Fisioterapia Dermato-Funcional
Fisioterapia Dermato-Funcional
segunda, 08 janeiro, 2007
Engordar aumenta chances de contrair câncer de mama


A obesidade nas mulheres após a menopausa aumenta o risco de desenvolvimento de câncer de mama e se elas continuarem aumentando de peso depois dos 50 anos, correm mais risco de morrer da doença, revelaram estudos apresentados no fim de semana em uma conferência de especialistas em obesidade, celebrada em Boston (EUA).

"Uma quantidade impressionante de estudos mostra o vínculo entre um alto índice de massa corporal e o câncer de mama", lembrou Cheryl Rock, da Universidade da Califórnia em San Diego, na conferência anual celebrada pela North American Society para o Estudo da Obesidade (NAASO, na sigla em inglês).

"Sobretudo, o que se deve dizer às mulheres é que se continuarem ganhando peso depois dos 50 anos, o risco de morrer deste câncer é ainda maior", acrescentou Marilie Gammon, da Universidade da Carolina do Norte.

Uma pessoa é considerada obesa quando seu índice de massa corporal (IMC) é superior a 30. O IMC é calculado dividindo o peso pela altura ao quadrado. Acima de 25, há excesso de peso, enquanto um IMC entre 18,5 e 24,9 é considerado normal.

Os estudos mostram que as mulheres que ganharam 20 ou mais quilos depois dos 18 anos correm 2 vezes mais riscos de desenvolver câncer de mama do que de peso estável.

Durante muito tempo se acreditava que o aumento de peso protegia do câncer de mama, mas estudos recentes mostraram que estes cânceres são mais mortais. Uma mulher obesa sobrevive pior a um câncer de mama.

A situação se agrava depois da menopausa, época em que a mulher obesa "tem 75% mais riscos de desenvolver câncer de mama", resumiu Marilie Gammon.

E continuar engordando é ainda mais perigoso. "Muitas mulheres dizem a si mesmas: "Não importa se ganho mais quilos, já sou gorda". Mas de fato, não é bom. Corre o risco de morrer se tem diagnosticado um câncer de mama", insistiu Gammon, citando um estudo de Page Abrahamson, da Universidade da Carolina do Norte, publicado este mês.

Ao contrário, estudos recentes também mostram que as mulheres que têm uma atividade física, mesmo que moderada, no momento de aparecimento do câncer, têm mais chances de sobreviver.

"A mensagm que se deve transmitir é a de se manter uma atividade física", acrescentou Gammon, segundo quem "o câncer de mama é um bom elemento de motivação" para estimular as mulheres a mudarem seu estilo de vida.

"As mulheres têm medo e compreendem melhor os riscos do que se falarmos de câncer de cólon ou rim", cuja incidência também está associada à obesidade.

Texto - Fonte: http://www.ornasa.org.br/site/index.php?corpoSite=noticia&cdNoticia=898


postado por 30594 as 05:11:56 #
 
Perfil
30594
Meu Perfil

Links
- COFFITO - Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional
- ABRAFIDEF - Associação Brasileira de Fisioterapia Dermato-Funcional

Artigos Anteriores
Drenagem Linfática
Endermologia
O segredo é escolher o melhor tratamento e chegar no verão com umas pernas invejáveis
Geoterapia
Dermato-Funcional (Distúrbios dermatológicos e estéticos)
Celulite: a vilã do verão
Ultra-som focalizado no combate à gordura localizada
A Nova Redação do PL do Ato Médico prejudica nossa autonomia profissional
Contra o tempo
Por que aveia faz bem à pele

Arquivos
01 dezembro, 2009
01 junho, 2009
01 janeiro, 2009
01 dezembro, 2008
01 agosto, 2008
01 julho, 2008
01 outubro, 2007
01 setembro, 2007
01 abril, 2007
01 fevereiro, 2007
01 janeiro, 2007
01 dezembro, 2006
01 novembro, 2006
01 outubro, 2006
01 setembro, 2006
01 agosto, 2006
01 julho, 2006

104287 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..