de verso e prosa
de verso e prosa
quarta, 01 setembro, 2010
Depoente, descontente, descendente, descrente!

Depoente, descontente, descendente, descrente!
Há tantos para desconstruir e tão poucos para decorar, decorar versos, decorar salas que se abrem sobre nossos olhos que se descortinam entre tantos sobe e desce de nossas poesias, de nossos pesos ou nossos corpos pesados e nossos pesares de tanto pensar em querer coisas que não se quer, em buscar pedaços que não nos falta, em chorar lagrimas que não condizem, em sucumbir gritos que não nos prendem. Aquela voz solta! Que balbucia palavras desconexas, aquela voz rouca que entontece ou aquele gemido da dor de ser ausente, aquela ferida que não sara, aquele sangue que jorra, aquele beijo que queima, aquela mordida que machuca, aquele passo que não alarga, aquela rua que não cresce, aquele abraço que não se dá, aquela vida que não merece.
Sobre aquele menino que não se envaidece, aquele sorriso que não se esquece, aquela árvore que não floresce, aquele velho sentando na beira do rio que não envelhece, sobre a coqueiro no mar que não apetece, os icebergs dos oceanos que não derretem.
Depoente, descontente, descendente e condizente!
Como o sol púrpura que nasce, como o verde das florestas que morre, como as borboletas que pairam, como as flores que enfeitam, como os jardins plácidos que olhos deleitam.
Depoente, descontente, descendente e comovente!
Como a dor que não cessa, como o adeus que macera, como o coração confrangido com a incerteza, como o amor comprimido com a verdade, como a saudade que não finda, como a noite que não passa, como o desespero dos aflitos, como a alma que arde.
Enquanto deponho, descontento-me, descendo, descreio e comovo-me sobre algum lugar estranho a que tudo vejo e permanece intacto, inalterado e eu inerte e viva na inépcia de acreditar que há muitos para construir e poucos para despertar!
Preta Cascalho

postado por 91800 as 05:24:46 # 1 comentrios
quarta, 14 julho, 2010
Quanto primrio...


Quanto primrio em nossos sonhos almejar o que nos parece to distantes, corpos quentes e mos frias, olhos que tomam a alma e num piscar dos mesmos te remetem a frieza de uma noite, de um dia que nos parece to comum, de uma noite sem muito a esperar.

Quanto primrio esperar que nossas utopias, que nossos seres to terrenos alcancem o pice de serem imortais como aqueles que realizaram essa proeza e sentiram-se completos e refeitos nas bocas que tanto desejaram.

Quanto primrio esperar, sofrear impulsos aguardando o que de maior seria se tudo transcorresse to perfeito como o cu que o deflora o absurdo, como o infinito mar! Que belo mar! Corressem sopitados os rios que o aguarda com suas nascentes afoitas pela completude de cumprir sua natureza.

Quanto primrio, secundrio, tercirio e completamente intangvel viver na esperana de corpos quentes e mos frias faam parte de um pedao de minha alma que clama a essncia de usurpar o dom da vida!

 

Lilian (Preta) Cascalho

 


postado por 91800 as 03:30:10 # 1 comentrios
quarta, 07 julho, 2010
Rapidinhas!!!

Fazendo um balano de meus dias, percebi que houve mais sorrisos que lagrimas, mais momentos pertinente que tristezas, que houve muito mais amigos que pessoas que no querem meu bem! Obrigada Deus, mas ainda sim, falta-me algo! Que no sei precisar do que se trata, no sei discriminar, pois no tem nome, no tem cor! Acho que o que de fato me falta o amor que no v apenas sente-se com a epiderme do corao!


No sei se o contexto cabvel para uma noite to sem qualquer interesse, mas descortinam-se tantas coisas que se esconde no vu da noite que cai, tantos mistrios to palpveis e tantas outras coisas que jamais se explicar!
De certo o sol nascer amanh e esse corao glido estar mais quente, pulsante e vivo como esse animal que reside em mim!


Senta pra rir, pois a vida mesmo uma piada!
Ou estamos chorando por algum que no nos ama, ou estamos rindo da desgraa!
A vida vai seguindo nos rios turvos de guas claras e vou sorrindo mesmo sem motivo, apenas buscando abrigo em um abrao de um amigo...


Vou levar o melhor dos outros, o perfume de todas as flores e a certeza de que tudo isso vale muito a pena...


Voltil! O desconexo sempre mais tpico dos apticos as imposies, se do nada se purifica, somente constato, que do nada viverei! Pois navego calmamente nesse mar slido e frio que se tornou o nosso cotidiano!


Preta Cascalho





postado por 91800 as 05:30:08 # 0 comentrios
Mistrio de Joo...

Aguardando o que jamais seria entendido por outros, Joo sentava-se diariamente na sombra da mesma arvore frondosa, ali relia avidamente um pequeno pedao de papel, jamais sabido por outros, pois Joo secretamente sucumbia qualquer informao sobre esse escrito, de certo era algo de amor, para um homem dito forte, admitir que anseia um amor perdido, partido, seria como admitir fraqueza, o que na verdade Joo ainda no sabe que de to grande era seu gesto, at hoje lembrado pelo seu amor platnico e incondicional.
Certo dia Joo fez seu ritual, sentou-se abaixo da mesma arvore de sempre, sacou de seu bolso um mao de cigarros de filtro branco sempre, sempre! Ali o acendeu e vrios outros vieram depois, o que chamou ateno dos transeuntes e que naquele dia tpico como qualquer outro, Joo conhecido por todos como o homem do papel misterioso, apenas contemplou a natureza posta aos seus olhos h anos, com olhos de descobrimento, mas no pegou de sua carteira de couro velho aquele pequeno pedao de papel costumeiro de seu cotidiano, avidamente todos os comentrios voltaram-se para ele, que calmamente recolheu suas guimbas e lentamente caminhou at o seu porto, fechou a cancela e subiu os degraus, olhou para trs e sorriu, com um sorriso de despedida, ningum jamais soube do que tratava-se o motivo de tanto bem querer a um pedao de papel amarelado, com letras apagadas pelo tempo, somente Joo que naquela noite, despediu-se de suas fraquezas e sepultou em seu leito de morte o amor que nenhum mortal pudera entender.
Coisas que no morrem, apenas silenciam em um sepulcro qualquer, em sua lapide de mrmore como era de sua vontade, havia a seguinte descrio:
- Meu amor espera por ti, aqui e outro lugar, onde houver um segundo sobrando, o ar transcorrendo e o meu corao batendo eternamente por voc.
Entretanto no se sabe se esse era o contedo do mistrio que envolvia aquele franzino homem, mas de certo afirmo, inveja sinto de esperar por algum que no se sabe se um dia chegar.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 05:27:04 # 0 comentrios
quarta, 30 junho, 2010
Dilogos de dois coraes...(Parte II)

Esses trechos abaixo no fazem parte de nenhum contexto pensado so apenas palavras que amontoadas em uma tpica conversa de MSN, fizeram com que duas almas distintas e distantes estivessem prximas por alguns momentos, fazendo parecer crveis coisas que no vemos, apenas entendemos como algo que jamais explicar somente quem partilhou desse momento entender toda intensidade e imensidade de nossos coraes batendo no mesmo compasso.

Dilogos de dois coraes...



Marcelo diz:

Esse seu fardo amargo que carregas em teu corao, transpira acar ao me avistar.


Lilian diz:

Quando voc v meus olhos apertados pelo meu sorriso largo, ento pensa:
Valeu viver at hoje, somente para me contemplar!

Marcelo diz:

Ser? Medo tenho eu de me enganar e me encantar por uma prola negra que de to valioso seu preo posso falir ao tentar conquist-la.

Lilian diz:

Garanto que essa prola tem inestimvel valor e espera por algum que carregue predicados que tanto a apetece, mas falta ao seu redor! Seu corao est forte e leve aguardando quem poder auferi-lo!

Marcelo diz:

Jamais teria condies materiais de t-la, mas se por um momento agradastes de carinho, de moral, de respeito e fervor, acredito que no mais procurar ao seu redor nem aguardar mais a minha chegada

Lilian diz:

Garanto que seu valor est acima de qualquer tesouro, pois tudo que deseja da vida, do amor, de um homem amor e no ouro!

Marcelo diz:

Pois ento aliviastes da dor, oh! Perola negra que de to pura sua me natureza te esculpiu em um nico casulo onde s o amor de outro pode chegar, amor esse que corre em minhas veias banhadas de prata e zinco, para poder suportar o calor que carrego comigo.

Lilian diz:

Essa prola que muitos cobiaram, alguns caaram e foi posta em muitos colares que enfeitaram e alimentaram o ego de apenas possuir, quando se libertou dessa casca, sentiu-se cansada e mais nada quis, apenas algum de alma to forte como sua, que desejasse seu brilho, sua grandeza como o ar que respira como deseja a natureza, essa prola que nada tem de vazia, hoje enfeita sua prpria vida com sua luz negra e com toda sua magia, mas se voc quiser lev-la para compor sua vida, saiba que ela depois de muito sofrer ela no merece uma armadilha, aguarda a solidez do zinco, do cobre para aporta seu brilho

Marcelo diz:

Infelizes daqueles que a tiveram apenas por um capricho luxuoso, ento no entenderam que apenas o toque material no os satisfaria enquanto agora longe de seu brilho, quanto envaidecido estou em saber que ao querer toc-la me abre a mente, seria intil afastar-me  pois ao senti-la com minha alma a conheo por dentro, onde o seu brilho brota para ofuscar os olhos daqueles que apenas a enxergaram com os olhos da carne
Ento, perola negra agora me fao sua ostra para proteg-la dos predadores que teimam em apagar seu brilho.


Lilian diz:

Minha alma envaidece a quem no me enxerga pelo valor que exprimo em minha gentica, pois meu corpo e cascudo e spero, mais alma to sensvel, to tangvel, completamente palpvel, os que me puseram em seus colos como meros adornos no tinham em seus olhos a indulgencia to meramente infantil, no continham em seus lbios a doura do doce da vov e em seu corao residia apenas um pedao de rocha vulcnica que no bate apenas ocupa um lugar de um corao.

Marcelo diz:

Sabores que me remetem ao passado, onde o azedo hoje se torna doce, ao provar seus lbios.

Marcelo diz:

Mas nesses momentos estava a falando para voc, olhando em seus olhos e recitando dentro do seu corao, palavras que jamais ousaram sair de minha boca

Marcelo diz:

J fugi de muitas coisas na minha vida
No fugirei mais de nada
Estarei aqui sempre
Aguardando seu retorno, ansioso para te dizer, bem vinda minha amiga!! Saiba que nessas suas andanas, estavas contigo lhe carregando no colo

Lilian diz:

Fica mais um pouco comigo
Deixa-me beber um pouco mais de voc!
Quem sabe assim voc me rouba o medo do desconhecido e me faz entender que no adianta fugir de coisas que tanto nos agrega, ento no me deixa ir!
Abraa-me de um jeito que no possa sair, de uma forma que s queira estar em seus braos, envolvida e seus abraos e que deseje somente permanecer inerte aos teus sentidos, ligada ao mesmo transe que te transporta ao desconhecido, ao mundo que nem eu, nem voc e ningum conhece

Marcelo diz:

Voc no me quer mais, vou embora para longe, onde no possa mais ouvir sua voz, nem sentir o seu cheiro, mas sei que a maldio que carrego dentro de mim no tira sua alma do meu corao, corao esse que chora sangue ao te ver partir, mas que nesse momento se faz necessrio aos olhos da carne.

Marcelo diz:

Pobre de voc o alma incrdula que me pedes pra no ir embora, mal sabes que j esta envolta em meus braos ternos e afagos para no mais sentires vontade de fugir do destino que nos apresenta


Lilian Cascalho e Marcelo Genovez.








postado por 91800 as 04:59:24 # 1 comentrios
Dilogos de dois coraes... (Parte I)

Esses trechos abaixo no fazem parte de nenhum contexto pensado so apenas palavras que amontoadas em uma tpica conversa de MSN, fizeram com que duas almas distintas e distantes estivem prximas por alguns momentos, fazendo parecer crveis coisas que no vemos, apenas entendemos como algo que jamais explicar somente quem partilhou desse momento entender toda intensidade e imensidade de nossos coraes batendo no mesmo compasso.

Dilogos de dois coraes....



Lilian diz:


   Sei que voc quer me fazer apaixonar para me jogar na lama, depois de aquecer sua cama de te fazer sonhar, mas eu no vou permitir que voc roube de mim, meu corao quente nem meu corpo febril que reclama cada gota do teu suor no momento em que fazemos amor enlouquecido, guiado pelo grave ou agudo gemido, eu preciso de teu corpo esculpido, meu homem, meu macho, meu anjo cupido.
Fluem de ns, nossas guas, nossos rios que dividem nossas almas
No permitirei que roube de mim, minha essncia, minha prudncia, com toda essa urgncia de me ter para ti! No quero que tome como um trago de teu licor amargo, nem que fume como apenas mais um cigarro.


Marcelo diz:

Almas essas que se encontram na madrugada, para se amarem a distancia, mas sentem o fervor da paixo to prximo do corao, mas roubar de mim minha essncia.



Lilian diz:


   Quero ter seus olhos aportando em meu cais e seus sonhos brincando com meus    planos mais fugazes
Deixarei em ti o meu cheiro e meu sangue pulsante, minhas lagrimas efervescendo com sua partida e nessa madrugada fria em que nos encontramos no de repente de um contexto improvvel, sucumbo essa paixo que nada, nada alm de dor contempla meu corao.


Marcelo diz:

Dor essa que carrego comigo aprisionada em meu corao pelas andanas dessa vida, mas que como um co vira lata sempre volta aos seios dos teus.


Lilian diz:

Meus seios esto dispostos a aporta suas meninices, suas andanas e trazer de ti tudo que de belo esse tempo ingrato roubou, teus melhores sorrisos, teus olhares profanos, teus arroubos insanos e a necessidade de me amar com fervor.


Marcelo diz:

Mas que agora retoma em teu ser, toda a gloria, e que transborda todo o mar que se acumulou entre esses anos de enganos e decepes, mas que hoje revive a beleza da grandiosidade da paixo... Do fervor a flor da pele.


Lilian diz:

Pele essa que por tantos e tantos outros invernos aguardou teu calor, teu clamor, pele essa, bronzeada e marcada nos veres aguardando seu regresso desse mar que jamais cessou entre ns, ressuscita em mim essa fmea feroz que abrandou esperando teu orgulho fazer notar que aqui estou e s comigo s de vers feliz, que s comigo sentiu sabores que jamais provaria em outras bocas e que em meu peito encontro acalanto para tuas feridas, obtidas com tuas guerras interiores e com tuas batalhas perdidas!
Eu te refao como a gua que purifica, como o vento que transcorre o ar, como a chuva que lava alma, como as mos que no se deixam e as bocas! E as nossas bocas que jamais se afastam.


Marcelo diz: 


   E que hoje se encontram com a certeza de que jamais me abandonastes e hoje ao abrir os olhos, janelas do mundo! Vejo que mesmo nos momentos de inseguranas, momentos esses que pareciam estarem pedidos nas batalhas que eu travei, sempre estive comigo, trilhando o caminho de volta pra casa, me guiando com o farol de seus olhos iluminando o caminho para que eu pudesse hoje suplicar aos cus que no mais me tire de voc, no mais arranque de mim esse desejo de ter voc comigo e assim me despeo abrindo os olhos e vendo que a luz que avistei ao longe hoje faz parte da minha vida


Lilian diz:

Estou aqui, pronta! Desnuda, despida, pronta para o deleite de nosso amor que aguardou os reveze do mundo at nos unir, to sem qualquer interesse e esse mar que tanto longe buscou est aqui em mim, com minhas embarcaes prontas para seguir levando voc comigo e a certeza que nunca estaremos longe, pois permaneo enganando o tempo, fazendo com que ele passe bem devagar at que os relgios parem para que minha vida na sua possa encostar.
Eu mudarei o curso do vento, pois juntos sempre estaremos certos!


Marcelo diz:

E nesse momento que as palavras j no mais exprimem o sentimento, que trago em mim, deixo para ti meu amor, meu desejo de possu-la por noites e anos a fios, nos transformando em apenas um, poder e energia, assim voltando ao princpio de tudo.


Lilian diz:


Ao inicio de um mundo to particular de ns dois, somos um! Apenas um corao que bate na certeza que eterno e que seja eterno enquanto no nos provoque dor! Assim findo meu relato com as palavras mais ternas, mais tenras, mais eternas!
EU TE AMO!!!

 

Marcelo diz:

E agora deixarei no final desse singelo desabafo, apenas reticncias, para que sua imaginao te leve ao infinito e com isso construa sua historia.



Lilian Cascalho e Marcelo Genovez







 

 



postado por 91800 as 04:06:09 # 0 comentrios
domingo, 30 maio, 2010
Com certeza ser...


Existem momentos primordiais onde ouvir essencial, h momentos que s queremos falar, existem tantos outros momentos onde podemos sentir a presena, o toque, o cheiro ou simplesmente sabemos que existe algum ao nosso lado, crescemos! Buscamos caminhos distintos, aprimoramos e aguamos nossos sentidos e sentimentos, mas conservamos em nossas almas e olhos a candura que ficou h anos e anos atrs. Perdemos? Nada, ganhamos, ganhamos o direito de relembrar o que foi doce, de aprender com o sabor amargo da desiluso e a reconhecer aquilo que realmente nos importa, nos conforta, nos confrontam e nos aporta!
Somos pequenos e crescemos medida que temos grandes pessoas ao nosso lado!
Acredite que o amanh mais prazeroso, de certo ser! Com certeza ser!

Lilian (Preta) Cascalho

postado por 91800 as 06:14:35 # 0 comentrios
segunda, 24 maio, 2010
Foram tantos...


Foram Joss, Franciscos, Raimundos, e tantos outros que no pensar me causam pesar, mas no me lembro os nomes. Eles foram chegando, se apresentando, sentando em minha mesa em nos embaraos de meus copos cheios deixando um pouco de si e levando de mim um tanto.

Assim eu sou atipicamente desnuda de meias verdades, composta de minhas muitas metades e desprovida de muita sanidade, sensualidade? Ah de certo no meu forte! Meu pequeno porte, nada, absolutamente nada padro, no arranca grandes suspiros, apenas admirados com meu timbre possante levam todos ao entusiasmo de acalentar minhas palavras por mais alguns instantes.

Foram Joss, lembro-me, sim claro que me lembro, foi divertido, os momentos invertidos, no diria pervertidos, mas com um certo grau de intimidade, com Francisco, hum! Francisco era um homem inciso, de poucas palavras, mas belo sorriso, tambm foi bom, apesar de um grande conflito, curiosamente saudades ainda sinto! Penso muito antes de falar de Raimundo, esse sim, me deu problemas era um pouco tanto oriundo, sem muitos afazeres no mundo, conquistou-me pelo seu jeito faceiro e olhar vagabundo.

Desculpe-me todos aqueles que no posso falar, nem todos so como eles, livres para voar, mas a todos tenho muito apreo, foram leais, legais e pitorescamente imorais!

Amei a todos, uns pela candura e outros pelo desgosto! Mas ainda sim amei todos, at aqueles que no me recordo o rosto, lembro-me da voz e do timbre rouco!

Que venham ento os outros! Que sejam Joos, Epfanios ou Antonios, que se acheguem, desponta-me, aprontam-me e desmonta-me, apenas quando disser adeus no me abraa e esqueam-me...

 

Lilian (Preta)Cascalho.

postado por 91800 as 04:03:26 # 1 comentrios
tera, 11 maio, 2010
Mos..

Mos atadas, mos sutis, mos macias, mos febris! No importa qual delas a suas encaixa-se, apenas afirmo que de certo suas mos tm assimetria perfeita para envolver meu corao, que te dou, que te entrego mesmo no sabendo se em suas mos ternas ele ser em cuidado, mas de certo te digo que muito cansado ele estava antes do afago de tuas mos em meus cabelos, do carinho de teus abraos...


postado por 91800 as 04:42:17 # 0 comentrios
Pode atender seu telefone...

Pode atender seu telefone agora, saiba que no sou eu, no te perturbarei mais com minha urgncia de te ter aos pedaos desfeitos pelas tuas vontades, acredite encontrei outros ouvidos que apreciem mais minha rouca e ofegante voz, encontrei completude para as noites frias e vazias, encontrei algum como eu, que deseja mais um corpo clido e sim uma alma totalmente entregue a paixo e toda sua tenacidade.

Acreditei em iluses e uma utopia que me fez perecer e me perder em meio a tantas datas que mereciam meu apreo, escondi de mim uma realidade to tangvel, embaixo do meu mais fiel conselheiro, meu companheiro travesseiro, encontrei uma foto sua, sorrindo, com toda paz que confere a algum que agua e fere pelo simples prazer de se auto-afirmar, percebi que ali estava todas as respostas para minha tamanha demncia, voc sorria mesmo distante de mim, enquanto eu, ah eu no! Sofreava minha dor escondendo atrs de uma esperana cega de te ver chegando pela porta que ficou entreaberta ansiando sua chegada, tinha lapsos e espasmos de muitos que me auxiliavam e empenhavam-se em me dar um norte, mas minha bssola havia quebrado em direo ao teu olhar e ali eu permaneci por alguns veres, outras primaveras e chorando nos invernos que voc aquecia-se nos braos de outrem.

Revigorada de uma esperana que tardou falecer, retomei os textos de minhas encenaes e assumi o meu papel de direito, protagonizando minha vida, colocando minha juventude no pdio de minhas prioridades e minha busca por voc na minha lista de coisas para torna-se antagnicas e plenamente esquecidas pelo tempo que corrige nossos erros e nos coloca no caminho que sempre deveramos seguir, mas as curvas do destino tm desvios dolorosos, estou devolta ao meu, pois no podemos viver esperando milagres, pois na verdade quando menos esperamos que eles de fato acontecem.

Por isso hoje durma tranqilo, pode atender seu telefone, nem eu, nem meu jeito que tanto de provoca repulsa se far presente em todos os dias de sua longa vida, meu corao por sua vez continua pulsante e batendo em meu peito esperando ansiosa pelas mos daquele que irar auferir-lo e trat-lo como um verdadeiro merecedor de todos os meus prstimos e pertencimentos.

 

Lilian (Preta) Cascalho.

 

 


postado por 91800 as 04:35:38 # 1 comentrios
Sala nova...

Ainda com cheiro do novo, com o sabor de algo antes desconhecido e hoje pouco provado inauguro uma nova sala de minha vida, dessa vez mais ampla, menos complexa, ainda com poucos moveis somente o aroma de inovao

Com muito orgulho pela construo de cada tijolo, de cada alicerce dela colocado por minhas mos que permaneceram hbeis buscando um ngulo perfeito para posicion-la no local exato da minha abstrata casa.

Contudo muitos dos convidados delas ainda so os mesmo da anterior, porem o anfitrio dessa vez diferente, real, palpvel e empenhando em manter a ordem, a beleza e os meus sorrisos por cada centmetro de minha nova empreitada.

Ainda emocionada e um pouco descrente de minha tamanha faanha, estou ainda limpando minha antiga bagagem, livrando-me de coisas e souvenires que poucas lembranas doces me trazem, ainda h coisas que perduram memrias que surgem como flashs, facilmente entoadas de algumas canes que ficaram  com seus discos, por favor, busque-os, no os quero mais. Minha sala ou meu corao como preferem cham-lo, no tem mais espao para tuas quinquilharias, para tuas melindrosas manias, para tua falha harmonia, para tua paz fingida e para desamor comprado em revista.

Hoje somente o cheiro do novo, de algo ainda no provado e o sabor que meu paladar diariamente aprende inebriar-se fazem parte da nova sala de minha vida.

 

Lilian (Preta) Cascalho


postado por 91800 as 03:49:06 # 2 comentrios
Curtas e frisantes...

No sei se fui ou um dia serei clara, pois no escuro do meu leito clareio as idias e memrias de uma noite com luzes incandescentes do arco-ris que nasceu ps chuva de nosso encontro

 

Mantenho viva minha respirao na boca de quem nunca beijei ardentemente, mas me salvou da eterna busca

 

No fcil segregar as pessoas que um dia me foram importantes, mas percebo que est na alma do ser humano responder perguntas difceis com o silncio mrbido

 

A minha urgncia me faz infame, me faz perder a hora, me tira a paz e tambm a fome. A pressa me faz humana e errante.

 

Desguo em guas lmpidas do devaneio e mergulho fundo nos mares da insanidade. Enquanto a humanidade navega em um oceano ressequido de emoes e se banha nas guas da realidade.

 

E o meu faro felino, agua-se pelo teu cheiro de medo, isso me faz viva, fera e voraz.

 

Enquanto o carnaval no passa e a festa ansiada leva milhes ao devaneio profano, eu pobre pierr mal amado te olho pelas frestas da alegoria de teus vastos sorrisos.

 

Do meu futuro no espero nada, pois me deixo nessa noite todo o meu presente.

 

Se saio no sei se volto para minhas antigas agonias, retorno para minha vida simples trazendo o aprendizado de cada dia

 

Te olho como eu quero, de frente sem medo, sem dissabores e desamores.
Eu no sei parar de te olhar

 

Porque insistes em negar que no enxerga-se nos meus olhares admirados com sua beleza to fugaz?

 

Desconfie de meus sorrisos mundanos, eles carregam tambm o pesar de dias difceis

 

Se no h nada para fazer pelo que passou ou pelo que ainda iremos viver, dei-me suas mos agora e vamos caminhar rumo ao final desse dia.

 

No tenho medo de ser eu mesma, tampouco de ser natural, as coisas mais belas no foram pintadas nem esculpidas a mos humanas e sim simplesmente criadas por Deus

 

Menina de corao, inteligente por vaidade e mulher quando necessrio

 

E dentro de mim reside varias mulheres intrigantes e como eu sinceras, leais e apaixonantes.

 

Se te olho com tanto desejo porque voc se fez presente em meus sonhos banhados de luxuria e arroubos profanos.

 

Ter alma livre no significa no ter porto seguro ou cais, mas sim ter algum que te d flores com os olhos para que todos os dias essa borboleta tenha seu jardim secreto e desfrute dessa paz

 

Perdoe-me o furduno e o au, no sei ser discreta quando falo de amor, mas por que seria? Se eu falo e voc no me escuta, se eu escrevo voc no l.
Quem sabe ento assim voc repara em mim.

 

Na noite audaz aos olhos falhos, viajo entre janelas entreabertas buscando aquele que um dia j foi meu e o vento sacana levou.

 

Com minhas asas cansadas, repouso-me em um casulo distante, buscando a chance de viver novamente para te encontrar somente mais uma vez.

 

A lua apesar de suas mos frias
quando me deparo com seu brilho, sua grandiosidade
E acalento minha alma
No silncio da cidade que dorme
E nos papeis e folhas desse velho caderno
Escrevo de sentimentos to vagos
Por entre anotaes antigas
Meus olhos contemplam memrias velhas
E no passado divago.

 

E na impacincia do dia que no nasce, mas j anseia a alvorada nos cus calmos

 

Dona de minha alma, que me faz rainha da cabea aos ps, e eu fao minha tempestade, fao chover e relampejar.

 

Em alguma janela de algum lugar que desconheo algum como eu espera ansioso o retorno de algum que assim como voc jamais vai chegar.

 

Nem tudo que nos parece igual na verdade . Mas nossos olhos erroneamente treinados a mentir e dissimular, nos mostra somente o que queremos ver

 

Certo olhar em certa direo me leva onde meus olhos sozinhos no podem enxergar! Contradio? Jamais! Apenas o desejo cego de ter seus olhos voltados somente para mim!

 

Manda chover que eu gosto, sou os raios das tempestades, o vento dos furaces e a calmaria da bonana!


Pergunto-mediariamente o porqu de no
conseguir te esquecer? Respondo, ser que quero,ser que devo! Curiosamente no sei, apesar de tudo apontar para o desamor, ainda acredito que milagres acontecem, que o sol no deixar de brilhar e que
seu desprezo muito me intriga, aguardarei o amanh ele sabe como
esclarecer o que ningum jamais entender.
 

Toda pluralidade de sentimentos que se mistura a toda essa farofa que de fato o amor... a tristeza apenas um dos temperos e a espera por algum que entrar por essa porta uma incessante busca.


como se no houvesse o amanh, pois somente esse momento de vers importa-me, nada como o acaso, o sol que mesmo sem ser convidado invadi as janelas e refletem o que meus olhos simpatizantes com o abstrato fielmente escondem de ti, no que eu queira mentir, apenas reservo-me o direito de omitir, comprimir elementos i
ntangveis e fazer um amanhecer de um amanh que pouco me importa um pouco mais agradvel. 


Agora sim! Virei as paginas amarelas e ganhei varias em branco para escrever mais uma vez minha estria.


 
Refaa meu sorriso, secando minhas lagrimas ansiando tua volta.


Desistir no denota minha fraqueza, apenas meu cansao!


Otempo transforma, transmuta ou destri! Quer saber, o amor tem prazo e perece o meu chora pelo fim.


Amo muito, amo sim, no posso conter apenas te digo com clamor... Eu te amo



 
Senti uma vontade tamanha de poetizar os meus
demnios e crucificar minha candura, meus prstimos mais doces foram despedaados e meus impetuosos desmandos obedecidos! Sanidade,capricho ou meramente meias verdades? Apenas uma louca analogia, de como fui, como estou ou como ficarei ps perceber que quando o tempo bobo, no h tempo para minhas tamanhas babaquices, sobrevivo dizendo que estou bem! Mentira? Do que importa? Viver de fantasias e ter todos os carnavais para comemorar meus infortnios!


Lilian (Preta) Cascalho

postado por 91800 as 12:41:16 # 2 comentrios
sexta, 02 abril, 2010
Sambas e glorias...

Sambas e glorias momentos sobre o edredom juras ou injurias sobre calunias infame do amor, to puramente paixo, pele a pele despida, descascadas de tudo aquilo que no somos, de tudo aquilo que escondemos de nossas mentes errantes, pecado ou o simples desejo de te possuir? Desapropriado para alguns, sublimes ao gosto excntricos de outros, perguntas e resposta completamente retricas, o vazio, do vazio de algo ainda mais vazio, como os dias sem teu cheiro invadindo meu olfato, como um buraco negro que aflorou no dia, do dia em que ansiei o teu pedido de unir nossas almas em seu nico corpo, como a ausncia jamais cessada por nenhuma, repito nenhuma outra companhia seno o meu sbito e desesperado anseio de ter voc unicamente para mim.

Simples como o vento to simplesmente te amo, sem qualquer outro interesse somente que voc saiba que muito perdeu em no me querer, porque sempre fui sua e eu muito lamento, pois nada perdi at mesmo porque voc nunca fez qualquer questo de me dar o seu apreo, apenas os resqucios de seu bem querer por outrem que no satisfaz seu ego, que te renega assim como me renegou por todos esses mais de 365 dias que esse frenesi que alguns chamam de amor, nasceu e pereceu dento de mim

Sambas e glorias momentos sobre o edredom, frvola apenas recordo esses momentos de veras inesquecveis, irei mais longe memorveis, que perturbao, de nada me adianta recordar, quanto esmero infantil faa da seguinte forma deixe-me ir, eu partirei silenciosa, apenas acompanhada do som de minhas lagrimas sedentas para molhar minha face, chega dessa utopia de acreditar que esse caso seria um dia meu nico e verdadeiro amor, uma crnica doena de acreditar no teu fingido sorriso e no teu olhar amplamente dissimulado e desprovido de qualquer ou de toda verdade. Antes de te dar o meu adeus, darei a ti esse ultimo e emocionado escrito no para lamentar, tampouco para sucumbi a minha dor, apenas para imaginar seus olhos molhados e incompreensveis relendo incansveis e buscando resposta para minha partida, saiba que eu no irei, mas voc vai lembrar e senti falta de mim e todos os sambas e glorias e nossos inmeros momentos sobre o edredom.

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 03:53:37 # 4 comentrios
quarta, 31 maro, 2010
Um brinde...

Nada mais impossvel que conserta o possvel ontem na outrora ou na aurora boreal que se passou por defronte aos nossos olhos pecaminosos, como se no houvesse alternativa mais trrida alm de aceitar que somente podemos amar os amores que nos so impostos no h quem verdadeiramente amamos que devemos respirar o ar que nos sobra no o que necessitamos.

Que brindemos o amor eterno e que se terno enquanto no nos provoque dor, que os beijos sejam infinitos enquanto houver mel que os adoce ardentemente, que possa haver brio para que eu o deixe quando o costume for maior que a candura de amanhecer todos os dias ao seu lado.

Ponderar meus erros no me trar a to sonhada paz, nem me conhecer acima de todas as outras coisas que me ronda faria com que os dias que passaram tornem-se mais assertivos, apenas me trariam a angustia frrea de perceber que foram dias infames perdidos, pois no sou e jamais serei capaz de consertar o possvel ontem.

Macerar meus mpetos tornando-os apenas meramente elemento de meu sombrio descontrole no te faro compreende meu jeito torpe de amar, apenas te trar certeza de minha impossvel e falha misso te fazer me enxergar com seus olhos pecaminosos como uma aurora boreal como o sol prpura que nasce e poucos apenas alguns escusos podem apreciar, tentar te mostrar o quanto posso to simplesmente te tocar com meus lbios quentes e te provocar profanos arrepios no te provaro meu clamor, no mesmo, apenas enchero teu peito orgulhoso e arredio de tuas verdades corriqueiras de te seu ser impetuoso e tirano coberto de certezas.

Que brindemos o amor eterno e que ele possa um dia te ensinar a ver beleza no obscuro, a beber gua da nascente profunda de meus olhos lagrimados pela tua renitente ausncia e que dure o tempo suficiente para que eu possa ouvir de ti o meu to sonhado e esperanado eu te amo.

 

 

Lilian Cascalho.


postado por 91800 as 01:41:34 # 0 comentrios
segunda, 22 maro, 2010
Lapso do tempo, espao e o vento...

Lapsos sobre o tempo, o espao e o vento, como se houvesse uma lacuna que fortemente desloca-se entre as montanhas e todo o oceano.

Inicialmente proponho-me a rabiscar verdades e insanidades em meus breves relatos de como enxergo os reveze dos acontecimentos. Tudo amanh no estar l como esteve, e onde estaremos?

Buscando percepes, aguando os sentidos ou nos enganandoem qualquer sarjeta fria, deixando que outros deflagrem nossos sonhos, decomponham nossos planos e subtraiam a quem realmente somos.

Guarda-chuva,  beija-flor e porta-avies e tantas outras palavras compostas de tantas, tantas coisas que perdemos ao longo do lapso entre o tempo, o espao e o vento, com a sinttica busca por o que nos completaria para todo o sempre, como se fossemos apenas meras palavras que necessitam de complemento para ganhar sentido e a completude  da existncia.

Lagrimas desesperadas, sorrisos forados e despedidas manipuladas por lapsos do tempo, o espao e o vento, mesmo que houvesse escolha no poderamos simplesmente modificar o que se construiu em meio a tantos edifcios e arranha-cus e toda a selva de concreto  que solidificou meu corao, mesmo que eu pudesse mudar o que passou no privaria minha alma de ter partilhado minsculos momentos motivados por total emoo. Desconheo a a razo e suas artimanhas denos esconder o toque da seda, o sol prpura e o desejo de desejar o abstrato, o desconhecido e o inexplicvel.

Suponho que haver perguntas a cerca sobre o que tentei expressar, na verdade estou apenas rabiscando sentimentalidades que me toma em excesso meus poros , pois na verdade no almejo a compreenso, no h necessidade de saibam sobre o que ou quem estoufalando, muito me interessa que todos saibam onde esto seus lapsos entre o tempo, o espao e o vento.

 

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 11:53:26 # 0 comentrios
segunda, 18 janeiro, 2010
Sugiro o silncio...

Sugiro o silncio do que tuas meias palavras, tuas inverdades ou tuas mentiras to mal elaboradas que certo nem a compreenso e indulgncia to meramente infantil seria de completo entendimento, sugiro o silncio que macerar meus ouvidos com sua voz irritante insistindo em me dizer que sente minha falta, que precisa de mim, fato, voc no precisa! No dessa forma to sem querer, to descomprometido, to absorto e sem qualquer pertencimento.

Sugiro sim o silncio, pois ele fala muito mais a mim, quando permanece intuitivo, quando o meu querer est acima de qualquer outra verdade, ou quando, meus sonhos no se esvaem em torno de suas aperreaes de querer suprimir minha complexidade e me enche com seus complexos tolos que no me convm com sua fraqueza e medo incomensurveis.

Sugiro apenas o silncio do que acreditar que a paixo que sinto apenas um capricho egocntrico do meu ser que necessita de ti para manter-se vivo e aquecido em algum lugar em algum serto, em algum deserto sem Oasis, apenas a terra seca e sol comumente rido que doura as peles de quem insistentemente encontram-se como eu, desprotegidos de uma couraa de uma carapaa, esto como eu sem xito, sem arestas para aparar, sem caminhos para seguir sem um cais para aporta, sem asas para voar e sem amor para acalentar seu desalento, sem cura para as doenas, sem paliativo para a dor de amar e nunca, absurdamente, nunca ser amado.

Sugiro ao meu silncio que se cale que no balbucie sequer qualquer palavra que suponha a ambigidade de meus dissabores ou que desconstrua meu relato to rebelde as tuas palavras dbias e confusas, no quero e dessa vez no vou fazer-me transparente com um cristal para enxergue to facilmente o que tento ocultar com essa lente cinza sobre meus olhos, sobre esse sorriso corriqueiro, sobre esse sugerido silncio que te oferto com tanta presteza apenas para ningum alm de meu travesseiro molhado com minhas lagrimas sofrveis saibam o quanto clido e voraz o amor que carrego por ti.

Por isso hoje quero e sugiro apenas o silncio.

 

Lilian Cascalho

 

 


postado por 91800 as 09:25:02 # 3 comentrios
sexta, 15 janeiro, 2010
E voc foi me deixando...

E voc foi me deixando solta leve e avoada de meus pensamentos to absortos, deixou com quem eu pudesse voar sem seu brao forte para apoiar meu pouso muitas vezes forado, longe de toda felicidade e das belas noites que desfrutei ao montes com seu corpo nitidamente esculpido que brilhavam na escurido do meu louco anseio de te tomar por cada gole seco de teus desejos, voc foi me deixando pouco a pouco, dose por dose do meu usque amargo e quente como nossos beijos ao cair da tarde daquele mesmo dia da semana peculiarmente escolhido por ti, fui levemente escorrendo por entre teus dedos, saindo das tuas mos e me desprendendo dos teus abraos ainda febris e eu fui me prendendo, me perdendo at no saber mais onde comea teus olhos e terminam os meus sonhos, pois, estamos sim, estamos presos pelo frio que entra na janela e por toda pobreza de sentimentos que se alastra com a nossa separao.

Eu uniria o universo aos meus lbios para te dar todos os elementos, meu fogo, minha gua, minha terra e o ar que transcorre do meu pulmo ao meu olfato que se acostumou que viciou a sentir somente e unicamente o teu cheiro e eu esperaria de ti somente teu sorriso e tua existncia para sentir-me nica, fracionaria meus medos em uma equao que tivesse como resultado dessa matemtica lgica o teu amor absoluto, mas voc foi me deixando para trs, sempre um passo atrs da tua pressa e eu sem perceber fui me amarrando ao teu calcanhar e fui seguindo invisvel te seguindo nessa perigosa estrada e fui me arranhado, me machucando, me sabotando para no perceber que aos poucos eu ficava na estao do esquecimento, porque seus olhos j no me enxergavam mais.

E voc foi me deixando solta, leve e avoada de sanidade, alimentada de obsoletas mentiras e reticente por um final feliz que no haver de certo afirmo, no haver, entretanto pressuponho que mesmo me enganando com minhas fabulas incautas e pstumas, seguirei presa as minhas fracas e francas meia verdades esperando voc prender-me novamente em sua vida.

 

 Lilian Cascalho

 


postado por 91800 as 10:56:42 # 2 comentrios
quarta, 13 janeiro, 2010
Sentimentalidades insanas...

Percebi nesse dia que nasceu as luzes, nuances e pra-brisas indicando um lado de mim que at pouco desconhecia, facilmente me vi buscando caminhos para amargar minha solido, dessa vez realmente sozinha, mas com o corao ainda preenchido de teu toque sedoso, no que eu queria me abster de uma possvel felicidade, apenas tenho o hoje em minhas mos delicadamente surradas por um passado doloroso e um futuro que nem ao certo sei se terei ao teu lado ou completamente afastada de ti, sinto a amargura e saboreio lembranas e promessas de sonhos daquilo que eu jamais pude ter, no que eu no merea apenas preferi acreditar que sozinha estarei impermevel as chuvas que trazem e levam sensaes muitas vezes no to doces, grande parte destas sensaes so as de perder ou ganhar, perder tempo com voc e ganhar muitos motivos para chorar e eu no posso mais.

No agento mais esses quebra-cabeas imperfeitos, no suporto mais essas peas que superficialmente encaixam-se e com o passar do jogo percebemos que ela estava todo tempo no lugar errado e tudo volta de novo, do inicio, do contexto do recncavo de nossos magos estritamente ferido, apenas no quero mais jogar, muito dei e quase nada recebi, acometi meu corao de doentias paixes e me alimentei da demncia da falta de recproca, eu no vou partir aquilo que a muito tenta cicatrizar, logo prefiro ocultar que ainda tenho corao para no expor esse rgo que sofreia meus impulsos tentando conter loucamente essa rebelio de sentimentos contidos em meus olhos que ainda vem as luzes, as nuances e os pra-brisas levando-me a caminhos onde no h, no h revolta, no h canto de pssaros e vo de beija-flor,  h apenas esperanas de continuar viva e vivendo da subtrao de dores e da somatria de minhas estrias pecaminosas onde claramente podem ser vistas pelas cores, pelas nuances e pelos pra-brisas da sentimentalidades insanas de minha mente sem qualquer razo.

 

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 12:08:22 # 2 comentrios
segunda, 11 janeiro, 2010
Um gole de ns...

Hoje no, hoje no pretendo falar da dor da tua rejeio, ou ento, do sabor do abandono, no quero e me omito dizer que sei que findou todo o clamor e o calor que eu tinha de ti, contarei a quem quiser ouvir, interessar ou ler, apenas de todo apreo que senti de ti durante esse tempo mgico, sem lamurias, sem lamentaes, sem qualquer duvida de que valeu, valeu sim, valeu muito a pena ter voc como eu tive, por inteiro, por completo, pedao por pedao de voc, centmetro por centmetro de tua assimetria perfeita.

Quando perguntares a mim o porqu de minha louca e assumida paixo.

Responderei que foi somente por que me olhou com ternura por entre aquele espelho, vou contar que conversamos sem qualquer compromisso e que me encantei com teu timbre de voz, deixarei bem claro que nosso primeiro beijo no foi um dos melhores, estvamos to nervosos que parecamos crianas que acabavam de fazer uma descoberta misteriosa de um caminho cheio de sensaes que no se explica apenas sente-se. Vou ocultar nossos momentos mais ntimos, alguns no entenderiam a qumica, o entrosamento e toda afinidade que tnhamos quando nossos corpos desnudos e suados encontravam-se to perfeitamente, seriamos julgados imorais, quando na verdade ramos apenas duas almas sedentas de um gole de ns!

Deixarei que sejam essas as memrias que guardam de ns, mesmo sabendo que aqui dentro ainda sinto uma determinada dor de no poder usufruir e deleitar-me de todos os prazeres que ofertamos um ao outro, ainda sim quero que saiba que um amor assim no morre, apenas silencia por um tempo esperando que um dia possamos nos encontrar e ento viver um final feliz.

 

Lilian Cascalho.


postado por 91800 as 10:01:06 # 0 comentrios
sexta, 08 janeiro, 2010
Nunca mais ns...

Nunca mais eu, nunca mais voc, nunca mais ns dois, no h o que lamentar apenas sorrir com os olhos marejados de lagrimas e deixar com elas declamem meu relato desse amor que valeu, que valeu pelas lembranas e por toda a pluralidade de sentimentos que desfrutei, dos mais impuros e profanos aos nobres e diplomticos.

No se preocupe comigo, estarei bem mesmo que voc no escute mais minha voz, estarei por ai dividindo com algum estranho nossa estria rescrita com pontos e acentuaes ortograficamente corretas provocadas pelas voltas e atrasos do destino.

Uma mentira dita amide torna-se uma efmera verdade.

 - Eu estou bem!

Hoje apenas choro, pois no h mais nada, absolutamente nada alm do fato que nunca mais eu, nunca mais voc e nunca mais ns dois!

 

 Lilian Cascalho


postado por 91800 as 05:25:45 # 2 comentrios
quarta, 06 janeiro, 2010
Final de muitos fins

Ainda que soe como uma terrvel inconstncia, mais uma vez decreto minha partida infeliz da sua vida, carregando como sempre as veias latentes prestes a romper pelas feridas que ainda esto marcadas em minha pele e em meu corao, feridas essas causadas pela tua insensibilidade em me negar o balsamo da liberdade eximindo o meu direito de sair por completo e em definitivo dessa estria com tantas paginas transcritas com diversas cores distintas e nuances no to prpura.

Liberta-me

Retire de meus ouvidos tua voz protuberante e perturbadora e nunca mais cante nenhuma cano com suas promessas e juras jamais cumpridas, lave meus lenis com seu cheiro naturalmente doce e entorpecente que penetrou entre as fibras, rasgue nossas fotografias e queime para que o vento no as traga em minha janela aos pedaos retalhados de ns dois aps esse temporal que cai l fora nesse momento.

Se o amor perecvel ele no carece de frio para manter-se consumvel e sim do calor, do aconchego para que essa semente germine e essa arvore floresa por muitas e muitas outras primaveras, se ele for eterno sucumbirei mais essa verdade, se o amor for infame morrerei pecando, pois mesmo que tente, sucumba aos olhos alheios aqui ele sempre viver sepultado com nosso epitfio descrito na singela lapide

- Nosso amor queimar como o fogo febril de nossos corpos desde o instante que nos olhamos pela primeira vez.

Tua vaidade me faz pequena, no tolero mais tuas pernas fortes seguindo por esse caminho que eu no tenho foras para seguir, sem voc no posso e no consigo caminhar, mais preciso aprender sozinha, apesar de hoje no ser mais eu, por que ainda tenho tudo de voc, meus olhos precisam enxergar alm dos teus, mesmo que por instantes eu ainda flagre-me te olhando fixamente em minhas lembranas ternas, que no seja eterna essa dor de te esperar ressequida de palavras, carente de teu abrao, abstinente de teu corpo e sedenta de teu beijo.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 05:23:45 # 2 comentrios
quarta, 23 dezembro, 2009
Chega!

Chega! No de voc e sim de mim!

No suporto mais minhas andanas por entre meu ego lastimavelmente deteriorado buscando com todo afinco sucumbir dor da rejeio, no posso mais com minhas lagrimas teimosas, no suporto mais meu urros de desespero todas as vezes que voc se esvai em outros braos, que aporta seu corpo em outros abraos, no d mais, cheguei ao limite que minha pouca sanidade me permitiu.

Ento...

Voc com certeza foi e ser sempre meu melhor amante, com toda certeza nunca esquecerei de voc, na verdade no quero mesmo, quero apenas deixar com que as lembranas sejam doces, que os nossos beijos memorveis, nossos abraos eternamente aconchegantes.

Por isso prefiro nosso adeus que seja assim suave como o vento, antes que magoas sejam plantadas, antes que nossos olhos no se admirem mais e que nosso encontro no passe apenas de mais um erro do destino.

Acredito que seremos mais teis na vida um do outro distantes, ausentes, errantes por outros caminhos que nos levaro ao mar, ao ar ou a qualquer outro lugar em que no exista voc nem eu, um lugar onde exista apenas a promessa de sermos livres e felizes com total completude e plenitude.

Leve meu sorriso em teu pensamento e meu cheiro ainda marcado na tua pele, o seu com certeza estar aqui em mim vivo, denso e palpvel, um dia, um dia talvez? Encontremo-nos somente para dizer que apesar de tantos acasos nosso caso valeu, valeu muito pena!

 

Lilian Cascalho

 


postado por 91800 as 10:15:17 # 1 comentrios
tera, 15 dezembro, 2009
No h mais...

Olha para fora da tua janela!

Repara?

No h mais meu sorriso estampado nas sacadas, no h mais meus beijos soltos ao cu voando buscando tua boca sedenta, no h mais as gotas do meu suor caindo como chuva anunciando minhas batalhas para te alcanar.

Aparta tua pele da minha, pois hoje j no somos mais um, nem meio tampouco um dia teremos fim, meus dilacerados prstimos esvaram-se por onde o rio encontra o mar e eu escorreguei avidamente por entre teus dedos, j no te perteno mais, j enxergo com meus olhos que no so mais to falhos como antes, j dedilho em meu velho violo minhas prprias canes e sua voz no inebria mais meus ouvidos vorazes.

Hoje restam apenas pequenas e condensadas lembranas explicitas das noites em que nossos gemidos eram ensurdecedores ao silncio do mundo que atentamente acompanhavam o enlace de nosso amor. Ficou para trs toda magia, todo inexorvel mistrio de nosso destinado encontro, eu tinha que est naquele momento, naquele lugar, mas deixei naquele mesmo dia a paz que eu sigo incessante buscando.

Desejo-te muita sade e novos amores, que abrandem teu corao to frio, que roube de ti calafrios e que queime teu corpo de tanto prazer, mais saiba, ningum far isso com tanto, com tanto apreo, tanto afinco como eu fiz, mas voc ser feliz por que aprender com a minha partida que todos precisamos de mais que palavras ditas sem nexo, sem pertencimento como as murmuradas por voc a mim.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 06:20:58 # 2 comentrios
segunda, 07 dezembro, 2009
Perda de tempo...

 

Perda de tempo

assim que me faz pensar

Quando ignora meus gritos ao teu nome

Perda de tempo

a dor que sinto quando vejo seus olhos seguindo outro olhar

Perda de tempo

a saudade que acomete meu corao, quando voc no est

Perda de tempo

o frio que me consome nas noites que seu corpo aquece o de outrem

Perda de tempo

quando desejo somente a ti e voc somente a ela e mais ningum

Perda de tempo

escrever para ti enquanto minhas sentimentalidades so vista pelos teus olhos como infmia ou mero capricho

Perda de tempo

agora que choro minhas magoas em meu quarto escuro trancado para o mundo

Perda de tempo

acredita que um dia voc ainda me amar

Perda te tempo

sonhar com voc todas as noites e saber que voc nunca vai chegar.

 

Tudo isso apenas perda de tempo...

 

 

 

Lilian Cascalho

 

 

 

 

 


postado por 91800 as 03:50:14 # 5 comentrios
Manhs gelidas...

Hoje nessa manh to glida como tantas outras que j tive, percebo em meus olhares ainda turvos que o dia nasceu com um semblante mais clido que os outros, nada fora do esperado, j que a cura para as dores so constantes e homeopticas, minha apatia pelo teu desdenho se tornou avidamente uma questo de honra.

Cada segundo que no penso em voc uma vitoria inestimvel ao meu ego devidamente ferido pelas falidas tentativas do teu regresso. No me importo e pouco suporto teu sorriso estridente que nada diz, apenas expressa toda imensido do to absoluto vazio, pelos teus desamores, pelo teu egocentrismo mortal e por tantos e tantos defeitos que teu sorriso disfaradamente infantil traduz aos meus olhos acostumados com to fingidas exatido.

Partir agora no representa mais nada, por tantas vezes voc partiu meu corao e eu sempre o reconstru com foras tiradas do mais profundo mago, da minha to subestimada essncia, da minha to grandiosa necessidade de possuir-te, mas agora chega, chega de fingir que somos perfeitos um para o outro, meu tudo no se completa ao teu nada, meu muito no pode e no vai somar teu pouco, meu amor no vai suprir tua carncia, eu no sirvo para voc e voc se faz incompatvel a mim.

Hoje nessa manh to glida aqueo minha alma com meus planos, com meus anseios to particularmente ministrados para o que desconheo, permaneo como deveria estar pensativa e pensante, redundante aos meus pleonasmos mais mergulhada ao fundo de meus meios buscando incessantemente o meu fim, no o fim da linha e sim o fim de meu amor por voc.

 

Lilian Cascalho.

 


postado por 91800 as 01:34:17 # 2 comentrios
quinta, 03 dezembro, 2009
Paginas amareladas...

Retornando a estrada da destreza, hoje me deparei com meu velho caderno de folhas amareladas e linhas finas e sensveis, como esta meu corao nesse momento, extremamente amarelado cansado do tempo, estremecido pelas voltas e revoltas de tuas idas e vindas, estou como fragmentos dissipados espalhados minusculamente pelo cu, mar e ar, como fagulhas soltas ao leu.

Condenso meus sonhos primrios, para inescrupulosamente viver todas as nuances desse amor, com voc no tenho escolha no tenho refugio, tem que ser assim, assim como seu desejo fumegante deseja que seja. Sei que no sou limpa, no sou pura para merecer seu amor, meu desejo primitivo de fmea feroz deseja teu beijo, teu sexo de macho no cio, satisfao seu ego com meu rugido intermitente de prazer voraz.

Abandono a realidade, para inspirar-me no mais abstrato silncio, pois os gritos desse mundo to particularmente excntrico calaram minha essncia e deixaram minhas paginas amareladas pelo abandono de meus escritos e pelo abandono de seus carinhos.

Teria poucas palavras para consolar-me nesse momento, como um lenitivo, um paliativo para essa dor to persistente, assim como a esperana de possuir-te que no finda com tua ausncia, to pouco com a chuva que se esvai por entre as ruas, os carros, os pra-brisas e sobre meus olhos que ainda brilham com as lembranas de nossos encontros.

Ainda com meu velho caderno de paginas coloridamente amareladas, deixarei um pouco dessa tarde, um pouco de minha boca e de meus olhos, apenas para que saiba que no h, no existe nada nem ningum que me seja to real quanto aos fantasmas desse amor que incansavelmente persegue meus sonhos nas noites em que nossos corpos esto demograficamente separados, mais sei que na tua pele meu suor ainda escorre e na minha teu cheiro est impregnado manchando meus lenis com a dor do teu desprezo e as minhas lagrimas de saudades.

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 06:51:42 # 3 comentrios
sexta, 18 setembro, 2009
No fao mais parte

Acordei com olhos diferentes daquilo que sempre vi, na verdade acordei com olhos mais sinceros, concordo que um pouco drstico revelo:

- No fao parte disso.

Estou longe de adaptar ao todo, ao mundo, aos iguais, no me sinto melhor por pensar assim, em verdade sinto-me to distinta que percebo no merecer compartilhar esse espao, essa lacuna, essa cratera que me pusera dizendo ser meu cantinho, dizendo ser meu lugar ao sol, lugar ao sol? Vivo em trevas constantes dentro da claridade que me assombra e deixa meus olhos ainda mais cegos, no quero fazer parte disso.

Minha escrita hoje despreocupada com acentuaes, com pargrafos, totalmente aptica a eloqncia esperada daqueles que tentam fazer-se entender por meio das palavras escritas, chega no me interesso mais pelo teu certo ou errado ou por essa viso ambgua que impusera sem ao menos solicitar-me, no opinei, no escolhi, por isso nessa hora qualquer desse mero dia sem qualquer bafaf corriqueiro no fao mais parte disso.

Fugindo de minha essncia sentimental, no vou te levar na minha viagem concentrada em minhas idas e vindas do mesmo lugar de partida, voc se encontrou nesse mundo contemporneo, voc, voc, encontrou-se nesse copo, nesse trago, nessa matilha, seu uivo mais voraz e meu sussurro apimentado de minha rouquido no tem mais relevncia aos teus ouvidos alienados aos mesmos e tortuosos lamentos das runas da selva de pedras que nos rodeia, chega no fao mais parte disso.

Hoje eu no quero sair, eu quero ficar, eu quero molhar mais no quero secar, no quero acertar apenas cometer erros permitidos pela condio de ser to humana quanto s mes que choram os filhos que no voltaram das guerras e que guerrilhando nas mesmas guerras de que no voltaram cortaram o fio vital de outros e suas mes tambm choraram, e eu, eu que nunca tirei um sopro de vida que me cerca, seja de pessoas, seja das paixes que carrego dentro de mim sem ter coragem de atir-las nos morros lendrios do esquecimento carrego em meus olhos, em meu rosto, em minhas marcas quilos e quilos de magoas imensurveis.

Sigo fazendo meus temporais em terras ridas onde minhas chamas sero leves brasas, que atearo fogo mais no queimar, somente aquecer os coraes endurecidos pelas constantes amarguras que o nada causar. Tenho medo de ir embora, mas no tenho foras o suficiente para assumir que me assombro com a solido que acomete minha alma aflita por que no me vejo velha, no me enxergo nova s lembro-me de quando era criana, onde sonhava,sonhar? Algo esquecido dentro de um sepulcro, na minha vala fria e rasa, com ps e bocas esmigalhando minha sensibilidade ainda meramente infantil.

Confuso e passional meu escrito de hoje carrega essas qualidades, esses adjetivos to subliminares quanto eu, to subjetivo como o mundo, to irnicos com ns, o mundo e eu! Mas assim que desejo ser vista, com incompreenso, com duvidas, com criticas, com o julgamento daqueles que se acham superiores, quero ser levada a julgamento e queimar nas fogueiras da inquisio, pois se no posso praticar a leviandade que me foi doada desde o nascimento no me interessa viver sobre esses olhos atipicamente escusos, eu os ignoro e se eu no posso optar pela dignidade de partir de tudo isso que no quero fazer parte, suplico que me deixe, no perturbe meus segundo de sanidade, meus suspiros de realidade, deixe-me nessa linear de no saber onde eu comeo e se um dia terminarei. Eu quero, eu vou e eu posso experimentar tudo que eu achar conveniente, despida de preconceitos, despida de mim, de que vale a vida, se no nos deliciarmos da profanao insana dos sexos, dos sabores, dos cheiros e dos sentimentos?

Eu respondo:

- No vale nada!

Em 25 anos se eu no puder ser aquilo que Deus me deu.

Prefiro, opto, escolho, suplico.

No quero mais ficar aqui!

 

 

Lilian Cascalho (em crise)

 

 

 

 


postado por 91800 as 02:22:55 # 2 comentrios
Inconstncia

Vu de concretos e muros divide nossas almas de algo que no sabemos por completo explicar, sensaes distintas e um pouco tanto insensatas tomam meus poros e minha boca ressequida de teu beijo to atpico, mais com tanta candura e doura ao menos tempo clido e fugaz. Provei de sentimentos silenciados pela selva de pedra que nos rodeiam em uma sacada do 29 andar. Ao ponto de jogar-me, lanando-me no incerto e saboroso acaso, das entrelinhas alvas de teu corpo. Foi bom ter voc, sentir seus nervos e msculos contrair-se ao meu toque, ao meu beijo e aos meus sussurros e gemidos afoitos, seus olhos vidos sedentos dos meus buscando minhas pupilas dilatadas ao xtase do prazer, to carnal, to intenso, mas com toque de minha tamanha inconstncia imprudente que me tranca dentro de meus prprios personagens, dentro de outra mulher que me habita nesse e em muitos outros dias.

Foge de mim, afasta-te de meus mpetos impuros, se no quer tua alma maculada com meus desejos profanos, pois essa sou eu, aquela que no tem medo do escuro, que no se arrepende quando erra, que chora quando magoa, que sorri quando no consegue responder, que ouve mais que fala que fala muito por que j ouviu o que interessa e j sabe o que dizer no momento oportuno, foges pela janela, pois as portas se trancaro e te prendero aqui, em mim, em ns.

Eu no serei culpada de nada apenas mais uma vitima de algo que como disse no inicio no sei explicar, apenas mais uma que deixa a vida tomar o rumo de seus desejos e no deixa que um segundo precioso seja desperdiado, que vive intensamente por que no saberei onde estaremos daqui a um ano.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 02:21:28 # 0 comentrios
tera, 25 agosto, 2009
Somente por hoje...

Somente por mais esse momento, nesse poucas linhas que escreverei, falarei de voc dessa forma to ldica e coloridamente infinita, por que s hoje percebi que no h mais nada que prenda a esse sentimento to unilateral, chega de dualidades para pensar em voc, no estamos mais unidos e pronto!. Chegaram ao fim nossas inmeras e imensurveis noites de amor, amor? Sim prefiro chamar assim, algo to formidvel que duvido s eu ter sentido ou percebido.

Talvez em mim no haja mais amor, talvez no haja mais clamor, to pouco haja a certeza de um novo encontro ou reencontro at mesmo a certeza do eterno desencontro, mas no suporto a ausncia, no mais a sua e sim a minha, confesso que me ausentei milhes de vezes e hoje me percebo longe de mim para eu mesma, ao ponto de no perceber que tudo est passando, voc, o tempo e minha vida que se esvai a cada dia que permito sua presena em minhas vises, em meus sonhos e meus anseios.

to ilgico, incauto e sem qualquer chance de percepo a fora voraz que me consumo em minhas guerras, em minhas insensatas e egocntricas batalhas perdidas por ocultar que no h mais por que, no h mais nada nem em mim nem em voc, tempo perdido, desprendido e ameaado pela tnue e frgil sensao do erro, erros ambguos e sentimentais, falhas to meramente infames e inexorveis me levam hoje para o ultimo pensamento de voc, me levam hoje a o ultimo momento que te escrevo dessa forma to desatenta de meus medos, to absorta aos meus princpios e to destemida de minhas lagrimas que molham o meu ultimo e definitivo adeus.

Sem mais mais ou lamurias sem fim, v,v mesmo! E leve contigo a certeza que outras te amaro, mas no, nunca com a mesma intensidade insana que me fez perder o centro, a sanidade e a vontade de no continuar respirando sem o ar que abundantemente te rodeia e somente te peo que deixe aqui o que me resta, s por hoje! Tua lembrana, teu cheiro e teu beijo ainda em meus lbios sedentos da tua saliva quente.

Por que s hoje falarei de voc, para voc, sobre voc com voc ainda vivo no meu corao.

 

 

Lilian Cascalho.


postado por 91800 as 03:54:41 # 4 comentrios
quinta, 13 agosto, 2009
Para que morrer?

No h o que mudar em mim, eu me sinto fria e aptica a qualquer situao, mas ainda sim percebo que tudo que senti foi to forte, to intenso no quero deixar morrer, para que morrer? Esse amor to fugaz to belo e to calejado pelas idas e vindas de ns. Hoje no doe mais e no doer tenho certeza.

Aos poucos vejo o sol se abrindo para mim...

Eu consigo ver outros horizontes, outras vertentes, outro dia, um novo alvorecer sem qualquer pretenso de te possuir novamente, apenas certa que terei paz, sozinha ou acompanhada? Tanto faz, quero apenas viver em paz com meu corao inteiro, refeito e clido.

Retorno de minhas buscas e de minhas andanas por entre braos e abraos estranhos um pouco cansada, imune aos costumeiros sorrisos, descrentes das lagrimas de outrem, acreditando apenas que nunca, nunca mais irei encontrar em ningum tudo que tive em teu beijo e eu me sinto fria e aptica a qualquer situao.

Certa de minha urgncia  no canso de bater na curva continuo correndo nas paralelas, nos centros aos meios de minhas estradas, carregando uma alma rica de estrias no to belas como aos dos contos, mas to minhas, to particularmente minhas, ao contrario dos outros no falo era uma vez... Sim mais uma vez... Somente para ilustrar, para inocular todo veneno depositado em minhas veias pelos reveze de meus momentos insanos, quero somente to somente depositar em minhas memrias crnicas ou cmicas, tanto, tanto faz! A veracidade de meus amores amigos amargos morenos bandidos por que sei que nada por acaso.

 

 

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 06:04:11 # 2 comentrios
quinta, 25 junho, 2009
Imagem distorcida...

H sobre as ruas os carros. Sobre a janela os pssaros. Nos pontos mais ou menos frequentados os seus pedestres. Contudo em um passado presente, ainda h voc.
Eu me rasgo tentando repetir, embora no sem dor, todas as palavras que dissemos. Mas no me arrependo dos insanos momentos nos quais me declarei a voc. Saiba apenas que eu quero de volta toda a ternura, toda a luxria que eu dediquei ao seu mudo jeito de dizer ambiguas, roucas e sussurradas palavras. E ento temo me ver. Olho no espelho uma imagem enfraquecida, retorcida de mim mesma. Acontece, que estou to misturada e  absorta vejo aos dois, minha pele misturada em voc, os olhos j nem so os meus, e a boca reluz um brilho de um beijo que voc j esqueceu. No, eu no mereo estar aqui. Tento refletir.  Nesta frequncia que s sintoniza voc. E por mais ldico que possa parecer, saiba que de certo modo, sim, eu me deliciei saboreei aos poucos a sua desviada conduta. Absurda. Sempre dando um jeito de me convencer. E ainda que parea impossvel eu tentarei, conseguirei me livrar pedacinho a pedacinho de voc. E os espelhos voltaram a ficar claros sem refletir a imagem distorcida que ainda tenho de voc. Eu s queria deixar claro. Que os meus cinzeiros no mais perteceram ao seu estpido jeito de me entender. Sim, eles no existiro, mesmo que eu ainda sinta falta. Falta de voc.
E mesmo com tudo isso, continuaro existir os carros, as ruas os pedestres e muitas explicaes sozinhas, sobre eu e voc.
Presente de um grande amigo Marcos Vieira

postado por 91800 as 12:08:32 # 0 comentrios
tera, 23 junho, 2009
Por qu?

Queria ter o privilegio de fugir desse lugar para no saborear esse banquete frio posto sobre minha mesa, talvez distante de tudo que vejo no teria que degustar sozinha de todo o sentimento que eu guardei para lhe oferecer.

Quanto demrito, por qu?

Sim, me responda por qu?

Eu gostaria de entender!

De ao menos ouvir algo que viesse de voc.

Os silencio alm de ferir, perpetua palavras que jamais deveriam ser sucumbida, seu silencio sepulcral me leva aos prantos contnuos, me entontece de tanto desprezo, que confesso acredito nunca merecer.

 Leva isso de mim, toma o que te pertence e no precisa olhar para trs, eu no estarei mais aqui sofreando minhas emoes, estarei onde a chuva termina e o paraso comea, ento vem buscar meus prstimos e diga-me olhando nos olhos, por qu?

Se no tem coragem de olhar-me pela ultima vez, responda-me da forma que melhor lhe convir j que voc passa tempo demais apenas olhando somente para si, olha sua volta e enxergue a mim, mendigando um nico murmrio, um adeus!

No quero mais nada, s estar longe, de voc, desse algum que me tornei, quero partir deixando contigo esse ser serviu e incauto, pois estou fugindo levando minha pouca bagagem e a certeza que longe de voc eu estarei muito mais feliz.

Ento apenas responda, por qu?

 

 

Por Lilian Cascalho.

 


postado por 91800 as 05:41:02 # 0 comentrios
Para voc...

Desculpe-me se no ficar ao seu contento, mas j faz algumas semanas que no me inspiro e no escrevo sobre minhas primarias e abstratas emoes, mas hoje encorajada pela circunstncia resolvi escreve a ti!

Como so divinos os acontecimentos do acaso, como so dignos e sutis os reveze da vida, estou falando de nosso encontro.

Curioso no?

Talvez voc no ache, no quero te convencer de minhas crenas, de meus sincretismos, quero apenas que saiba, no acredito que nada pode ser mudado uma vez que destinado.

 No posso negar o prazer enorme que sinto quando falo contigo, quando nos aproximamos em palavras j que existe uma distancia fatdica entre ns.

Espero que nossos dilogos sejam infinitos, regados de muitos assuntos incomuns ou no, o que me importa se somos diferentes? Absolutamente nada somos perfeitos dentro de nossas inmeras imperfeies, somos virtuosos sobre nossos defeitos e somos nicos, nicos de nossa espcie com pensamentos e atitudes to particulares e peculiares e isso que te torna no meu ponto de vista extremamente especial.

Aos poucos saberei o que mais te apetece o que te encanta, poderei ser mais coesa em minhas palavras e menos leviana em te dizer obrigada, por que nesse momento no explicaria de modo que me fizesse entender.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 05:39:33 # 0 comentrios
sexta, 22 maio, 2009
Ternura

Meu broche dourado, meu amuleto sagrado, meu amigo irmo, meu companheiro amado.

Perdoe-me se no disse nos olhos teus o quanto te tenho ternura, candura e apreo.

No demande sobre meus ombros feridos a fria de meus erros to primrios, ainda sou criana perante a tua sapincia desse mundo ainda to minusculamente desfrutado pelos meus poucos e poucos anos.

Desculpe se eu te escrevo assim to sem querer, to sem dizer o que todos dizem quando carregam a culpa de no ter dito nada, ento do meu jeito, meio sem jeito te digo apenas te amo, no por que fcil pronunciar, mas sim por que anseio em minha alma e provenho todo esse sentimento em meu peito...

...No sei se fui ou um dia serei clara, pois no escuro do meu leito clareio as idias e memrias de uma noite com luzes incandescentes do arco-ris que nasceu  ps chuva de nosso encontro.

E l somente l na escurido que clareia, no frio que te esquenta, na gua que te seca, no vento que leva at os meus braos, eu poderei te explicar o meu infinito e sublime amor.

 

Para um grande amigo Marcos Vieira.

 

Por Lilian Cascalho


postado por 91800 as 06:49:08 # 0 comentrios
sexta, 08 maio, 2009
No sei

Ainda h tantas coisas presas na minha garganta, coisas que eu queria que soubesse, por intermdio de minha voz, de meus escritos ou at mesmo do meu silencio.

Eu queria gritar com voc dizer o quanto eu estou mal, queria te contar que esses dias eu chorei, chorei muito mesmo e por Deus eu no queria sofrer.

Mas no se preocupe.

Fechei essa porta, estou sentido uma coisa estranha como uma dor, mas na verdade no doe, apenas sinto a saudade que vai ficar por muito tempo e a angustia de saber que voc estar por ai em outros braos, recebendo abraos que no sero os meus, que h algum tempo eu tenho guardado somente para lhe entregar no momento em que voc me chamar, estou sentindo minhas mos tremerem, meu corpo tremer, mas estou inerme, parada aqui na estao final desse trem da vida, onde o amor passou e eu nem vi.

Adeus meu bano, meu Orfeu, no sou tua deusa, s uma mortal, que morre nesse anseio de te dizer to simplesmente fica comigo, s comigo.

Mas no diga nada.

Voc diz muito mais a mim quando permanece calado, desculpe-me as lamurias e os meus excessos, mas sou assim e gosto de ser livre, mas sonhei por tantas e tantas me prender em tuas pernas, teu corpo e em tua vida, como fui absorta e incauta, entretanto fui ao menos fidedigna e no menti quando disse que te queria, quando disse que partilhava meu corao com sentimentos sublimes doados aos montes voc. Estou partindo, mesmo sabendo que isso no far a menor diferena para voc, mas queria que soubesse somente que soubesse.

Mesmo com tantas diferenas entre ns, quis fazer parte de tuas manhs ensolaradas e dividir com voc meu calor nas noites frias, que eu tanto adoro, estarei distante, mas voc ainda estar em mim, como lembrana, devaneios ou apenas como um vento que provocou alguns temporais, mais a chuva logo cessou, pois minhas lagrimas se esvaram nos rios que dividem nossas vidas.

Invejo-te, muito, por suas razes fortes e bem segmentadas e me envergonho de ser to sonhadora, intensa e infame, queria que voc me ensinasse a ser destra e eu te levaria ao infinito com minhas leves asas, um dia talvez, talvez? No sei!

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 09:39:01 # 2 comentrios
quinta, 30 abril, 2009
Noite difcil

Noite difcil longa e intensa como poucas que tive at hoje, por Deus no quero repetir, horas interminveis, uma vida em alguns minutos, me senti triste e com muita vontade de chorar, mas estava sozinha, mais vez sozinha, j no tenho mais ouvidos disposto, nem ombros consoladores, muito menos pensamentos compreensveis.

Voei longe em minhas alucinaes, toquei muros que dividiam coraes, opinies e uma infinita multido, vi runas de muralhas milenares que protegiam os mais abastados de si mesmo, mergulhei em mares mortos, vermelhos e azuis, banhado de sangue, lagrimas e pertencimentos, avistei mortos, vi vivos, vi o que jamais desejei ver, assisti a morte perto dos olhos dos meus olhos, provei da assimetria perfeita desse amor que j provoca furor, furaces e no to sublime e sereno como dizem, mas me causando dor, magoa e fria.

Dancei no stimo cu o bailado das borboletas e mariposas buscando a luz, buscando a luz, juntei-me aos menestris fiz trovadas e serestas silenciosas em meu corao, entreguei minha alma a um peregrino que encontrei e me disse que cuidaria de meus anseios melhor que eu.

Por Deus no quero ter outra, ouvi e silabei algumas vezes, mas tudo que me lembro e de caminhar, mesmo cansada lembro-me de parar algumas vezes no para lamentar mais para agradecer e dizer que uma s basta.

Eu j aprendi na madrugada dentro sem um trago, um cigarro qualquer, sem beijos nem queijos, sem medos ou pesadelos, trazendo em minhas mos caneta e papel e para me aquecer de minhas lamurias a esperana de um hoje melhor que ontem.

 

Lilian Cascalho

 

 

 


postado por 91800 as 10:40:46 # 1 comentrios
Para um grande amigo...

Intimamente olho nos teus olhos e vejo alm daquilo que voc se esfora piamente em demonstrar aos outros, no que voc no seja verdadeiro, mas sim defensivo. Sei que a vida amargou alguns de seus dias porem te deu anos muitos felizes.

No saberia expressar com palavras a intensidade do meu amor por voc, da minha admirao e at mesmo da tolerncia que muitas vezes me faltou, mas em pensar que no dia seguinte sua voz no estaria do outro lado para me aconselhar ou at mesmo rechaar me causam imenso pavor, ento voltou atrs e sou complacente com teus enganos, at mesmo por que fingi no v os meus, nossos defeitos so to perfeitos dentro da imperfeio de sermos iguais.

Como engraado os revezes, as voltas, os mandos e desmandos da vida, nos encontramos, nos odiamos e hoje nos amamos loucamente de uma forma incompreensvel aos pensamentos da multido que nunca ou talvez jamais compartilhem da mesma inrcia de nos olharmos e sabermos o que o outro pensou mesmo que por um instante, de saber diferenciar um grave ou agudo, um lagrima derramada ou sucumbida, uma dor que ainda est por vir.

Um amor transcendental, uma alma gmea que de to distinta parecem to peculiares, uma forma de desejar a presena da alma, do esprito e muitas vezes o conforto de saber que voc existe j me faz acreditar em algo bom, quantas vezes fraquejei, me vi insegura e tive mais que um ombro, mais que mos para erguer, tiveram braos que me carregaram e sei que carregaro quantas vezes sejam necessrias at que eu saiba seguir nessas estradas estranhas sozinhas e recproco, mesmo que meus braos no sejam to fortes, ainda franzinos esto aqui disponveis para te segurar, afagar e por que no te carregar quando necessrio.

Tenho medo de te ver voar e o infinito te levar para sempre, mas sinto que esse dia est por chegar, espero estar no cais quando tua vida desancorar e seguir no imenso oceano, para te dizer o quanto meu amado amigo voc foi, e para sempre ser especial e essencial em minha vida, esse amor que sinto por ti imortal, como os deuses gregos que vivem mitologicamente sculos e sculos, mesmo dbio para os outros extremamente verdadeiro para ns, amor de amigos, amor de irmo, amor construdo com muitas lagrimas, desentendimentos e recomeos, amor que muitos tentaram ferir, indagar mais que no morre apenas adormece e acorda como um vulco cada vez que algum feri o teu corao.

Sempre estarei aqui para voc, assim como voc mesmo distante sempre esteve em algum lugar com minhas lembranas em teu corao.

No poderia cometer a infmia de no finalizar com uma nica frase simples, fcil de repetir e que poucos como voc ter o prazer de ouvir de mim.

Eu te amo.

Lilian Cascalho.

Para meu querido amigo Jonas.


postado por 91800 as 10:08:18 # 1 comentrios
Pretssima.

Preta, no d cor do carvo, mais sim marrom da cor da canela e do cravo, noz-moscada e urucum temperam essa farofa, essa mulata, essa brasileira, menina-moa levada, leva ao desespero os coraes que te desejam, refaz o acaso e traa seu prprio caminho.

Louco quem te segue, pois voc voa sobre os arranha-cus, some atrs dos montes e ressurgi num sinal de luz atrs das montanhas que rolam as pedras quando se enfurece, quando seu Orfeu, seu camafeu, seu servo se esvai em outras bocas, em outros corpos, em outros temporais que no os seus.

Dona de verdade, dona das vontades e de tudo mais que quiser que seja seu.

Fruto dos jardins do den, fruta mordida, degustada e adora pelos escravos, por seus muitos escravos que bailam na inrcia sobre os lagos dos cisnes e voc faz sua existncia nica, faz tua ausncia doer e sua presena audaz.

Mulher, menina, criana sua voz adoa, seu sorriso inebria e seus beijos envenenam entorpecem quem deles provarem, em teus seios aporta o amor, em tuas mos a espada e no teu destino a luta, o desejo de vencer incondicionalmente e a vitria por merecimento de ser perfeita, de ser deusa e de ser imortal.

Lilian Cascalho.

Para uma querida amiga Crislaine.


postado por 91800 as 09:58:45 # 2 comentrios
quinta, 23 abril, 2009
Cama em chamas

Meu negro afortunado da pele macia como morsa do sorriso inocente que esconde a maldade fugaz de levar minha alma aos pedaos e eu aqui chorando toda vez que voc se vai e no me leva em teus sonhos, que no me afaga em seus braos e no me aporta em seu cais, em seu peito.

Escuta meu corao, s por um momento, ele chama por ti, ele torce por ti e nos ltimos meses desse ano espera por ti, ansiando tua voz em meu ouvido e tua boca percorrendo cada milmetro de minha silhueta ardendo e clamando cada gota do teu suor, da tua saliva e do teu nctar do prazer.

No sou imoral ou profana, s sedenta de luxuria, da baixeza do ato de misturar nossos sexos molhados em um bal clssico, em uma dana suntuosa finalizada a um agudo ou grave gemido.

Deita ao meu lado ou em cima de mim, tanto faz desde que voc esteja dentro de mim, por inteiro, por completo sem restries, me sente e me faz sentir voc.

Vem e enlouquece, me enlouquece, me toca me lambe e me mata de desejar voc.

O que eu no quero e sonhar sozinha dorme comigo, amanh eu deixo voc partir, mas prometa que volta, pois minha cama em chamas te espera.

Lilian Cascalho.


postado por 91800 as 01:45:54 # 2 comentrios
Franqueza

Perdoe-me a fraqueza e a franqueza mais no posso mais lutar por voc, no dessa maneira, to desleal, o que eu tenho de voc?

- Nada alm de um talvez.

Por favor, abandona meus sonhos, liberta meu corpo desse desejo sujo e imoral de possuir o teu pela manh, nas tarde e em todas as noites desde que te conheci, deixa meus lbios saciarem no daquele que me oferte ternamente o que os teus de to selados deixou de me dar a tempos.

Permita que o mundo abra outras janelas em minha alma que fechou as portas aps tua to repentina e surpreendente partida, se no pode ser romntico seja humano, dei-me o alivio de dormir sem sua sombra em minha cama.

Eu ainda quero viver ainda preciso viver voc faz de meus medos apenas momentos de sandice, faz de minhas angustias atos de imaturidade, faz de meus sentimentos meras iluses, enquanto eu lamento no marasmo dessa interminvel letargia, fao de suas esperas as minhas, de suas indecises minhas esperanas de ser no final das contas sua escolha, deplorvel, no sei como fiquei assim, como cheguei aqui, mas sozinha sem teu adeus no consigo sair, me ajuda, eu preciso de um fim.

Ou ento me engana e me diz que vai voltar, pois o que meus olhos errantes no enxergam a chance, voc me parece cada dia mais distante, mais impossvel, eu j no tenho mais sanidade mental para seguir nessa busca constante por seu corpo negro, eu j no sei mais em qual rua nossas vidas vo se encostar e se encostaro de fato, vou me dar o beneficio da duvida e esperar que um outro espelho nos una em qualquer de repente, j no sei o que eu quero de fato se tua ausncia eterna ou tua presena momentnea, ento vem faz alguma coisa em minha vida.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 01:40:16 # 1 comentrios
Loucura

Queria de fato estar louca, pelo menos assim eu teria coragem de desafiar os medos que me prendem a essa atmosfera nostlgica de apenas me contentar com as lembranas de momentos marcantes sim eternamente marcante, ao menos enlouquecida, bateria na sua porta, na sua janela e tambm na sua alma silenciosa, quem sabe assim abalar as estruturas desse concreto macio que te enreda e te protege de meus caprichos e de meus desejos incontrolveis de te possuir como o ultimo dos meus desejos mortais.

Como no te desejar?

Se tudo que desejo e ter voc, ter algum como voc, mas sempre estou atrs e perdi o trem que me levava voc, hoje estou aqui parada na mesma estao, repetindo seu nome ao leu, ao quatro ventos surdo, ser que voc volta?

O inverno, que inferno chegou o frio, a chuva e tua ausncia, so elementos chaves do meu desespero, exagero?

- No, somente o amor, o amor que doe e macera meu corao em uma enorme parede de magoas infinitas, porque voc me deixou sem ao menos dizer adeus?

- No precisa dizer agora, pois no seu adeus que vai me suprir do calor to abundante em teu corpo suado, sedento e clido.

No pense que te quero por alimentar meu ego do impossvel, te quero pelo fato de no conseguir mais conceber a idia de deixar outro tocar minha pele, simplesmente porque  todos os outros se tornarem apenas detalhes que prefiro nem ao menos lembrar, te amo apenas pela certeza que no quero, no vou viver buscando em um escuso o que voc me oferta aos montes, vontade de vencer me faz forte para criar planos e aes para me aproximar de teus olhos e te fazer me enxergar, mesmo que eu passe alguns dias no escuro procurando onde me perdi quando teu sorriso brilhar em meus dias tudo ficar claro e eu no terei mais duvidas nem anseios, terei voc em meu colo, em meus braos para sempre em minha vida.

 

 

Lilian Cascalho.

 


postado por 91800 as 01:40:12 # 0 comentrios
quarta, 15 abril, 2009
Desassossego

Foges de mim como se no tivesse culpa de ter me despertado toda essa paixo.

Ignora meus apelos, meus gritos como se no ouvisse a minha voz estridente chamando inconsolavelmente seu nome, curioso esse fato minha voz foi algo que lhe arrancou uns primeiros dos poucos elogios que me fez.

Faz de conta que no sou nada, sou escusa ou no merecedora de sua companhia, isso me fere, corta a minha alma com uma navalha friamente afiada.

Reclama de meu jeito passional, da minha inconstncia e das idas e vindas que fao em tua vida, como se eu tivesse escolha, como se eu pudesse recuar de meus mpetos, j que voc no me deixa um caminho as claras, eu busco janelas entreabertas para penetrar em alguns instantes em seu quarto, eu vou mais sempre volto para essa melancolia infernal, esse marasmo de aguardar suas chamadas ao telefone ou seus chamados, seus mandos e desmandos sempre prontamente atendidos.

Sou culpada sim, de estar a merc desse amor ensandecido, de me render aos seus caprichos instintivos de suprir teu desejo de possuir um corpo, no propriamente o meu, declamo-me conivente por todas as vezes que te alimentei que nutri seu ego com minhas palavras doces e sentimentais, quando te dei todo o sentimento que eu tinha guardado aqui no meu corao.

Ainda sim voc peca por no ser recproco no do amor que te ofereo sem muito cobrar, mas sim pela falta daquilo que mais estimo entre meus iguais, a lealdade que te falta em todos os teus poros, seja leal voc e me dispense da sua vida, se voc no me quer por perto, me permita ficar longe, sem sua voz torturante, sem seu corpo que subliminarmente envolve o meu em uma atmosfera altamente carnal.

Se ainda sim com esse pedido to verdadeiro e puro, voc no puder ou quiser pensar na possibilidade de me dar conforto e me tirar desse desassossego, te peo uma coisa abundante em tua essncia, me mata a vontade de voc.

 

 

Lilian Cascalho

 

 


postado por 91800 as 02:01:15 # 0 comentrios
Reticncias...

H muito tempo, muito tempo com todo nfase te espero em minha vida, desde menina j sonhava com algum que me faria ter sensaes to intensas e inesquecveis como as que senti ao seu lado.

Causa-me profunda estranheza a forma to sutil e fullgs que voc surgiu em meus dias, lembro-me com exatido quando vi teu sorriso a primeira vez, havia  o primeiro de muitos obstculos que surgiriam em nossas vidas, mas isso no me impediu de seguir acreditado que aquele sorriso, aquele olhar me diziam mais que  apenas simples futilidades mundanas, de veras eu estava certa, ali surgiria algo que nem mesmo com rico vocabulrio conseguiria explicar.

Amor?

Paixo?

Desejo ou capricho?

No sei!!!

No ria de mim, eu realmente no sei e com toda sinceridade que me confere, prefiro no saber, o acaso to mais interessante quando tudo que me resta so vagas esperanas.

No me agrada de voc a forma to silenciosa que me diz no me querer em sua vida, perece interminveis as horas que no passam, que atormentam minhas noites de sono, antes de sua breve passagem eram to letrgicas, hoje, ah hoje so intermitentes  e inconsolveis.

Espero pelo ponto final dessa estria que de bela s tem meus pensamentos e feliz fica por conta de minha to frtil e criativa mente, mas ainda sim imploro de ti no mais uma chance j que nunca tive alguma, clamo pela quebra desse teu sigilo, peo o fim desse teu modo to particular de no dizer.

Voc tem tantas qualidades, tantas virtudes que passaria o resto desse dia enumerando e catalogando, mas nesse caso um defeito teu que me pe em desespero, o teu desamor por mim, ento vamos acabar com as entrelinhas de nossas longas prosas ou se voc me disser que devo termino esse escrito da sua forma, do seu jeito, obtuso e reticente...

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 11:54:22 # 0 comentrios
quinta, 09 abril, 2009
Desatinos

Estou sentada agora em meus desatinos, tentando encontrar respostas para perguntas que eu nem sei fazer, tentando imaginar em qual momento deixei me levar dessa forma to insultante e ftil.

Sinto-me insana diante de minhas ultimas atitudes em relao voc.

Penso em gritar teu nome at que minha voz no tenha mais fora.

Mais no vai adiantar no ?

Eu sei que no, no fundo acho que por isso deixei de viver a realidade para me alegrar de uma estria ldica e potica, confesso bem mais proveitoso uma vez que meus pensamentos so correntes e frutferos alguns preferem chamar de frteis, eu uso outra nomenclatura e mais uma vez fao apenas aquilo que me deixa mais confortvel diante de uma verdade inexistente.

Entendeu?

No, no ?

Mas no tem problema, essa era minha inteno, j que nunca entendo seus atos, por que seria clara dizendo que te desejo como nunca antes desejei algum, voc no precisa saber que sinto sua falta todos os dias, durante todo o dia e lamento noite, mas sou incisiva voc no precisa saber, no mesmo, no precisa ouvir de mim, pois de certa forma inexplicvel voc conhece minha alma, melhor que eu, pois hoje eu j no tenho mais a menor idia do que estou fazendo, se estou certa ou errada, eu quero pagar o preo desse engano.

Quero d um n, na verdade quero te enlouquecer, no com tantas duvidas como eu tenho, mas de uma paixo avassaladora e duradoura, ao ponto de perder o cho em baixo dos ps de voar mais alto que o normal, de ir a lugares em teu subconsciente, e te levar aonde sozinho ou com outra pessoa voc jamais chegaria ou chegar.

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 06:28:19 # 1 comentrios
quarta, 08 abril, 2009
Noites Glidas

Calo meus gritos pavorosos diante da solido nessa noite glida e abstinente ao seu corpo to minuciosamente esculpido com tanta perfeio, eu diria divinamente feito mo.

As lagrimas que antes eram constantes hoje congelaram diante da frieza do seu olhar que cruza os olhares de outra, recebo de seus lbios no mais os beijos ardentes e febris e sim o teu to sepulcral silencio.

Eu ainda almejando o impossvel, sonhando com um milagre que compreendo mesmo com toda minha ignorncia nos assuntos do corao, no vai acontecer.

 Prossigo divagando meus pensamentos nas raras horas que estive e tive voc ao meu lado, foram poucas porem repletas de tanta calmaria dentro do olho do furaco com todos os nossos atos profanos e indecentes, ainda sinto seu gosto na minha boca e seu cheiro impregnado em minha pele, isso demais para mim demais mesmo, ao ponto de ver-me louca perscrutando em outros corpos o que encontrei to abundantemente no teu, prazer, luxuria e a pele mais macia, mais sedosa que j senti tocar a minha.

Mas agora como ensandeci nessa paixo to voraz, necessito olhar para algum lugar que no tenha voc e como prova de que te quero to bem como nem mesmo desejo mim, te presentearei com minha ausncia permanente em sua vida, te darei a libertao de minha voz no telefone, de minhas mensagens e de meus apelos aflitos para que voc no me deixe sozinha  em mais muitas outras glidas.

 

 

Lilian Cascalho

 

 


postado por 91800 as 04:33:02 # 0 comentrios
quinta, 02 abril, 2009
Mentiras pitorescas

Sinto-me vagante, como os meus pensamentos infames que te buscam na constante de sentir as emoes vividas apenas ao teu lado.

Sinto-me  fluente como as guas do rio que desguam no mar, correndo de um nascente a outra sem parada, em filetes, gota a gota.

Sinto a dor desse amor, que nasceu, mas no morreu em minha vida, mas encontrasse enfermo, debilitado a um passo do fim.

Tenho certeza que voc vai se arrepender, por todas as vezes que seu telefone tocou e voc ignorou meus apelos aflitos de ouvir sua voz, vai sentir a dor do desprezo, da segregao que alfinetam minha alma com tanta crueldade.

- O que eu te fiz?

- Desejei-te demais? Esse foi meu grande erro?

- Doei meus prstimos aos excessos a voc, esse foi o meu pecado mortal para merecer todo seu desdenho?

Pense, so perguntas retricas.

No me interessa mais suas respostas prontas e subjetivas, no desejo mais ouvi-las e perceber que voc nem ao menos se deu o trabalho de tentar me enganar.

Isso me engane, finja que se importa, comigo e com todos os meus singelos sentimentos.

Finja que um dia foi verdadeiro, no um mero devaneio de vero, eu prefiro um outono de esperanas e um inverno inteiro glido e ressequido de sensaes profanas, do que acreditar que voc no sentiu nada.

Prefiro saborear-me de suas doces e apetitosas mentiras pitorescas, ao ter que ouvir seu silncio ensurdecedor.

Existem alguns maus benignos, ento hoje deixa com que eu te encontre, beije teus lbios e faa amor contigo, amanh? Amanh eu deixo voc decidir se fica comigo ou se vai para onde sua sorte te levar.

 

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 01:28:09 # 0 comentrios
quarta, 01 abril, 2009
Corda Bamba

Andando na corda bamba, equilibrando meus medos nas pontas dos ps da bailarina que de to leve parece flutuar sobre o stimo cu, sem pudores  salto para a vida da sacada do meu apartamento no 15 andar, e caio sobre voc.

Dissimulo meu eu  insano, meu eu passional, mas quando me vejo s em nosso quarto sobre os lenis ainda com teu cheiro embaralhando nas fibras de seda, rasgo tuas fotografias aos meios e depois colo com minhas lagrimas desesperadoras aguardando teu regresso, sua volta ao me peito, minha cama e minha alma.

Em meio multido que vai ao rumo daquilo que julga certo para seus cotidianos mrbidos, sigo caminhado para o nada, o to puro e vazio nada. O cheiro de tinta fresca nas avenidas e seus arredores com suas propagandas propagando um amor perfeito visto apenas nos livros poticos daqueles que no viveram, duvido que viveram, mas escreveram to belissimamente versos to bem elaborados e descritos com palavrrios eloqentes.

Dizer que sofrer pode ser opcional bastante dbio, tendo a prova de que tudo que eu desejava hoje e a recproca das minhas aes, como eu, logo eu poderia optar pela dor, pela omisso?

Sem premissas, sem medo da leviandade que muitas vezes me toma os poros, eu ao certo lhe respondo.

- No, jamais escolheria sofrer por ti como sofro agora, mas tambm no posso simplesmente negar todo esse sentimento, somente por que feio se assumir fraca e apaixonada por algum que nunca vai chegar.

Acredito que um dia voc voltar, eu estarei aqui tentando me equilibrar na corda bamba, saltando meus medos que esto espalhados pela sala de estar e pronta para te receber com meus braos abertos e lbios sedentos de tua saliva.

Pode ser que eu seja um ser utpico, degustando uma nostalgia de algo que passou, ou ento, uma grande sonhadora que de tanto desejar voc, um dia te terei em meus dias.

 

 

Lilian Cascalho

 


postado por 91800 as 04:40:55 # 0 comentrios
Egosta?

Desculpe-me o egocentrismo, mas novamente falarei de mim e com toda redundncia pertinente, falarei tambm da solido e da tristeza que de to leais que jamais me abandonam.

Portanto no teria como falar de mim sem falar dos dias to artisticamente pintados de cinza fnebre das fumaas dos carros que vem e vo contramo, todavia desconheo as mos e os rostos daqueles que me supriram de algumas ausncias, mas to presa em meus prprios anseios no vi ou ouviu um nico murmuro com o tom to particular da tua voz, que nessa melancolia seria a que tanto queria ouvir.

Desculpo-me mais uma vez pelo tamanho egocentrismo, mas ainda presa as palavras daquela cigana que to brilhantemente leu nas entrelinhas de minha mo que eu te encontraria em qualquer de repente e te reconheceria como meu desde o primeiro instante que meus olhos te fitassem e de fato ou coincidncia eu te encontrei como ela me disse, te vi, te olhei e me entreguei ardentemente essa nova emoo, no vivida at o momento.Agora  no consigo me convencer que no certo te desejar com todas as minhas energias, nem que para isso tenha que consumir todas e qualquer foras para alcanar o xito de te possuir como alimento de meus desejos mais ntimos e secretos.

Alguns ousam me denominar egosta por querer ter tudo, eu usaria a palavra obstinada, sou at bastante  altrusta, veja s estou sofrendo sozinha e calada tendo apenas como companhia em muitas noites o meu velho caderno com meu pedao de lpis para rabiscar meus dolorosos sentimentos, como egosta? Sei que voc est em outros braos e ainda sim te desejo felicidades, no te quero ao meu lado obrigado ou trazendo a lembrana daquela que marcou tua vida com uma estria que eu s poderei competir quando voc abrir as portas do seu corao.

Enquanto essa espera constante no cessa, fico aqui lamentando minhas tristezas e amargurando a solido, no me importo de ser taxada redundante ou egosta, somente me importa saber que voc entende e aceita meu amor verdadeiramente.

 

 

Lilian Cascalho.


postado por 91800 as 04:33:44 # 0 comentrios
tera, 31 maro, 2009
Clandestinos

Enquanto a humanidade barganha um lugar ao sol, eu s quero ver o cair da noite, para te sentir aqui ao meu lado ou sobre mim.

Enquanto todos batalham um amor para mostrar aos alheios, quero voc no escuro, no obscuro aos olhos daqueles que jamais entenderiam a fora desse amor fullgs .

E quando a cidade dorme, no silencio das bocas escusas, eu vou ao teu encontro, totalmente desprovida de preconceitos, vou nua, despida de meus valores que s me levaram ao caminho da solido, quando te encontro o mundo para, as horas se tornam infindveis e intermitentes, fao amor contigo como jamais fiz ou farei com outro que no pode me ofertar esse furor que s em teus braos eu conheci.

E quando o sol nasce eu vou junto com a neblina que cobre seus olhos e no te faz enxergar a realidade,  eu vou para meus guetos imaginrios, para o meu mundo de segregao, me esconder de meus amores inacabados, de meus medos enlouquecidos e da solido que acomete minha alma nas manhs em que voc no me acorda com seus sorrisos contentes.

No me importa que outros me vejam como infeliz, o que faz com me sinta grande e vencedora,  ter a certeza que hoje s fao o que tenho vontade, certo ou errado?

- Pouco me importa!

Eu tenho amor por mim e por voc, tenho voc nas madrugadas frias, tenho voc para aquecer meu corao que gela longe de ti,  e se eles so infames demais para entender, eu no sou hipcrita para  fazer me entender por meio da fora bruta, estou acima, estou frente, esperando voc olhar para mim e se enxergar na minha alma, ai sim poderemos ter um elo normal perante aos outros e usufruirmos da clandestinidade dessa paixo para sempre.

 

Lilian Cascalho

 

 


postado por 91800 as 03:11:51 # 0 comentrios
quinta, 05 fevereiro, 2009
Labaredas

Nem sempre o amanh

mais promissor do que j foi um dia

Foi um fim to previsvel

Para tantos acasos, tantos imprevistos

Labaredas

tudo que lembro

E sobre suas fascas incandescentes

Fecho os olhos para nos ver ainda juntos

Mas l atrs

Em um passado que no passa

E por muitas primaveras ainda estarei sozinha

E por muitos veres datados amargarei a solido

Pois essa rede de magoas no me prende mais

Tudo que ouo

So as trovoadas

Deflorando os cus calmos

E como em um passe de mgica

Vejo seu sorriso

Nos clares dos raios

E eu fao chover

Eu fao minha tempestade

Do nosso futuro no espero mais nada

Absolutamente nada

Mais guarde em seus lbios meu sabor

Pois levo comigo a nica certeza

Que voc fez parte um dia

De minha estria, minha trajetria.

Que ficou aqui nessa madrugada fria em que te escrevo esse relato

E se posso te dizer algo hoje

E apenas no pretrito bem imperfeito

Um dia eu te amei.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 07:04:11 # 1 comentrios
Dizer adeus

Dizer adeus

Nos traz o desprezo

Do navio que parti do cais e parti

Um corao que fica sangrando, deixando

Em partes a saudade e a outra o abandono

Sem olhar para trs

Ele vai cortando o imenso oceano

E navalha afiada corta a alma infinita sofrendo

Na proa sobre o cu azul anil

E o sol incandescente duas estrias se findam em um instante

No vai e vem da calmaria flutuante

A moa bonita que sangrou seu amor latente

Esvai-se em lagrimas doces e foge aflita

Pela tangente

Dizer adeus

to inerte

Ao mesmo tempo inerente

Que a inrcia do amor perdido

Sempre mais abrangente

Se dizer adeus to vazio e negligente

Leve meu at logo

Despeo-me irreverente

Tchau!

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 06:52:50 # 0 comentrios
Minhas armas

Entrego minhas armas

Pois cansei de atirar

De metralhar meus medos

De me privar de errar

Entrego minhas armas

E minha alma vazia

Meus sorrisos forjados

E o meu receio de olhar nos olhos

Daquele que to ardentemente me despreza

Mas no tenha medo

A munio de minhas armas so festins

Te chamei aqui para meu ultimo duelo

No desejo te matar

Receba o que te entrego

Minhas armas fictcias

Pois por voc no

Hoje no

Vou mais lutar

 

 

Lilian Cascalho

postado por 91800 as 06:43:39 # 0 comentrios
Liberta-me

Essa dor no quer passar

So como milhes de feridas latentes

Sinto sua falta todos os dias

Mesmo que voc no tenha feito parte de deles

Tudo bem eu assumo

Perdi!

No d para continuar negando

Declaro-me fraca

Voc sabe que voc

Voc sabe que por voc

Ento crave essa espada nesse amor

Que nem mesmo seu desprezo abominvel

Conseguiu matar

Se voc no pode mais sustent-lo

Ento assassnio

Mas no me deixe mais aqui

No assim lamentando no ter voc

No poder ter voc

Voc venceu!

No quero, no sei, no preciso

Mais jogar

Esses seus jogos letais so tortuosos

Muito mais que o meu corao sangrando pode suportar

Ento o sufoque

Abstraia-o de mim

Por que se para viver assim

Eu no quero viver mais

Brincando de ser feliz

 Fingir algo que nosou

Dissimulando meus olhares

Forjando meus sorrisos

Tira essa mrbida esperana de mim

E siga seu caminho

No me perturbe mais

No freqentes mais meus sonhos

Liberta-me

Liberta minha alma

Para que eu possa encontrar algum como eu

Que possa se inebriar do mesmo calor

Da mesma paixo

Do mesmo amor.


Lilian Cascalho



postado por 91800 as 06:35:54 # 0 comentrios
Deixe-me

No h mais nada

Que eu queira nesse momento

Somente o direito de chorar

De lamentar minhas perdas, minhas frustaes,

Sua ausncia

No posso conter as lagrimas

Que teimam impiedosamente em molhar nossas fotografias

Que marcaram em minha alma momentos to especiais

Confesso acreditei e jurei seriam eternos

Por isso reservo-me o direito de sofrer sozinha

Pelos meus erros e enganos

Deixe-me s

Amargurando minha melancolia nociva

E quando no restar mais nada

Lembranas e lagrimas

Eu vou me recompor

Sou doutora de mim

Sei me curar

Meu zelo, meus prstimos e minha paz

Quando eu voltar mais forte, refeita

E o destino assim quiser

Eu te contarei

A ironia do tempo

Que nos coloca no lugar e na hora exata

De perceber que mesmo no existindo felicidade eterna

Jamais haver tristeza sem fim

Eu te abraarei sem magoas, sem medos, sem rancor

E com a mesma voz doce que te disse muitas vezes eu te amo

Apenas direi obrigada

Obrigada por me ensinar a aprender

Com meus erros

Por chorar quando tive vontade

E por me reconstruir toda vez que algum

Partir meu corao.

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 06:12:52 # 0 comentrios
Separao

J que to difcil ficarmos juntos

Ento vamos desatar nossas almas

Vamos mascarar o destino

E faz-lo ver

Que juntos no estamos certos

Voltaremos ao inicio, do inicio

Do inicio de um novo comeo

E no deixaremos mais a porta aberta

No quero correr o risco de acidentalmente

Te encontrar

E nossos olhos em qualquer de repente

Cruzarem o infinito se tocarem com toda e tanta intensidade

Melhor deixar aqui todo amor

E levarmos em nossos coraes

A  certeza que tudo vai passar

Eu sei que est doendo agora

Eu sei que sim

Pois tambm sinto a dor da despedida, da partida

Do desamor

E das milhes e milhes de fagulhas dos nossos coraes

Se partindo, se separando para todo o sempre

Mais sei que essa a melhor escolha

A nica que nos resta

O caminho mais fcil, com menos obstculos

Voa, voa agora

Meu anjo lindo

Meu amor, meu ar, minha vida

Que eu voarei tambm

Para o lugar mais distante de ti

E que no haja nada que me lembre voc.

 

 

 Lilian Cascalho


postado por 91800 as 06:01:08 # 0 comentrios
Chega da sua certeza

Chega de toda essa certeza

Voc no sabe o que eu quero

Nem mesmo eu dona de minhas emoes sei

Sei que peito ainda di de saudade

E se findarmos aqui

Quero que saiba

Que te amo

 E mesmo quando eu disse o contrario

Nada mais eram que palavras

Palavras impensadas, mau ditas.

Me encontro hoje, como deveria estar

Sozinha!

Completamente sozinha e perdida

Mas no posso mais

Viver me ausentando somente para te esperar

No posso mais

Deixe-me ir

E levarei o melhor de voc

Esquea-me

Chega de toda essa certeza

Voc no sabe para onde eu vou

Talvez um dia eu volte para te contar

Ou que sabe voc viva a incerteza

De meu paradeiro

Mais viverei em tua vida

Como uma doce memria

De um tempo que sua certeza constante

Para sempre amargou.

 

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 05:47:28 # 0 comentrios
No pude conter

Fala!

Grita, liberta tua alma dessa louca emoo

Xinga-me,

Abre o teu corao

Nunca quis te ferir

Mas se te magoei

Peo teu perdo

Foi por acaso, somente o acaso

E se existe culpado

Para tudo isso, ele o tempo

Que voou e passou voraz

E me fez enxergar

O quanto perdi, enquanto parei de viver para te esperar

Esperei voc decidir

Se queria ou no ser dono do meu corao

No pude conter o destino

Fui acometida por uma nova paixo

Que me tirou o rumo, o centro

Roubou-me o cho

E se estou te dizendo tudo isso

E por que estou fazendo jus  pela nica razo

De existir

Fazer-me feliz

Voc vai reconstruir seu corao

E um dia me entender

Eu j no podia mais te fazer feliz

Pois tive minha vida tomada por outra

Estou a caminho da felicidade

No d, no posso

No quero te levar

Ento fique

Enxugue as lagrimas

Olhe para frente

Viva intensamente

E por favor,

Esquea-me para todo sempre.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 05:26:20 # 0 comentrios
V logo

No a mais nada para dizer

A porta est aberta, saia.

Pode partir, isso mesmo pode partir meu corao

No tem problema

Eu no me importo mais

Mas por favor,

V logo

V de uma vez

No prolongue mais essa dor

Eu quero respirar outra vez

Chega no vou mais

Desculpar-me por meus enganos

Se o amor acabou

No poderei ressuscit-lo

Ento o melhor a fazer ir

Ento v

Por que eu quero respirar outra vez

Mesmo que eu me afogue nos mares da solido

Ainda sim estarei em melhor companhia

E prometo que vou viver

Sem seu sorriso

Com tua ausncia

Pois quando cruzares aquela porta entreaberta

Eu vou aprender a respirar muitas outras vezes

Mas dessa vez s por mim.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 05:14:19 # 0 comentrios
Gole a gole

Em gole em gole

Voc se vai

Levando mais um pedao da nossa estria

E me deixando em pedaos

Por isso escrevo o amor que di

Pois o que sinto todas as vezes que recolho meus estilhaos

E me refao para que outros como voc faam o mesmo

Machuquem-me

E levam consigo na bagagem nula

Mais um pouquinho de mim

At no restar mais nada que queiram usufruir

Meus prstimos, meus pertences.

Meu elo, meu ego.

E eu deixo, pois a solido

De veras me apavora

Atormenta-me, tira-me  a destreza, a sanidade

Queria tanto,

Tanto que voc por aqui ficasse

Para que eu nunca mais tivesse que rabiscar em meus velhos papeis pardos

A dor do amor perdido

Pudera eu ter voc comigo para falar com propriedade eminente

Dos amores felizes, completos e sutis

Mas se voc meu amor, meu doce amor

Se for gole a gole

Minha esperana se esvai

E tudo que me restar

Ser apenas o cansao das minhas palavras de desespero

Ento fique

Deixe as malas sobre o cho

Abraa-me e toma-me

No s hoje

Mais em todos os dias restantes da minha vida.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 04:56:13 # 0 comentrios
Reza forte

Oi menino levado

Sorriso vadio

Olhar de safado

Pele macia como morsa

De chocolate meio amargo

Beijo febril

Boca feita pro pecado

Voa menino

Salta alto

Alcana a imensido

Voc merece o maximo

Leva meu gosto

Em seus doces e voluptuosos lbios

Fico aqui torcendo

Com minhas esperanas nas mos

De te ver por mais uma noite

De te ter por mais um vero

Rezo por ti

Uma forte orao

Para Deus te fazer vitorioso

E para que meu premio

Seja o teu corao.

 

Lilian Cascalho

 

 

 

 

 

 

 


postado por 91800 as 04:41:00 # 0 comentrios
Tempo, tempo, tempo

Eu vou roubando o tempo

Fazendo ele passar devagar

Tentando afastar a chuva

Tentando apagar a pressa

No me perder para te encontrar

E sigo na estrada imensa

Caminhando sorrateira

Fingindo no ligar

Para tua ausncia trrida

Para teu silencio mrbido

Dissimulo meus sorrisos fnebres

Dou lugar a olhares vidos

Que procura te enxergar

Por entre a nevoa negra

Que de voc o mau tempo tenta afastar

Prossigo roubando o tempo

Fazendo ele passar devagar

At o momento que os relgios parem

Voltem para trs

Para que minha vida

Na sua possa encostar.

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 04:34:17 # 0 comentrios
Simplesmente aquela

Eu sou aquela que desmenti o clich das historias contadas por aqueles que jamais provaram a incerteza do amanh, sufoco os contos de fadas vivendo a verdade de saber que viajo por entre estradas de barro e terra cravando meus ps na lama e saiu dos abismos por mos de quem renegou a fantasia e sucumbi o direito de sonhar.
Na varanda simples da casa de pau-a-pique vejo na janela do casebre uma moa ressequida de desejos e se esvaindo de amores nocivos esperando um cavalheiro que enfim lhe trar esperanas.
Viajo por mares calmos e mergulho na inconstncia feroz do vai e vem das ondas, mantenho viva a respirao na boca de quem nunca beijei ardentemente, mas me salvou da procura incessante.
O pescador descalo lana sua rede ao mar revolto e pesca peixes, oferendas, angustias e souvenires, com toda sapincia que lhe confere apenas recolhe seus pertences presentes e sorri.
Eu empunhando minha espada enferrujada pelas constantes batalhas que travei nas tempestades das tardes gris no emaranhado do embarao dos meus cabelos soltos ao vento, ainda luto para no degustar o sabor amargo que a maturidade nos traz, travo mais uma de minhas batalhas picas para continuar usurpando toda inocncia e indulgncia do sorriso doce de uma criana.
Eu sou aquela que no consegue seguir na destreza, sou aquela que perscruta outros caminhos alheios tentando em suma provar que ter alma livre no significa perpetuar a solido, mas viver a eterna certeza que h algum como eu benevolente, incansvel e inconsolvel, que nesse momento espera o acaso feliz do destino de fazer nossos olhares se guiarem para a mesma direo em rumo a suprema felicidade.



Lilian Cascalho

postado por 91800 as 04:22:37 # 0 comentrios
domingo, 21 setembro, 2008
Bom dia, boa tarde e boa noite

Bom dia, boa tarde, e boa noite.

Como  foi bom te dizer tudo isso

Menino do rio, do mar, do ar

Ai menino vadio!!!

Voc no me provoca s arrepio

Mais tambm furor, calor

Fervor, meu corpo entra em febre

Minha alma incendeia

Tua presena me envaidece

Tua beleza to particular

Seu sorriso meio escondido

Seus olhos pequenos e sensuais

Tudo isso me envaidece e muito

Te ter por um momento, te ver por mais um dia

Beijar-te em uma manh de primavera

Na chegada da primavera

Foi formidvel

Nada hormonal, apenas pele , apenas qumica

Somente desejo contido tempos, muito tempo

No vou dizer obrigada

Por que no te obriguei nada

Vou dizer apenas at mais

At outra noite, manh e tarde

Estarei esperando voc

Sempre, sempre

E sempre

 

 

Llian Cascalho

 

 


postado por 91800 as 10:03:28 # 1 comentrios
quarta, 23 julho, 2008
Donos do nosso destino

o destino tem mesmo o seu jeito de nos enredar,

 Envenenar e de certa forma enlouquecer

  difcil resistir as armadilha do tempo e sair ileso de grandes emoes

J que voc sem mantm aptico  ao fato

J que voc no precisa de uma nova luz na sua vida

J que a escurido desse amor

Apagou suas esperanas

E voc vai seguindo sozinho

Ouvindo somente seus lamentos

E o som de suas lagrimas correndo sobre seu rosto

Molhando e escondendo seus lindos olhos

E com o corao caindo aos pedaos

Voc no v

Que estou aqui

Que ainda estou aqui

Por voc e por mim

Em nome de tudo que j foi belo

Pois o destino

Tentou, argumentou

E nos levou para longe

Mas o meu amor

Transps todo essa distancia

Todo e qualquer obstculo

Que durante todo esse tempo nos afastou

Ento volte a sorrir

Vamos viver mais uma vez

A chance desse amor vingar

No se renda a chantagem  do tempo

E vamos mudar o rumo das coisas

Ser donos dos nossos destinos

Pois ele no vai mais

Nunca mais

Por toda vida

Conseguir nos separar.

Lilian cascalho e Marcos Vieira

 

 

 

 


postado por 91800 as 03:32:01 # 0 comentrios
Porto seguro

Olhe nos meus olhos vidos

E encontre certeza que te faz to fulgaz

Veja em meu rosto plido

As marcas desse amor

As marcas severas do tempo

Que impetuosamente destruiu meu sorriso

Que deflagrou meu semblante calmo

Voc levou minha paz

E hoje tudo que procura

E a certeza do meu amor

Do seu eterno e nico

Porto seguro

Sim eu ainda o amo

Eu ainda o venero

Quando voc partiu

Deixando me aqui com meus fantasmas vivos

Que me consolavam nas noites frias

Onde o vento sobrava incessantemente seu nome

E o remdio para tanta dor sucumbida

Foi a esperana de voc voltar

Naquele mesmo navio que te levou de mim

Naquele turbilho, no olho do furaco

E se voc precisa dessa certeza

Para voltar

Ento volte pois ainda estou aqui

No mesmo porto, no mesmo cais

Vendo os barcos e vida passar

Aguardando o momento do seu regresso

E o anseio de mais uma vez poder te abraar.

Lilian Cascalho

 

 


postado por 91800 as 02:55:00 # 0 comentrios
Vamos ser livres

Hoje resolvi ser livre

E te deixar voar

Resolvi ser livre

Te deixando partir

Mesmo que seja uma longa viagem

Que me parece sem volta

Voe meu beija-flor

E leve meu beijo doce

Busque tudo aquilo que  voc procura

E eu no pude te ofertar

Siga no caminho da luz

Deixe os ventos te guiarem

Eles sabero o melhor porto

Para voc repousa suas asas cansadas

E nessa longa jornada

Voc ter o meu pensando firme

Ligado, unido ao teu corao

Que ser seu farol

Te mostrando os perigos de seguir sozinho

E te livrando de todo e qualquer mal

E eu serei tambm livre

Mesmo querendo ficar presa voc

Voa, enxuga tuas lagrimas

E leva contigo o ultimo

Meu ultimo sorriso.

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 01:54:11 # 0 comentrios
segunda, 07 julho, 2008
Ainda te amo.

O que vou fazer de mim?

Agora que voc foi embora

O que vou fazer aqui?

Com sua lembrana

Ainda to viva, com tua presena

Com teu cheiro impregnado na minha pele

Com suas roupas em meu closet

Com tua marca na minha alma

E mesmo que voc volte um dia

Um dia!!!, talvez eu j no esteja aqui

Por que sua falta  vai me matar suavemente

Dia ps dia

Momento por momento

E eu,  o que vou fazer de mim?

O que vou fazer aqui?

No nosso refugio

No nosso reduto

Sem seu sorriso inebriante

Sem seus olhos cativantes

Sem seus beijos ardentes

Eu no sou nada

Absolutamente nada, sem voc

E no existe mais nada que eu queira nessa vida

Se voc no estiver aqui

Prefiro morrer mingua

Do que existir incompleta

Do que passar o resto da minha existncia

Lamentando sua ausncia

Ainda te amo.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 02:54:43 # 1 comentrios
tera, 24 junho, 2008
Por que dizer

Por que  voc prefere

Que eu te diga te amo

todo tempo,   toda hora

Se o mais gostoso de uma verdadeiro amor

ver

Ver a forma linda que eu te olho

Todos os dias quando voc ainda dorme

As palavras seriam abstratas para descrever

Tudo o que eu sinto

Por isso no falo

Eu prefiro sentir

Prefiro mostrar

O quanto voc essencial

Mas do que o ar que respiro

Pois sem seu toque, seu beijo

Sem seu gosto, seu cheiro

vida perde a cor, a magia

Sem voc no h vida

No minha

Ento no queira ouvir

O que jamais poderei dizer

Veja, sinta, toque-me

E voc entender o quanto

Eu te amo.

Lilian Cascalho

 


postado por 91800 as 11:31:39 # 0 comentrios
tera, 17 junho, 2008
Ps verdade

Um dia depois da verdade

Ai vai meu  desabafo apaixonado

Palavras ditas e ouvidas de um corao destrudo!

Picados em milhes de fagulhas

Eu precisava saber

Eu precisava ouvir de voc

Embora tenha e ainda esteja doendo

Sinto-me aliviada

De alma lavada

Por ter certeza

De que nada foi em vo

Meus prstimos, meu amor

Tudo valeu e muito

Valeram para que eu pudesse entender

Os reveses da vida

Para que eu pudesse aceitar que o destino

Pode ser doce ou um veneno mortal

Sua imposies pode ser leves e brilhantes

Ou sua destruio total

Eu preciso de voc na minha vida

Como um amigo

Ou uma simples lembrana viva

Por que voc

E sempre ser memorvel

Especialmente especial

Espacial, fenomenal

E essa noite aps a verdade

Ser mais fria que todas as outras que passaram e que viro

Pois agora a esperana foi morta

Dentro do vazio imenso e absoluto

Da minha alma.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 04:12:56 # 0 comentrios
V ser feliz!

Ento ta tudo certo

Ns estamos seguindo por outros caminhos

Como vida determinou

Mesmo que com os coraes sangrando

Vamos seguindo os nossos destinos

Sei que hoje uma outra a sua menina dos olhos

Assim como j fui um dia

E no consegui enxergar

Foi culpa minha, eu sei

Confesso que fui inconstante

Indecisa e instvel

Mas voc se foi to rpido

Nem me deu a chance de tentar mudar as coisas

Mudar o rumo que nossas almas estavam tomando

Agora eu sei , eu sei que tarde

Ento v meu querido

V ser feliz!

Com outra ou outras

No sei, mas prometa-me

Jura-me que jamais vai me esquecer

Pois voc sempre, eternamente estar aqui em meu corao

Nesse espao que ningum mais poder ocupar

Pois o tempo passou amargamente

Mas no conseguiu levar suas lembranas

Do seu rosto, do seu corpo

Tudo enfim

Se eu te amo e voc me ama

Mas temos que nos separar para sempre

Vou aceitar

Vou entender

Vou chorar pela ultima vez

Somente para te dizer

Que apesar de tudo, tudo mesmo

Que passei

S tenho que agradecer

Deus e a voc

Por te feito parte

Da minha vida.

Lilian Cascalho (em desabafo)


postado por 91800 as 03:27:17 # 0 comentrios
quinta, 05 junho, 2008
Sem voc no far sentido

Estou um pouco cansada

De nadar contra essa correnteza

Se somente os fortes sobrevivem a travessia

Me declaro fraca

E dependente de voc

Preciso dos seus braos para me segurar

Nesse imenso mar

Para me ajudar atravessar essa montanha

E quando chegarmos ao final

Deixarei que voc escolha por qual caminho seguir

Mesmo que eu no esteja nele

Ficarei feliz por voc

Estarei l por voc

Estou um pouco cansada de ver minha vida passar

De esconder dos outros e de mim

O quanto voc foi, e sempre ser crucial em minha vida

No quero mais perder tempo

Quero viver cada segundo valoroso

Cada centsimo de segundo

Quero vivenciar todos os meus defeitos

E transform-los todos em virtudes

E se voc no estiver aqui para ver

No far sentido

No terei mais motivos para continuar

Ento vamos viver agora

Vamos viver o hoje

Vamos juntos nos emocionar

Nos amar, e aproveitar

Tudo e todos os momentos que pudermos

Pois nada me importa

No tenho mais medo

Quero seguir

Com voc na minha vida

Ou ento apenas no meu pensamento

Mais saiba que voc estar sempre aqui

Dentro de mim.

Vivo e intenso

Somos o nada dentro de um tudo

No me interessa o que pensam

Somente o que sinto

S posso dizer que o que sinto

E mais forte do que possam imaginar

Meu amor por voc

Pode e vai

Transpor eternidade

E estaremos vivos em uma outra vida

Mais maduros e centrados

Para vivermos nosso verdadeiro amor.

Lilian Cascalho e Tiago Ruiz.


postado por 91800 as 11:54:14 # 2 comentrios
segunda, 02 junho, 2008
Como preciso de voc

Eu preciso de voc

Nessa noite e em todas as outras que viro

No quero chorar mais um momento sozinha

E se eu chorar que seja de felicidade

Pois voc sempre estar comigo

Eu preciso do teu abrao aconchegante

Do sua voz reconfortante

E da tua boca ardente

Dos teus beijos longos e curtos

Mais com todo calor, clamor

E principalmente amor

Tudo que vivemos l atrs

Poder retornar a qualquer momento

Deixa eu te encontrar,  te olhar nos olhos

E dizer que te amo

Deixa esse turbilho de emoes tomar conta de voc

Pois em mim um furao est preste acontecer

Um vulco cospe suas lavras incandescente

Que  desce as montanhas rochosas somente para te abraar

Deixa eu entrar novamente na sua vida

Me deixa acender essas noites escuras

E te aquecer para sempre do frio da solido

Vamos deixar os demnios e os fantasmas l fora

Agora s voc e eu

E a saudade desse tempo que estamos longe

Um do outro.

Lilian Cascalho

 


postado por 91800 as 06:57:56 # 0 comentrios
Rumo dos ventos

Vou navegar por outros mares

Mas s depois que eu fazer esse vento soprar

Para outra direo

Somente quando eu consegui seguir nessa imensido

E no lamentar voc no estar aqui comigo

Ento,  vou te contar um segredo

Eu te amo

Sempre te amei

Mas nunca tive coragem de te dizer

Por medo, vergonha

E  principalmente por no saber o que voc sente por mim

Por isso vou para longe

Para deixar voc seguir em paz

Navegar no seu mar

E se sentir livre para voar

Eu vou fazer o vento mudar de rumo

E se o destino assim quiser

Voc vir para mim

E seu barco, seu corao

Nunca mais sara de perto

Pois juntos estamos sempre certos

E se o universo no conspirar  ao nosso favor

Mudarei o curso da minha alma

Me lanando ao infinito maravilhoso

e mesmo com o corao caindo aos pedaos

ficarei feliz se tiver a certeza

de pelo menos  um dia da sua vida

voc pensou em mim

e lembrou o quanto foi maravilhoso

os dias em nos amvamos loucamente

mudarei o rumo dos ventos

e seguirei eternamente aguardando

o tempo de te esquecer.

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 03:16:40 # 3 comentrios
Mais um detalhe

Foi muito bom

Ter voc por mais uma noite

Ver o teu olhar reluzente

Seu sorriso inocente

Senti seu corpo como um todo

S meu, todo meu

Senti o calor e o amor

Ardendo em voc

Obrigada por me amar

E por me esperar

Mas no posso exigir que aceite

Que me aceite

Assim to superficial

Voc merece mais

Muito mais

algo sobrenatural

O fogo que me percorre

Que me queima

Quando voc me toca

Quando voc me toma

Me domina

Me possui

No sei

No sei de nada

S sei que quero viver

Todos esses doces momentos com voc

E amanh

Ser apenas mais um detalhe

Da nossa estria

Mais um detalhe

Apenas isso.

S isso

Ento vem e me ganha

Mais um gemido, mais um suspiro

Me abraa forte

E me esquenta nessa noite fria

Eu vou me rendendo voc

Do meu jeito

Meio sem jeito

Do jeito que eu posso me dar

No sofra mais

Eu estarei sempre aqui

Em um sonho,  uma cano

Meu menino lindo

Deixa o destino falar

cale-se agora

E venha me amar.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 01:10:01 # 1 comentrios
quinta, 29 maio, 2008
Fica comigo

Por favor

Me escute, me oua

Nem que seja pela ultima vez

Oua meus apelos aflitos

De uma nova chance

Feche seus olhos, toque meu olhar

Sinta meu corao vivo, pulsando

Acredite por voc

Que eu acordo todas as manhs

Tendo a certeza que ser melhor que ontem

Pois eu tenho um novo dia para tentar

Tentar de provar, te mostrar o quanto te amo

Me d suas mos, una elas as minhas

E vamos seguir nessa estrada

Eu tenho muito para te ensinar

E voc muito para aprender

Somos a unio perfeita

Somos almas gmeas perfeitas

Eu me sinto vazia sem voc

Perdida, completamente perdida

Voc ,  as pilastras da minha ponte

O alicerce da minha vida

Sem voc

No sei sonhar, sorrir

Ento venha para mim

E escute-me

Nem que seja pela ultima vez

Oua meu grito desesperado

Pedindo

Fica comigo.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 01:24:45 # 0 comentrios
Em meu corao

De que valeu

Minhas lagrimas, meus sorrisos

Meu pertencimentos

A emoo acabou

Cessou, chegou ao fim

E com toda fora do que vivi

Eu grito

Quero voar

Quero fugir

Quero tentar

Em um outro algum

Reviver antigas sensaes

Eu acredito que em breve

Voc no estar em mim

E essa ferida aberta e sangrando

Os anos vo cicatrizar

No tenho mais tempo

Pacincia de te esperar

Cansei de jogo perigoso

De te ter em pensamentos

De te ver em meus sonhos

E acordar chorando

Pois voc nunca esteve e jamais estar comigo

Siga em frente

E voc jamais saber

No por mim

O quanto eu te amei

E por longas dcadas ainda te levarei

Em meu corao.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 11:54:54 # 0 comentrios
Intil

muito difcil

Se olhar e no me enxergar sem voc

Eu passo horas do meu dia

Me perguntando, me questionando

Onde eu errei?

Por que deixei voc ir sem ao menos dizer eu te amo?

Passo dias, meses e anos

Amargando por cada centsimo de segundo que voc no est aqui

Eu no sei por onde comear

Uma nova vida

 No consigo me libertar dessas correntes presas em nossos punhos

E por mais que eu lute contra voc

Contra o que sinto

intil

Me sinto intil

Sem foras, sem esperanas

Sem chance

Enquanto voc menino lindo

Segue feliz sua jornada

Com a vida do jeito que sempre quis

Ser que voc mesmo feliz?

terrvel

Pensar que voc no pensa em mim

Que no fao parte dos seus planos

Que no ser comigo que voc

Dividir a sua alma

Por isso preciso me encarar

E perceber que voc assim como eu fez suas escolhas

E voc escolheu ser feliz longe de mim

E eu escolhi morrer esperando que em uma outra vida

Possamos nos encontrar e tentar

Mais uma vez.

Lilian Cascalho.

 

 


postado por 91800 as 11:50:11 # 0 comentrios
quarta, 28 maio, 2008
O que voc quer de mim?

O que voc quer de mim

Me deixe partir

No h mais nada

Nada que voc possa fazer

Nem eu

Todas as minhas armas j foram usadas

E voc fez das minhas batalhas

Simples momento de descontrole

Quando na verdade meu corao gritava incontrolavelmente

Para voc tentar, s mais uma vez

E voc nem fez questo de olhar

Quando muitas noites eu chorei esperando voc adormecer

Enquanto voc dormia eu velava seu sono

E o destino que muitas vezes doce

Amarga vida quando esperamos por algum

Em uma janela qualquer, de um lugar qualquer

Mas algum que como voc

Nunca vai chegar, nunca mais vai voltar

Ento no me prenda mais

Se voc no sabe o que quer

Se me quer

Por que quer

Eu sei o quanto te quero

Se quero, como jamais poderei desejar um outro algum

E mesmo que eu no queira seguir sozinha

Eu vou

Preciso ir

E mesmo que voc no deixe

Estou rompendo as correntes, as amarras

Os laos lapsos que nos unem

E deixando-me completamente livre

At que eu descubra

O que voc ainda quer de mim.

Lilian Cascalho.

 


postado por 91800 as 04:01:22 # 2 comentrios
Seja meu

E as portas foram fechadas

Nos fechamos junto com elas

Cada um na sua

Em momentos diferentes

E circunstncias parciais

Voc dentro da sua individualidade nata

No me deixa transpor essas imensas muralhas que foram construdas

Ao seu redor

Esse concreto flico

No deixa minhas emoes te tocarem

E eu dentro da minha infame

Timidez, nesse medo intermitente que insisti em ir e voltar

Que me faz deixar voc entrar e causar um rebulio no meu corao

Eu que s queria ser tua

Seja meu

Deixa eu passar, deixa eu te tocar

Quero destroar esse castelo de pedra

Que se tornou seu corao

Seja um pouco meu

No precisa ser todo

Mais seja mais do que hoje

Abra essa porta

Pois a minha sempre esteve entreaberta

Por isso, voc sempre estar aqui

Nos meus sonhos, nos meus sorrisos

E nos meus pensamentos

Eu sou o que sou

Voc o que voc

E s existe uma pequena distancia

Entre ns

Ento venha ao meu encontro

Pois eu estou te esperando

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 11:57:51 # 0 comentrios
segunda, 26 maio, 2008
Ainda no sei

Por entre as matas virgens e fechadas

Sigo a eterna e incansvel busca de ser

Ouo os rugidos dos lees ferozes

E assim que eu sigo

Com meu rugido reprimido

Me banho nas cachoeiras verdejantes

E sobre as pedras que rolam das montanhas

Repouso meu dorso ainda ferido das inmeras batalhas que travei

Contra meus inimigos, meus extintos

Vejo  refletir nas guas lmpidas

Minha imagem distorcida, destroada

Com minha alma, minha aura

Em carne viva

E milhes de navalhas cortando, dilacerando

Meu rosto suave

Meu sorriso inocente

Minha mos buscam entre as algas

Algo para me agarrar

 eu no sei o que quero

no sei por que te quero

mas no consigo viver sem voc

aporta seu corpo sobre o meu

sinta os tremores e arrepios que voc me provoca

o sangue que escorre sobre cada msculo

cada nervo que me compe

so lagrimas vermelhas que sua ausncia causou

na minha essncia

e sobre os mares calmos

deixo as lembranas me levarem para as profundezas

para o fundo

para o abismo

de passar minha vida buscando o que s voc

pode me dar.

Lilian Cascalho

 


postado por 91800 as 02:07:13 # 1 comentrios
Ento vai

Ento vai

Vai se buscar em outro algum

No vou me humilhar

No vou implorar

To pouco pedir para voc ficar

No quero somente essas migalhas

Desse resto de amor que voc senti por mim

No quero mais

Viver sombra de algum que no reluz

Vou deixar que as ruas me levem

E que ganhe  asas para que eu possa livremente voar

Cansei de viver esperando seu sorriso todas as manhs

E seu corpo moreno todas as noites

Quero viver do passado, do que passamos

Isso sim me faz melhor

Me lembrar do quanto era doce

Era mgico

Era fantstico

Pode ter o seu amor

E poder te amar

Hoje eu no quero

Amanh, amanh tudo poder mudar

Mais eu quero que saia

Saia da minha vida

E deixe as portas abertas, arreganhadas

Para que muitos outros depois de voc

Tambm possam entrar

No espere por mim

Pois no vou esperar por voc

Segue sua estrada sozinho

E eu fico na minha

Na minha sala, na minha solido

Ento vai

Vai e no volte mais

Eu vou virar esse jogo

E virar as paginas

De uma estria que juntos escrevemos

No deixarei  essa lacuna

Esse espao lembrarei eternamente quando voc

Se foi sem dor, nem medo

Eu fiquei

Somente dizendo

Vai.

Lilian Cascalho.

 


postado por 91800 as 02:04:30 # 0 comentrios
O que desejas

O que desejas

Se no, o meu amor resistente e clido

Eu, renitente batedora de asas

Incansvel lutadora por voc

Buscando incessantemente

Um motivo para repousar minhas asas

Cansadas

De tanto te buscar te procurar

Quando repouso sobre uma rocha, uma fortaleza

Ou um cais

Sinto me perdida, pois cheguei ao ponto final de mim

Ento continuo voar voraz

Em busca de algum que possa voar comigo

Sem ter medo

Procurando paz

Assim como voc

Semi-deus

Quase perfeito,

Meio demnio, completamente mortal

Sua liberdade me tortura

Eu canto para o tempo

O grito para o vento

E te aguardo no temporal

Nos raios que rasgam e defloram o infinito

Virgem e puro

Mesmo empunhando a espada de ao e flutuando sobre mar revolto

Jamais ganharei a guerra

Voc se incrustou em minha pele, minha alma e minha vida

Como um recife coral que segura as pedras que rolam nos oceanos em fria

E sobre mar desenham figuras , desfiguradas

Com os cavalos marinhos que galopam livremente nas guas salgadas

Vou voando

Gritando

Cantando

Tentando afastar a solido

Para te encontrar em qualquer de repente

Eu te salvarei

Das lavras incandescente

Que surgem do olho do vulco

Com minhas incansveis asas

Te levarei para o universo em meus braos.

Lilian Cascalho e Marcos Vieira


postado por 91800 as 10:44:52 # 0 comentrios
quarta, 21 maio, 2008
Sonhos ou pesadelos

Me deixe aqui

Sozinha em meu quarto

Escrevendo meus dilemas

Meus poemas

Tentando escrever o que minha boca no diz

O que a vida no quis

O que meu destino traou

Deixe-me ir

Buscar no meu intimo

Justificar meus mpetos

E me penitenciar pelos meus erros

Deixe-me

Nos meu sonhos ou pesadelos

Nos meus sorrisos forjados

Ou nas lagrimas de desespero

No se preocupe

Eu vou ressuscita

Apagando para sempre do meu peito

Teu braso

Me libertarei desse vicio

Desse licor que sorvo todos os dias

Estarei livre

Dessa duvida

Deixe-me

Que eu vou me curar

Dessas inmeras feridas

E da eterna loucura

De te amar.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 01:45:25 # 0 comentrios
Vem agora

Eu quero voc,

Eu quero ter voc por hora

Por hoje, eu quero agora

Eu tenho pressa,

Tenho urgncia

Derrama se corpo sobre o meu

Me toma, me bebe

Me beija , me morde

Me sacode mais no me deixa viver sem voc

Engole meu sangue,

Se alimenta da minha alma,

Suga os meus sentimentos,

Se afogue em meus sentidos

Que eu te salvo

Te mato de tanto prazer

Toca minha pele que arde querendo voc

Depois esfria com a tua ausncia para que eu te queira cada vez mais

Me pega, me larga, me bate , me cheira

assim que eu gosto de me dar para voc

Sei que no sou sua

Nem voc   meu

Mais somos fogo

Da mesma chama

Que queima no momento de fazermos amor

Somos um forte e intensos

Loucos e subliminares

O que fao para viver esse sonho?

Esse momento que existe hoje

Somente em meus pensamentos.

Lilian Cascalho.


postado por 91800 as 11:31:01 # 1 comentrios
tera, 20 maio, 2008
Sedenta de voc

Nossa que difcil

Hoje eu queria escrever para voc, por voc

Mais estou sem inspirao

No verdade estou sem nada

Pois voc me deixou assim

Inerte, inerme

Sem qualquer reao

Entrou pelos poros

Tomou parte de mim

Me fez perder os sentidos

E me largou aqui inebriada pelo perfume

Ainda sinto seu suor escorrendo por cada centmetro da minha pele

exagero

Acho que no

No sei ao menos responder

No consigo falar, to pouco escrever

Minhas mos ainda esto perdidas nas esquinas e curvas do seu corpo

Minha boca, meus lbios ainda esto escorregando lentamente te buscando

Por isso estou aqui

Largada do jeito que voc me deixou

Suspirando, gemendo no de dor

E sim de prazer, de luxuria

E viciada em voc

Estou aqui despida de mim

Aguardando voc

Ansiando ter voc

Me provocando, me amarrando, me amando loucamente

Incessantemente

Por isso hoje no vou escrever para voc

Pois estarei ocupada demais te esperando

Para saciar meus desejos

Eu estarei aqui

Louca de paixo

Sedenta do teu beijo

E alucinada de amor.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 01:42:46 # 23 comentrios
sexta, 09 maio, 2008
Cavalheiro Andante

Hoje eu no tenho mais medo

Que os outros saibam das minhas fraquezas

Meus anseios

Revelo ti cavalheiro andante

Os mais sinceros e puros segredos

E eu cavalheiro andante

Lhe digo senhora de vermelho

Os escudos de minha alma para nada serve

Para me defender de voc nesse momento

Ento vou me despir inteiro

Minhas fraquezas, minhas alegrias e meu souvenir

De nada me servem, estou atado, aprisionado em teu olhar

E agora o que v?

Vejo voc

Com suas primarias emoes

Com suas simples e tocantes canes

Que tenta me enfeitiar

Com sua voz grave

Querendo em meu ser despertar

desejos infames

De me entregar

Tambm vou me despir

E quero voc aqui para me acalentar

Ento venha cavalheiro marcante e crave sua espada

Em meu intimo, coloque sua alma dentro de mim

E tome meu corpo

Nesse clice de ouro

Como posso dona do corao

Cravar minha espada em voc

Pois se tu morreres mim

No interessa mais viver

Quero sim te beber por inteiro

Te tomar como meu alimento

Dia dia

Pouco pouco

E enfim realizar meus sublimes desejos

Rainha da alma

E sou seu escorpio rei

Te domarei nos meus braos

E com veneno doce

Te envenenarei para sempre

Voc e eu viveremos

Eternamente juntos unidos

Nosso amor enfim poder reinar

Livre dos males do mundo

Ou de qualquer coisa que possa nos separar.

Lilian Cascalho.


postado por 91800 as 05:42:29 # 0 comentrios
Guerra Fria

Desisti no d mais

Para que insistir nessa luta, nessa guerra fria

Voc no guerrilha por mim

Nem comprar minhas intrigas

No se importa comigo

Ento cansei

Segue ento na sua vida morna

Porque eu quero calor

Quero o fogo dos canhes

Das armas que ainda me restam

Vou me levando

E te deixando aqui

Segue sozinho essa vida infame

Voc vai sentir falta

Dos raios que se formava em meu olhar

Das tempestades que brotavam dos cus

quando nos amvamos

mais tudo isso ficou para trs

bem l atrs

pois hoje meu querido

voc representa apenas o meu passado

s o passado mesmo

nada alm

ento tchau

segue com Deus

e eu vou com ele

Para onde essa chuva me levar

E eu chegarei seca

Ilesa

E sem te amar.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 05:38:30 # 0 comentrios
tera, 06 maio, 2008
Amanh

Amanh acordaremos

Em uma linda manh de outono

E toda essa tristeza ir cessar

No haver mais nada que nos impea

De novamente nos amar

Acordaremos mais maduros

Mais esperanosos, mais preparados

Para ento desfrutarmos da nossa paixo

Com intensidade

Com toda a intensidade

Nossos sentimentos no sero mais infames

E sim reais, palpveis

Fortes e intensos

Na prxima da prximas de todas as outras manhs

De todos outonos, primaveras, veres e invernos

Pois todos os momentos ao seu lado sero lindos

Celebres e mgicos

No existe nada no universo mais lindo que voc

Quero viver por toda eternidade

Para ter o privilegio de ter voc por todos os dias

E a acordar com voc

Para a vida

Para o desperta eterno do amor puro e incondicional

E no h mais ningum alm de voc

Que possa ento me fazer acordar

Desperta em mim

Dentro de mim

Somente assim deixo nessa tarde toda a solido

E levo  tua presena na noite fria

Para despertamos juntos.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 09:49:28 # 0 comentrios
Ressuscita-me

Ressuscita-me

J que eu estilhacei meu corao

Com a ultima munio que me restou

Devolva-me

O prazer de viver

J que eu sempre tive medo das possibilidades da vida

Ressuscita-me

Voltando para ficar ou

 indo de vez para nunca mais voltar

Sofrei essa angustia, esse desespero

Me diga agora, me fale

Eu te imploro

Com os pulsos cortados e lagrimas no olhos

Voc no sente mais nada?

Chega desse silncio

Desse mero sorriso sem nada dizer

Acorda-me ou cala essa esperana de um talvez

Ressuscita-me agora

Ou ento mata-me de vez.

Lilian Cascalho

 

 


postado por 91800 as 09:48:40 # 0 comentrios
Por que

Por que

Voc no vem logo

Para me tirar desse desespero, desse abandono

Vem meu bem

Deflagra meu corao

Descamba minha alma

Profana o meu corpo

Toma-me em um arroubo enlouquecido de paixo

Sinta minha febre

Minha urgncia de te ver, de te ter

Vem logo

E  ama e me mata de amar de voc

Vem com fora

Com sua morenice , sua meiguice

Sua cara lavada, sua cafajestada

Que eu te admiro assim

Pelo teu sabor, teu veneno

Suave, entorpecente

E letal

Com seus traos imperfeitos

E seu olhar descomunal

Por que voc no vem

Para me tirar desse desassossego

Desse tdio

Me leva contigo

Me tira o medo

Que eu te ensino

Como gostoso se perder nos meus desejos.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 09:48:03 # 0 comentrios
tera, 29 abril, 2008
Um dia voc saber

Bem nem sei se voc vai ler, mas espero que sim.

Dia do obrigada

Quero agradecer,

Sim agradecer somente

Por muitas coisas que talvez voc no saiba

Na verdade acho que nem imagina

Voc me conheceu na transio de menina para mulher

E fez com que eu me sentisse assim, mulher

Obrigada

Voc me fez entender um poro de coisas ao meu respeito que talvez, talvez no!!! Tenho certeza que eu nunca entenderia sozinha

Voc, olha s que estranho me fez fazer escolhas certas,  nos momentos certos

No nego foi difcil, mas a tua presena me fez acreditar que ainda haveria uma chance

Do que?

Eu realmente no sei

Ser que voc nem desconfia? Que me desconcerta, me faz perder  o cho?

Tudo bem no precisa responder.

Eu nunca te falei no ?

Como voc poderia saber? ? ?

Ento abra seu corao nesse momento

E escute o que tenho para falar

Todo esse tempo, dentro do meu corao no passou

E eu ainda guardo teu perfume na minha pele

Teu gosto nos meus lbios

Sua voz sussurrando em meu ouvido

Ento, ai como eu posso te dizer?

Bem eu estava te esperando esses trs anos

Sim eu estava te esperando

Mesmo que eu no tenha nada para receber de voc

No fao questo de ouvir seu no

S quero que voc me escute

Fique em silncio

No cale minha esperana

Nos meus sonhos, ainda estamos prximos

Obrigada

Por me deixar boas lembranas

No fale, cale-se

Apenas leia

V at o fim

E tente ao menos entender

O quanto foi duro, dormir todas essas noites desejando ter seu corpo quente junto ao meu

Mais uma vez, s mais uma vez

A ultima vez

E hoje eu s queria que voc soubesse

O quanto ainda importante ter voc em minha vida

No mais com tanto calor

Tanto fervor dos nossos encontros antigamente

Mais ainda com o pouco que voc me d

Um cadinho da sua ateno

Um bom dia, um ol

Eu aceito

Obrigada

Ill be there for you

Eu tambm estarei l  por voc

Voc se lembra?

Eu jamais esqueci

Jamais esquecerei

Mais no vou mais te esperar

Meu sentimento por voc ainda no acabou

Hoje j vivemos momentos diferentes

Para voc, hoje eu sou mais uma

Indiferente.

Ento escute

O meu corao gritando

Pela ultima vez o seu nome

... Obrigada.

 


postado por 91800 as 09:03:19 # 0 comentrios
Apenas para constar

Chegou ao fim

E quem diria que seria assim

Sem voc dizer nada

Sem o teu adeus

Mas no precisa, no mesmo?

J faz muito tempo que se foi

Que partiu e levou contigo minha essncia

Minha alma, minha existncia

Olha s que ironia

Eu nem percebi

Que voc nunca voltou

Para o meu corao

Te vi to lindo, to perfeito

Sorrindo

Para voc hoje eu sou lembranas, momentos

Que ficaram atrs do arco-ris que voc pintou para mim

Na verdade, ah verdade

Acho que voc nem se lembra

Talvez por isso ainda no tenha me devolvido

Meus pertences que ficaram contigo

Meus sorrisos, meus prstimos

meu amigo

Se que posso ainda te chamar assim

O tempo passa fulminante

E eu ainda nessa constante de te amar

Esqueci de olhar em volta

E v que um dia voc esteve aqui comigo

E hoje no mais

Nunca mais

Jamais

Estar.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 07:37:38 # 0 comentrios
Realidade

Realmente preciso entender, quando as coisas se acabam

Tudo se acaba

Nada ser eterno

Nem mesmo meu sofrimento

To pouco meu amor por voc

Chegou ao fim

Eu deixei de ser prisioneiro

Para ser novamente dona do meu corao

Embora ainda sofrendo

Vou seguindo, nas esquinas

Trazendo na minha bagagem

Uma lagrima, um sorriso, um adeus.

E a certeza de te reencontrar

Somente para dizer obrigada

Por ter me dado foras

Momentos felizes

E o direito de te esquecer.

 

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 07:35:37 # 0 comentrios
Boa noite

Boa noite

Meu anjo lindo

Durma tranqilo

uma pena que no comigo

Sonhe com o amanh

Mais completo que hoje

Com os amores que ainda viro

Com o sucesso que no tardar

Voc merece

Sim realmente merece

Feche ento seus olhos

E escute minha voz sussurrando

E cantando sua cano favorita

Durma em meus braos

Acalme seu corao

E estou aqui

E sempre estarei

Siga seus caminhos

E eu me despeo aqui

Com um sorriso forjado

Uma lagrima sucumbida

E a eterna certeza

De um dia ainda te encontrar

Acordando comigo.

Lilian Cascalho

 

 


postado por 91800 as 07:34:03 # 1 comentrios
tera, 22 abril, 2008
Olha para mim

Olha para mim

S mais uma vez

Olhe nos meus olhos

Toque minha alma

E veja o quanto eu amadureci

E o quanto voc responsvel por isso

Se enxerga em mim

Olha para mim

E escuta o meu corao

J que eu no sei dizer

Ele fala por ns

Escuta ele chorando e lamentando

Pedindo uma nova chance de tentar

Tentar te fazer feliz

Como ningum jamais pensou um dia

Em fazer

Olha para mim

Olhe nos olhos

Escute meu corao

E voc ouvir ele dizer

Eu te amo

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 06:24:54 # 3 comentrios
Pouco pouco

Pouco pouco

Vou deixando me levar

E o teu silncio j no me incomoda mais

Pois s o que tenho

Ento me contento

E vou seguindo

Eu vou cantando

Tentando no mostrar

Que minha alma e meu corao

Esto dilacerados impetuosamente

Com o teu desprezo, teu descaso

E eu vou sorrindo

Fingindo, interpretando

Para que os outros no saibam

O quanto voc ainda importante para mim

Para que ningum alm das minhas lagrimas

Compartilhem a tristeza de no te ter

Mesmo perdida e abandonada

Eu no deixo de acreditar

Que  vou te esquecer

Pouco pouco

Dose dose

Por cada palavra no dita

Pelo teu silncio tortuoso

E por tudo que voc

No foi na minha vida

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 06:23:08 # 0 comentrios
Em voc

Aos poucos eu vou me encontrando

Mesmo sem me buscar

No sei como me perdi

Mas sei onde me encontrar

Em voc, no seu olhar

No sorriso e em tudo que voc

Ainda tem para me ofertar

Ento me deixo me levar

At voc

At o teus braos

Onde ento

Estarei feliz e pronta para amar.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 01:44:48 # 2 comentrios
No assim

Voc no vai

No vai me tirar assim da sua vida

Voc no vai me esquecer

Por que meu bem

Eu estarei nas suas minsculas lembranas

Estarei nos seus mais sutis momentos

Voc no vai me abandonar

Pois estarei envolvida em voc

Como uma nica alma

Como duas metades perfeitas

Que se completam num simples olhar

E como posso deixar, voc ir

No, no vou deixar

No adianta voc dizer que encontrou um outro algum

Pois eu no quero, no vou ouvir

Me recuso  escutar de seus lbios

Que eu no fao mais parte de voc

Eu sei que mentira

No brinque assim comigo

No posso aceitar que seja verdade

Prefiro pensar que voc que voc perdeu o senso

Que no sabe o que diz

Eu te perdoou por se enganar

Eu te aceito

Mas saiba que voc no vai lugar algum

Se eu no estiver junto

Somos como a arvore e o fruto

O outono e as folhas secas

Como o mar e o rio que desgua

No vivemos um sem o outro

Ento pense bem

Por que no vou deixar

Voc no vai sair

No assim, no daqui.

Lilian Cascalho


postado por 91800 as 01:41:46 # 0 comentrios
" Infelicidade "

Me sinto to infeliz

Por voc no estar aqui

Me sinto to vazia

Pois no consigo viver sem voc

E como se os dias se tornassem escuros

E a dor da sua ausncia infindvel

No sei bem o que fiz

No sei em que momento falhei

Parecia to real nosso amor

Era tudo to bonito, to perfeito

ramos duas almas em um s corpo

Dois coraes que batiam no mesmo ritmo

Hoje eu no sei

No sei mais nada

No sei onde estou, quem sou, por que sou

me perdi nas paralelas sombrias de olhar

no sei onde te encontrar,  como me buscar

quando eu vou deixar de te amar

No consigo mais me encarar

Pois no me enxergo mais sozinha

E no quero mais olhar para o futuro

Pois sei que voc no estar l

Me esperando

Ficarei aqui no mesmo lugar

Com o corao ainda seu

E mesmo que passe toda minha vida

Ainda estarei te aguardando

 Lilian Cascalho


postado por 91800 as 01:36:57 # 0 comentrios
Perfil
91800
Meu Perfil

Links
Blog Grtis

Palavras-Chave
ok

Favoritos
de verso e prosa
mais...

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
No h comunidades.

Posts Anteriores
Depoente, descontente, descendente, descrente!
Quanto primrio...
Rapidinhas!!!
Mistrio de Joo...
Dilogos de dois coraes...(Parte II)
Dilogos de dois coraes... (Parte I)
Com certeza ser...
Foram tantos...
Mos..
Pode atender seu telefone...

Arquivos
2010, 01 setembro
2010, 01 julho
2010, 01 junho
2010, 01 maio
2010, 01 abril
2010, 01 maro
2010, 01 janeiro
2009, 01 dezembro
2009, 01 setembro
2009, 01 agosto
2009, 01 junho
2009, 01 maio
2009, 01 abril
2009, 01 maro
2009, 01 fevereiro
2008, 01 setembro
2008, 01 julho
2008, 01 junho
2008, 01 maio
2008, 01 abril
2008, 01 maro

5427 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..