O varal, um café e o infinito...
O varal, um café e o infinito...
sexta, 03 outubro, 2008
ASSASSINATO: “Sangue sem juízo, sem carnaval”


Forçosa, chegou até mim e apunhalou-me de surpresa. Enquanto empurrava o aço contra meu ser, me olhou nos olhos. Eram aqueles antigos olhos de janela para o desconhecido. O sofrimento dela ia sumindo à medida que minha respiração soluçante agravava-se com o fim. O toque de sua mão firme nos meus braços era sensual e destrutivo. Senti saudade, senti vontade de morrer.

Todas as histórias que ocupavam a cabeça dos antigos amantes passaram como filme. Um segundo em mil. A faca, os braços e o estômago materialmente representando o infinito daquele momento último.

A calçada preta e branca da Avenida Paulista ganhou novo colorido: Vermelho rubro.

Agachando. De joelhos. Respirei com dificuldade. Sua mão continuava tênue sobre as vísceras. De surpresa. Lenon arrefecido.

Curiosos agruparam. Uns aplaudiram. Outros enganaram.

A sirene rompante formou a sinfonia catártica que emoldurou o fim. O suor frio e o sangue espesso tomaram lugar da antiga praça de paralelepípedos.

Sem resistência a vi partindo na carruagem de seu merecimento com as mãos para trás.

O ar acabou.

Mas, a falta de juízo tornou meu assassinato um reencontro. §

Lucas Limberti

- Leia sempre o Varal do infinito e estenda seu comentário -

"Os textos publicados são protegidos pela lei de respeito ao direito autoral"


postado por 35821 as 07:14:11 #
2 Comentários

Heloísa Marinho:
Olá,Lucas!
Gosto do que vc escreve,principalmente,quando tem como tema política ou temas sociais q nos faz refletir sobre a realidade.
Mas,esse texto confesso q não o comprendi,apenas o senti,uma apreensão bateu em mim ao lê-lo.
Ah,gostaria de dar a vc uma sugestão a respeito do blog "Varal do infinito",é só uma sugestão...bem,eu gosto de ler seus textos,mas para ter acesso ao seu blog tenho q primeiro ir a comunidade "Viva Pagu!".
Então,por que vc não faz uma comunidade no orkut chamada "Varal do Infinito"?????E divulga a todos os seus amigos e nas comunidades do orkut.Assim os leitores assíduos poderão dar sugestões a respeito do blog.
È só uma sugestão! :D
quarta, fevereiro 25, 2009 07:59 

Ana Paula Abu Jamra:
Lucas....já tinha lido algumas vezes seus textos, mas nunca escrevi um comwentário!
Claro que pra mim e dificil entender tudo a fundo, mas admiro d mais seus texto e suas criações!

sua amiga

ana
terça, fevereiro 10, 2009 06:51 

Comente este post!   |    <<< Voltar para Início

 
§ Perfil Varal do Infinito §
35821
Meu Perfil

35512 acessos

Favorite o Varal
O varal, um café e o infinito...
mais...

adicionar aos meus favoritos


Quem faz o café


Canapés Anteriores
PRECONCEITO: “Os vários lados de uma mesma moeda”
CARIOCAS: “Era uma vez um pobre povo da gema podre”
POESIA: “Do verso ao gerúndio telemarketing”
ESCOLA: “Lembranças do agora”
CINEMA: “Indiana vovô frustra expectativas”
SÃO PAULO: “Uma crônica de aniversário”*
CINEMA E EDUCAÇÃO: “Vermelho como o céu”
TRÓPICO: “Si Hay Camino”
DIÁRIO DA LUA: “Só falta água oxigenada na pinga”
CUMPLICIDADE: “Autocrítica ao vácuo ”

Arquivos - Roupa Seca
2011, 01 maio
2011, 01 fevereiro
2010, 01 julho
2009, 01 março
2008, 01 outubro
2008, 01 setembro
2008, 01 agosto
2008, 01 junho
2008, 01 maio
2008, 01 janeiro
2007, 01 novembro
2007, 01 outubro
2007, 01 setembro
2007, 01 agosto
2007, 01 julho
2007, 01 junho
2007, 01 maio
2007, 01 abril
2007, 01 março
2007, 01 fevereiro
2007, 01 janeiro
2006, 01 dezembro
2006, 01 novembro
2006, 01 outubro
2006, 01 setembro

Ventos Afins...
A Procura da poesia
Revista Malagueta
Blog do Feliperas
Projeto Vinagrete

Palavras-Chave
Cosmopolita

Poesia do mês
PERFUME DE ENIGMA
Escritos os desejos de enigma
me revelam as senhas do mundo.
Assim expostos calam a dor pungente
que faz das veias montanha-russa.
As vibrações harmônicas e pulsos poéticos
que partem do coração deságuam lúcidos
nas secas mãos do poeta.
Ávido descubro segredos de rodapé.
Ondas furtivas que remetem ao ainda.
Quanto mais se descobre,
mais sinto os respingos de suor
cobertos pelo convite do que virá.
Tramo planos e junto pistas
para destravar o universo
e vê-lo girar, solto, hipnótico,
ao meu alcance.
As cores aladas que se projetam
dos abissais limites de minha retina
são resposta calada do grito do mundo.
Dos sons almejo sinfonias
Das cores, arco-íris.
Do ouro, alquimia.
Do amor refuto.
Lucas Limberti


Bula de rodapé
Neste varal se "estende"o verso que vê do avesso, críticas noticiáveis, episódios poéticos, prazer e arte.
CRIAR BLOG GRATIS   
..