Encontro Educativo
Encontro Educativo

segunda, 31 maio, 2010
Avaliação diagnóstica na alfabetização
Avaliação diagnóstica na alfabetização

Avaliação diagnóstica deve estar sempre norteada pela proposta pedagógica, tanto no que se refere a concepção e eixos centrais das áreas de conhecimento quanto aos pontos de chegada , uma vez que faz parte do trabalho como um todo. Sabendo aonde quer chegar e como, o professor pode fazer uma avaliação diagnóstica que não o leve a classificar os alunos, mas sim indique caminhos para o trabalho. Deve ser um instrumento do reconhecimento dos caminhos percorridos e a identificação dos caminhos a serem perseguidos.
O diagnóstico inicial possibilita o mapeamento da classe e dá pistas para o planejamento. Ao registrar e organizar os dados referentes a cada aluno, o professor terá o mapeamento da classe e poderá planejar o desenvolvimento das atividades. O objetivo, portanto não é classificar ou rotular os alunos, mas sim a forma de intervir, de ajudar cada aluno ou grupo que será diferente.
Uma proposta de avaliação diagnóstica na alfabetização foi elaborada por Emilia Ferreiro, para saber qual nível da escrita a criança se encontra. Tal proposta consiste em escolher um campo semântico e posteriormente elaborar uma lista composta por no mínino quatro palavras e uma frase. Essas palavras devem ser polissílabas, trissílabas, dissílabas e monossílabas, respectivamente, por exemplo, campo semântico: meios de transportes; caminhonete, ônibus, metro, trem. As palavras devem ser ditadas a criança e em seguida ser pedido a elas que escrevam do jeito que sabem; depois de escrita é importante solicitar para que o aluno leia o que escreveu. Dessa forma o educador saberá em que nível da escrita a criança se encontra e a partir disso poderá elaborar atividades específicas para tal nível.
Esse tipo de atividade, entretanto é importante para entender o que a criança já sabe e o que ela ainda tem que aprender, usada dessa forma como um diagnóstico inicial e para posterior mapeamento da sala. Deve ser feita frequentemente, no mínimo uma vez cada 2 meses. Deve-se destacar que muitas vezes ao analisar essas produções, alguns educadores consideram mera garatuja, escritas sem sentido. Aprender a interpretá-las demanda um aprendizado específico que requer alguns conhecimentos e uma teoria prévia.
Diante disso a avaliação da aprendizagem escolar deve ser vista como meio e não fim em si mesma, não sendo dessa forma apenas uma ação mecânica, mas com um objetivo a ser seguido.

Referências:
FERREIRO, E. Reflexões sobre alfabetização. Tradução Horácio Gonzales(et al.), 24. Ed.Atualizada " São Paulo: Cortez, 2001. " (Coleção Questões da Nossa Época; v.14).

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar, Cortez Editora, São Paulo, 2005, 17ª edição.


postado por 140465 as 07:34:45




0 comentários:

Comente este post
Início
Perfil
140465
Meu Perfil

Meus Links
Hotéis no Brasil
Encontra Brasil
Guia MS
Encontra Mato Grosso do Sul
DNS Dinâmico
Blog Grátis
Criar Blog
Manta Absorvente de Óleo
Hoteis

Palavras-Chave
alfabetização

Favoritos
Não há favoritos.

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
Não há comunidades.

Posts Anteriores
Distúrbios do Déficit de Atenção
O que é o Bullying?

Arquivos
2010, 01 junho
2010, 01 maio

0 acessos


CRIAR BLOG GRATIS   
..