamento a Cristo [2 Coríntios 10:3-5] e a sermos sóbrios e vigilantes [1 Pedro 5:8]. Devemos estar sempre alertas. Deus nos considera diretamente responsáveis por nós mesmos e por nossa mente. O hipnotismo requer submissão da pessoa que está sendo hipnotizada. Demônios são sempre colocados numa pessoa por meio do hipnotismo. Quem usa essa técnica também tem demônios. O povo de Deus tem que ficar longe dessa armadilha." [Ibidem, pg 172-173] Neste ponto, posso ouvir algumas pessoas dizerem que a Odontologia emprega essa técnica, de forma que devemos estar enganados. A única coisa que posso perguntar é se você conhece a orientação espiritual do seu dentista que pratica o hipnotismo! As pessoas que praticam a "arte" têm um aspecto e atuam de forma absolutamente normal; se não fosse assim, qualquer um poderia saber quem é satanista praticante somente de olhar! A dra. Brown adverte repetidas vezes em seu livro que muitas pessoas na "arte" são profissionais da área médica. Fique longe do hipnotismo e dos médicos e dentistas que utilizam essa técnica!

    "Acupuntura é originária da Ásia. É parte integral da religião asiática. As agulhas supostamente tocam no 'chi' ou espírito. A acupuntura oferece uma cura demoníaca." [Ibidem] Novamente, a acupuntura pode parecer trazer alívio, mas a que preço? Se a pessoa que se submete ao tratamento for depois assediada por demônios, o que ganhou? [Nota de A Espada do Espírito: Existe uma certa explicação científica para a acupuntura; é preciso distinguir entre a acupuntura realizada por um aderente da Nova Era e a acupuntura científica, que é estudada em Universidades ocidentais. Para uma melhor compreensão desse tópico, recomendamos a leitura do artigo sobre acupuntura no site Welcome to Watchman Fellowship] "Acupressão - opera sob o mesmo princípio que a acupuntura. Análise de Cores - Tipo de análise onde se diz que determinadas cores afetam o seu nível de energia," [Ibidem] bem como outras partes do seu corpo, e sua vida. A cura por meio das cores é muito comum nos círculos ocultistas, incluindo o Movimento de Nova Era. "Análise do Cabelo - É o diagnóstico de doenças analisando-se o cabelo."

    Artes Marciais são muito praticadas atualmente. "É um fato bem conhecido no mundo ocultista que os demônios são o poder que é usado nas artes marciais. Entretanto, há muita confusão envolvendo a autodefesa. Como uma boa regra geral, se você atingir um ponto onde pode fazer coisas, sem ferir-se, que normalmente causariam danos à carne e aos ossos, então você está usando poder demoníaco." [Ibidem pg 174]

    Sessões Espíritas - São uma forma comum de adivinhação. Existem diversas formas de sessões. "Lembre-se, uma sessão espírita envolve a invocação de um espírito para dele receber comunicação. Outras formas de sessões são: Tabuleiro de Ouija; "Bloody Mary - um jogo para crianças em que um demônio aparece para elas em um espelho." [Ibidem] Os demônios gostam muito dos espelhos e muitos ocultistas crêem que os espelhos são um modo de ver o mundo dos espíritos. Os Estúdios Walt Disney utilizam isso com freqüência nos seus desenhos. Meditação - é falar com um conselheiro, ou espírito-guia, como no Método Silva de Controle da Mente e em muitas outras técnicas. Catolicismo Romano - Invocar a ajuda dos 'santos' e de Maria" [Ibidem]

    Outras Portas Para a Entrada de Demônios

    Ioga, Meditação Oriental, Visualização, Música Rock. Uso de cristais, Percepção Extra-Sensorial, projeção astral, pactos de sangue de qualquer tipo, incluindo tornar-se irmãos de sangue, sacrifícios de qualquer tipo, mantras de qualquer tipo. Qualquer pai cujos filhos estejam ouvindo música Rock de qualquer tipo deve imediatamente tomar uma atitude radical para forçar os filhos a desistir dessa música satânica. No Seminário 1, mostramos, em grande detalhe, que a música Rock é o meio perfeito para ensinar valores satânicos a milhões de adolescentes, que já são rebeldes por natureza. Se você estiver praticando Ioga, ou qualquer tipo de meditação que o ensine a esvaziar sua mente, está envolvido com o ocultismo! Está abrindo portas na sua vida para a entrada de demônios.

    b) Astrologia - O número de anúncios de astrólogos nas revistas, jornais e até na TV e no rádio é enorme. Muitas das "pessoas bonitas", como atores, atrizes e modelos dão o exemplo recorrendo a astrólogos para saberem o futuro e receberem orientação para suas carreiras. Os horóscopos estão em toda a parte, em todas as mídias, inclusive na televisão; esse tipo de prática ocultista tornou-se tão comum que a maioria das pessoas pensa que é normal e totalmente inocente. No entanto, qualquer pessoa que consulte um astrólogo está abrindo uma porta no seu interior para a entrada de demônios.

    c) Feitiçaria, necromancia, ou bruxaria (formas de feitiçaria) - Desde que os Estúdios Disney colocaram um chapéu de mago no Mickey Mouse, e o transformaram em um feiticeiro, a prática da feitiçaria começou tornar-se pública. Esteja ciente que Walt Disney é o maior divulgador da feitiçaria no mundo, especialmente para as crianças! Fique longe dos filmes e desenhos produzidos pelos Estúdios Disney e não permita que seus filhos os assistam.

    Um necromante é aquele que conjura [convoca] os demônios. Esse tipo de atividade está sendo muito utilizado nos roteiros dos filmes nos últimos dez anos, e agora está tornando-se comum nos desenhos animados voltados para o público infantil.

    d) Consultar espíritos familiares (chamar os espíritos dos mortos ou realizar sessões) - Embora esses dois exemplos anteriores de consultar espíritos familiares possam ser os mais comuns, está crescendo depressa o ensino da Nova Era que toda pessoa tem um espírito familiar, e mais provavelmente, múltiplos espíritos familiares. Essa prática satânica é expressamente proibida na Bíblia: "O homem ou mulher que sejam necromantes, ou sejam feiticeiros, serão mortos; serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles." Levítico 20:27. Veja que no Antigo Testamento Deus decretou a pena de morte para qualquer pessoa que tivesse espíritos familiares. Na Bíblia, Deus ensina que, quando as autoridades de uma nação recusam-se a punir de acordo com a sua orientação, em breve Deus derrama aquela punição sobre toda a nação. Nossa nação não percebe que é merecedora da pena de morte instituída por Deus para esse tipo de pecado.)

    e) Assistir filmes de terror ou baseados em ocultismo - É possível tornar-se possesso por demônios simplesmente assistindo filmes de terror e de ocultismo. No prefácio da The Satanic Bible [A Bíblia Satânica], lemos que Anton LaVey, o sumo sacerdote da Igreja de Satanás nos EUA, era freqüentemente contratado pela indústria cinematográfica para servir como consultor no estúdio onde eram realizadas as filmagens. LaVey orientava os diretores sobre como retratar corretamente as cerimônias e rituais satânicos. Quando o espectador senta-se passivamente para assistir a um ritual satânico real, ele está abrindo uma porta na sua vida interior para a possessão demoníaca! Adolf Hitler ficou possesso por demônios na sua adolescência ao assistir a uma ópera do compositor alemão Richard Wagner, que era baseada em temas ocultistas. Pense no layout de uma típica locadora de vídeo; os filmes de terror e baseados em ocultismo ocupam uma grande área da loja. Veja nos jornais os anúncios de filmes recém-lançados e observe quantos baseiam-se em ocultismo.

    f) Assistir ao canal MTV - Novamente, aposto que você nunca percebeu que o canal de televisão MTV está repleto de imagens bem precisas de satanismo. Os jovens que assistem MTV regularmente estão sob grande risco de possessão demoníaca.

    Estudo de Casos - Resumidamente

    Em seguida, a Dra. Brown relaciona diversos históricos de casos de pessoas que foram libertas das práticas ocultistas. Relacionarei o nome fictício e depois as portas que cada uma dessas pessoas abriu em suas vidas, ou tinha aberta, no caso da feitiçaria hereditária. Lembre-se, as pessoas que estão mergulhadas no ocultismo terão muitas dessas portas abertas; outras poderão ter somente uma ou outra. Veja se você reconhece qualquer pecado seu nesta relação, para determinar se abriu portas para a possessão demoníaca em sua vida.

    Susana 33 anos de idade - Portas: Herança, maçons e membros do Santuário [organização maçônica] na família; doença mental. Catolicismo romano, batismo, crisma e comunhão na igreja católica. Múltiplos parceiros sexuais; meditação transcendental; alcoolismo. Finalmente, envolveu-se seriamente em feitiçaria, usando o tabuleiro de Ouija, cartas de Tarô e hipnotismo.

    Ela então decidiu deixar a feitiçaria e entrou em uma igreja Episcopal carismática. Com sua experiência anterior em meditação transcendental e hipnotismo, foi convidada a integrar a equipe de aconselhamento da igreja, mesmo não sendo salva. Rapidamente, começou a usar a meditação transcendental, hipnotismo, cura interior e visualização na igreja. Ela é um exemplo típico de uma pessoa que quer sair do ocultismo, mas acaba caindo vítima de práticas similares dentro de uma igreja liberal e apóstata. Tenha cuidado, não aceite a oferta de Satanás de uma experiência ocultista "cristianizada" em uma das muitas igrejas "cristãs" na nossa sociedade apóstata de hoje. Uma vez trabalhei com uma mulher que era solista em uma igreja metodista. Certa vez, ela começou a me falar das muitas vezes em que nas Reuniões de Senhoras, ela "canalizava" espíritos. Quando eu lhe disse que essa atividade é proibida na Bíblia pois estava usando um médium, ela ofendeu-se e encerrou abruptamente nossa conversa. Satanás é muito enganoso, e mudou os nomes de suas atividades ocultistas mais antigas.

    Dentro dos círculos carismáticos, uma porta muito comum para a entrada de demônios é falar em línguas ou receber a "palavra de profecia". Os satanistas não têm nenhuma dificuldade em reconhecer essa atividade como demoníaca; as únicas pessoas que têm dificuldade são os cristãos que estão mais interessados em experiências do que na fé. Satanás descobriu que pode vestir uma experiência para fazê-la parecer e soar como cristianismo, desse modo enganando multidões de pessoas, levando-as a crer que são cristãos genuínos e que realmente vão para o céu. Doc Marquis, um ex-satanista Iluminista, recorda-se de ter ido a um culto em uma igreja "cristã" com um amigo pentecostal. Doc ficou chocado quando as pessoas começaram a falar em línguas, sendo interpretadas por outras pessoas. Ele ficou ainda mais chocado quando viu pessoas dançando nos corredores. No entanto, ficou absolutamente chocado quando o pastor desceu do púlpito para realizar uma "cura" em uma mulher; quando o pastor chegou a alguns metros da mulher, uma força invisível subitamente a empurrou, fazendo com que ela caisse de costas. Doc levantou-se e foi embora. Seu amigo o alcançou quando ele já estava fora e perguntou por que ele estava saindo. Doc respondeu, "Vim aqui para participar de um culto cristão; não vim para ver feitiçaria disfarçada de cristianismo".

    Amigo, se você está envolvido em qualquer atividade pentecostal, reconheça-a como o satanismo que realmente é, percebendo que você está abrindo uma porta no seu coração, alma e mente, e que está abrindo portas na sua vida interior dos seus filhos e do seu cônjuge. Verdadeiramente, Jesus estava certo quando disse: "Retirai-vos dela, povo meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos." [Apocalipse 18:4]

    Estamos em um ponto excelente para finalizar este artigo, pois nesse verso, Jesus está exortando seu povo a retirar-se de uma nação que ele está prestes a destruir fisicamente, em uma hora do dia, como grande fogo de algum tipo. Veja estas próximas palavras de Jesus: "Porque seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou dos atos iníquos que ela praticou." [Apocalipse 18:5]

    Você pode ver os pecados no nosso país acumulando-se até aos céus? Conforme relacionamos todas essas portas que tornam uma pessoa vulnerável à possessão demoníaca, você pode ver que a América não somente está praticando esses pecados, mas também está encorajando a todos a praticá-los? Os líderes no governo, a mídia de massa e as igrejas apóstatas, estão encorajando esses tipos de pecados, apresentando-os como divertidos, interessantes e sem qualquer conseqüência. O tempo em que Deus destruirá a América em julgamento por todos esses muitos pecados está se aproximando. Receba essa advertência como a oportunidade de apresentar-se diante de Deus, de arrepender-se dos pecados que cometeu e orar por aqueles que pode ter aberto nas vidas de outras pessoas. Arrependa-se desses pecados, pedindo que o Senhor Jesus Cristo o perdoe e que pelo poder do Espírito Santo de Deus remova da sua vida todos os demônios que você permitiu entrar por causa dessas atividades.

    Se você estiver interessado em saber por que acreditamos que a América é a nação descrita em Apocalipse 18, leia nosso artigo CE1038, "Os EUA Podem Ser a Babilônia Econômica de Apocalipse 18". Se você está lendo este artigo com um coração sincero e aberto, e ler também esse outro artigo recomendado, nunca será a mesma pessoa novamente.

    As pessoas individualmente estão praticando hoje esses muitos pecados que "profanam o templo", que abrem portas em suas vidas para a entrada de demônios. Deus observa esses atos individuais e conta-os como a condição da nação. Essa condição é a razão por que o anjo de Deus lamenta pela Babilônia Econômica [os EUA] antes de destrui-la. Veja:

    "Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, covil de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de todo gênero de ave imunda e detestável." [Apocalipse 18:2] Depois, no verso 5, ele conclui: "Porque os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou dos atos iníquos que ela praticou."

    Depois, no verso 5, ele conclui: "Porque os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou dos atos iníquos que ela praticou."

    Você observou a palavra morada? Em outra tradução aparece aqui a palavra "refúgio", isto é, um local onde as pessoas vão para terem sossego e tranquilidade. Portanto, a América deve ser um lugar tão aberto para a possessão demoníaca, que os demônios vêm aqui para descansarem e terem tranquilidade! Essa passagem bíblica demonstra que toda uma nação pode tornar-se possessa por demônios por meio das atividades ocultistas de seus cidadãos individuais.

    Agora, graças às revelações da Dra. Brown, podemos compreender melhor essa passagem bíblica.

    Como o mundo está sendo preparado para o aparecimento do Anticristo, devemos esperar que a feitiçaria em todas suas variedades de expressões atinja um nível muito elevado. Isso está previsto na Bíblia e certamente está acontecendo hoje. Estamos vivendo neste período, e precisamos nos conscientizar da guerra espiritual que está ocorrendo, reagindo com conhecimento espiritual e com o poder do Espírito Santo. Precisamos também redobrar nossos esforços na oração e no testemunho, para ganharmos outras pessoas para Cristo nestes últimos dias. Verdadeiramente, essa terrível condição espiritual da maior parte da população prenuncia que o aparecimento do Anticristo está muito próximo. Nosso país está preparado para recebê-lo!



    Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também poderá usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

    Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

    Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.

    Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia a dia.

    Fale conosco direcionando sua mensagem a um dos membros da equipe de voluntários.

    Se desejar visitar o site The Cutting Edge, dê um clique aqui: http://www.cuttingedge.org

    Que Deus o abençoe.

    Tradução: Jeremias R D P dos Santos
    Patrocinado por: S. F. F. C - Vargem Grande Paulista / SP

    Fonte: http://www.espada.eti.br/n1253.asp


    postado por 4988 as 22.07.07 # 0 comentários
    ESTUDO SOBRE POSSESSÃO

    Possessão

    Marcos Milani

    Apesar de naturalmente compreensível para os estudiosos do Espiritismo, pode parecer estranho àqueles que não se aprofundaram adequadamente no tema as seguintes afirmações: Possessão é um fenômeno possível e este não é, invariavelmente, uma obsessão.

    Este entendimento requer uma consulta criteriosa à Codificação, pois trata-se de assunto que o próprio Kardec revisitou durante sua obra e num ato de verdadeira humildade desenvolveu-o, complementando o sentido que aparentemente havia firmado desde 1857 n’O Livro dos Espíritos (LE). Somente a partir de 1863, na Revista Espírita, o Codificador revê o conceito de possessão, admitindo a sua existência não mais como subjugação, mas em seu sentido exato. Sobre o caso verificado da Srta. Julie (RE - Dez/1863), Kardec expressa-se da seguinte maneira:

    “Temos dito que não havia possessos (ver LE-473, por exemplo) no sentido vulgar do vocábulo mas somente subjugados. Voltamos a esta asserção absoluta porque agora nos é demonstrado que pode haver verdadeira possessão, isto é, substituição, posto que parcial, de um Espírito errante a um encarnado.

    Somente alguém da nobreza moral e intelectual de Kardec poderia retomar um conceito que ele mesmo propagava como absoluto mas que evidenciou-se, através de fatos comprovados e pelo crivo racional, com diferente acepção. Este é um exemplo do dinamismo da Doutrina, que só pode ocorrer quando validado pela razão e demonstrado irrefutavelmente.

    Para melhor diferenciação, devemos conceituar estes termos conforme encontramos n’A Gênese (GEN - Cap XIV - itens 45 a 49):

    a) Obsessão é a ação persistente que um mau Espírito exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diferentes, desde a simples influência moral sem sinais exteriores sensíveis até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais.

    b) Possessão é a ação que um Espírito exerce sobre um indivíduo encarnado, substituindo-o temporariamente em seu próprio corpo material. Esta ação não é permanente considerando que a união molecular do perispírito ao corpo opera-se somente no momento da concepção.

    A diferença no processo de comunicação entre os fenômenos de psicofonia e de possessão também pode ser evidenciada. No primeiro, o Espírito comunicante transmite seus pensamentos ao encarnado e este encarrega-se de retransmitir conforme seus próprios recursos; no segundo caso, é o próprio desencarnado que serve-se (apossa-se) diretamente do corpo material e transmite a sua mensagem (o Espírito encarnado afasta-se mas ainda permanece ligado ao seu envoltório físico).

    Esclarecendo objetivamente que a possessão pode ser promovida por um Espírito bom, encontramos (GEN – Cap. IV – item 48): “A obsessão sempre é o resultado da atuação de um Espírito malfeitor. A possessão pode ser o feito de um bom Espírito que quer falar e, para fazer mais impressão sobre os seus ouvintes, toma emprestado o corpo de um encarnado, que este lhe cede voluntariamente tal como se empresta uma roupa. Isto se faz sem nenhuma perturbação ou incômodo e, durante este tempo, o Espírito se encontra em liberdade como num estado de emancipação e freqüentemente se conserva ao lado de seu substituto para o ouvir.”

    Obviamente a possessão também pode ocorrer através de um Espírito malfeitor e neste caso caracteriza-se um processo obsessivo. Assim ocorre quando a vítima não possui força moral para resistir à agressão e é obrigada a afastar-se temporariamente de seu corpo (obs: mais uma vez é importante ressaltar que nestes momentos a vítima permanece ligada ao corpo mas sem o seu domínio).

    Considerando o presente nível moral da humanidade não é de se estranhar que há muito mais casos de possessões obsessivas do que aquelas com finalidades edificantes.

    O Espiritismo, mais uma vez, lança luzes sobre males ainda considerados pelas ciências materialistas como de causa patológica. Não descartando esta possibilidade (anormalidade orgânica) a Doutrina Espírita faz conhecer outras fontes das misérias humanas, mantidas pela fragilidade moral dos seres. Inteligência e Amor são as armas para combater desequilíbrios.

    Tratam-se de experiências geralmente individuais (como a da Srta. Julie, citada anteriormente) mas Kardec também relata ocorrências de possessão coletiva (ver RE – 1862/63 – casos em Morzine e Tananarive).

    Assim, contribuindo para o real entendimento deste processo, devemos distinguir os fenômenos de possessão e obsessão. A possessão ocorre e pode ser boa ou má; a obsessão sempre é má. Portanto, nem toda possessão é obsessão.

    Fonte: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/geae/possessao.html


    postado por 4988 as 22.07.07 # 0 comentários
    FIQUEI UM POUCO FORA, MAS, ESTOU VOLTANDO ...


    Vade retro Satana!

    Um inimigo que nos vigia continuamente. Como um chacal, ronda suas vítimas
    à espreita do momento para devorá-las.*


    Sua tática principal: fazer-nos crer que ele não existe.**

    Edson Neves

    “Uma jovem professora de Avignon (França), que dava sinais de possessão demoníaca, foi conduzida, por ordem do Bispo, ao Cura d’Ars. Ia acompanhada de um vigário e da Superiora das Franciscanas de Orange. Chegaram a Ars em 27 de dezembro de 1857. No dia seguinte,  fizeram-na entrar na sacristia, no momento em que o santo Cura revestia-se para celebrar a Missa. Em seguida a possessa se pôs a gritar, procurando fugir:

    “- Tem gente demais aqui! – exclamava.

    “- Tem gente demais, – acrescentou o Cura – pois bem, saiam todos!

    “E, a um sinal de sua mão, ficou só, frente a frente com Satanás. No início, apenas ouviu-se dentro da igreja um ruído confuso e violento. Logo o tom se elevou ainda mais. O vigário de Avignon, vigilante junto à porta, pôde captar o seguinte diálogo:

    “- Queres sair a todo custo? -- dizia o Padre Vianney.

    “- Sim!

    “- E por quê?

              “- Porque estou com um homem que não quero!

    “- Não me queres então? -- perguntou o Cura com tom irônico.

    “- Não! - gritou o espírito infernal. E este não! foi proferido em tom estridente e furioso.

    “Quase em seguida, a porta tornou a abrir-se. Todos puderam ver a jovem professora chorando de alegria .... E voltando-se para o Padre Vianney, disse-lhe:

    “- Tenho medo que ele volte!

    “- Não, minha filha -- respondeu-lhe o santo homem --, ou não tão breve.

    “A jovem pôde retomar suas funções de educadora na cidade de Orange. E ele não retornou”.

    Eis aí um, dentre tantos fatos históricos que comprovam experimentalmente a existência do demônio e sua ação característica na alma e no corpo de uma possessa, descrito por Mons. Cristiani, conhecido autor francês, em sua obra Presença de Satan no mundo moderno (1).

    O renomado teólogo francês Ad Tanquerey, em sua conhecida obra Compêndio de Teologia Ascética e Mística assim descreve a ação do demônio sobre os homens: “Cioso de imitar a ação divina na alma dos Santos, esforça-se o demônio por exercer também o seu império ou antes a sua tirania sobre os homens. Às vezes assedia, por assim dizer, a alma por fora, suscitando-lhe horríveis tentações; outras vezes instala-se no corpo e move-o a seu talante, como se fosse senhor dele, a fim de lançar a perturbação na alma. No primeiro caso temos a obsessão, no segundo a possessão” (2).

    Assim, enquanto mediante a obsessão (ver quadro ao final) o demônio atua externamente suscitando no homem tentações, grandes ou pequenas, mas sempre perigosas, pela possessão ele instala-se no corpo deste para perturbar a alma.

    Eis a explicação, apresentada por Mons. Cristiani em sua referida obra, sobre a natureza e a causa da possessão:

    “Não existe talvez fato mais extraordinário que o da possessão diabólica. Que tal fato existe é o que demonstram muitíssimas experiências. Sem dúvida, houve possessos desde muito tempo antes da vinda de Jesus Cristo à Terra. Houve possessos em torno dEle, como o Evangelho no-lo mostra. Na Igreja primitiva, foram inúmeros os casos, e a instituição da ordem dos exorcistas, entre os membros do clero, é uma boa prova disso. ....

    “A teologia católica, baseada sobre os fatos de possessão demoníaca, tomou posição tão decidida a respeito deste problema, que chegou a elaborar uma teoria completa sobre o assunto. Assim, o Ritual Romano, livro oficial do cerimonial eclesiástico, explica os sinais pelos quais se conhece a autêntica possessão e dá os remédios necessários para combatê-la: os exorcismos” (3).

    O mesmo autor afirma, no que concerne à possessão e suas causas, que não podemos escolher guia mais seguro e mais preciso que a obra de Mons. Saudreau,  L’état mystique... et les faits extraordinaires de la vie spirituel (Paris, Amat, 2ª ed., 1921).

    Natureza de um fenômeno estranho: a possessão

     “Segundo Mons. Saudreau, a possessão nunca chega até a animação. Isto quer dizer que o demônio não substitui a alma do possesso, não dá vida ao corpo, mas, sem que saibamos como, apodera-se desse corpo, faz sua morada nele, quer seja no cérebro, quer nas entranhas, porém, em todo caso, no sistema nervoso. Não tira à alma, portanto, seu domínio normal sobre o corpo e sobre os membros; imprime às faces do rosto uma expressão desconhecida e que corresponde à ação do demônio.

     “O demônio não está sempre presente no possesso. Entra nele quando quer. Provoca nele ataques. Um possesso poderá até ser liberado momentaneamente pelos exorcismos, e depois torna-se  novamente presa do demônio. Em seu estado normal, o possesso é como todo mundo...

     “Por outro lado, os demônios não atuam todos da mesma maneira, porque estão longe de ser totalmente iguais. Acreditava-se, não sem razão, que todos os deuses do paganismo eram demônios” (4). “Omnes dii gentium, daemonia”, diz a Escritura (Salmos 95, 5).

     

    Múltiplas causas da possessão: o sortilégio ou  bruxaria

     “O bom senso popular colocaria na primeira fila das causas da possessão as faltas cometidas pelo possesso. Não é assim em absoluto. As causas de possessão são, na verdade, muito variáveis. ....

    “Se os demônios fizessem livremente seus estragos entre os homens, a humanidade estaria transtornada, não seríamos mais donos de nossos destinos, a obra de Deus entre nós estaria desviada de seu objetivo. O fato é, em si, inconcebível e, por mais poderosos que sejam os demônios, a verdade é que ‘esses cães estão acorrentados’....

    “Os demônios não atuam entre nós senão na medida em que obtêm -- como está escrito no Livro de Jó -- a permissão de Deus, soberano Senhor. O caso do mesmo Jó, submetido às infestações de Satanás, é uma boa prova de que não são as faltas da vítima que explicam suas penas.

    “Por vezes, pode haver culpa do possesso, como reconhece Mons. Saudreau: ‘Uma pessoa  ficou possessa em conseqüência de uma oração a Mercúrio, feita por ela, a conselho de uma velha curandeira’ (5).

     “Em muitos casos  pareceria que a origem da possessão teria sido um malefício.  É o que o público denomina mais correntemente uma bruxaria. Mons. Saudreau é categórico neste ponto: ‘uma das causas mais freqüentes das vexações diabólicas  é o malefício’. E esclarece: ‘os malefícios são os sacramentos do demônio’”.

     “Pareceria que o demônio, depois de ter estabelecido seu ritual próprio para o lançamento de sortilégios, se vê obrigado a atuar quando o bruxo observa as formas que ele prescreveu.... Porém os malefícios não têm todos a mesma eficácia.

     “No século XVII, em processo célebre, descobriu-se que os malefícios tinham por base assassinatos de crianças, pecados contra a natureza e missas sacrílegas” (6).

    “A possessão pode ser e é seguramente, às vezes, uma prova permitida por Deus, como no caso do santo homem Jó ou no do Cura d’Ars; sem que tenha havido falta por parte do infestado ou do possesso e sem que haja ocorrido malefício.

    “Em suma, os casos de possessão são casos extremos de um fato imenso que se estende por todo o universo espiritual: a luta do bem contra o mal, da Cidade de Deus contra a Cidade de Satanás” (7).

     

    Como combater a possessão

     O autor francês refere-se a seguir ao exorcismo como o meio de combater a possessão:

    Como dissemos, o remédio que Deus quis para a possessão é o que chamamos exorcismo, que significa conjuro. Porém, existem regras muito precisas para praticar o exorcismo.

    “Se a pessoa manifesta em si a presença de uma inteligência diferente da sua, existe possessão e não enfermidade. O Ritual Romano traz precisões sobre este ponto essencial. E acrescenta: ‘Os demônios suscitam todos os obstáculos que podem impedir que o paciente seja submetido a exorcismos’” (8).

    O cânon 1172 do Código de Direito Canônico contém disposições concernentes aos exorcismos.

                          

    O demônio no Antigo e no Novo Testamento

     O demônio é mencionado freqüentemente no Antigo Testamento, por exemplo, no Livro de Isaías: “Como caíste do céu, ó astro brilhante, que, ao nascer do dia, brilhavas?” (Is 14, 12).

    O Apocalipse -- o último livro do Novo Testamento, escrito pelo Apóstolo São João Evangelista -- assim descreve a queda de Lúcifer e dos anjos rebeldes:

    “E houve no Céu uma grande batalha: Miguel e os seus anjos pelejavam contra o dragão, e o dragão com os seus anjos pelejavam contra ele; porém, estes não prevaleceram; e o seu lugar não se achou mais no Céu. E foi precipitado aquele grande dragão, aquela antiga serpente, que se chama o Demônio e Satanás, que seduz todo o mundo; e foi precipitado na terra, e foram precipitados com ele os seus anjos” (Apoc. 12, 7-9).

    Incapazes de amor, os demônios encontram-se ligados pelo ódio mútuo e ódio a todas as coisas. Por isso, tramaram também a perdição do gênero humano.

    “Satanás, invisível agente pessoal, inimigo do homem, que o conduz à perdição, afastando-o de Deus” (9).

    Adão e Eva cederam à tentação diabólica

     Sereis como deuses conhecendo o bem e o mal” (Gn 3, 5). Esta foi a frase que a astuta serpente disse a Eva. E, assim, Adão e Eva se deixaram seduzir.

    A propósito, observa o renomado escritor e polemista francês Mons. Henri Delassus: “Desde a criação do gênero humano, o homem se extraviou. Em vez de crer na palavra de Deus, e de obedecer à sua ordem, Adão escutou a voz sedutora que lhe dizia para colocar o seu fim em si mesmo, na satisfação de sua sensualidade, nas ambições do seu orgulho” (10).

    Diz piedosa tradição que Adão e Eva fizeram penitência numa caverna do monte Calvário, que tem esse nome porque ali foi descoberta a caveira do primeiro homem (cfr. Lc 23, 33). Realmente, debaixo do Calvário e ocupando o mesmo espaço do Gólgota, hoje encontra-se a capela de Adão, na qual estiveram também, até 1808, os sepulcros de Godofredo de Bouillon, que conquistou a Cidade Santa, e de seu irmão Balduíno, primeiro rei católico de Jerusalém.

    “Por sua vida penitente, Adão e Eva são considerados santos e sua festa celebra-se a 19 de dezembro. Dois de seus filhos, Caim e Abel, constituem o primeiro exemplo de divisão do gênero humano: Abel é o exemplo dos fiéis que caminham para o Bem, e Caim, dos que caminham para o Mal” (11).

     Os demônios conspiram contra o homem porque não podem tolerar que ele tenha sido redimido pelo Verbo Divino que se encarnou no seio puríssimo de Maria, unindo-se à natureza humana.

    O pecado original foi uma vitória de Satanás sobre o homem. Mas a Redenção foi a vitória de Jesus Cristo sobre Satanás. Assim, Deus não consentiu que o demônio arrastasse todos os homens para o seu reino.

     

    Pode-se falar num Império de Satanás?

     Não se pode pôr em dúvida, entretanto, que Satanás tenha o seu Império, considerando-se o termo latino imperium no seu significado político-jurídico: “Imperium é o vocábulo empregado, em amplo sentido, para significar o supremo poder, ou a suprema autoridade, conferida a certas instituições ou a certas pessoas. Indica, assim, o próprio poder conferido ao imperador, em virtude do qual exerce sua autoridade soberana em todo território onde se situam ou limitam os domínios imperiais, em relação a todas as coisas ou a todas as pessoas” (12).

    Ora, Satanás manda nos diabos e nos homens que a ele se entregam pelo pecado. Ensina Nosso Senhor que “todo o que comete pecado é escravo do pecado” (Jo 8, 34). E o Império de Satanás possui seu território, seu âmbito de competência e sua área de jurisdição. Tem sua metrópole e suas colônias. A metrópole é o Inferno, mas, pelo menos em potência, seu área de expansão colonial abarca toda a Terra habitável.

    Em geral, fora do Inferno, à primeira vista não parece que Satanás exerça verdadeiro império sobre um território, mas apenas sobre pessoas. No entanto, se atentarmos bem ao que acontece, verificaremos que, embora de forma temporária e não permanente, há nações que se comportam, durante longos períodos de tempo, como verdadeiras colônias do Império infernal, tal é a dominação que ele exerce sobre o povo no seu conjunto. Em outros lugares, não possui Satanás debaixo de suas ordens senão minorias nacionais dispersas, mais numerosas ou menos; mas há nações em que as maiorias e os governos vivem como que subjugados por ele.

    Exemplo frisante disso foi a extinta e desditosa U.R.S.S. A respeito do regime que nela imperava, Mons. André Sheptyskyj, Arcebispo de Lvov e líder da Igreja Católica na Ucrânia durante as perseguições de Lênin e Stalin, escreveu à Santa Sé uma carta, na qual figura uma frase bastante significativa: “Este regime só pode se explicar como um caso de possessão diabólica coletiva”. E pediu ao Papa Pio XI que sugerisse a todos os sacerdotes e religiosos do mundo que “exorcizassem a Rússia soviética”. O Prelado ucraniano faleceu em 1944, estando atualmente  em andamento seu processo de beatificação (cfr. Catolicismo, no 590, fevereiro 2000, p.19).

    A questão levantada pelo Arcebispo ucraniano não se colocaria hoje, talvez até com mais razão, em alguns lugares do mundo, uma vez que o processo revolucionário multissecular de destruição da civilização cristã não fez senão acentuar-se intensamente desde então? Assim, não estaríamos assistindo, em escala crescente, a um fenômeno de possessão coletiva, ao menos em largas esferas do mundo atual?

    Questão ainda mais delicada: pode o demônio insinuar-se dentro da própria Igreja de Jesus Cristo, em certos períodos de grande provação e pecado? Para responder com segurança a tal pergunta seria preciso que teólogos – autênticos teólogos de ortodoxia ilibada – o estudassem com cuidado e se pronunciassem a respeito. Mas a pergunta não pode deixar de ser levantada tendo em vista o memorável pronunciamento de Paulo VI sobre as calamidades na fase pós-conciliar da Igreja, feito em 29 de junho de 1972, na Alocução "Resistite fortes in fide", que citamos aqui na versão da Poliglotta Vaticana (maiúsculas nossas):

    O Pontífice, "referindo-se à situação da Igreja de hoje, afirmou ter a sensação de que `por alguma fissura tenha entrado a fumaça de Satanás no templo de Deus'. Há a dúvida, a incerteza, o complexo dos problemas, a inquietação, a insatisfação, a confrontação. Não se confia mais na Igreja; confia-se no primeiro profeta profano que nos venha falar, por meio de algum jornal ou movimento social, a fim de correr atrás dele e perguntar-lhe se tem a fórmula da verdadeira vida. E não nos damos conta de que já a possuímos e somos mestres dela. Entrou a dúvida em nossas consciências, e entrou por janelas que deviam estar abertas à luz. .... Também na Igreja reina este estado de incerteza. Acreditava-se que, depois do Concílio, viria um dia ensolarado para a História da Igreja. Veio, pelo contrário, um dia cheio de nuvens, de tempestade, de escuridão, de indagação, de incerteza. Pregamos o ecumenismo, e nos afastamos sempre mais uns dos outros. Procuramos cavar abismos em vez de enchê-los. Como sucedeu isto? O Papa confia aos presentes um pensamento seu: o de que tenha havido a intervenção de um poder adverso. Seu nome é o diabo, este misterioso ser ao qual também alude São Pedro em sua Epístola" (Cfr. Insegnamenti di Paolo VI, Tipografia Poliglotta Vaticana, vol. X, pp. 707-709). 

    O Império de Satanás possui os seus cidadãos

     Entre os homens, ao Império de Satanás pertence aquele que o deseje: é suficiente um pecado mortal para adquirir cidadania nesse Império; e para nele permanecer, basta a falta de contrição, que se torna muito fácil pela preguiça ou má vontade em encarar de frente o próprio pecado, reconhecê-lo e humildemente acusá-lo no tribunal da Confissão.

    A cidadania infernal concede o “direito” de satisfazer todos os apetites da concupiscência, e de praticar todos os pecados mortais correspondentes, enquanto houver saúde e dinheiro. Em troca, os deveres impostos por esse Império cumprem-se geralmente depois da morte, e consistem em suportar o insuportável fogo eterno... Por outro lado, basta o verdadeiro arrependimento dos pecados e o sacramento da Confissão para livrar-se da tirania desse Império.

    Quanto à principal tática do demônio para atuar internamente na Igreja, desde que Ela foi instituída por Nosso Senhor Jesus Cristo, é a disseminação das heresias.

    O conhecido historiador francês do início do século XX, Pe. Emmanuel Barbier, comenta a esse respeito: “O flagelo da heresia decorre de duas fontes. As primeiras conquistas da Igreja haviam sido feitas sobre o elemento judeu e sobre o elemento pagão. Aqueles que aceitaram o Evangelho, nele não reconheceram toda a divina salvação, que é preciso receber simplesmente, sem acréscimo e sem atenuação. Muitos misturaram à doutrina cristã outros ensinamentos e deram assim nascimento às heresias. Estes ensinamentos estranhos estavam incrustados quer no judaísmo, quer no paganismo” (13).

     

    “O número dos tolos é infinito”: o gosto de ser enganado

     Diz antigo provérbio que o mundo quer ser enganado, e por isso, em todas as idades houve embusteiros que trataram de satisfazer esse desejo das massas. E o demônio pode utilizar-se desses embusteiros para afastar as pessoas da verdadeira Fé.

    A essa má inclinação, as Sagradas Escrituras acrescentam que “os perversos dificultosamente se corrigem e o número dos tolos é infinito” (Ecl 1, 15).

    Quando o embuste se vela sob formas religiosas ou misteriosas e atua por meio de agentes de mistificação com poderes desconhecidos ou preternaturais, então ele pode arraigar-se de tal modo no coração, que a luz claríssima da verdade dificilmente consegue arrancá-lo da imaginação popular.

    Exemplo frisante de estultice popular o leitor encontrará nos episódios vividos pelo Profeta Daniel (Dn 14, 1-42). Depois dele desmascarar o falso deus Baal dos babilônios, estes o quiseram matar!...

    *     *     *

    É ótima defesa contra o demônio usar sobre si a Medalha Milagrosa, o Escapulário do Carmo, o Agnus Dei, a Medalha de São Bento (ver quadro ao final), a água benta etc. De nada adiantarão, porém, se a pessoa não se empenhar na observância dos Mandamentos.

    O Pe. Gabriele Amorth -- de quem falaremos adiante -- assim se refere ao uso da Medalha Milagrosa: “Constatei em várias ocasiões a eficácia das medalhas que as pessoas usam com fé. Bastaria falar da Medalha Milagrosa difundida em milhões de exemplares no mundo depois da aparição da Virgem a Santa Catarina Labouré (Paris, 1830); se falássemos das graças prodigiosas recebidas através dessa simples medalhinha, nunca mais acabaríamos” (14).

     

    Cultos afro-asiáticos de conotação satanista na atualidade

     O Prof. Plinio Corrêa de Oliveira observava que “o homem gosta de meias verdades, mas tem horror à verdade total”. E Donoso Cortez, renomado escritor, filósofo e sociólogo espanhol, diz  que “o espírito humano tem fome de absurdo e de pecado” (cfr. Obras Completas: Ensaio sobre o Catolicismo,  B.A.C., Madrid,  1946, Tomo 2, p. 377).

    É por isso que a grande maioria dos homens prefere o caminho fácil das meias verdades, desembocando em religiões falsas. O demônio os atrai como pode, explorando suas más tendências e seus vícios. Assim, a uns conseguirá arrastar diretamente para o satanismo radical dos sacrifícios cruentos. A outros, atrairá para as formas mais veladas de falsa religiosidade que parecem benignas, às vezes sob a capa de filantropia ou de bem espiritual, como certas práticas hinduístas.

    Exemplo típico, entre muitos, de satanismo cruento, é  o caso de uma vendedora do Rio de Janeiro que declarou ter matado a própria filha de três anos em um ritual de magia negra. Ela foi presa com o concubino e a mãe de santo, que também teriam participado do crime, no litoral fluminense (cfr. “O Estado de São Paulo”, 15-1-99).

    A difusão de cultos afro-asiáticos de conotação satanista é hoje uma realidade. No Uruguai, por exemplo, a umbanda é a prática religiosa que mais cresce, a tal ponto que a festa de Iemanjá é a mais popular do país, atraindo para as praias centenas de milhares de praticantes desse culto de origem africana (cfr. “Folha de S. Paulo”, 27-11-99).

    Mesmo aqueles que procuram esses cultos por razões folclóricas ou turísticas, arcam com o risco de ser envolvidos por eles e sofrerem as conseqüências.

     

    Espiritismo umbandista

     D. Frei Boaventura Kloppenburg O.F.M., Bispo de Novo Hamburgo (RS), explica: “Não podemos indicar uma data exata para a aparição, entre nós, daquilo que hoje se chama espiritismo de Umbanda. Movimentos populares, de origem nitidamente africana, com fachadas cristãs, mas fortemente paganizadas e diretamente influenciadas pelas práticas espíritas, aos poucos se aglutinaram e continuam a coordenar-se ainda hoje, para formar a umbanda (palavra africana que significa feitiçaria). O Batuque do Sul, a Macumba do Rio, o Candomblé da Bahia, o Xangô de Pernambuco, o Catimbó do Nordeste, o Nagô ou as Casas de Minas do Maranhão, a Pajelança da Amazônia: eis a matéria remota desse novo tipo de Espiritismo. Os Kardecistas não toleram que se qualifique a Umbanda como espírita. Mas os próprios umbandistas continuam a proclamar empenhadamente que também eles são verdadeiros espíritas. A Federação Espírita Brasileira, numa solene declaração, publicada no órgão oficial Reformador, de julho de 1953, página 149, acabou concedendo aos umbandistas o ‘privilégio’ de se chamarem espíritas” (15).

     

    Evocar os mortos: proibição formal da Igreja

     Em sua obra Sobre a heresia espírita, o mesmo autor acrescenta: “A prática generalizada pelo espiritismo de evocar os mortos não é recente. O espiritismo atual é a continuação da magia e da necromancia de tempos idos. Já no Antigo Testamento existem testemunhos das consultas aos mortos praticadas pelos hebreus” (16).

    E prossegue: “Mas o fim visado foi sempre o mesmo: evocar os mortos, para deles saber alguma coisa. O espiritismo moderno, portanto, é a magia ou a necromancia da Antigüidade. Ora, consta de textos insofismavelmente claros do Antigo Testamento que Deus proibiu, sob as mais severas penas, semelhantes práticas de necromancia e magia” (17).

    Eis abaixo alguns textos da Sagrada Escritura, que condenam severamente a necromancia e a magia:

    ·        Êxodo 22, 18: “Não deixarás viver os feiticeiros”.

    ·        Levítico 20, 27: “O homem ou a mulher em que houver espírito pitônico ou de adivinho, sejam punidos de morte. Apedrejá-los-ão, o seu sangue cairá  sobre eles”.

    ·        Lev. 19, 31: “Não vos dirijais aos magos, nem interrogueis os adivinhos, para que vos não contamineis por meio deles. Eu sou o Senhor vosso Deus”.

    ·        I Reis 28, 5-25: Estes versículos narram a história do rei Saul, que foi consultar uma pitonisa. A conseqüência do episódio inteiro é exposta no I Livro dos Paralipômenos 10, 3: “Morreu, pois, Saul, por causa das suas iniqüidades, porque tinha desobedecido ao mandamento que o Senhor lhe tinha imposto e não tinha observado; e além disso tinha consultado a pitonisa e não tinha posto a sua esperança no Senhor; por isso Ele o matou, e transferiu o seu reino para David, filho de Isaí”.

    ·        IV Reis 17, 17: “E consagraram seus filhos e suas filhas por meio do fogo, e entregaram-se a adivinhações e agouros, e abandonaram-se a fazer o mal diante do Senhor, provocando a sua ira”.

    ·        Isaías 8, 19-20: “E quando vos disserem: Consultai os pitões e os adivinhos, que murmuram em segredo nos seus encantamentos: Acaso não consultará o povo ao seu Deus, há de ir falar com os mortos acerca dos vivos? Antes à Lei  e ao Testamento que se deve recorrer. Porém, se eles não falarem na conformidade desta palavra, não raiará para eles a luz da manhã”. 

    Em vista do acima exposto, decorre a proibição divina de evocar os mortos e consultar médiuns, macumbeiros, gurus, cartomantes. Tal proibição é clara, repetida, enérgica e severíssima.

     

    O espiritismo: verdadeira heresia

     Em face dessa tão radical negação de toda a doutrina cristã, o Episcopado Brasileiro, reunido no VI Congresso Eucarístico Nacional (1953), presentes os Senhores Cardeais, Arcebispos, Bispos e Prelados e o Representante da Nunciatura Apostólica, Mons. João Ferrofino, determinou que: “Os espíritas devem ser tratados  como verdadeiros hereges” (18).

    O que vem a ser, pois, o herege? É aquele que, após o batismo, nega com pertinácia qualquer verdade que se deva  crer com fé divina e católica, ou duvida pertinazmente a respeito dela, uma vez que o Direito Canônico assim define a heresia: “Chama-se heresia a negação pertinaz, após a recepção do batismo, de qualquer verdade que se deva crer com fé divina e católica, ou a dúvida pertinaz a respeito dela” (cân. 751).

    É essencial ao herege, pois, negar com pertinácia. Não seria herege quem negasse uma verdade sem obstinação, sem saber que se trata de verdade de Fé. Portanto não são hereges, nem podem ser tratados como tais, todos aqueles que, por ignorância e iludidos pela falaz propaganda espírita, aderiram ao espiritismo. Mas se, avisados, persistirem no espiritismo, tornam-se pertinazes, e, portanto, hereges, devendo conseqüentemente ser tratados como tais.

    Em seu livro acima mencionado, D. Frei Boaventura Kloppenburg conclui que “é sem dúvida severo e inexorável o modo de tratar os espíritas. Mas é uma medida necessária e justa.  .... O modo como continuam a evocar os mortos equivale a uma insurreição aberta contra Deus e a Igreja” (19).

     Por isso, “os espíritas excluíram-se a si mesmos da Igreja” (20).

     

    Condenações do reencarnacionismo há muitos séculos

     Reencarnação é o termo usado para indicar a passagem da alma de um a outro corpo humano. Há um significado mais restrito da metempsicose, que indica a transmigração da alma humana através de vários corpos dos homens, dos animais, das plantas etc” (21).

    “No século IV, Orígenes tentou apresentar esta doutrina como sendo católica, inspirando-se em Platão, levantando-se  contra ele uma forte polêmica. Ela foi condenada pelo Concílio de Constantinopla no ano de 543 (Papa Virgílio). O absurdo da reencarnação foi posto a nu em declarações inequívocas do Magistério Eclesiástico, segundo o qual, após a morte, cada indivíduo é julgado e recebe um destino eterno irrevogável (cfr. II Concílio de Lyon, ano 1274; Constituição Apostólica Benedictus Deus, de Bento XII, 29-1-1336; Decretum pro graecis, do Concílio de Florença, 4-6-1439)” (22).

    “Um decreto do Santo Ofício, de 4 de agosto de 1856, declara ilícita, herética e escandalosa a prática de evocar as almas dos mortos, receber respostas etc.; a declaração da S. Penitenciária (1º de fev./1882), declara ilícito assistir, ainda que passivamente, às consultas e jogos espíritas. Leão XIII proibiu a leitura e a posse dos livros nos quais se ensina ou se recomenda o sortilégio, a adivinhação, a magia, a evocação dos espíritos e semelhantes  superstições” (23).

     

    Faltam exorcistas autênticos

     O Pe. Gabriele Amorth, exorcista oficial da Diocese de Roma, esclarece em seu ensaio Um exorcista conta-nos: “O demônio faz tudo para não ser descoberto, mostra-se muito lacônico e procura todos os meios para desencorajar o paciente e o exorcista” (24).

    E acrescenta: “Os exorcistas na Itália são pouquíssimos, e os que estão preparados, ainda são menos. A situação noutros países é ainda pior, por isso têm-me procurado para a bênção pessoas vindas da França, Áustria, Alemanha, Suíça, Espanha e Inglaterra, onde -- a se acreditar no que me dizem -- não conseguiram encontrar um exorcista. Incúria dos bispos e dos sacerdotes?” (25).

    “Hoje em dia a Pastoral, neste setor e no mundo católico, está completamente descurada. Não era assim no passado. Cada Catedral devia ter  um exorcista, do mesmo modo que tem um confessor, e deviam ser tanto mais numerosos os exorcistas, quanto maiores fossem as necessidades: nas paróquias mais importantes, nos santuários” (26).

    “Minha experiência direta leva-me a afirmar que novos fatores estão na origem do aumento considerável das vítimas do Maligno. Em primeiro lugar, analisemos a situação do mundo consumista do Ocidente em que o sentido materialista e hedonista da vida fez com que muita gente perdesse a fé. Penso que sobretudo na Itália uma grande parte da culpa cabe ao comunismo e ao socialismo que, com as doutrinas marxistas, dominaram nestes últimos anos a cultura, a educação e o mundo do espetáculo” (27).

    “A magia e o espiritismo são incentivados por vários canais de televisão. Acrescentem-se ainda os jornais e os espetáculos de horror, em que ao sexo e à violência se aliam mesmo um sentido de perfídia satânica e a difusão de certas músicas de massa que invadem o público até à obsessão. Faço aqui muito particularmente referência ao rock satânico ....” (28).

    “Os Exorcismos são esconjuros ou mandados imperativos que o ministro autorizado pela Igreja faz em nome de Deus contra o demônio, para que abandone as pessoas por ele possuídas ou cesse de infestar pessoas ou coisas, ainda que inanimadas” (29).

     

    Visão de Leão XIII: crescente atuação diabólica no mundo

     E ainda o mesmo autor diz:

    “Muitos de nós recordamos que, antes da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II, os celebrantes e os fiéis, no fim de cada missa, ajoelhavam-se para rezar uma oração a Nossa Senhora e outra a São Miguel Arcanjo:

    São Miguel Arcanjo, protegei-nos no combate, sede nosso auxílio contra a malícia e ciladas do demônio. Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos, e Vós, Príncipe da milícia celeste, pelo divino poder, precipitai no Inferno a Satanás e os outros espíritos malignos que vagueiam pelo mundo para perder as almas.’

    Como é que nasceu esta oração? Transcrevo o artigo escrito pelo Pe. Domenico Pechenino na revista Ephemerides Liturgicae, 1955, pp. 58-59: Não me lembro exatamente do ano. Uma manhã, o grande Pontífice Leão XIII tinha celebrado a S. Missa e estava a assistir a uma outra de ação de graças, como de costume. De repente, viu-se ele virar energicamente a cabeça, depois de fixar qualquer coisa intensamente, sobre a cabeça do celebrante. Finalmente, voltando a si, bate ligeira, mas energicamente com a mão, levanta-se. Dirige-se ao seu escritório particular. Daí a uma meia hora, manda chamar o Secretário da Congregação dos Ritos, e estendendo-lhe uma folha de papel, manda fazê-la imprimir e enviar a todos os Ordinários do mundo. Que assunto continha? A oração que rezávamos no fim da missa com o povo” (30).

     

    Apesar dos embustes do sincretismo religioso, a doutrina católica não mudou

     Ora -- poderia objetar algum leitor --, há eclesiásticos que abrem os braços e dialogam amigavelmente com macumbeiros e espíritas.

    Infelizmente é bem verdade que, sobretudo nos últimos 30 ou 40 anos, muitas declarações e atitudes de membros do clero parecem em contradição com a doutrina acima exposta.

    Uma conferência anual de padres e Bispos negros realizada em Salvador, em julho do ano passado, incluiu uma visita aos dois principais terreiros de candomblé. Chocado com isto, o Pe. Pierre Mathon anunciou que celebraria uma missa de repúdio às práticas religiosas que descreveu como demoníacas, e acusou o clero em questão de desviar-se da única Fé verdadeira. “O diálogo é bom, mas fechar os olhos aos padres católicos que recebem as bênçãos de sacerdotes do cadomblé é simplesmente inaceitável”, afirmou o Pe. Mathon durante sermão em Salvador. E acrescentou: “Esses padres são a própria Igreja e estão dando um mau exemplo”.  ....

    É o que confirma o próprio Arcebispo Primaz de Salvador, D. Geraldo Majella, que atribui as manifestações de sincretismo religioso presentes na Bahia à “.... falta de conhecimento mais profundo da Religião e da Fé católica. Conseqüentemente, acreditam que qualquer coisa vale, que tudo está bem, que você pode misturar a Fé da Igreja com um outro credo, como se fosse algum tipo de mescla”, comentou em declarações reproduzidas por Larry Rohter no “The New York Times” (31).

    Convém insistir, portanto, que o sincretismo -- fusão de várias formas e opiniões religiosas (32) -- apresenta-se como um “fenômeno universal em relação aos problemas religiosos mais graves, especialmente no que se refere ao judaísmo e ao cristianismo”


    postado por 4988 as 22.07.07 # 0 comentários
    segunda, 02 abril, 2007
    HOMENAGEM AO GRANDE PAPA JOÃO PAULO II.


    Há dois anos, exatos 2 anos, hoje, já tinhamos a notícia de que, nosso eterno João, o grande Papa, João Paulo II nos deixava.
    Um homem lindo, por dentro e por fora, repleto de bondade, humildade e alegria, que, pra mim, assim como pra todos nós, ou de modo mais particular, à todos que aprendemos a amar a figura fragilizada deste homem, e, por graça de Deus, eu aprendi a vê-lo, e vivê-lo, como um avô, um membro de minha família!
    Hoje, não poderia jamais de fazer um comentário, afinal, são 2 anos que ele nos deixou, mas, não nos deixou, apenas foi pro céu, pra interceder por todos nós, de modo mais rápido e mais junto de Deus!
    Eu fui restaurado, e resgatado pela graça do bom João Paulo II, e do eterno Padre Léo, mas, hoje, de modo especial, a minha simples homenagem ao meu querido vovô, e de mtos de nós ...
    O eterno, PAPA JOÃO PAULO II!!!!!!!
    Pra mim, já é mais que santo, e merece toda a veneração, e espero que a igreja não demore mto pra santificar, aquele que, em vida, mostrou o real sentido de viver e ser santo, do jeito que Jesus pediu!!!
    Ele clamou por nós, jovens, e, quando ele estava terminando a estrada da sua vida, ele diz: "eu clamei por vocês, e agora vocês vieram a mim!" ... e diz também que: "deixe-me ir para a casa do Pai!"
    Eu sou chorão mesmo, mas, enfim, derramo lágrimas vendo um programa na Rai, em homenagem ao grande Papa, e escrevendo estas linhas, que, hoje, em todos os meus blogs estão, e são lágrimas de amor, de gratidão e de alegria, pois, nosso santo padre, o Papa, combateu o bom combate, terminou a carreira, e guardou a fé!
    EU SOU GERAÇÃO JOÃO PAULO II, e me honro, e tenho orgulho ímpar disto.
    Com carinho e amor, que Deus nos abençoe!!!!
    São Papa João Paulo II, rogai por nós!
    Até breve, querido são Papa João Paulo II!

    postado por 4988 as 02.04.07 # 0 comentários
    terça, 27 fevereiro, 2007
    O CÂNON BÍBLICO

     
    O CÂNON DA BÍBLIA - A.T. E N.T.

    O sentido desta palavra tem diversas aplicações, dentre elas, Escrituras Sagradas, consideradas como regra de fé e prática. A palavra cânon é de origem grega. Empregou-se, nesta acepção pelos primeiros doutores da Igreja, mas a idéia é mais remota. Para que um livro tivesse lugar entre os outros livros da Bíblia, precisava ser canônico; outro livro, sem os requisitos necessários para tal fim, chamava-se não canônico.

    O cânon do Antigo Testamento:

    A literatura sagrada evoluiu gradativamente e foi cuidadosamente vigiada. Os dez mandamentos escritos em tábuas de pedra, e que eram a constituição de Israel, foram guardados em uma arca, Ex 40.20. Os estatutos foram registrados no livro do pacto, 20. 23, até cap. 23.33; 24. 7. O livro da lei, escrito por Moises, era colocado ao lado da arca, Dt 31. 24-26. A esta coleção se ajuntaram os escritos de Josué, Js 24. 26. Samuel escreveu a lei do reino e a depositou diante do Senhor, 1 Sm 10. 25. Em tempo do rei Josias, o livro da lei do Senhor, o bem conhecido livro, foi encontrado no Templo e reconhecido pelo rei, pelos sacerdotes, pelo povo, pelas autoridades e pelos anciãos, 2 Rs 22. 8-20. Do Livro encontrado se tiraram cópias, Dt 17. 18-20. Os profetas reduziram as suas palavras a escrito, Jr 36. 32, e eram familiarizados reciprocamente com os seus escritos que os citavam como padrões autorizados, Is 2. 2-4; Mq 4. 1-3. A lei e os profetas eram tidos como produções autorizadas; inspiradas pelo Espírito Santo, e cuidadosamente guardadas por Jeová, Zc 1. 4; 7. 7, 12. A lei de Moisés compreendendo os cinco primeiros livros da Bíblia, circulava como uma porção distinta da literatura sagrada no tempo de Esdras em cujas mãos esteve, Ed 7. 14, sendo douto no conhecimento dela, 6, 11. A pedido do povo, ele leu publicamente no livro da Lei, Ne 8. 1, 5, 8. Por este tempo, e antes de o cisma, entre os judeus e os samaritanos, chegar a seu termo, o Pentateuco foi levado para Samaria. O colecionamento dos profetas menores em um grupo de doze, é confirmado por Jesus, filho de Siraque, como em voga, no ano 200 A. C. Ecclus 49. 10. Sua linguagem dá a entender a existência do grande grupo formado pelos livros de Josué, Juizes, Samuel, Reis, Isaías, Jeremias, Ezequiel e os doze profetas menores, que formavam a segunda divisão do cânon hebreu, caps. 46-49.      A existência da tríplice divisão das Escrituras em “Lei, Profetas e os outros que os acompanharam”; ou “a Lei, os Profetas e os outros livros”, ou, “a Lei, os Profetas e o resto dos livros”, é confirmada já no ano 182 A. C. juntamente com a existência de uma versão grega da mesma época, atestada pelo neto de Jesus, filho de Siraque (Ecclua, prólogo). Em uma passagem do 1 Mac 12. 9, datada do ano 100 A. C. se faz referência a livros sagrados “que estão em nossas mãos.” O judeu Filo, que nasceu em Alexan­dria no ano 20 A. C. e ali morreu no reinado de Cláudio, possuía o cânon, e citou quase todos os livros, com exceção dos Apócrifos. O Novo Testamento cita as “Escrituras” como escritos de autoridade religiosa, Mt 21. 42; 26. 56; Mc 14. 49; Jo 10. 35; 2 Tm 3. 16, como livros santos em Rm 1. 2; 2 Tm 3. 15, e como Oráculos de Deus, em Rm 3. 2; Hb 5. 12; 1 Pe 4. 11; e menciona a tríplice divisão em Moisés, Profetas e Salmos, em Lc 24. 44, cita e faz referências a todos os outros livros, exceto Obadias e Naum, Esdras, Ester, Cântico dos Cânticos e Eclesiastes. Josefo que foi contemporâneo do apóstolo Paulo, cujos escritos datam do ano 100 A. D., falando do seu povo, diz: “Nós temos apenas 22 livros, contendo a história de todo o tempo, livros em que “nós cremos”, ou segundo geralmente se diz, livros aceitos como divinos”, e o mesmo escritor exprime em termos bem fortes, afirmando a exclusiva autoridade destes escritos, e continua, dizendo: “Desde os dias de Artaxerxes até os nossos dias, todos os acontecimentos estão na verdade escritos; ma estes últimos registros não têm merecido igual crédito, como os anteriores, por causa de não mencionarem a sucessão exata dos profetas. Há uma prova prática do espírito em que tratamos as nossas Escrituras; apesar de ser tão grande o intervalo de tempo decorrido até hoje, ninguém se aventurou a acrescentar, a tirar, ou a alterar uma única sílaba; faz parte da natureza de cada judeu, desde o dia em que nasce, considerar estas Escrituras como ensinos de Deus; confiar nelas, e, se for necessário, dar alegremente a vida, em sua defesa” . Josefo apresenta o conteúdo das Escrituras sob três divisões: 1. “Cinco livros pertencem a Moisés, e contêm as suas leis e as tradições sobre a origem da humanidade, até a sua morte.” 2. Desde a
    morte de Moisés até Artaxerxes, escreveram os profetas que viveram depois dele, os fatos de seu tempo, em treze livros.” Josefo acompanhou o arranjo feito nos livros da Escritura pelos tradutores de Alexandria. Os treze livros são provavelmente, Josué, Juizes com Rute, Samuel, Reis, Crônicas, Esdras com Neemias, Ester, Jó, Daniel, Isaias, Jeremias com as Lamentações, Ezequiel e os doze Profetas Menores. 3. Os quatro livros restantes, contêm hinos a Deus e preceitos de conduta para a vida humana. Sem dúvida ele se refere aos Salmos, ao Cântico dos Cânticos, aos Provérbios e ao Eclesiastes. Até aqui, os fatos. Havia uma tradição corrente, que o cânon fora arranjado no tempo de Esdras e de Neemias. Josefo, já citado, fala da crença universal de seus patrícios de que nenhum livro havia sido acrescentado desde o tempo de Artaxerxes, isto é, desde Esdras e Neemias. Uma extravagante legenda do fim do primeiro século da era cristã deu curso a uma tradição de que Esdras havia restaurado a lei, é mesmo o Antigo Testamento inteiro por se haverem perdidos os exemplares guardados no Templo, Ne 14. 21, 22, 40. Afirma a tal legenda que os judeus da Palestina, naquela época, reconheciam os livros canônicos, como sendo vinte e quatro. Uma passagem de duvidosa autenticidade e de data incerta, talvez escrita 100 anos antes de Cristo em 2 Mac 2. 13, alude à atividade de Neemias em conexão à segunda e terceira divisão do cânon. Ireneu transmite a tradição assim: “De­pois que os sagrados escritos foram destruídos, no exílio, sob o domínio de Nabucodonosor, quando os judeus, depois de setenta anos, voltaram do cativeiro para a sua pátria, Ele (Deus) nos dias de Artaxerxes, inspirou a Esdras, o sacerdote, da tribo de Levi, para arranjar de novo todas as pa­lavras dos profetas dos dias passados, e restaurar para uso do povo a legislação de Moisés.” Elias, levita, escrevendo em 1588, fala da crença que o povo tinha, dizendo: “No tempo de Esdras os 24 livros ainda não estavam unidos em um volume. Esdras e seus associados fizeram deles um volume dividido em três partes, a lei, os profetas e a hagiógrafa.” Esta tradição contém verdades. Se pode ser aceita em todos os seus particulares, isso depende de determinar a data em que certo, livros foram escritos, tais como Neemias e Crônicas.
    O Pentateuco, como trabalho de Moisés, com
    preendendo a incorporação das leis fundamentais da nação, formou uma divisão do cânon, e com direitos firmados na cronologia, ocupou o primeiro lugar na coleção dos livros.
    A segunda divisão dos livros teve a designação de proféticos por serem escritos pelos seus autores assim chamados. Estes livros eram em número de oito, Josué, Juizes, Samuel, e Reis, denominados os primeiros profetas, e Isaias, Jeremias, Ezequiel e os doze profetas menores, denominados os últimos profetas. O núcleo da terceira divisão é formado de seções de livros de Salmos e Provérbios. Tinham duas feições distintas: eram essencialmente poéticos e os seus autores não eram oficialmente profetas. Atraíram para si todas as outras produções de literatura semelhante. A oração de Moisés no Salmo 90, não foi escrita por profeta, mas foi colocada nesta divisão dos livros da Escritura por ser produção poética. Pela mesma razão, as Lamentações de­ Jeremias, escritas por profeta, e sendo poesia, entraram na terceira divisão do cânon hebreu. Uma razão adicional existiu para separá-las de Jeremias, é que eram lidas por ocasião dos aniversários da destruição de ambos os templos, e por isso, foram postas com os quatro livros menores que eram lidos por ocasião de outros quatro aniversários, Cânticos, Rute, Eclesiastes e Ester, e formavam os cinco rolos, ou Megilloth. O livro de Daniel foi incluído nesta parte por ter sido escrito por homem que, posto dotado de espírito profético, não era oficialmente profeta. Com toda a probabilidade, as Crônicas foram escritas por um sacerdote e não profeta, e por esta razão, foram postas na terceira divisão do cânon. Não sabemos por que estes livros se acham nesta divisão, quando é certo que alguns deles e partes deles que agora se acham nela, já existiam antes de Malaquias e Zacarias na segunda divisão. É conveniente que se diga que, conquanto o conteúdo das diversas divisões do cânon permanecessem inalteráveis, a ordem dos livros da terceira divisão variou de tempos em tempos; e mesmo na segunda divisão o Talmude dá Isaias entre Ezequiel e os Profetas Menores. Esta ordem dos quatro livros proféticos, Jeremias, Ezequiel, Isaías, e os Profetas Menores, foi evidentemente determinada pelo tamanho, dando a prioridade aos de maior volume. Logo no fim do primeiro século da nossa era, o direito de certos livros figurarem na terceira divisão do cânon, foi disputado. Não havia dúvida em pertencerem ao cânon. As discussões versaram sobre o conteúdo dos livros e sobre as dificuldades de harmonizá-los entre si. Estes debates, porém, eram meras exibições intelectuais. Não havia intenção de excluir do cânon qualquer destes livros, e sim tornar bem claro o direito que ele tinham aos lugares que ocupavam.

    O cânon do Novo Testamento

    A igreja apostólica recebeu da igreja judaica a crença em uma regra de fé escrita. Cristo mesmo confirmou esta crença, apelando para o Antigo Testamento como a palavra de Deus escrita, Jo 5. 37-47; Mt 5. 17, 18; Mc 12. 36; Lc 16. 31, instruindo os seus discípulos nela, Lc 24. 45. Os apóstolos habitualmente referem-se ao Antigo Testamento como autoridade, Rm 3. 2, 21; 1 Co 4. 6; Rm 15. 4; 2 Tm 3. 15-17; 2 Pe 1. 21. Em segundo lugar, os apóstolos baseavam o seu ensino, oral ou escrito na autoridade do Antigo Testamento, 1 Co 2. 7-13; 14. 37; 1 Ts 2. 13; Ap 1. 3, e ordenavam que seus escritos fossem lidos publicamente, 1 Ts 5. 27; Cl 4. 16, 17, 2Ts 2. 15; 2 Pe 1. 15; 3. 1-2, enquanto que as revelações dadas à Igreja pelos profetas Inspirados, eram consideradas como fazendo parte, juntamente com as instruções apostólicas, do fundamento da Igreja, Ef 2. 20. Era natural e lógico que a literatura do Novo Testamento fosse acrescentada à do Antigo, ampliando deste modo o cânon de fé. No próprio Novo Testamento se vê a intima relação entre ambos, 1 Tm 5. 18; 2 Pe 3. 1, 2, 16. Nas épocas pós-apostólicas, os escritos procedentes dos apóstolos e tidos como tais, foram gradualmente colecionados em um segundo volume do cânon, até se completar o que se chama o Novo Testamento. Porquanto, desde o princípio, todo livro destinado ao ensino da Igreja em geral, endossado pelos apóstolos, quer fosse escrito por algum deles, quer não, tinha direito a ser incluído no cânon, e constituía doutrina apostólica. Desde os primeiros três séculos da Igreja, era baseado neste principio que se ajuntavam os livros da segunda parte do cânon. A coleção completa fez-se vagarosamente, por varias razões. Alguns dos livros só eram conhecidos como apostólicos em algumas Igrejas. Somente quando esses livros entraram no conhecimento do corpo cristão em todo o Império Romano, é que eles foram aceitos como de autoridade apostólica. O processo adotado foi lento, por causa ainda do aparecimento de vários livros heréticos e escritos espúrios, com pretensões de autoridade apostólica. Apesar da sua lentidão, os livros aceitos por qualquer igreja, eram considerados canônicos porque eram apostólicos. O ensino dos apóstolos era regra de fé, e lido nas reuniões do culto público. Já no principio do segundo século, os escritos apostólicos eram chamados Escrituras. Os evangelhos segundo Marcos e Lucas entraram na Igreja pela autoridade de Pedro e Paulo, de que foram companheiros. Logo começaram os comentários a es­tes escritos, cuja fraseologia saturou a literatura da idade pós-apostólica. São dignos de nota os seguintes fatos para explicar a rapidez com que a coleção dos Livros se estendeu a toda a Igreja. Os quatro evangelhos entraram nas igrejas desde o principio do segundo século. A segunda epístola de Pedro, cap. 3. 16, mostra-nos que as epistolas de Paulo já haviam formado uma coleção de escritos familiares aos leitores das cartas de Pedro. Muito cedo aparecem as expressões “evangelho” e “apóstolos” designando as duas par­tes do novo volume. A evidência sobre a canonicidade dos Atos Apostólicos, leva-nos à primeira metade do segundo século. Alguns livros, é certo, sofreram contestações por parte de certos grupos de igrejas, mas serve para provar que tais livros entraram no cânon depois de evidentes provas de sua autenticidade. Finalmente, vê-se que a Igreja da Síria, no segundo século, recebeu como canônicos todos os livros de que se compõe o atual Novo Testamento, exceto o Apocalipse, a epístola de Judas, a segunda de Pedro, a segunda e a terceira de João.

    A Igreja Latina aceitou todos os livros, menos as epístolas de Pedro, a de Tiago, a terceira de João; a Igreja africana do norte aceitou todos os livros, exceto a epístola aos Hebreus, a segunda de Pedro e talvez a de Tiago. As coleções recebidas pelas mencionadas igrejas somente continham os livros que elas haviam recebido formalmente, como de autoridade apostólica, mas isto não prova a não existência de outros livros de igual procedência e autoridade. Os restantem eram universalmente aceitos no curso do terceiro século, apesar de opiniões diferentes a respeito de alguns deles. No decorrer dos tempos, e quando entramos na época dos concilios, o Novo Testamento aparece na lista dos livros canônicos como hoje o temos. No quarto século, dez dos padres da Igreja e dois concílios deixaram listas dos livros canônicos. Em três destas listam omitem o Apocalipse, contra o qual se levantaram objeções que desapareceram diante dos testemunhos abundantes em seu favor. As outras listas dão o Novo Testamento como hoje o temos. Em vista destes fatos, deduzimos:

    1.Apesar de a formação do N. T. cm um volume ter sido morosa, nunca deixou de existir a crença de ser ele livro considerado como regra de fé primitiva e apostólica.

    A história da formação do cânon do N. T. serve apenas para mostrar como se chegou gradualmente a conhecer os direitos que eles tinham para entrar no rol dos livros Inspirado..

    2.As diferenças de opinião sobre quais os livros canônicos e sobre os graus de certeza em favor deles, vêem-se nos escritos e nas Igrejas do segundo século. Este fato, pois, mais uma vez vem afirmar o cuidado e o escrúpulo das Igrejas em receber livros como apostólicos sem evidentes provas. Do mesmo modo se procedeu com referência aos livros espúrios.

    3.A prova em favor da canonicidade dos livros do Novo Testamento é a evideência histórica. Quanto a isto, o juízo da Igreja primitiva em favor dos nossos vinte e sete livros é digno de inteira fé, enquanto não for provado o contrário. Não os devemos aceitar como tais, só porque os concílios eclesiásticos os decretaram canônicos, nem por causa do que eles dizem. A questão versa só e unicamente sobre a sua evidencia histórica.

    4.Finalmente se nota que a palavra cânon não se aplicou à coleção dos livros sagrados antes do quarto século. Não obstante, existia, a noção que representa, isto é, que os livros sagrados eram regra de fé, contendo a doutrina apostólica.

    Dicionário da Bíblia John Davis

    FONTE: http://www.igospelbiblia.com.br/

    postado por 4988 as 27.02.07 # 0 comentários
     
    Perfil
    4988
    Meu Perfil

    Links
    Hotéis no Brasil
    DNS Grátis
    Criar Blog
    Blog Grátis
    Mente Milionaria
    EncontraSP
    Hoteis

    Palavras-Chave
    PADRE
    LÉO

    Favoritos
    Não há favoritos.

    adicionar aos meus favoritos


    Colaboradores do Blog


    Comunidades
    Não há comunidades.

    Posts Anteriores
    ESTUDO SOBRE ORAÇÃO
    UMA RESENHA, PROFUNDA E LINDA, SOBRE A MAIS LINDA ORAÇÃO!
    ESTUDO SOBRE VIDA APÓS A MORTE
    ESQUECI DE MENCIONAR.
    A ORAÇÃO QUE O PRÓPRIO JESUS NOS ENSINOU.
    RETORNANDO ...
    SEMPRE VOLTO ...
    MEU DIREITO DE RESPOSTA!
    PADRE LEO
    HOMENAGEM AO PADRE LÉO - PRIMEIRO ANO DE VIDA ETERNA!!!!

    Arquivos
    21/06/2010 29/06/2010
    06/07/2009 22/07/2009
    16/03/2009 22/03/2009
    19/01/2009 29/01/2009
    06/10/2008 18/10/2008
    30/06/2008 08/07/2008
    07/04/2008 25/04/2008
    24/12/2007 09/01/2008
    05/11/2007 15/11/2007
    16/07/2007 22/07/2007
    26/03/2007 03/04/2007
    19/02/2007 01/03/2007
    05/02/2007 23/02/2007
    22/01/2007 09/02/2007
    11/12/2006 21/12/2006
    13/11/2006 23/11/2006
    06/11/2006 20/11/2006
    11/09/2006 27/09/2006
    10/07/2006 22/07/2006
    26/06/2006 06/07/2006
    19/06/2006 07/07/2006

    18777 acessos
    CRIAR BLOG GRATIS   
    ..