SILVA LEMES E PARENTES
SILVA LEMES E PARENTES

sexta, 02 novembro, 2007
NOSSA AVÓ CATHARINA DE BARROS, ESPOSA DE ANTONIO LEME

Catharina de Barros, esposa de Antônio Leme, da qual descendem os Lemes do Brasil, tinha uma árvore genealógica muito interessante ligada às principais casas da nobreza européia, e cheio de histórias reais que mais parecem obras de grandes escritores.

Um dos seus parentes mais próximos foi Cristóvão Colombo, que na verdade não tinha esse nome, mas “Salvador Gonçalves Zarco”, descendente de João Gonçalves Zarco, descobridor da Ilha da Madeira e Judeu.

A nossa “avó” Catharina descendia era filha de Pedro Gonçalves da Câmara (ou da Clara), neto do descobridor da ilha, e Dona Izabel de Barros.

O sobrenome “Câmara” foi adotado por decreto do rei como “prêmio” a João Gonçalves Zarco pelas suas “obras” em favor de Portugal, tais como o combate aos mouros, antigos invasores da península e o descobrimento daquelas terras.

Por esses “Zarco”, Catharina e descendentes se ligam à “Casa de Abravanel”, judeus importantes da Espanha e Portugal expulsos pela inquisição e que se instalaram na Grécia, de onde veio o pai de Sanor Abravanel, conhecido popularmente como “Silvio Santos”.

Ainda pelo lado dos “Zarco”, descende da importante família romana “Colonna”, tendo como avô mais remoto “Giacomo Sciarra-Colonna”, que se viu envolvido num complô contra o Papa Bonifácio VIII, que não o excomungou porque morreu antes de emitir o decreto papal.

O motivo dessa desavença com o sumo-pontífice da época era estritamente de interesse político e comercial, já que o sacerdote da Igreja Católica Romana não representava só interesses religiosos, mas muito mais, o poder. E, como Bonifácio era representante de uma clã rival, esse Colona se uniu a Felipe, o belo, rei da França para derrubar o papa.

A ligação de “nossa avó” com os Colona aconteceu quando Rodrigo(ou Rodrigues) Anes de Sá, um tipo de embaixador de Portugal em Roma, se casou com Cecília Giulia Sciarra-Colonna. Desse casal nasceu Constança Rodrigues Almeida de Sá, esposa de João Gonçalves Zarco, o avô “judeu” que depois se converteu ao cristianismo.

O Colonna, como descrito em algumas árvores de consultei, descendem “lendariamente“ de “Gaius Marius” e por este romano a Júlio César.

A presença desses “Colonna” na árvore dos Zarco é que justifica o pseudônimo usado por Salvador Gonçalves Zarco no seu feito de descobrir a América,  Cristovam Colón, como é citado pelos espanhóis.

Para esclarecer isso é bom saber que Salvador era filho de Izabel Gonçalves Zarco, neta de Cecília Giulia Sciarra Colonna, mãe da sua avó Constança.

Uma das hipóteses sobre a escolha desse nome que escondia a identidade portuguesa e judaica da Casa de Abravanel, cujo líder Isaac Abravanel fora expulso pelos reis espanhóis na época da hipócrita inquisição. Conservando o nome Zarco, isso seria um problema para o rei que promovia uma perseguição feroz aos judeus.

Para ilustrar: Isaac Abravanel,nasceu em Lisboa em 1537 e faleceu em Veneza em 1508. Foi um teólogo, comentarista bíblico e grande empresário que esteve aos serviços dos reis de Portugal e Espanha, depois aos reis italianos. Foi, inclusive, importante representante dos negócios comerciais e financeiros da Rainha Izabel, a católica que com seu marido, mais tarde promoveram a perseguição e expulsão dos judeus da Espanha.

Outra avó mais antiga de Catharina de Barros foi Inês de Castro, que primeiro teve o papel de “amante” do príncipe D. Pedro de Portugal e depois de assassinada a mando do rei, quando já morta foi declara Rainha de Portugal e esposa de D.Pedro I de Portugal com o falecimento do pai, D.Afonso IV. Essa “avó” teve até a célebre cerimônia do “beija-mão” da rainha que mesmo morta foi retirada do túmulo para que o súditos lhe rendessem esse cumprimento.

Inês Pires de Castro, galega de nascimento, filha bastarda de D.Pedro Fernandez de Castro, poderoso fidalgo de Castela, e irmã de D. Fernando e D.Álvaro Pires de Castro, senhores de grande poder político da época na Espanha  e filhos bastardos do Rei Sancho IV, Rei de Castela.E, ainda tinha uma ligação com a Família Albuquerque e com Afonso Sanchez, também bastardo de D.Diniz, uma provável causa do ódio que D.Afonso IV, pai de D.Pedro, causa de uma guerra civil que tomou conta de Portugal com a morte encomendada de Inês.Guerra essa, que só terminou com a mediação da Rainha Beatriz, mãe de D.Pedro...

Mais detalhes no site: http://www.vidaslusofonas.pt/inesdecastro.htm

Através dessas ascendências e de outras numerosas ligações, a linha genética de Catharina vai às famílias de reis da França, Alemanha, Itália e outras famílias nobres européias.

Veja mais no site: http://br.geocities.com/famiglia_reccanello/

Obs: a figura (medalha) é de João Gonçalves Zarco.



postado por 52876 as 09:58:51
0 comentários:

Comente este post
Início
Perfil
52876
Meu Perfil

Meus Links
Hotéis no Brasil
DNS Grátis
Blog Grátis
Criar Blog
DNS Grátis
Blog Grátis
Hoteis

Palavras-Chave
>> Catharina
>> Barros
>> esposa
>> Antonio
>> Leme
>> que
>> viveu
>> na
>> madeira
>> avó
>> dos
>> Lemes
>> Brasil

Favoritos
Não há favoritos.

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
cambuquira

Posts Anteriores
>> CATHARINA DE BARROS, NOSSA TATARA-TATARA-TATARAVÓ.
>> RUUD LEM, AUTOR DA GENEALOGIA LEMNIANA VEM AO BRASIL.
>> Falece mais um neto de Capitão Cláudio Amâncio da Silva Lemes
>> APELIDOS QUE VIRARAM SOBRENOMES.
>> Os Germanos
>> LEOPOLDO LUDOVICO LEMES E JOAQUIM DA SILVA LEMES
>> MINHA BISA QUE NÃO CONHECI

Arquivos
2008, 01 junho
2008, 01 janeiro
2007, 01 novembro
2007, 01 abril
2007, 01 março

5974 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..