Meus Sonhos em Poesia
Meus Sonhos em Poesia

segunda, 07 abril, 2008
QUANDO EU DEIXAR DE TE AMAR




"Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida
Eu vou te amar
A cada despedida
Eu vou te amar
Desesperadamente
Eu sei que vou te amar.

E cada verso meu será..." (Vinícus de Moraes e Toquinho)


Quando eu deixar de te amar

Tânia Regina Cardoso

Quando esse amor acabar
não haverá poesia
a música esvair-se a no ar,
silêncio não tem melodia,
o verso não terá rima,
a vida perderá a alegria,
quando eu deixar de te amar...

quando esse amor acabar
sons não serão ouvidos,
o luar perderá seu brilho,
nem o bramido do mar
fará a vida vibrar,
suas ondas e escumas
não irão acalantar
o barquinho a naufragar
quando eu deixar de te amar...

quando esse amor acabar
após a tempestade não haverá bonança,
o vento forte não se transformará em brisa,
as névoas serão almas em agonia,
as trevas reinarão por toda uma vida,
e a saudade...
ah...a saudade, não cessará,
em mim fará moradia
quando eu deixar de te amar



postado por 68087 as 01:17:40 0 comentários




terça, 31 julho, 2007
AMIGO AUSENTE

Amigo ausente
Tânia Regina Cardoso

Amigo, hoje não te encontrei
e senti um silêncio profundo
que me calou a alma.
Senti a importância que tens
e quanta falta me faz sua presença.

Trazes paz ao meu coração
sorriso ao meu rosto
brilho aos meus olhos
uma vontade imensa de ser feliz
e também de fazer-te feliz
de dedicar-lhe carinho e proteção
e de ser acarinhada e protegida por ti.

Sei que nem sempre
poderemos estar próximos
não exijo isso, amigo se leva no peito
não importa se está visível ou não
é sempre presença contante
na mente e no coração.

Preciso de ti amigo, quando me valoriza
até mais do que mereço.
Preciso de ti amigo, quando alimenta minha fé
dizendo-me palavras de amor e consolação
buscando na Virgem Mãe
alimento para minh´alma
conforto ao meu coração.

Mas hoje meu doce amigo
sua presença se faz necessária,
necessito ouvir seus conselhos,
seu sorriso matreiro, seu canto suave.
Necessito saber como estás
se és feliz, se precisa de mim ?
Se posso te ajudar.



postado por 68087 as 09:30:50 0 comentários




CIO

Cio

Tânia Regina Cardoso

Delírios fervem

na pele que pede

toques,

mãos fortes,

abandono.

Luxúria,

entregas,

corpos fundindo-se

na dança frenética.

-Abandono...

Vibram todos os sentidos

no cio animal

a nudez

a essência

o suor

o prazer.

Nada se perde

entre gritos e gemidos

uma entrega total.

Incubos incoerentes

dançam no corpo

inconsciente

em uma noite fatal.

SP 05/07/2007



postado por 68087 as 04:07:48 0 comentários




Perfil
68087
Meu Perfil

Meus Links
PLANETA LITERATURA
AGENDA LITERÁRIA
LITERATURA VIRTUAL


Palavras-Chave
POESIA

Favoritos
Meus Sonhos em Poesia
Minhas Poesias
mais...

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
Não há comunidades.

Posts Anteriores
QUANDO EU DEIXAR DE TE AMAR
AMIGO AUSENTE
CIO

Arquivos
2008, 01 abril
2007, 01 julho

454 acessos


CRIAR BLOG GRATIS   
..