Capitão Assumção
Capitão Assumção
sexta, 09 abril, 2010
Mesmo sem votação da PEC dos policiais, parlamentares se mobilizam

Fonte: Século Diário
8/4/2010

Lívia Francez

Os parlamentares que lutam pela aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos policiais tiveram uma má notícia na reunião do Colégio de Líderes, nesta quarta-feira (7). O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), decidiu por apreciar a proposta somente na próxima semana. No entanto, os parlamentares da Frente Parlamentar em Defesa de Policiais e Bombeiros Militares (Fremil) mantiveram a tática de pressionar a volta da PEC à ordem do dia.

De acordo com o deputado federal Capitão Assumção (PSB-ES), na sessão ordinária desta quarta os parlamentares favoráveis à PEC dos policiais conseguiram obstruir, por falta de quórum, os trabalhos de votação da Medida Provisória (MP) 477, que abre crédito extraordinário de R$ 18 bilhões para órgãos e entidades ligadas ao Poder Executivo. Segundo Assumção, os parlamentares vão continuar com a prática até o retorno da PEC à votação.

O parlamentar acrescenta que o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), líder do governo na Câmara, no momento da votação já sabia que o governo perderia a batalha. “Esta ferramenta está dando resultado, e demonstra que os deputados estão favoráveis à PEC”.

O deputado alerta para interesses políticos que estariam atrasando ainda mais a votação da PEC, que estabelece pisos salariais mais dignos para as corporações de policiais civis e militares e bombeiros militares. Ele aponta a incoerência de pausar a votação da proposta no meio do primeiro turno e afirma que deve haver interesses políticos para a não votação do benefício. “Esse fato é inédito, em primeiro turno não se para uma votação, parece até que há interesse em não votar, já que se sabe que a maioria dos parlamentares vota a favor da PEC”.

Piso

A PEC 446 estabelece piso salarial nacional de R$ 3,5 mil para soldados e R$ 7 mil para oficiais, extensivo a todos os policiais civis, policiais e bombeiros militares do País.

A aprovação da medida no primeiro turno depende da apreciação de quatro destaques, todos de autoria dos deputados governistas. Os parlamentares da Frente pró-PEC questionam esses pontos. Acreditam que eles descaracterizam a proposta inicial. O primeiro pretende excluir da emenda o valor nominal do piso salarial. A redação desse trecho no texto foi pensado como maneira de assegurar uma implementação imediata do piso a todos os militares do País. No entanto, a estratégia do governo é justamente no sentido contrário. Os governistas querem apagar esse trecho e definir a fixação do piso a partir da criação de uma lei específica.

postado por 122400 as 10:04:25 #
0 Comentários

Comente este post!   |    <<< Voltar para Início

 
Perfil
122400
Meu Perfil

Links
Blog Grátis

Palavras-Chave
pec300
policiais
policia
policial
PM
PCBM
denuncia
salario
piso_salarial
imperador
rodney_midiatico
capitão_assumção
militares
bombeiros
militar
aumento
manifestação
marcha
caminhada
politica
segurança
insegurança
dignidade

Favoritos
Não há favoritos.

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
Não há comunidades.

Posts Anteriores
Prazo para movimentação de títulos eleitorais encerra-se em 05 de maio
PEC 300: governo quer empurrar com a barriga.
No aniversário da corporação, militares lutam pela votação da PEC dos policiais
Pressão por piso salarial aumentará no Congresso
Mantida pressão a favor da PEC dos policiais para resolver o impasse
‘Fico de Hartung’ agita o mercado e deixa o debate eleitoral em suspense até junho
Ministro da Justiça adverte para impacto de piso para PMs
Maldades do governo serão combatidas com paralisação nacional
‘O governo Paulo Hartung vê segurança pública como gasto e não como investimento’
Agenda desta semana

Arquivos
2010, 01 maio
2010, 01 abril
2010, 01 março
2010, 01 fevereiro
2010, 01 janeiro
2009, 01 dezembro
2009, 01 novembro
2009, 01 outubro
2009, 01 setembro
2009, 01 agosto
2009, 01 julho

7437 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..