DIU - DISPOSITIVO INTRA-UTERINO
DIU - DISPOSITIVO INTRA-UTERINO
sábado, 25 abril, 2009
Histórico e Dados


É um artefato colocado dentro da cavidade uterina para impedir a gestação. Existem vários tipos. É um método seguro e eficaz de contracepção, associado a poucos efeitos colaterais. Os DIUs não medicados são menos utilizados atualmente, e consistem em uma haste de polietileno impregnada com um pouco de bário para ser visualizada ao RX. Ainda são bastante utilizados na China. Em nosso meio contém cobre ou, mais recentemente, se encontram os DIUs medicados com progestágenos levonorgestrel = MIRENA.

Mecanismo de ação do DIU

A ação é principalmente na cavidade uterina. Acredita-se que o principal mecanismo de ação do DIU é a transformação do ambiente uterino em um ambiente hostil aos espermatozóides, evitando a sua chegada até as trompas ou tendo efeito espermaticida. Talvez alguma ação extra-uterina, com efeito citotóxico sobre o óvulo e sobre a motilidade tubária também exista.

Os DIUs não medicados agem principalmente devido a uma reação do organismo ao DIU.

Os DIUs que contém e liberam cobre também provocam uma reação tipo corpo estranho, tendo ação tanto bioquímica quanto inflamatória sobre o endométrio. Os níveis sangüíneos de cobre não são alterados em usuárias de DIU, logo o cobre não é absorvido.

Os DIUs que liberam progestágenos, além da ação tipo corpo estranho no endométrio, causam atrofia e decidualização das glândulas endometriais, tornando o endométrio mais fino (por isto geralmente diminuem a quantidade de sangramento).

Estes DIUS medicados ainda têm ação da progesterona sobre o muco cervical, tornando-o espesso, criando mais uma barreira para os espermatozóides.

Eficácia do DIU:

Os DIUs medicados são mais eficazes do que o DIUs não medicados, com chance de gestação de 0,8% e de até 3%, respectivamente.

Efeitos adversos:

Os efeitos adversos mais comuns que levam a retirada do DIU são o aumento do sangramento e da cólica menstrual (exceto naqueles com progestágenos) - 5 a 15% de retirada/ano.

Infecções

As infecções relacionadas ao uso do DIU ocorrem por contaminação prévia da cavidade uterina ou durante a inserção, quando pode haver contaminação da cavidade uterina pelos germes da flora vaginal. A colocação adequada, com todos os cuidados de anti-sepsia, NÃO aumenta o risco de infecção.

O DIU não deve ser colocado em pacientes que têm risco aumentado de doenças sexualmente transmissíveis: múltiplos parceiros, relações poligâmicas, início precoce das relações. O comportamento sexual da usuária é que determina o risco de infecção em usuárias de diu.

Gestação com DIU na cavidade uterina

Existe uma chance aproximada de 50% de abortamento. O DIU pode ser removido sem a instrumentação da cavidade uterina, principalmente se em controle com ultra-som for verificado que o DIU está abaixo do saco gestacional.

Colocação do DIU

O DIU pode ser colocado após o parto, aborto ou durante o ciclo menstrual, preferentemente durante a menstruação. Geralmente coloca-se durante a menstruação pois nesse período o colo está discretamente mais aberto e também porque temos certeza de que não existe gestação.

A inserção do DIU pode causar algum desconforto, eventualmente, necessitando algum tipo de analgésico e o uso de analgésicos algumas horas após a inserção.

A presença de infecção vaginal é contra-indicação à inserção do DIU. Deve ser tratada a infecção e só após será inserido o DIU.

Contra-indicações ao uso do DIU
  Pacientes com risco de doenças sexualmente transmissíveisMulheres com anormalidades da cavidade uterina, tais como a presença de miomas submucosos ou útero bicorno (malformação uterina que consiste em haver praticamente dois corpos uterinos; dois cornos)Pacientes imuno-suprimidas, as quais têm maior risco de infecção e podem ocasionalmente fazer endocardite bacteriana (infecção nas válvulas do coração)As contra-indicações absolutas ao uso do Diu são gestação, sangramento vaginal sem diagnóstico , infeção pélvica passada ou infeções atuais (do colo uterino, trompas ou útero) e suspeita de doenças malignas.

Recentemente foi aprovado o uso de um DIU contendo hormônio derivado da progesterona (levonergestinel) que age por 5 anos e pode ser benéfico para algumas mulheres pois torna o sangramento menstrual menos intenso podendo até interromper a menstruação.


postado por 117132 as 08:37:54 # 4 comentários
Definição e Uso

Definição

O dispositivo intrauterino (DIU) é um dispositivo de controle da natalidade que é colocado no útero de uma mulher por um médico. Pode ficar no útero por 1 a 10 anos. Normalmente é feito de plástico ou metal com um fio preso a ele. Alguns DIUs contêm cobre ou progesterona, um hormônio feminino. O DIU previne a gravidez mudando o ambiente físico da área da reprodução. Estas mudanças impedem que o ovo seja fertilizado ou implante e cresça no útero. Houve alguma controvérsia a respeito do uso do DIU devido a sua associação com infecções pélvicas. Se alguma vez teve hemorragia menstrual intensa, uma infecção em qualquer de seu órgãos reprodutivos (ovários, útero, tuba uterina), ou uma gravidez tubária, fale com seu médico sobre os riscos de usar um DIU.

Como é usado?

Um médico irá inserir o DIU no útero através do colo cervical (abrindo o útero). O DIU normalmente é inserido durante o período menstrual, quando o colo cervical está ligeiramente aberto e é menos provável que esteja grávida. Dura apenas alguns minutos para inserir um DIU e pode causar um pouco de dor, portanto poderá ser usado um anestésico local para melhorar o desconforto durante inserção. Durante os primeiros meses depois de inserção do DIU e depois de cada período menstrual, é necessário conferir o fio preso a ele, assegurando a presença do DIU no útero assegurando a improbabilidade de gravidez. Se sentir o plástico duro do DIU, significa que ele não está no local adequado e que deverá procurar um médico para colocá-lo no lugar novamente. O DIU pode sair acidentalmente nos primeiros meses, sem ser notado. Confira o DIU antes de cada prática sexual ou considere outro método para controle da natalidade associado durante os primeiros meses, para melhor segurança. Um mesmo DIU pode ser usado por 1 a 10 anos antes de ser substituído. Normalmente DIUs de progesterona são substituídos depois de 1 ano. DIUs de cobre podem permanecer no útero por até 10 anos.

Quais são as vantagens?

- Apresentam 97% de eficiência na prevenção da gravidez.
- O coito não precisa de ser interrompido pela inserção de um dispositivo de controle da natalidade ou espermicida.
- Sua substituição é requisitada só após 1 a 10 anos, a depender do tipo.

Quais são os riscos?

Vários problemas podem acontecer enquanto estiver usando um DIU alguns podem ser graves como por exemplo:

- o aumento da hemorragia menstrual e cãibras, principalmente durante os primeiros meses de uso;
- sangramento entre períodos menstruais - irritação do pênis do seu parceiro sexual;
- aumento do risco de doença inflamatória pélvica podendo levar a infertilidade;
- expulsão acidental do DIU que pode resultar em gravidez inesperada;
- adesão do DIU à parede uterina;
- perfuração do útero pelo DIU, com possível dano para outros órgãos como também hemorragia interna;
- problemas graves caso ocorra gravidez usando o DIU, inclusive um maior risco de gravidez ectópica (tubária) e falha.

Procure ajuda médica se:

- Não conseguir achar o fio do DIU.
- Tiver secreção vaginal com um odor ruim.
- Tiver dor intensa, inesperada no seu abdômen, especialmente depois de prática sexual.
- Tiver febre sem causa aparente.
- Suspeitar de gravidez com o DIU dentro do útero.
- Quando quiser ter o DIU removido.


postado por 117132 as 08:28:34 # 3 comentários
 
Perfil
117132
Meu Perfil

Links
Hotéis no Brasil
DNS Grátis
Criar Blog
Blog Grátis
Hoteis

Palavras-Chave
o
que
é

Favoritos
Não há favoritos.

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
Não há comunidades.

Posts Anteriores
Histórico e Dados
Definição e Uso

Arquivos
2009, 01 abril

2735 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..