Dicas para votar

Interrompida no Brasil por diversas vezes, a democracia é um regime político cuja soberania é exercida pelo povo através das eleições.

A cada quatro anos, brasileiros de 18 a 70 anos são convocados a votar por meio do voto obrigatório. Vale ressaltar que idosos acima de 70 anos e jovens de 16 a 17, enquadram-se no grupo de votos facultativos.

Levando em consideração que a cada eleição 1,4 milhões de jovens se tornam aptos a votar, eu irei esclarecer ao longo deste artigo as principais dúvidas de como votar

Antes de mais nada, é bom deixar claro que apesar do número de jovens que se tornam aptos a votar ser de 1,4 milhões a cada eleição parecer numeroso, ele não é.

Dados do IBGE mostram que no último período eleitoral, o Brasil tinha 6,5 milhões de jovens nessa faixa etária, mas apenas esses 1,4 milhões, cerca de 21% do total, conseguiu realmente  votar porque já tinham seu título de eleitor emitido.

Está preparado para aprender como votar? Então veja o conteúdo que preparei!

Dicas para votar

Como votar

O ato de votar é algo bem simples de se fazer, é literalmente apertar alguns botões. Porém, o que mais confunde as pessoas é a ordem a ser seguida na hora de votar e a quantidade de dígitos.

Sendo assim, a primeira coisa a se fazer é identificar se a eleição na qual você vai votar é presidencial ou municipal. 

Se for presidencial você irá seguir essa ordem de votação: 

  • Deputado Federal – 4 dígitos;
  • Deputado Estadual ou Distrital – 5 dígitos;
  • Senador 1° vaga – 3 dígitos;
  • Senador 2° vaga – 3 dígitos;
  • Governador – 2 dígitos;
  • Presidente – 2 dígitos.

Por sua vez, se a eleição for municipal, a sequência é mais simples ainda:

  • Vereador – 5 dígitos;
  • Prefeito – 2 dígitos.

Após digitar o número do seu candidato, irá aparecer a foto e o nome dele no monitor da urna. Então, verifique se realmente é ele, se os números estão certos e aperte o botão “CONFIRMA”.

Será necessário repetir essa etapa de verificação a cada candidato que você for votar.

Como votar nulo

Visto como uma forma de protesto contra o sistema político, o voto nulo, como o próprio nome já diz, é um voto que não será computado na contagem final das eleições e durante a apuração de urnas. 

Como votar nulo na urna eletrônica

Uma dúvida muito comum é “como votar nulo?”. Por parecer ser algo tão sério,  passa a impressão de ser algo complicado, mas não é.

Para votar nulo, basta digitar uma sequência de números “0” no lugar dos números do candidato e confirmar. Há também a possibilidade de apenas apertar o botão “CONFIRMA” sem digitar nenhum número. 

Você será informado que seu voto foi anulado na tela da urna.

Como votar em branco

Apesar de ser entendido como sinônimo do voto nulo, o voto em branco tem um significado diferente. Enquanto o nulo representa um protesto, o branco representa a indiferença do eleitor quanto a eleição.

Para compreender um pouco mais essa diferença, é preciso relembrar um fato histórico.

Antigamente o voto branco era considerado válido e era somado aos votos do candidato mais votado.

Por exemplo, se um candidato conseguia 25%, outro 20% e um terceiro 15%, a quantidade de votos brancos eram somados ao que recebeu 25%, já que esses votos eram de pessoas que não se importavam com o candidato que seria eleito. 

Contudo, hoje tanto o voto nulo quanto o branco são considerados inválidos, portanto não são contabilizados. Caso queira votar em branco, basta apertar o botão “BRANCO” presente na urna.

Como votar na legenda

O voto de legenda é aquele em que o eleitor dá seu voto ao partido, assim fortalecendo a coligação do qual ele participa.

Esses votos são somados aos votos dos candidatos e são válidos apenas aos deputados federais, estaduais e distritais. 

Para especialistas, essa modalidade de voto é algo prejudicial, porque os deputados eleitos não são apenas os mais votados, mas sim aqueles  que os partidos escolhem.

Nas eleições de 2014, por exemplo, apenas 36 dos 513 deputados foram eleitos com seus próprios votos. 

Um dos casos mais conhecidos é o do Deputado Fausto Pinato (PP-SP), que recebeu 22 mil votos e, como tantos outros da coligação, só foi eleito naquele ano graças ao Celso Russomanno (PRB) que recebeu 1,5 milhões de votos.

Caso você não tenha um candidato específico, mas tenha um partido com que as suas convicções batam, que seja da sua confiança, basta apertar o número do partido e confirmar. 

Como saber onde eu vou votar

Descobrir onde você irá votar é simples, até porque na hora de fazer o título de eleitor você escolhe uma zona eleitoral de sua preferência na região da sua casa.

A zona eleitoral vem escrita ao lado do número de inscrição no seu título de eleitor e representa a área em que você irá votar, já a seção eleitoral indica o local em específico. 

Com esses números é possível pesquisar onde cada pessoa  votará. No entanto, caso prefira, o site do Tribunal Superior Eleitoral, o TSE, disponibiliza a consulta do local de votação.

No link, insira seu nome completo, sua data de nascimento e o nome de sua mãe – caso conste em seus documentos –, responda ao mecanismo de segurança reCAPTCHA e consulte. 

Como votar no segundo turno

Como votar no segundo turno

Para votar no segundo turno, utiliza-se o mesmo processo para votar no primeiro, tendo como única diferença a quantidade de candidatos, que nesse caso são apenas dois.

Outra coisa importante é que caso não seja possível comparecer à eleição, é preciso que a sua ausência seja justificada em um Tribunal Regional Eleitoral.

Aqueles que não justificarem não poderão emitir RG, Passaporte e demais documentos até que regularizem o título e paguem uma multa de R$ 3,51 referente a cada turno eleitoral não comparecido.

Sendo assim, apesar de toda a burocracia, aprender como votar é algo simples para o brasileiro, porque o país é pioneiro e reconhecido mundialmente nesse quesito.

O sistema eleitoral do Brasil, além de ser um dos mais modernos e mais rápidos, é um dos mais seguros.