Consciência Humana
Consciência Humana

domingo, 04 agosto, 2013
IRMÃOS ANIMAIS - CONSCIÊNCIA HUMANA
http://www.irmaosanimais-conscienciahumana.blogspot.com.br/

postado por 25452 as 10:31:42 0 comentários
NOVO BLOG

Amigos, visitem nossa nova página http://www.irmaosanimais-conscienciahumana.blogspot.com.br/Nela traremos outros assuntos e muitos outros artigos, com acesso mais fácil para todos os textos.Manteremos contudo este Blog devido a importância que tem para muitas pessoas e aos muitos amigos que fizemos através dele.Visite nosso novo site e nos ajude a divulgarGrande abraçoSimonehttp://www.irmaosanimais-conscienciahumana.blogspot.com.br/

postado por 25452 as 10:23:31 0 comentários
quinta, 07 junho, 2012
Incoerências de uma vida incoerente...

As vezes é preciso desenhar para que as pessoas entendam o que queremos dizer....so rindo mesmo né

postado por 25452 as 03:30:05 0 comentários
IRMÃOS ANIMAIS ?

ESTAMOS NOS PREPARANDO PARA VOLTAR AS ATIVIDADES, AGUARDE.

postado por 25452 as 02:20:25 0 comentários
sábado, 26 novembro, 2011
Almoço beneficente

Coisa horrível receber convitinho de "Almoço Beneficente" onde o não beneficiado é o próprio almoço né? Pois é, recebi há pouco tempo um convite muito generoso para ajudar um lar que se colocava como Verdade e Luz, coisa simples, 20 “conto” , bebidas , sobremesas e alguns outros quitutes por fora dos “vintinho”. Associação essa que prega a palavra de Deus numa das poucas religiões que conheço que “falam” que os animais são nossos irmãos .

Recebi por email , abri o convite: fim de semana, primeira decepção, duplasertaneja (eca, Viva a Kiss, a rádio Rock), mas é beneficente né, então vamos ajudar já que o segundo nome dos veg(peguei vcs né rsrsrs) na boca dos carnívoros é “misantropos” e me dispus a ir lá.

Vejamos...corrios olhos no cardápio, de frente, letras garrafais estava escrito assim:

CONTRAFILÉ, FRANGO,LINGUIÇA TOSCANA =  NA GRELHA

Não sei “por que” , mas me veio na mente as palavras Verdade, Luz,Irmãos.......

Contrafilé + Frango + Linguiça = Irmãos animais

Como  uma crença que professa a Verdade, que busca a luz e que acredita que os animais são também nossos irmãos, pode devorá-los na Grelha???  A resposta ta difícil? Talvez na próxima reencarnação a gente consiga responder por que por enquanto....

Só rindo mesmo.......



postado por 25452 as 11:54:45 0 comentários
domingo, 27 março, 2011
Tratamento Espiritual de Animais

Em Abril o GFFA vai comemorar dois anos e nesse tempo, após receber a colaboração do veterinário espírita Dr. Marcel Benedeti, iniciou um trabalho de atendimento espiritual aos animais. Recebendo entre 30 e 40 animais por semana, a Casa, atende carinhosamente um a um , encaminhando-os, após uma entrevista com os tutores, ao tratamento com passes e água fluidificada.

A casa traz palestras voltadas a conscientização dos tutores não apenas em relação a seus tutelados, mas em relação a todos os irmãos animais que nos rodeiam. Os temas vão desde a alma dos animais até veganismo, de controle populacional a eutanásia, tudo visando o esclarecimento dos tutores, para que possam compreender a responsabilidade que envolve o termo “irmão animal”.

Tal como qualquer Casa Espírita, o GFFA realiza os passes e o tratamento espiritual que, quando necessário pode ser feito a distância, nesse caso o passe é feito através do nome do tutor e do tutelado, que recebe o passe direcionado ao animal.

“Através de palestra e passe tanto para os tutores como para os tutelados. Evangelizando-os e trazendo a essência com o esclarecimento devido, tirando dúvidas a respeito destes nossos irmãos “menores “ animais. Abrindo a mente destes tutores que os tutelados não são propriedades,, e sim, seres vivos que estagiam conosco para um crescimento espiritual, que possuem inteligência, instintos e raciocínio fragmentado dado a sua atual evolução, que não são filhos nem muito menos netos e que neste processo incoerente que existe hoje de humanizá-los, estamos atrapalhando toda uma programação reencarnatória e assim, assumindo responsabilidades espirituais para o futuro”.(Gilberto Marques).






SIMONE NARDI

postado por 25452 as 02:25:30 0 comentários
quinta, 21 outubro, 2010
QUAL A COR DA CARNE QUE VOCÊ COME?????

Outra coisa bacana, que dá ao dia do vegetariano um ar de “Mais um dia Feliz no Mundo Carnívoro” é definir – sim, temos que definir outra coisa além do que somos – a cor da carne.

É serio, a gente só descobre que a carne tem inúmeras cores quando paramos de comer animais. Ainda não descobri todas as tonalidades e matizes , mas tenho uma agenda com as mais diversas cores e motivos . 

Note bem:

Assim que você diz a um desavisado que você não come carne, o que ele te pergunta?

___ Nem frango? Nem peixe?

Mas alguns, mais sábios que esse aí de cima que acredita que frangos e peixes dão em árvores, vão à razão filosófica da coisa, ao Arke da sua decisão:

___ Nem carne branca?

Quer coisa mais profunda do que isso? O Arke de tudo. Da sua decisão de parar de comer carne e se tornar vegetariano ou vegano ou seja lá o que definirem para você ser(estranho né??). A cor, você não come carne por causa da cor.

Que besteira pensar nos animais, é a cor da carne que importa, você é um racista carnal, não come carne vermelha por que não gosta do Flamengo talvez...não come carne branca porque ....não sei “por que” na verdade.... deve ser racismo, ostracismo ou idiotismo. Mas é a cor que te faz parar de comer animais, entende??? Não né, na certa o cara que te perguntou isso também não entenda. Da próxima vez diz que não come carne de cor nenhuma, senão ele vai perguntar se você come carne azul, a língua dos chow-chow...

Vai entender.......



          

         Simone Nardi: Texto e foto

Cão: Clara, a mãe foi retirada da rua e deu 7 filhotes, entre eles essa fofura da foto.







           



postado por 25452 as 03:38:22 2 comentários
sexta, 15 outubro, 2010
SANDUICHE NATURAL????QUANTA ABOBRINHA...

Porque chamam o sanduíche natural de sanduíche natural???Sabemos que não há naturalidade  em se matar um inocente , fatiá-lo e colocá-lo no meio de dois pães melecados de maionese quimicamente testada provavelmente em outros animais , dentre outras “cositas mais” que não sabemos de onde e nem como vem.

De onde tiraram esse Natural? Naturalmente enganador, que faz a festa aos olhos daqueles que se acham com uns quilinhos a mais e acreditam que comendo o tal Sanduíche Natural, ele irá fazer bem ao organismo, ainda mais seguido daquele famoso refri que dissolve as mais duras carnes...tudo muito natural.

Será que os pães são “natural”, pães caseiros sem leite e sem ovos, claro porque somos defensores de animais, a questão é que o cara do pão integral não é e não dá a mínima para gente, mas quem sabe, você que está lendo consiga descobrir a natureza nada natural do seu sanduíche natural. Além dos ovos e do leite, tem corantes, conservantes e mais um monte de coisa que “naturalmente” não estarão escritas na embalagem.

Se fizermos um sanduíche de pão sírio, aquele que leva apenas água e farinha, ele deixará de ser um sanduíche natural?

Bom, ao menos sabemos que a questão não é mais o pão ou o recheio, então qual será o segredo para que um lanche, feito da morte de animais, do encarceramento de animais, cheios de corantes e conservantes seja tachado tão naturalmente como sanduíche natural???? Talvez essas pessoas estejam a um passo de se tornarem ambientalistas, porque estejam descobrindo que a carne do frango, do peixe e do presunto são produtos da natureza....com uma morte bem natural...

Eu hein.......

        

          Simone Nardi

Foto de Simone Nardi

Cão: Mel,( recolhida da rua)




postado por 25452 as 08:34:13 0 comentários
quarta, 06 outubro, 2010
TEM COISA PIOR?.....

Tem coisa pior que ser vegetariano ou vegano ou protovegetariano ou um superhipermegablaster vegan num  mundo sem identidade na qual comer carne faz parte do BBVS: Bíblia do Bem Viver em Sociedade? Além do atrito que algumas pessoas veganas vegetarianas proto macro insensatus já fazem entre si mesmas?

Tem, aqueles que são mais veganos que os veganos mais veganos que existemmas isso não é nada comparado aquelas pessoas que tem abobrinha na formação do corpo;  não, não se trata de uma mutação, é algo mais romântico: é a abobrinha neural.

Primeiro, enquanto você tenta depois dessa confusão toda que estão fazendo na sua cabeça, decidir se você apesar de não comer absolutamente nada que venha da carne, nem laticínios e seus derivados é vegetariano, vegano ou protoqualquercoisa, até porque antes de todo mundo desejar colocar o nome na História porque criou uma designação mais bonita para a arte de sobreviver sem a carne, já existiam pessoas que não se alimentavam ou usavam qualquer coisa de animais e que eram conhecidos apenas por – ufa que tempo bom-  Vegs; você, morrendo de fome, pergunta ao vendedor da cantina da faculdade se ele tem ali, em meio aquela parafernália toda, algo que não contenha “carne” e ele se volta sorridente para você e diz:

___ Claro. Temos Kibe.

Pacientemente, você o megaultra ainda sem definição, mas consciente de seus deveres perante os animais e a sociedade, repete, “p-a-u-s-a-d-a-m-e-n-t-e” sua primeira frase e frisa, com polidez a palavra “carne”. A feição do vendedor muda e até te deixa feliz, afinal ele parece ter compreendido seu pedido.

­­___ Ah sim, sem carne, temos sim, temos enroladinho de salsicha.....

Tem coisa pior???? Não sei.....talvez o tal sanduba natural...

         Só rindo mesmo.......

Simone Nardi

Foto de Simone Nardi

Cão: Amarelo , (recolhido da rua)




postado por 25452 as 03:11:56 0 comentários
sexta, 01 outubro, 2010
SO RINDO MESMO...

Ser vegetariano é com certeza uma coisa divertida, desde que você não seja aquelas pessoas rabugentas, que reclamam de tudo e acreditam que o mundo conspira contra você. Já temos que conviver com a segregação interna da coisa toda tipo: Somos veganos não vegetarianos, vegetarianos degradam o planeta, somos “proto”(epa)vegetarianos, somos veganos veganis sensatus, somos somos somos somos tantos somos que perdemos a real indentidade e lutamos uns contra os outros esquecendo-nos do respeito que nos levou a mudar os hábitos alimentares, porque tornamos o irmão de jornada inimigo de caminhada, uma hora vegetariano não pode namorar onívoro, depois vegano não poderá namorar vegetariano, depois começaremos a segregar tanto que viveremos isolados e nossa palavra não chegará ao ouvidos daqueles que ainda desconhecem o que se passa com os animais, porque estamos mais preocupados e dar nomes aos “bois” do que em fazer a coisa certa que é salvar os bois, os cães, as lebres , os gatos ... como se dar nome, apontar, segregar, fosse a coisa certa a se fazer...

Depois limpamos a boca e dizemos - enquanto tentamos esconder os 10, 20 anos em que fomos onívoros , tentamos mostrar nos 10 anos recentes de vegetarianismo ou veganismo que somos criaturas boas - que fazemos o bem aos animais, enquanto por outro lado, minamos, mesmo que discretamente a amizade de vegetarianos com vegans e destes com os onívoros.Somos tão cegos quanto qualquer um, só não queremos admitir. Depois alguns reclamam quando são chamados de chatos....

È claro que é chato ouvir que você mata bichos para comer sem qualquer necessidade, mas é mais chato ainda você ouvir de um cara que era carnívoro e se tornou vegetariano primeiro e depois vegano, que você , ainda engatinhando pelo vegetarianismo é covarde, é cruel e tantas outras coisas, coisas essas que esse mesmo cara era uns poucos anos atrás. Como se ele tivesse virado um “santo” quando se tornou vegano, tão santo que hoje com toda sua atitude de bondade e dignidade aponta o outro para jogar na cara dele, algo que ele também não viu em si mesmo.

Respeito é bom para todos os lados, do contrário o ideal morre sem trazer resultados, como no espiritismo Emmanuel dizia que: “O maior problema do espiritismo são os espíritas”, temos que evitar que o problema dentro da Libertação animal, sejam os Vegetarianos, os vegans, os tantos somos que ROTULAMOS ao invés de lutarmos juntos.

Só rindo mesmo...

Simone Nardi

Veganismo sem fanatismo gente

Foto de Simone Nardi

Cão: Cirus(recolhido da rua)




postado por 25452 as 12:01:20 0 comentários
domingo, 25 julho, 2010
Eles sentem pena, mas comem o objeto de sua compaixão

Essa é uma frase de Oliver Goldsmith, um escritor inglês , na frase completa ele indica a indignação pelo pensamento humano ao dizer : “Mas no entanto (consegues acreditar?) eu tenho visto o próprio homem que se gaba da sua ternura, a devorar de uma só vez a carne de seis animais diferentes num fricassé. Estranha contradição de conduta! Têm piedade, e comem os objetos da sua compaixão!”.

Numa só frase ele demonstra como muitas vezes nós somos contraditórios entre o que falamos e o que realmente fazemos. Nós acostumamos a chamar os animais de irmãos, no entanto visitamos churrascarias, fazemos lanches com presunto, comemos frango assado no domingo com a família, tudo numa “boa”; nossas reuniões familiares normalmente são recheadas das carnes desses nossos irmãos em evolução. Talvez nunca tenhamos parado para realmente pensar no significado da palavra irmão e na extensão da palavra animais.

Nós somos todos irmãos, todos centelhas Divinas criadas por um mesmo Pai, irmãos espirituais que devem se auxiliar na grande caminhada evolucional. Não somos irmãos apenas no reino “hominal”, mas em todos os reinos onde Deus colocou suas mãos.Não somos irmãos apenas no Planeta Terra, mas em muitos outros Planetas , em muitos outros Universos que ainda desconhecemos. Fisiologicamente somos parecidos com os animais, e podemos compreender que o reino animal abarca a todos os seres, mesmo aqueles aos quais nós desconsideramos por uma tradição cruel que nos foi trazida pelo passado remoto de nossos ancestrais.

Os cães, os gatos, os pássaros, os peixes, não apenas aqueles que estão ao nosso lado são nossos irmãos animais, mas aqueles cães e gatos abandonados nas ruas, nos laboratórios de experimentação, os peixes que se debatem nas redes, que se prendem aos anzóis e sufocam aos poucos, esses também são nossos irmãos e caminham conosco na seara Divina. Os bois, suínos, galos, gansos,carneiros, coelhos e tantos outros que são usados como alimento, esses também são nossos irmãos.E um irmão não deveria matar outro irmão.

Quando vamos passar a considerá-los assim? Quando vamos deixar nossos medos e tradições, para alçarmos mais um degrau em nossa evolução? Nosso minuto de prazer valeria mesmo a vida de um desses nossos irmãos? O Planeta já nos pede essa consciência de fraternidade, os animais nos pedem essa consciência fraternal, a vida nos pede essa reflexão.

Somos contra os rodeios, as vaquejadas e as touradas, somos contra o uso de peles, contra a dor infligida aos animais, tiramos um cão da rua, o abrigamos e alimentamos, no entanto nos permitimos nos alimentar de outro, protestamos quando ouvimos dizer que outros povos comem cães e gatos, mas ignoramos a senciencia dos porcos, somos a favor a vivissecção porém não desejamos ver o que se passa dentro dos laboratórios com os cães que não tiveram a mesma sorte dos nossos, e ouvimos a voz de Oliver Goldsmith ecoar em nossa mente: Têm piedade, mas comem o objeto de sua compaixão”.

Até quando teremos apenas “piedade”?

Simone Nardi



postado por 25452 as 05:49:32 0 comentários
sábado, 03 julho, 2010
Tratamento Espiritual para os Irmãos Animais - GFFA

"Mas aquele que recebe a semente numa boa terra, é aquele que escuta a palavra, que lhe presta atenção e que dá fruto, e rende cento, ou sessenta, ou trinta por um". (Parábola do Semeador)


Há cerca de um ano fiz um artigo falando sobre a ASSEAMA, e me vejo agora na obrigação de fazer mais um falando novamente sobre o Tratamento Espiritual voltado aos nossos irmãos animais. Por quê? Para demonstrar que o trabalho que nosso querido amigo Marcel Benedeti semeou, floresceu e agora está gerando frutos. Ousamos dizer que as Casas Espíritas agora possuem uma divisão temporal em seus trabalhos, principalmente no que tange aos nossos irmãos animais, em antes de Marcel Benedeti e depois de Marcel Benedeti.

Desde Agosto de 2009, outra casa ,agora em São Bernardo do Campo, o Grupo Fraternal Francisco de Assis ,vem realizando o tratamento espiritual e o estudo em torno desses nossos irmãos. Como não poderia ser diferente, o ambiente durante as palestras no Grupo Fraternal Francisco de Assis discorre de formal normal, cães e gatos permanecem tranquilos ao lado de seus tutores, pois compreendem o motivo pelo qual levaram seus tutores até ali, sim, pois conforme nos diz o dirigente do Grupo, Gilberto Marques “ São os tutelados(os animais)que levam seus tutores até a Casa”. É Gilberto também quem nos narra todo o trabalho espiritual que é realizado durante as reuniões, trabalho este realizado por Frades Franciscanos que se acercam dos tutores e de seus tutelados, realizando o tratamento necessário a cada um.

A casa traz palestras voltadas a conscientização dos tutores não apenas em relações a seus tutelados, mas em relação a todos os irmãos animais que nos rodeiam. Os temas vão desde a alma dos animais até veganismo, de controle populacional a eutanásia, tudo como forma de esclarecimento para que as pessoas possam compreender a responsabilidade que envolve o termo “irmão animal”.

Tal como qualquer Casa Espírita, o Grupo Fraternal Francisco de Assis realiza os passes e o tratamento espiritual que quando necessário pode ser feito a distância, nesse caso o passe é feito através do nome do tutor e do tutelado, que recebe o passe que é direcionado ao animal. Todos os animais que ali chegam são acolhidos fraternalmente pelo dirigente da Casa e passam por uma entrevista para que o tratamento possa ser iniciado, segundo a necessidade de cada animal a duração do tratamento será de 1 a 10 passes.

Gilberto nos explica como funciona o tratamento espiritual: “Através de palestra e passe tanto para os tutores como para os tutelados. Evangelizando-os e trazendo a essência com o esclarecimento devido, tirando dúvidas a respeito destes nossos irmãos menores animais. Abrindo a mente destes tutores que os tutelados não são propriedades, mas sim animais domesticados, seres vivos que estagiam conosco para um crescimento espiritual, que eles possuem inteligência, instintos e raciocínio fragmentado dado a sua atual evolução, que não são filhos nem muito menos netos e que neste processo incoerente que existe hoje de humanizá-los, estamos atrapalhando toda uma programação reencarnatória e assim assumindo responsabilidades espirituais para o futuro, se dizemos que eles são irmãos menores animais é porque fomos criados pelo mesmo Pai que vive e reina através de suas Leis Divinas e Naturais, mas não somos irmãos consanguíneos e que fique bem claro a cerca disto, eles estão conosco para aprendizado no convívio em família, na educação, na compartilha e com uma função a mais de nos auxiliar nas trocas de energias menos positivas.”

Embora dentro do espiritismo ainda ocorram alguns desentendimentos sobre o passe em animais, Gilberto igualmente esclarece que o passe dado aos seres humanos difere do passe nos animais devido as energias que cada corpo espiritual possui : “... o passe é especifico pois é necessário a sintonia com os irmãos espirituais que se utilizam dos médiuns passistas para sincronizar o centros vitais dos irmãos menores animais. Ao contrário do que se pensa, o passe humano aceleraria o desencarne devido ao magnetismo existente. É bem verdade que ouvimos relatos de irmãos que já fizeram o passe e que houve o restabelecimento, nossos benfeitores espirituais elucidam que nestes casos, pela compaixão do tutor pelo tutelado, movem-se montanhas e desta forma eles fazem a sintonia, interpondo suas mãos nas mãos do tutor e desta forma revitalizando o irmão menor animal, esta é a misericórdia Divina.”

As reuniões são realizadas todos os sábados a partir das 14hs e termina somente com o atendimento do último tutelado, sendo que uma hora é dedicada a uma palestra específica e após isso se iniciam os tratamentos com passes , sempre com muita procura por parte dos tutores. Aqueles que se interessarem pelo tratamento e, sobretudo pelas palestras ministradas na casa,podem visitar o Grupo Fraternal Francisco de Assis Bairro Batistini em SBC , Estrada Galvão Bueno, 5143 com acesso na rua Augusto Venturini, 5- fone 4396-2297 e o site
www.gffa.org.br. É solicitado aos tutores que levem uma garrafa com água para eles e uma para seus tutelados , pois a energia das águas é igualmente modificada, vale dizer que assim como para nós, seres humanos, o tratamento espiritual não substitui o tratamento médico veterinário.

O trabalho com nossos irmãos animais está apenas começando, é preciso vencer os preconceitos e encarar que somos sim responsáveis por tudo o que acontece a esses irmãos e ao Planeta em que vivemos, somente aprendendo a caminhar juntos, poderemos evoluir e ajudá-los a também evoluir rumo ao Pai. Outras casas começam, mesmo que timidamente a voltar seus olhos para estes irmãos que durante tantos anos, relegamos a marginalidade, agradecemos ao querido amigo Marcel pela coragem de perseverar quando tantos eram contra ele, e pela coragem do irmão Gilberto em assumir um compromisso com a espiritualidade , fazer florescer e dar frutos, o trabalho que Marcel iniciou.

Que outras casas se juntem a esse trabalho de amor.

Simone Nardi

Foto: Simone Nardi( Cão- Cairo)



postado por 25452 as 02:11:08 1 comentários
segunda, 20 julho, 2009
ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA

"Se puderes olhar, vê. Se podes ver, repara."
Citado no "Livro dos conselhos",
de El-Rei Dom Duarte.

A maioria já deve ter lido ou ao menos ouvido falar do livro "Ensaio Sobre a Cegueira", de José Saramago; vamos apenas pincelar o livro que narra como de repente uma cegueira branca vai se espalhando, contaminando e tomando conta das pessoas; a princípio parece ser incurável e aos poucos toda a humanidade vai ficando cega, reduzida a seres meramente instintivos. Em meio a tanto terror, apenas uma pessoa não perde a visão e é ela, sozinha, que os guia dentro dessa cegueira branca, dentro desse mundo desconhecido e assustador. O filme retrata como o ser humano é capaz de perder anos de civilização ao ser privado de um de seus sentidos. É possível compreender no livro a necessidade dos "cegos", em confiarem naquele único ser que enxerga, de modo a poderem se humanizar e se socializar novamente, pois o governo os envia a um sanatório e, quanto mais pessoas chegam, mais deplorável fica o lugar. Começam a surgir disputas pela comida e pelo domínio do sanatório, situações constrangedoras fazem com que os personagens comecem a se questionar sobre sua dignidade, seu auto-respeito e seu orgulho.

Por trás do livro podemos notar que Saramago não trata apenas da cegueira física, mas da cegueira moral dentro da qual a sociedade se encontra, e sabemos que todo esse orgulho e dignidade são deixados de lado quando o animal humano é posto diante do animal não humano. Em confronto com um ser que ele julga inferior, o animal humano esquece que é civilizado e se bestializa de tal forma que perde sua verdadeira identidade, seu orgulho e seu auto respeito, descendo a níveis que os animais não humanos não conseguem alcançar, a própria "miséria moral". Foi há muitos anos atrás que essa cegueira branca teve início, ao matar no animal humano todo seu senso de moral, compaixão é ética pelos animais não humanos. A ética social, tal como no livro, desmoronou desde então. O animal humano cego pelo orgulho e pela vaidade separou-se da natureza, espezinhou-a e aos seus outros filhos, os animais, com a mesma crueldade com que trata tudo aquilo que lhe é diferente. Nessa sua cegueira, a humanidade é capaz de ignorar o fato de que há uma igualdade senciente entre nós e os animais, é capaz de se manter cega diante de tanto sofrimento, ensaiando o dia em que consiga obter a coragem de enfrentar seus medos em resistir à cegueira a qual a condicionaram.

"O medo cega, já éramos cegos no momento em que cegamos, o medo nos cegou, o medo nos fará continuar cegos.[...] Quantos cegos serão preciso para fazer uma cegueira, Ninguém soube responder." (J. Saramago)

Quanto ainda será preciso mostrar, demonstrar, expor, falar ou escrever sobre o sofrimento animal, antes que os "cegos da ética" notem que estão errados, que estão com medo e que esse medo os cega. Quanto ainda teremos que pedir para que abram seus olhos, pois somente assim essa cegueira se dissipará e a ética voltará a se fazer parte da sociedade? Esse cegos contemporâneos são cegos do coração e da alma, são cegos da moral e da ética, guiam outros cegos e conhecemos a velha frase que nos diz: "Cegos guiando cegos,ambos cairão no abismo". Já estamos caindo no "abismo" a cada dia que passa, por todo o desrespeito que as pessoas mostram em relação aos animais; é a humanidade quem polui o seu próprio ar, que contamina sua própria água, que apodrece sua própria terra, que desrespeita a eles, os animais não humanos e em igualdade, a si mesma, mas a maioria ainda deseja se manter cega diante disso. Essa cegueira não os deixa ver aonde pisam nem em quem pisam, não os deixa livres para escolherem qual caminho tomar, qual posição escolher.São cegos que temem enxergar, porque fazem tantas coisas ruins aos animais que se envergonham, e se fecham cada vez mais dentro de uma cegueira manipulada e cruel.

"Por que cegamos, não sei, talvez um dia se chegue a conhecer a razão, Queres que te diga o que penso, Diz, Penso que não cegamos, penso que estamos cegos, cegos que vêem, cegos que vendo, não vêem" (J. Saramago)

Essa á a grande parcela da humanidade hoje diante da exploração animal, cegos que vendo, ainda assim fingem não ver, que diante da repulsa que a visão do sofrimento animal acarreta, com uma insensibilidade fora do normal, conseguem ignorar o que lhes mostrado, que hibernam em seus costumes e tradições bárbaras com medo de enxergar a verdade de seus atos cruéis.

"Por que cegamos?"

Porque passamos a nos achar seres privilegiados, seres mais fortes, mais poderosos e, no entanto, nos tornamos seres mais cruéis, mais frios, mais irracionais. Não somos cegos, estamos cegos diante daquilo que não desejamos ver, a agonia animal que praticamos todos os dias.

Assim como os personagens de Saramago perderam o senso de civilidade, hoje, os cegos contemporâneos, perderam o senso de civilidade junto a natureza, junto aos animais, tornaram-se egoístas ao fazerem da Terra, um Planeta para uso exclusivo de animais humanos.Não dividem, não doam, ao contrário, tomam a força, ameaçam, humilham, matam, violam e desmoralizam qualquer ser que se oponha a essa cegueira.

Saramago diz que deseja que seu leitor sofra ao ler o livro, tanto quanto ele sofreu as escrevê-lo. E hoje nós sofremos por essa cegueira que perdura há séculos, séculos de tortura, de morte e muito sangue. Tal como o livro, a vida dos animais tem sido um capítulo brutal e violento, repleto de experiências dolorosas e aflições sem fim.

"Através da escrita, tentei dizer que não somos bons e que é preciso que tenhamos coragem para reconhecer isso." (J. Saramago)

O que nos falta para reconhecermos isso, então? O que nos falta para enxergarmos que, o que fazemos com os animais se opõe a qualquer ética que tentemos criar para nos proteger uns dos outros? Que falta para as pessoas abrirem os olhos e enxergarem que os gritos de agonia só irão cessar quando elas mudarem? Não somos cegos, repito, estamos cegos, e ser cego é uma opção.

A cura para essa cegueira nada mais é do que a aceitação verdade, e a verdade é que realmente não somos bons que, embora o veganismo nos guie para a moralização ética, nós nos afastamos desse guia por medo de descobrirmos que não somos aquilo que pensamos que éramos: seres bondosos e racionais. Temos medo, tanto quanto os cegos de Saramago, de caminharmos por esse mundo desconhecido e assustador que é o respeito aos animais não humanos, não estamos acostumados a respeitá-los, somos orgulhosos demais, porém a cegueira nos tem feito viver num mundo igualmente deplorável ao sanatório onde os cegos de Saramago viviam, fingimos não ver, mas sentimos o cheiro da morte e da nossa sujeira. Quando será que a humanidade se desvencilhará dessa cegueira para alcançar a sua lucidez, pois qualquer pessoa que saiba sobre o sofrimento animal e nada faça a esse respeito, está cego e perdeu parte de sua sanidade. Seria irracional nos colocarmos como seres racionais diante da visão do abate de um animal, diante da vivissecção, diante das touradas, bem mais fácil realmente seria essa posição ocupada pela grande massa, a de seres cegos e insensíveis a dor, não há como explicar de outro modo como alguém que tendo conhecimento sobre o que acontece com os animais, não mude, nem tente mudar.

É preciso que nos se humanizemos e nos socializemos novamente com a natureza, com os animais, com o mundo no qual vivemos, precisamos ter coragem para abandonarmos a cegueira de anos e anos de exploração animal, por uma conduta mais digna, pois o ser humano que usa de sua força contra um ser qualquer, não é digno, nem possui qualquer valor moral e os animais humanos necessitam, urgentemente, se moralizarem perante a natureza e sobretudo, diante dos animais não humanos.

"Se puderes olhar, vê. Se podes ver, repara."1

Se podes enxergar e reparar, então que esperas para mudar?

Referências Bibliográficas

SARAMAGO, José - Ensaio sobre a cegueira.

Nota

1 Metáfora sobre aqueles que tendo visão, se recusam a ver, pois é bem mais fácil ignorar as coisas que fazemos de mal aos outros seres do que passarmos a nos enxergar como verdugos cruéis.

botao_ineditoFoto: Bengalinha.Rancho dos gnomos

Autor : Simone Nardi



postado por 25452 as 06:04:15 1 comentários
domingo, 08 março, 2009
ANIMAIS NOSSOS IRMÃOS !

“Amai-vos uns aos outros”

Há anos que o homem evoluiu ouvindo essas palavras do Mestre Jesus; há anos que outra lei de Deus nos toca o coração; “Não matarás”. Mas o homem parece alheio até certo ponto, para essas duas leis soberanas.

Amar a quem?

Não matar , a quem?

Teria dito Deus;  amar somente aos homens, não matar somente os homens? Se fosse assim com certeza Ele teria frisado a palavra homens, mas não o fez. Sendo assim devemos entender que Deus, em sua soberana bondade, referiu-se a AMAR  a tudo que Ele criou bem como não MATAR nada do que Ele criou.

O amigo leitor deve estar se questionando, e a carne, devemos então deixar de comê-la?

Para alguns já bem mais evoluídos essa necessidade não mais existe, mas para nós, homens falhos e cheios de defeitos, ainda é difícil abdicar desse costume. Então perguntará o amigo o motivo desse texto.

Para evitar os abusos.

Deus deu o pequeno poder ao homem sobre os animais, mas é o abuso que se deve condenar. O abandono, os maus tratos, o uso de animais para o “divertimento”, se é que ver um bicho sofrer é divertimento( basta ler sobre a farra do boi). Queremos mostrar a todos, principalmente aqueles  que vêem a Caridade apenas no amor aos seres humanos e são incapazes de estender a mão a um animal que necessite, provando apenas que desconhecem o âmbito do amor de Deus para quem, cada criatura existente na Terra é importante, que a VIDA  de todos os seres  deve ser amada e preservada.

Talvez seja pela falta de estudo, pelo orgulho ou por medo, que o espiritismo teima em falar sobre esse assunto, mas, aquele que iniciou-se na doutrina através do Pentateuco Kardequiano há de lembrar-se que, no Livro dos Espíritos, existem perguntas e respostas sobre o assunto. Capítulo XI ,Os Três Reinos, perguntas 592 a 607.

Cães e gatos abandonados. Bois e porcos abatidos em matadouros. Baleias arpoadas. Golfinhos mortos a pauladas em rituais milenares. Devemos sempre esconder o orgulho tolo e nos lembrar que todos eles, nasceram  pela Obra de um só Pai, é uma decisão Divina eles estarem ao nosso lado, negar-lhes esse respeito é negar o amor a Deus. As leis são as mesmas para todos.

Há muita discussão sobre se os animais possuem alma? Onde ficam quando desencarnam. Se reencarnam novamente. Por que sofrem as dores da doença, como o câncer entre outras? Se possuem sentimentos.

Esse é o motivo principal desse artigo, fazer com que as pessoas enxerguem que os animais, seres ditos inferiores, as vezes possuem mais amor por nós do que nós mesmos.

Me baseei em vários relatos e em diversos estudos sobre esses seres tão ignorados pela raça humana e que hoje a ciência vem provando que causam mais bem do que mal, basta ver a equoterapia, o projeto Cão do Idoso, que promove visitas a asilos e o trabalho feito nos hospitais, com as crianças que ali ficam internadas.

Esses nossos amigos nos guiam, nos fazem companhia, nos dão alegria e nos curam. Respeitemos então todas as criaturas de que Deus criou.

“Não me interessa nenhuma religião cujos princípios não melhoram nem tomam em considerações as condições dos animais. ”

                                               Abraham Lincoln

Boa Leitura

Animais, nossos irmãos

Parte I

O espiritismo muitas vezes se divide em suas ideias, uma das mais conhecidas porém é de que todos nós fomos gerados por Deus, éramos pequenas luzes de sua Luz e fomos enviados ao Mundo para evoluirmos. Aprendemos que fomos Mônadas, as primeiras criaturas que habitaram o reino terrestre, depois passamos “Estagiando”, pelo reino mineral, vegetal, animal e finalmente hominal. Por isso muitas vezes a dificuldade de compreender o pensamento de alguns companheiros de jornada, quando desprezam qualquer outro ser vivo.

Não estagiaram eles também por esses reinos, onde agora novos companheiros estagiam? Por que então tratá-los de forma tão rude?

Dúvidas a parte, queremos nos referir nesse artigo ao assunto que lhe dá nome: Animais nossos irmãos.

Apenas por  sermos criaturas do Pai, já deveríamos nos chamar de irmãos, afinal, Deus criou tudo que existe e como dizia Carl Sagan, um dos poucos cientistas que acreditavam em Deus:

“Nós temos , comparativamente, as árvores como nossas primas.”

Isso após descobrir certos elementos das plantas que formam também o corpo humano.

Mas o importante agora é :

Os Animais possuem alma?

Ora, e que de outra forma poderíamos vê-los depois que desencarnam senão possuíssem alma? André Luiz relata a visão de alguns animais enquanto caminhava por Nosso Lar (vide livro Nosso Lar) , sem contar inúmeros outros relatos. Contudo, devemos esclarecer que não possuem alma idêntica aos dos seres humanos, pois que ainda são inferiores e diferentemente do homem, não guardam consciência de si mesmo, nem tampouco possuem o livre arbítrio que dá ao homem o direito de acertar ou errar. Eles mantêm sim sua individualidade, mas são orientados e cuidados por espíritos designados para isso.

A maior prova sobre a existência da Alma dos animais são os relatos que ouvimos e tiramos de inúmeros livros, dos quais transcreveremos apenas alguns, devido a enorme quantidade.

Caso 1.  O mais recente, desenrolou-se há poucos dias, numa entrevista dada ao programa Late Show. O Dono relata ter ficado internado por várias semanas no hospital e mesmo assim conseguia ver Flufy, o poodle da família, rondando sua cama a noite. Diga-se de passagem, que tal como os humanos, os animais podem deixar seus corpos quando dormem, por isso o cão visitava o dono no hospital.

Caso 2 . Outro caso semelhante ocorreu na Bahia, em 1993. O Sr. Giuseppe Aprile, narra que estava recuperando-se de uma cirurgia quando ouviu um baque na janela do quarto. Olhou naquela direção e viu um pássaro igual ao que possuía em sua casa. Apreensivo, aguardou a chegada da esposa e esta relatou-lhe que o mesmo havia morrido no mesmo instante em que Giuseppe o vira defronte a janela do hospital.

Caso 3 . Um caso interessantíssimo ocorreu com o Dr. Gambier Bolton, zoologista. Ele cuidou de uma foca que fora ferida por um arpão, seu estado era deplorável e Bolton a levou para o Zôo para ser cuidada. Mais tarde quando retornou para vê-la, descobriu que fora posta, apesar da enorme ferida, junto as outras, num enorme tanque. Segundo Bolton, assim que ele chegou, foi reconhecido pelo animal que em seguida morreu. Amante dos estudos mediúnicos e de sessões espiritas a efeito de pesquisa cientifica, Bolton compareceu a uma sessão , de repente, ouviu o médium gritar “Tirem esse bicho daqui” e de onde estava Bolton pode ver a foca se arrastando em, sua direção, onde permaneceu por alguns instantes desaparecendo logo em seguida.

Caso 4. O Sr A .J.Wood Narra – que durante sessões mediúnicas na casa de alguns amigos, era possível ver um cão da raça Collie sempre ao lado deles, em dado momento, ao aproximar-se dos donos, puderam todos ouvir um latido forte e alegre, tinham eles perdido o cão há muitos anos atrás.

Caso 5. Divaldo Franco, com sua alegria, relatou durante uma palestra um encontro festivo com um cão. Seguia ele para a casa de alguns amigos quando lá chegando foi recebido por enorme pastor alemão que saltou-lhe sobre o peito lambendo-lhe as mãos. Encabulado diante dos donos e da expressão efusiva do cão, Divaldo fê-lo descer, mas novamente o cão saltou sobre ele. De certa forma, indignado porque os donos não o repreendiam,. Divaldo elegantemente fez novamente o cão descer e dirigiu-se aos donos  dizendo: Que belo cão vocês possuem, muito alegre. Os donos se olharam sem compreender e  indagaram, agora curiosos: De que cachorro está falando? Respondeu Divaldo : Ora desse Pastor Alemão. Foi então que Divaldo compreendeu que apenas ele via o cachorro e ouviu a voz entristecida do dono dizer. Nosso pastou alemão morreu a poucas semanas...

Por esses e outros exemplos, devemos entender que, assim como os homens, os animais vivem no mundo espiritual. Tendo alma, evoluem e para evoluir precisam encarnar, nada muito diferente do que acontece aos homens. A única diferença que é que não possuem o livro arbítrio para escolher onde e quando irão reencarnar e nem a espécie que irão ser. Muitos podem e até voltam, para o mesmo lar que já deixaram um dia. Esses lares são escolhidos pela espiritualidade para fazer com que, tanto os animais, quanto as pessoas daquele lar, possam evoluir.

Evolução animal , vamos falar sobre isso na segunda parte do tema  do mês, Animais Nossos Irmãos!

Oração de São Basílio :

                                     Oh Senhor, aumenta nosso sentido de amizade com todos os seres que têm vida, nossos pequenos irmãos a quem Tu deste a Terra como seu lugar, junto conosco. Recordamo-nos envergonhados que no nosso passado exercemos o domínio superior do homem, com desapiedada crueldade e assim a voz da Terra, que deveria ter subido até Ti em canções, tem sido um lamento.

                                       Oxalá nos demos conta que eles vivem não somente para nós, senão para eles e para Ti, e que eles amam a doçura da vida, da mesma forma como amamos, e  servem a Ti, melhor em seu meio, do que nós no nosso.

 Para saber mais leia : O Livro dos Espíritos- Allan Kardec

                                  Todos os Animais Merecem o Céu- Marcel Benedetti

                                  Animais Nossos Irmãos – Eurípedes Kuhl

                                 Ouça : Rádio Boa Nova – AM 1450  -AM 1080         

                                 Programa Nossos Irmão Animais- Link a direita

                                 Com o Dr. Marcel Benedetti

                           Assine : Grupo de discussão Espírita Clara Luz

                                        clara_luz-subscribe@yahoogrupos.com.br

Aguarde a segunda parte de  : Animais, nossos irmãos , aprenderemos juntos sobre a evolução, o suicídio no reino animal,  a necessidade ou não da dor e muito mais, tudo sobre a ótica espirita.

Um Abraço e Até Mais

Simone Nardi



postado por 25452 as 11:28:21 20 comentários
quarta, 25 fevereiro, 2009
FARRA DO BOI

Não, não venho falar de coisas alegres, ao contrário do que o nome sugere.Farra, folia, festa. Se fôssemos seguir o real significado do sentido Farra, não estaríamos todos contra essa tola tradição. Vocês já foram a alguma festa, de aniversário, casamento, ou seja lá o que for, em que no final, o anfitrião acaba morto?

Na farra do boi o dono da festa sempre morre no final.

As imagens não revelam toda crueldade.Não, o pior a câmera não gravou. Visitando alguns sites que são a favor a Farra do boi, é impossível não ver a mediocridade de algumas mentes humanas, há uma completa inversão de valores morais. Eles chamam tortura de diversão. Chamam a dor e o medo dos animais de diversão.Chamam a morte de tradição.

Como é possível no século 21 uma pessoa de boa índole e de moral afirmar algo tão bárbaro de diversão?

Toda tradição deles termina em morte, em sangue.

A morte, mesmo para quem acredita na emancipação da alma, é algo triste.Morte significada perda, dor separação.Nesse caso especificamente, uma separação dolorosa e angustiante para o animal.

Se a festa é tão divertida como os farristas apregoam.Se nenhum mal é feito aos bichos, como muitos farristas escreveram nos fóruns.Se é tudo plena alegria, por que então o boi prefere morrer afogado a “brincar” com eles???Afinal trata-se de uma festa, e se é uma festa, por que os animais devem morrer???Lembrando sempre que os farristas torturam não apenas bois, mas cavalos e bodes e cabras também.

Que tipo de diversão tradicional fere, mutila, aleija, queima e mata?Na certa uma feita por seres extremamente brutalizados, que sequer conhecem o verdadeiro significado das palavras:

RESPEITO e AMOR

Não adianta vocês farristas fecharem os olhos, mentirem sobre as atrocidades que cometem.Vocês são cruéis.Vocês são carrascos.Vocês são perversos.

Talvez sempre serão, por culpa de seus pais que não lhes ensinaram o respeito à vida ou talvez por culpa de vocês mesmos, que como carros sem motor não conseguem andar, seres perversos e infortunados, presos a cegueira de seus corações negros.

Saibam porém que o mal que se faz aqui, aqui também se paga.O Planeta está mudando por causa de pessoas como vocês e não vai restar nada de suas tradições um dia.

Uma enchente.Um ciclone.Uma tromba d’água....a Natureza sempre se vinga

Os sinais estão aí, só vocês, cegos, ainda não conseguem ver.

Farra do boi, sempre a morte do boi marca seu final.

 

Simone Nardi



postado por 25452 as 11:35:10 20 comentários
sábado, 24 janeiro, 2009
SOMOS TODOS IRMÃOS

Na terra fofa, na semente que brota, na grama molhada pela gota do orvalho, nas raízes profundas que se tornam árvores, vejas se "O " nota.

No céu azul ou na tormenta, nas gotas de chuva, em raios ou trovões que formam o mar, nos seres que habitam a Terra ,tu hás de "O" encontrar.

No ar que respiras, na neve que cai, no vento que vira brisa, em tudo Ele está, assim é o Pai.

No ser microscópico que não podes ver, nos animais , nas aves,  nos peixes, basta olhares com o coração. Basta  apenas crer.

Um só Pai é de todos, por isso somos todos irmãos, sobre a Terra não caminha apenas o homem, tenha disso razão.

O cão filhotinho ou o gigante leão, respeites os seres pequeninos sabendo que todos, mesmo os que fazem ninhos, são nossos irmãos.

Poema de  Simone Nardi

Foto de Simone Nardi - Lobinho, animal resgatado na rua com osteosarcoma na cabeça e no focinho, estava abandonado há dias, recebia água e comida vez ou outra, ninguém se incomodava com a dor do câncer que o matava aos poucos. Lobinho já não enxergava mais do olho direito, e a carreira de dentes do mesmo lado caía ao mais leve toque.O Pálato estava perfurado e a exposição do tumor  deixou campo aberto para infecção secundária. E há aqueles que acreditam que os animais não sintam dor, ou que nem sejam criações Divinas.Deus estava nele, assim como está em cada um de nós.



postado por 25452 as 04:54:27 1 comentários
quarta, 31 dezembro, 2008
NADA MUDA SE NADA MUDAR .....EM 2009

E sabemos bem: “Nada muda se nada mudar”

Por isso o nome desse artigo, pois nós precisamos mudar, estamos acomodados demais com nossos erros e com nossas fraquezas, estamos acomodados acreditando que a Terra deixará de ser um Planeta de Expiação e Provas porque algo mágico vai ocorrer um dia e, num piscar de olhos, seremos outros seres mais evoluídos mas,” Nada Muda, se Nada Mudar.

Quantas reencarnações ainda teremos que ter para vermos que além de fracos, estamos acomodados nessa fraqueza? Por que esperarmos que um dia a Terra mude, ao invés de já começarmos a trabalhar por essa mudança em nós mesmos? Por que ainda vivermos do futuro se somos, agora no presente, nosso passado e nosso próprio futuro?

“Ah, mas tem pessoas que ainda não conseguem...”

Sim, é verdade, e vamos ajudá-las a conseguir ou vamos ficar de lado, assistindo-as fracassar ou pior, desistir? Somos ação ou não? Somos mudança ou não?

Vamos esperar a próxima encarnação ou vamos tentar fazer algo agora para que quando esse, “Um Dia” chegar, sabermos que fizemos parte dessa mudança, que nos colocamos em ação e por nossa intervenção, a Terra deixou de ser esse Planeta de Provas e Expiação que tanto repetimos ?

Somos fracos, estamos em evolução, muitas coisas não conseguimos realizar, somos isso, somos aquilo, mas Deus acredita em nós, tanto que nos presenteou com um Planeta maravilhoso como a Terra, abençoada pelo mestre Jesus que tanto nos amou e que tanto contribuiu para que mudássemos. Agora, a continuidade dessa mudança depende apenas de nós, e se Deus nos presenteou com tantos bens, é porque nos acha fortes o suficiente para vencermos as barreiras que nos mesmos levantamos, a barreira de nossas fraquezas.

É hora de trabalharmos nós mesmos, pois nada muda em nós, se nós não tentarmos mudar.

Simone Nardi

Que em 2009 todos os nossos desejos se realizam, por um mundo melhor



postado por 25452 as 12:28:07 0 comentários
sábado, 20 dezembro, 2008
Natal em Imagem e Poesia

É na luz da aurora que se ilumina
A face morena do pequeno menino
Espantando o medo que me afligia
Ao ouvir o choro do pequenino

A doçura da mãe o acalentou
Da infância a juventude
E um belo homem Ele se tornou
O mais forte em sua plenitude

E todos os anos se lembram
Do dia em que Ele nasceu
Mas é triste que poucos vejam
O que realmente aconteceu

Nós que o recebemos
Com tanto carinho e amor
Do homem só recebemos
Medo, tortura e dor

Para comemorar sua vinda
Nos matam sem piedade
Esquecendo que a vida
Deveria ser plena de igualdade

Pois fomos nós os primeiros
Que ao seu redor se colocou
E o menino tão altaneiro
Com seu sorriso nos abençoou

Mas Dele nos fomos afastados
Pelos homens que nos roubam a vida
Nossa carne em bocados
Mancham-lhe a túnica da vida

Somos nós os animais
Os primeiros que o viram
Somos nós , pobres animais
Que no Natal, a vida tiram

E Jesus sempre a chorar
De braços abertos a nos receber
Roga ao Pai, "Faça-os parar
Para que a Terra possa novamente me ver"

Hoje é festa de Natal
Em imagem e poesia
Pena mesmo que o Natal
Seja a festa da agonia

Se Ele que foi o Maior, nasceu cercado de animais, quem somos nós, para tirar-lhes a vida?



postado por 25452 as 07:20:39 1 comentários
sábado, 29 novembro, 2008
Está no ar a primeira agência jornalística de Direitos Animais

www.anda.jor.br

 28 de novembro de 2008. 15 horas, horário de verão. Foi  oficialmente colocada no ar a ANDA, Agência de Notícias de Direitos Animais. O primeiro portal jornalístico voltado, exclusivamente, para fatos e informações do universo animal.  

A ANDA surge para difundir na mídia os valores de uma nova cultura, mais ética, mais justa e preocupada com a defesa e a garantia dos direitos animais. Com profissionalismo e coragem, a ANDA abre um importante canal com jornalistas de todas as mídias e coloca em pauta assuntos que até hoje não tiveram o merecido espaço ou foram mal debatidos.

A proposta da ANDA é servir também de referência a toda a sociedade, respondendo aos questionamentos, levando à reflexão e incentivando atitudes éticas, sempre sob o foco dos direitos animais.
A mensagem de convivência pacífica entre animais humanos e não-humanos ganha destaque no portal em temas como Filosofia, Ciência, Direito, Meio-Ambiente, Literatura, Educação, entre tantos outros.
A nova agência é fruto da consciência, do esforço e da colaboração de muitas pessoas que vivem e trabalham com respeito por todas as formas de vida. Somos uma equipe multidisciplinar composta de jornalistas, filósofos, biólogos, nutricionistas, advogados, promotores, professores, escritores, publicitários, artistas, estudantes e ativistas. Com algo em comum: a defesa dos direitos animais. É com confiança que damos o primeiro passo nessa importante e necessária caminhada.
ANDA, siga esta pegada! A humanidade precisa dar mais este passo.
Grande abraço a todos os participantes dessa empreitada , muita força e muita coragem
Simone Nardi


postado por 25452 as 06:43:28 1 comentários
domingo, 16 novembro, 2008
COMO NASCE UM RACISMO

É muito importante que se diga, logo no início, que a grande maioria das pessoas não se considera racista , sexista ou que tenha qualquer outro tipo de “racismo” para com o outro indivíduo, mas esse preconceito nasce nele de forma tão sorrateira que quando ele percebe, ele já é racista, já é sexista, já criou um preconceito sobre outros indivíduos e que, como geralmente ocorre, se nega a aceitar.

E a questão é:

Será que estamos vendo um novo tipo de racismo nascendo? Há bem pouco tempo tínhamos a escravidão, combatíamos o sexismo, etc ; fomos nos libertando (nem todos é verdade) aos poucos, avançamos moralmente e começamos a buscar o Direito dos Animais, começamos a apontar para quem não ligava para os animais e  dizer que eram especistas, um racismo entre espécies, sobreveio outra cisão, vegetarianismo, veganismo, bem-estaristas, abolicionistas, e começamos a ouvir coisas que  eu diria, são terríveis para uma sociedade que quer defender o Direito dos Animais. E antes que digam que também sou especista, quero dizer que eu apóio a causa, que faço parte dela, só  não quero que nasça dessa luta, um novo preconceito, que por sinal, já se iniciou.

As conversas, em sua grande maioria se passam dessa forma:

“ O cara não é nem vegano, é hipócrita porque toma leite.”

“ O cara paga de bonzinho lutando pela paz mundial e come carne.”

“Aquele cara se diz vegano, mas é contra os atos da ALF”

“ O cara defende os animais, se diz vegano e come pizza de queijo, não gosto dele.”

Entre muitas outras frases que rolam pelos grupos.

E essas pessoas se esquecem que foram como aquelas que criticam, se esquecem que não conheciam a verdade e foram apresentadas a ela, tendo a opção de mudar ou não. Parabéns, mudaram, só que se esquecem que ainda hoje existem racistas, sexistas e especistas, e que ele, agindo dessa forma, só está contribuindo para que nasça, entre os homens, novos tipos de racismo: Entre veganos e onívoros e entre veganos e vegetarianos. Temos dentro de casa pessoas que não optaram pelo vegetarianismo (vale lembrar que alguns veganos chamam os vegetarianos de hipócritas, fase pela qual alguns deles também passaram). Vamos ter muita gente especista que não está nem aí para os animais, infelizmente essa é a realidade de um País, para não citar do Mundo, ainda mais numa terra onde um presidente acha que sal é apenas para churrasco e que o mar é salgado por causa da urina dos banhistas. "Por isso que água é salgada. É por causa do pré-sal? Eu pensei que fosse por causa do xixi(sic) que as pessoas fazem na praia no Domingo”.(http: //www1.folha. uol.com.br/ folha/dinheiro/ ult91u440643. shtml)

Cada vez mais filósofos se levantam para explanar sobre os Direitos Animais, e com tanta clareza que é difícil ficar indiferente quanto a isso, e não é por culpa deles que o movimento se trinca como vem acontecendo. Porque um cita Francione, outro cita Regan, muitos também não gostam mais de Peter Singer, mas a minoria é que compreende quando eles, embora não digam nos induzam a pensar, que não é a Guerra que vai salvar os animais,ao contrário, é a união, e isso em alguns grupos (espero que isolados) esteja longe de ocorrer.

A primeira coisa que deve ser compreendida é que, não bastam argumentos bons, o bom andamento da luta pelos Direitos Animais requerpostura, e postura sem preconceito. 

Não se pode, depois que se opta pelo vegetarianismo ou pelo veganismo, termos uma atitude discriminatória para com aqueles que ainda são, embora ainda em ato, onívoros, potencialmente vegetarianos/ veganos. Nem os veganos, terem tal atitude para aqueles que estão iniciando no vegetarianismo. Se conseguiram parar do dia para noite, parabéns mais uma vez, mas devem lembrar que muitos “Pararam”, e não que “Nasceram” veganos, cada pessoa evolui a seu tempo, é preciso aprender a respeitar isso. Tem gente que não consegue, tem gente, e já ouvi isso de veganos, dizerem que foram vegetarianos durante 5, 6 anos e depois viraram veganos, e hoje discriminam vegetarianos chamando-os de hipócritas!?! ?! Dois pesos, duas medidas, eu posso, eu me permito, você não. Isso afasta as pessoas, e o que precisamos é nos aproximar delas.

É claro que quando vemos a luz da verdade queremos espalhar o que descobrirmos para o Mundo, primeiro porque é bom saber a verdade e segundo porque essa verdade irá salvar milhares de vidas; mas a custo de discriminações? Acusações? Não parece estranho tanta preocupação pelos Direitos Animais e absolutamente nenhum respeito pelos semelhantes, sobretudo aqueles que também fazem parte das linhas de batalha pelos direitos animais?E deixando claro que, apesar da opinião de cada um, o respeito deve ser dirigido a todos, no geral.

Muita gente pode estar falando, isso não é verdade, é mentira. Será? Será que um amigo seu não reclamou do cara que se diz vegetariano e que ainda come peixe ou come queijo?Será que você mesmo, ontem carnívoro, hoje vegano, não reclamou do cara que toma leite, porque ele é, no mínimo, cego ao sofrimento das vacas leiteiras?

Concordo que quem é do movimento pela defesa animal deva ser vegetariano/ vegano, não há outra opção, não há como fugir dessa realidade, ou você muda, ou o movimento não decola, porém, e vamos ser francos, vamos questionar os motivos desse pessoal pela dificuldade em mudar. Muitos não tiveram aquele insight, e precisam ouvir de outras bocas que é preciso mudar por isso e por aquilo, mas não vamos criar um racismo para com aqueles que não querem mudar. Falamos tanto de direitos e somos, às vezes, os primeiros a ignorá-los. Eu vou deixar de gostar da música de determinado grupo só porque o vocalista come carne!?!?!?Ah, eu não vou mais assistir a peça de teatro com aquela atriz porque ela vai à churrascaria! ?!?!? Vamos acabar tendo que virar: Cegos, surdos e mudos, pois embora o vegetarianismo esteja crescendo, não é todo mundo que vai mudar da noite para o dia. Tudo bem, nós podemos “boicotar”, sem problemas, mas vamos boicotar o Mundo? Vamos boicotar nossos pais e irmãos, nossos amigos e professores, parar de comprar livros,fechar a conta no Banco, vender o carro do fabricante tal e tal e tal...? Ou vamos tentar nos aproximar deles e ir, semeando dia a dia na mente de cada um, a visão dos Direitos Animais, que vai ocorrer querem eles queiram ou não? Isso é fato, a sociedade um dia não irá mais explorar animais, se está perto ou longe não importa agora, mas vai ocorrer.

Racismo não é sinal de inteligência, é prova da falta de conhecimento, é algo irracional, é a falta de um raciocínio fundamentado na razão que faria com que entendêssemos o que se passa com o outro, pois o que se passa com o outro hoje, já se passou conosco  (salvo quem já nasceu vegano). Porque somos, todo mundo tem a obrigação de ser, e quando não éramos? E quando comíamos carne, queríamos alguém que nos ofendesse ou alguém que nos ensinasse?O que fazemos hoje, ofendemos ou ensinamos?Nossa palavra é lei? Mas nossa palavra era lei também quando comíamos carne, e não mudamos? Não eles também, chance de mudar se nos esforçarmos mais?

Às vezes questionar deixa algumas pessoas mais nervosas do que quando damos nossa opinião, porque o fato de questionarmos as força a pensar, não há necessidade de dizer “é assim”, não, é mais fácil questionar, “por que é?”, ou “o que diferencia?”, ou “o que você faria?”,”ou porque você se permitiu?”, “o que o torna tão puro para que não entenda o que o outro ainda vê?”...

Como então encarar esse racismo alimentar que está se formando nos dias de hoje?

Sei que muita gente tem deixado os olhos bem fechados para isso que está ocorrendo em determinados grupos, e esse é exatamente o perigo, criar atrito entre pessoas que buscam a mesma coisa. Temos todos que ser veganos? Temos sim, é a obrigação pacifista de optar por uma vida livre de crueldade animal, mas não é através de acusações, de lutas internas que esse pacifismo vai crescer; como a palavra mesmo prega, pacifismo, paz, e que paz vamos ter ao nos digladiarmos entre nós mesmos?

Schopenhauer afirmou que era destino das verdades passarem por 3 estágios:

1º Ridicularização

  Oposição Violenta

  Aceitação( da verdade, o que não significa que devemos esmorecer em nossas argumentações , quando coloco “aceitar” não significa que  devemos deixar de lado, e sim, não “acusar” por determinado indivíduo pensar diferentemente do modo como pensamos hoje )

Gostaria que todos aqueles que lutam pelos Direitos dos Animais realmente estivessem, para com seus companheiros de luta, na terceira, porém sabemos e é inegável, nos encontramos entre a primeira e a segunda, infelizmente.

Vale a pena refletirmos em nossas atitudes, eu tenho refletido nas minhas, isso não é vergonha, nem fraqueza, refletir no que fazemos é caráter, percepção, talvez a reflexão seja o verdadeiro caminho para a libertação animal, não apenas dos animais não humanos, mas a libertação animal dos animais humanos.

Ou paramos para refletir, ou vamos nos tornar algo ainda pior do que o monstro com o qual lutamos hoje.

Ou paramos para refletir, ou vamos nos tornar algo ainda pior do que o monstro com o qual lutamos hoje.

 Simone Nardi



postado por 25452 as 05:31:20 19 comentários
domingo, 24 fevereiro, 2008
A VERDADE SOBRE A PÁSCOA

Não é preciso que se fale novamente sobre o real significado da Páscoa.

Libertação.

Renovação.

Ressurreição.

Os Cristãos comemoram o sacrifico do Cristo, a agonia de sua morte pela crucificação e sua ressurreição, mostrando que a vida é eterna.

Pela tradição cristã, não se come carne na sexta feira Santa, em respeito ao corpo de Cristo.

Em meio a tantas tradições, surgiram os Ovos de Páscoa, trazidos, segundo conta a lenda, por coelhos.

E as crianças se alegram com os ovinhos, esquecendo-se que coelhos não botam ovos.

Divertem-se porque alguns pais lhes compram, além dos ovos de chocolate, coelhinhos de verdade como presente. Presente esse que muitas vezes é morto ou abandonado depois que cessa a euforia da criança.

O que os pais não contam é que esses animais tão fofos, tão lindos e tão meigos, estão, na mesma hora em que os Cristãos de todo o mundo comemoram a ressurreição do Cristo, sofrendo em milhares de laboratórios do País.

Estão sendo mortos e passando pelas piores dores do mundo por causa da pesquisa científica. Enquanto você lê esse texto, deixe sua mente vagar, lembre-se que nesse instante, centenas de pequenos coelhos estão enjaulados, outros cegos, outros mutilados e tantos outros, mortos.

Nenhum deles vai lhe trazer ovos de chocolate nessa Páscoa.

Estão mortos na sexta feira Santa.

No sábado de aleluia.

No domingo da ressurreição.

Mortos todos os dias, não importa as datas.

Isso os pais escondem dos filhos, deixam as crianças crescerem sem saber como é a vida real,sempre mais dolorosa que a fantasia.

No sábado acaba-se o jejum, e provavelmente no domingo, muitas famílias vão se reunir para aquele famoso churrasco, esquecendo-se que ali também, um inocente morreu por eles.

Mas nenhum deles não vai se importar com essa vida que foi tirada. Não vão se importar com os coelhos e nem com todos os outros animais, o que lhes vale agora é a hipocrisia de se dizerem cristãos, filhos que compreendem o porque da vinda de Jesus, que seguem seus preceitos de amor e caridade, quando na verdade vocês matam vítimas inocentes todos os dias em nome Dele.

Será que foi por isso que o Cristo morreu?Será que a morte de outros inocentes lhe traz alegria ou tristeza? Cristo veio para salvar, jamais para matar.Pense nisso antes de matar o próximo animalzinho para comer.

Simone Nardi



postado por 25452 as 12:26:35 1 comentários
terça, 18 dezembro, 2007
O QUE VOCÊ FARÁ NO NATAL?

Mais uma vez é Natal, no dicionário está escrito que natal é algo relativo ao nascimento, dia em que se comemora o nascimento do Cristo, ou seja VIDA.
                 Como espírita digo que talvez, os espíritas são os que menos fazem pela vida nessa data / perdoem-me os espíritas pelo desabafo, mas sempre ouço que Muito será cobrado daquele que Muito sabe, estamos perdidos então/ mas sei que na mesa da grande maioria, esse ano, assim como nos anteriores, terá “fartura”, ou seja, carne de chester, de frango, de porco.Esquecendo-se que ali havia também Vida. Vidas essas que foram tiradas de forma dolorosa para que se comemorasse a vinda de um Homem que viria trazer luz aos homens e paz aos seus corações.
Se a bíblia é antropomórfica como muitos dizem, isso não nos importa, nós temos o livre arbítrio, a escolha entre matar ou deixar viver.Quem garante que ela está 100% correta? Lembrem que as traduções passaram por diversas mãos. Algumas pessoas já se livraram da sombra antropomórfica da Bíblia.
                 Parabéns aqueles que já descobriram isso.
                 Católicos, crentes, testemunhas de Jeová, umbandistas, todos, e quando digo todos, me refiro até mesmo aos animais, viemos de um único Pai.
Para quem ainda não pensou nisso, nos animais que morrem no natal e no restante do ano, é uma boa hora para despertar.
Estou enviando um vídeo que fiz.
Para aqueles que acham que não conseguirão ver o vídeo, uma dica, não há imagens de ceias de natal, minha intenção não foi chocar, foi mostrar os animais vivos e livres numa mensagem de Natal que me faz voltar a infância.Podem assistir tranqüilos, é apenas uma mensagem de natal e de vida, afinal, quem come carne nada tem a temer.O endereço é esse; 
Talvez você ignore tudo isso e acabe me dizendo que é um costume / crucificar as pessoas era um costume romano / , e que não consegue  largar a carne, talvez seja porque você não quer, mas lembre-se então no dia, de pedir desculpas a Jesus quando ele visitá-lo no natal, tenho certeza de que por mais um ano, ele vai te perdoar, mas lembre-se também que para Ele o calvário foi extremamente doloroso, mesmo assim Ele o aceitou.
A todos, a todos mesmo, um Feliz Natal ainda é cedo né, mas tem muita gente que precisa ler a mensagem e pensar em suas ações de hoje e de ontem.
Então? O que você fará no Natal?
Simone Nardi


postado por 25452 as 03:16:07 0 comentários
sábado, 13 outubro, 2007
VOCÊ É AMIGOS DOS ANIMAIS?

Quando você assiste aos seus desenhos preferidos,consegue lembrar que seus personagens fazem parte do seu prato? 

postado por 25452 as 11:38:35 21 comentários
segunda, 09 julho, 2007
E SEU NOME ERA M.

Uma vida de Frustração, sofrimento e stresse.

Este era o resumo da vida de M que, segundo diziam, só servia para gerar a vida, nada mais.Mas era somente M que vivia assim, muitas outras viviam e ainda hoje, vivem como ela , logo hoje, na modernidade do século 21, a tristeza ainda as acolhe os corações sofridos. Elas viviam e ainda vivem assim, desprezadas, espancadas, violadas.

A lei!

A lei não funciona no local onde moram. A lei não pune nem prende.E elas sofrem.Todas elas.Mas vamos falar apenas de M.

Ninguém percebia que M sofria.

Por que M?

Que importa o nome, se nem direito à vida ela tinha.Poderia ser M de Maria, de Martha ou Madalena.sua vida seria igual.Por isso vamos chamá-la apenas de M.

M sofria, se estava realmente viva, disso não sabia, pois muitos de seus bebes lhes foram tirados, morreram ou como M, também sofreram.Que vida era essa então?

Entre quatro paredes, presa, não podia sair para conhecer o mundo, não podia respirar novos ares, não podia correr, fugir, sumir...

Ninguém percebia, mas M enfraquecia.

M era escrava.De Sol a Sol trabalhava, comia às vezes quando o patrão, seu dono e senhor, lembrava-se dela.Não era tudo porém que podia comer, estava sempre machucada e tudo lhe doía.Muitas vezes passara fome, impossibilitada de comer que estava.

Sua mente se torturava: trabalhar e comer,comer e trabalhar, trabalhar para comer, comer para trabalhar, trabalhar para comer.

M não compreendia mais por que, vivia assim? Privada de tudo, da felicidade, da liberdade, da amizade.Tudo era tão triste e M sentia que nada, absolutamente nada, melhoraria.

E se talvez se chamasse Maria, será que algo de bom lhe aconteceria?

Ninguém percebia, mas M adoecia.

Não conseguia mais comer, todo o corpo lhe doía, na pele desnuda, feridas se abriam.

Foram dias tão cruéis aqueles, sozinha, ferida, humilhada, que vida tão desgraçada.Sem sonhos e sem esperança.Sem passado, sem presente e sem futuro.

A respiração lhe faltava, os pulmões não mais se enchiam de ar, dor infecção, tristeza, solidão.

M deixara até mesmo de sonhar.

Ninguém percebia, mas M morria.

E morreu a infeliz, no silêncio de sua dor, na insatisfação de sua vida.

Morreu livrando-se para sempre, da dor, do tormento, da humilhação.

Morreu sozinha, a avezinha........

Quem era M?

Era uma frágil galinha poedeira e essa foi sua vida nos poucos meses em que sobreviveu a escravidão, as gaiolas imundas, a solidão, mesmo dividindo o espaço com outras como ela.

Pensou acaso que fosse M uma mulher?Sofreu ao vê-la sofrer?

Então me diga, agora apôs ler:

Qual é a diferença entre esse sofrer, na mulher ou na avezinha?

19/08/06

Simone Nardi

postado por 25452 as 05:36:33 24 comentários
sábado, 02 junho, 2007
O DOM DA VIDA

Foto Jerry Lee, pastor alemão de 12 anos abandonado pelo  próprio dono, se não houvesse sido resgatado estaria morto;

Dom da Vida

Não conheci, o dom da vida

Não conheci, o amor de alguém

Só caminhei, sozinho no mundo

Não conheci, o amor de alguém

Já percorri, noites sem luar

Já percorri um céu sem luz

Ruas vazias, sem sons sem cores

Não conheci o dom da vida

Nasci sozinho , não sei se alguém

Me amou um dia, um pai ou uma mãe

Não tive amigos, nem um irmão

Do que me lembro é da solidão

Não conheci o dom da vida

Nem conheci o dom de amar

Até que um dia uma mão amiga

Me ensinou o que é amar

Me alimentou me deu abrigo

Me aconchegou em braços doces

E ao meu lado permaneceu

E o meu corpo assim morreu

Então conheci o dom da vida

E conheci o dom de amar

Eu era um cão abandonado

E fui um dia então amado

E do céu eu sigo os passos

Daquele meigo salvador

Que  dividiu comigo a  luz

E me ensinou quem é Jesus.

Abençoado é aquele

Que estende a mão e ensina amar

Abençoado é o dom da Vida

Abençoado  o dom de amar

Abençoado é o dom da Vida

Abençoado  o dom de amar

Simone Nardi 



postado por 25452 as 12:22:07 2 comentários
segunda, 23 abril, 2007
DOS DIREITOS ANIMAIS AO USO DO CAMAURO

Uma Religião cheia de Contradições

Não faz muito tempo, Bento 16 foi fotografado usando um gorro conhecido por CAMAURO, feito de veludo e pasmem, pele de Arminho, sim pele de animal.Segundo a igreja católica, que até agora não quis se pronunciar, o uso do camauro no inverno é uma tradição dos papas, tradição de morte e imoralidade para quem se auto intitula como enviado de Deus.

A Igreja jamais responde aos emails que lhe são enviados sobre as torturas que permite, sejam praticadas em animais, touradas, uso de peles, farra do boi na semana santa, sempre se omite e jamais se coloca em posição de defender aqueles que, em palavras de outros papas, são criaturas de Deus

Para quem não sabia, a Peta enviou uma carta ao Papa Bento 16, questionando- o sobre direitos animais, em 2002 ele disse uma coisa, em 2007 ele fez outra coisa.

Simone Nardi

Os grifos no texto são meus.

PETA
20 de Abril de 2005, 18:38 h.

O novo Papa falou emocionadamente sobre a exploração de todos os seres vivos, em especial os animais que vivem nas granjas. Ao ser perguntado, em 2002, sobre os direitos dos animais em uma entrevista, afirmou: “Este é um assunto muito sério. De todos os pontos de vista, podemos ver que eles foram postos sob nossos cuidados, que simplesmente não podemos fazer o que queremos com eles. Os animais também são criaturas de Deus( o papa diz que embora criaturas Dininas sejam colocadas aos nossos cuidados, temos o direito de no frio, nos cobrirmos com a pele deles)... Certamente, certos tipos de usos industriais das criaturas, como quando os gansos são alimentados de tal maneira a produzir um fígado tão grande quanto possível, ou quando as galinhas vivem tão apertadas que se transformam em caricaturas de aves, esta degradação de criaturas viventes que as converte em coisas me parece que contradiz a relação de reciprocidade que vemos na Bíblia”.( arrancar a pele de um animal e vestí-la para cobrir a cabeça não contradiz a Bíblia, porque Deus colocou um paragrafo lá. Matai meus animais, meus filhos, e arrancai-lhe a pele do corpo para cobrir vossa careca, vcs não viram , mas está lá, em algum lugar da bíblia)

O Cardeal Ratzinger fazia eco aos ensinamentos oficiais da Igreja, como se lê no Catecismo Católico, diz claramente que “Os animais são criaturas de Deus, que os rodeia de sua solicitude providencial (cf Mt 6, 16). Por sua simples existência, o bendizem de dão glória (cf Dn 3, 57-58). Também os homens lhes devem apreço. ( o Papa não lhe deve apreço, afinal não é um homem é um enviado de Deus na Terra!?)Recorde-se com que delicadeza  São Francisco de Assis ou São Felipe Néri tratavam os animais... É contrário à dignidade humana fazer sofrer inutilmente os animais e sacrificar sem necessidade sus vidas”.( o papa deveria ler isso de novo, deve ter amnésia , fala e não faz, deveria seguir os ensinamentos de Gandhi então, sobre o açucar lembram??)

Em nossa carta pedimos à Sua Santidade que faça chegar sua visão compassiva ao público em geral: “Esperamos que siga falando em defesa destes seres explorados. Em anos recentes, filiaram-se à Peta muitos católicos que crêem que os animais, como as pessoas, têm direito sagrado à vida e necessitam ser protegidos da violência... Recorremos ao senhor e pedimos humildemente que encabece uma nova era de compaixão e respeito por todos os seres vivos, sem importar sua espécie".

A compaixão pelos animais também foi tema proeminente no papado de João Paulo II. O Papa João Paulo II proclamou que “os animais possuem uma alma e os homens devem amar e sentirem-se solidários com nossos irmãos menores”.( na clausula de respeito da igreja católica não foi colocado o ítem PELE,) Ele chegou a dizer que todos os animais são “fruto da ação criativa do Espírito Santo e merecem respeito” e que eles estão “tão próximos de Deus como estão os homens”. ( e para os papas ficarem mais perto dos animais, nada melhor do que um camauro novinho né!?)O Santo(!?!?!?) Padre recordou às pessoas que todas as entidades viventes, incluídos os animais, existem devido ao “sopro” de Deus(eu tenho um poema assim, acho que o papa não leu). Os animais possuem a chispa de vida – a qualidade vital, que é a alma – e não são seres inferiores, como querem fazer-nos crer os granjeiros industriais, os peleteiros( o papa usa pele), os toureiros ( a igreja apoia touradas)e aficionados das touradas e rodeios e tantas outras pessoas que exploram os animais por simples interesse econômico.

Assim que foi escolhido como Papa, João Paulo II viajou para Assis, o lugar de nascimento de São Francisco, e falou do amor do santo pelos animais. Ele declarou: “Nós também fomos chamados a ter a mesma atitude”.( Qual atitude!?!?! ?!São Francisco usava pele???)

A PETA tem esperança que o Papa Bento XVI continuará falando em favor dos animais ( não sei se choro ou dou risada) durante seu papado tal como fez quando era Cardeal e que se posicionará contra o horrível tratamento dado a criaturas de Deus.(é para rir com certeza, da hipocrisia papal) Os católicos podem honrar os ensinamentos do Papa João Paulo II e os sentimentos do Papa Bento XVI incorporando a compaixão pelos animais com mais ênfase em suas próprias vidas.(todo mundo agora usando pele de arminho em homenagem a vinda do papa no Brasil, é isso o que eles querm dizer ?!?!?!?!)

Pois é, e ainda dizem que ele é um enviado Divino, se é Divino matar, entendo porque o demônio tem tantos seguidores no mundo.

Assine a petição solicitando que a IGREJA deixe de colaborar com a morte de animais e passe realmente a RESPEITAR aquilo que Deus criou.

Simone Nardi

ATENCAO: 

MODELO CARTA E EMAILS DO VATICANO ESTARAO DISPONIVEIS

EM BREVE NESTE LINK: http://www.antifurs ociety.org/ POPEvsFUR. html

para assinar a peticao, click neste link:

http://www.petition onlinecom/ FauxFur/

Para saber mais sobre o sofrimento dos animais na retirada de pele, por favor  acesse o documentário abaixo pela LESTE Internacional e A Agência de Proteção Animal suíça. As imagens neste link podem ser muito fortes para alguns, então por favor esteja atento:  
VÍDEO:  
http://www.animal- protection. net/furtrade/ movie.htm  
RELATÓRIO:  
http://www.animal- protection. net/furtrade/ report_fur_ china.pdf  


postado por 25452 as 06:22:38 3 comentários
segunda, 16 abril, 2007
A SALVAÇÃO DO PLANETA É O BICHO!

Tudo o que você queria saber sobre "A Salvação do Planeta é o Bicho!"

Você já imaginou mais de 70 países assistindo ao mesmo tempo via satélite uma enorme manifestação em favor dos animais?

      Você já pensou como seria se colocassemos em um mesmo evento mais de duas mil pessoas com o único propósito de mostrar ao mundo a importância dos animais?

      Você já se imaginou fazendo parte do início de uma grande modificação para o bem dos animais na maior festa popular brasileira?

     Você já teve vontade de sair cantando no meio de uma multidão o valor que os animais têm para você e para o mundo?

   Você um dia já sonhou em fazer uma enorme denúncia em que o mundo inteiro visse ao mesmo tempo milhares de pessoas clamando a uma só voz todos os maus-tratos que são cometidos contra os animais?  

   Parece impossível... . mas não é.

    Foi lançada oficialmente a idéia durante o evento do "Yakissoba Beneficente" organizado pelo Quintal de São Francisco, no dia 15/04/2007. As 400 pessoas presentes ao evento ficaram sabendo em primeiríssima mão o que é e como surgiu a idéia de "A Salvação do Planeta é o Bicho!"

- Em uma terça-feira de carnaval recebemos o telefonema do vice-presidente da Tribuna Animal - Eng. Amândio Martins, perguntando qual seria a nossa opinião sobre entrarmos em contato com uma Escola de Samba para que esta tivesse como enredo a Proteção, a Defesa, o Bem-Estar e a Libertação dos animais.

De imediato dissemos que seria uma excelente idéia, mas nem de longe imaginávamos que isso iria acontecer de fato, achando a idéia um delirio de carnaval. Pois bem, na quarta-feira de cinzas já haviamos feito contato com um dos diretores e o carnavalesco de uma das maiores escolas de samba de São Paulo, a Sociedade Escola de Samba Imperador do Ipiranga, que acharam a idéia excelente. Daquele momento em diante o delírio começou a tomar forma,  mas ainda não acreditavamos no que estava acontecendo e fomos saber a opinião de nossa amiga e confidente Ângela Caruso - Presidente do Quintal de São Francisco, que de imediato acompanhou a idéia com enorme entusiasmo e participa conosco desde o início desta loucura de carnaval. 

Desse ponto em diante o delirio foi aumentando, foram realizadas várias reuniões aonde trocamos diversos conhecimentos. De nossa parte fornecemos todas as informações necessárias sobre a proteção animal para que a diretoria da escola de samba e principalmente o seu carnavalesco possam ir dando forma ao nosso sonho. De parte da Imperador do Ipiranga, recebemos todas as informações e experiência de como funciona um carnaval de grande porte com todos os seus detalhes de criação, organização e confecção de carros alegóricos, fantasias adereços, parte burocrática, quesitos legais, contábeis, marketing, etc.

Ok!!! A idéia vingou, o delírio começa a tomar forma, e pela primeira vez uma escola de samba brasileira irá sair na avenida sem o uso de plumas, penas ou qualquer adereço proveniente de animais. E estaremos cantando a plenos pulmões, fazendo um coro de 2.000 pessoas na avenida, mais outros milhares na arquibancada, além de toda a cobertura das TVs nacionais e internacionais, mídia impressa e digital.

Imagimem o tamanho do evento!! Imaginem o tamanho da divulgação de nossa luta!!! Imaginem o início de uma mudança na cultura do carnaval brasileiro, aonde não mais serão utilizadas partes de animais para "embelezar" esta festa popular!!!

Imaginem  a farsa dos rodeios, a farra do boi, a poluição dos mares, a pesca predatória, o uso de peles, o tráfico de animais, a vivissecção e outros crimes e maus-tratos sendo denunciados ao mundo em um mesmo evento!

Imaginem o circo sem animais, as campanhas de esterilização, a posse responsável e todas as nossas lutas sendo divulgados para o mundo!

Por isso conclamamos a todos para participarem em fevereiro de 2008 deste enorme evento pelos animais. Aqueles que nunca desfilaram na avenida terão a chance de desfilar pela causa animal, aqueles que já desfilaram ao menos uma vez na vida sabem o quanto é bom - se tiver a nossa causa envolvida será melhor ainda. Aqueles que costumam desfilar em outras escolas, venham desfilar também na Imperador do Ipiranga. Os que costumam ir para o Rio de Janeiro para desfilar, fiquem em São Paulo que este ano teremos uma grande causa como enredo. Aos amigos cariocas o nosso carinhoso convite para virem experimentar uma escola de samba paulista com a garra de uma luta e um ideal muito fortes. Estaremos esperando de braços abertos os amigos de todos os estados brasileiros para cantarem conosco a proteção aos animais. Aguardamos também com muita fraternidade os amigos protetores de outros países que vierem ao Brasil para desfilarem pelos animais e por nosso planeta.

Quem esteve hoje presente ao evento do Quintal de São Francisco já pôde ver uma prévia dos desenhos dos carros alegóricos.

As fantasias em breve estarão disponibilizadas na internet com seus valores e formas de pagamento. Não se preocupem com o custo, não será nenhum absurdo, estamos calculando algo em torno dos R$200,00 (duzentos reais) por fantasia que poderão ser divididos em carnê. 

E isso não é tudo. O desfile de uma Escola de Samba envolve todo um trabalho comunitário e estaremos realizando diversos eventos na comunidade de Heliópolis, berço da Imperador do Ipiranga. Faremos almoços e feijoadas vegetarianas na quadra da escola, além dos muitos shows e ensaios que estarão para acontecer para que possamos angariar os fundos necessários para que o evento seja um sucesso.

A partir de agora, aproveitando o nosso convivio quase diário na comunidade de Heliópolis, e não deixando o nosso trabalho de protetores animais de lado, estaremos estudando a melhor forma para conseguirmos castrar em um curto espaço de tempo todos os cães e gatos residentes nessa comunidade.

Muito bem, está aqui exposta a nossa loucura de carnaval que agora é uma realidade e nos sentiremos muito felizes ao ver todos os amigos participando a partir deste momento de cada evento, de cada show, de cada ensaio na quadra, até culminar com o maior evento que o mundo já assistiu pela proteção animal e que a partir de agora é de todos nós.

Enviaremos informações constantes de cada evento e de cada novidade do Carnaval Animal 2008.

E o que é "A Salvação do Planet é o Bicho!" ? É o título e o enredo sob o qual irá girar todo o tema da escola, das fantasias e alegorias até o samba enredo.

Erico e Altina Mabellini - Tribuna Animal - www.tribunaanimal.com

Escola de Samba Imperador do Ipiranga...

Protetor, essa é a sua escola, venha participar do maior movimento de Proteção Animal que o Planeta já conheceu.

Precisamos de todos, é da união de todos que sairemos vencedores na luta pela Libertação Animal.

Não deixe de participar

A Salvação do Planeta é o BICHO !

Simone Nardi



postado por 25452 as 03:47:09 0 comentários
segunda, 26 fevereiro, 2007
O QUE É ESPECISMO- PARTE 2

Racismo e especismo

Os argumentos racistas, na maioria dos casos, não passam de maus pretextos; mas isso não nos dispensa de examiná-los. Não basta denunciar os racistas malvados; não sendo possível suprimi-los, é preciso convencer. Além disso, no caso do especismo o papel de malvado é de quase todos os humanos, que usam os mesmos argumentos que os racistas para justificar a supremacia que atribuem a si mesmos.

O racismo e o especismo são ideologias estreitamente interligadas e a sua semelhança seria evidente para todos se não fosse porque exatamente os anti-racistas são, na maior parte, especistas e, portanto, têm grande interesse em não percebê-lo. A vontade que têm de combater o racismo sem pôr em perigo o especismo leva-os a querer defender a todo custo posições indefensáveis que apresentam, contudo, como essenciais para o anti-racismo. Como para eles a idéia da igualdade dos animais é impensável, é contra os outros animais que querem basear a igualdade humana.

Os franceses primeiro!

Os humanos primeiro!

Deus deu a superioridade aos brancos.

Deus deu a superioridade aos humanos.

Alimentamos e protegemos os negros.

Alimentamos e protegemos os animais.

Os negros são menos sensíveis do que nós.

Os animais não sabem que sofrem.

Os negros dão pouco valor à vida.

Os animais não sabem que vamos matá-los.

Os negros são crianças grandes.

Os animais só agem por instinto.

Os indígenas guerreiam entre si.

Os animais comem-se entre si.

Os negros parecem todos uns com os outros.

Os animais não têm personalidade.

Racista, eu? Eu tenho um amigo negro.

Eu amo os animais, não como carne de cavalo.

Bater na mulher é uma opção pessoal.

Comer carne é uma opção pessoal.

O que é o racismo?

Quando o anti-racista fala desta igualdade humana, o que quer dizer? Na matemática, dizemos "Pau = Jean" se são dois nomes para a mesma pessoa. Não se trata disso. Os negros e os brancos em geral não são iguais na cor da pele, já que exatamente ela é que é diferente. A igualdade de que fala o anti-racista se opõe à desigualdade de tratamento de que alguns são vítimas por causa da cor da sua pele.

Mas a própria expressão "desigualdade de tratamento" não é suficientemente clara. Se eu fosse médico, talvez tratasse de forma diferente negros e brancos: como a pele negra absorve menos sol, os negros de um determinado país arriscam-se menos a ter câncer de pele. Constatar isso não é racismo, assim como não seria, se fosse o caso, constatar que uma certa cor de pele só tem vantagens sobre outra. O anti-racismo não pode basear-se sobre a hipótese arriscada da distribuição igualitária dos favores da "Mãe Natureza" entre os seus "filhos", porque este tipo de hipótese, como veremos, não tem razão nenhuma para ser verdadeira e, na maioria dos casos, é falsa.

Por outro lado, seria racista com toda a certeza, atribuir mais ou menos importância aos interesses — à saúde, por exemplo — dos negros do que à dos brancos. Seria racista dizer: a cor da pele de um ser justifica desfavorecê-lo, ou seja, dar menos importância aos seus interesses.

Se fosse esta a posição dos racistas, se só se baseasse na cor da pele, seria fácil de contradizer; mas não é assim. Li uma história, há alguns anos, sobre uma branca negra sul-africana. Uma doença deixara toda negra a pele desta senhora branca. A vergonha diante dos vizinhos! Foi necessário, para que pudesse subir no ônibus dos brancos etc., que as autoridades lhe dessem uma carteira especial atestando que, embora fosse negra, ela era branca.

Portanto, para os racistas, não é a cor da pele que justifica a discriminação. Neste caso, o que justifica a discriminação? O que então diz o racismo? Para contradizer uma ideologia é preciso que ela seja dita; e o poder da ideologia racista deve muito, sem dúvida, ao fato de que nunca é verdadeiramente dita, e portanto nunca verdadeiramente contradita.

O que é um negro?

Para o racismo é muito importante que a fronteira que traça o deixe do lado bom definitivamente. A raça é um bom critério para isso, já que quem nasce branco fica branco, salvo casos excepcionais. Mas ter uma fronteira não basta, é preciso ainda que a definição desta fronteira pareça justificar a discriminação. A cor da pele é um critério frágil demais; é preciso dar substância, dar espessura à própria idéia de raça. Um negro deve ser negro até os ossos. A raça de um indivíduo deve ser percebida como a sua verdade profunda, como a sua natureza. Negro ou branco, um negro nascido de negros tem de ser um negro. De sangue negro. O racista não justifica a discriminação pela cor da pele. Ele fala da cor, mas na verdade, para ele, importa a natureza, da qual a cor não passa de sinal.

Se o racismo se baseasse em diferenças reais, a sua intensidade seria proporcional à intensidade delas; mas a violência do anti-semitismo nazista mostra o contrário. A quase inexistência de diferenças visíveis entre judeus e "arianos" era simplesmente um sinal a mais, o sinal da duplicidade dos judeus. Os nazistas, ao falar do "nariz judeu", não falavam da "forma de nariz que os judeus apresentam com mais freqüência que os outros"; o "nariz judeu" não era simplesmente o nariz dos judeus, era o nariz que sinalizava a essência judia, e era esta essência, esta natureza que, aos olhos dos nazistas, justificava o homicídio.

Dizem também que o rei é rei porque tem uma coroa sobre a cabeça, sabendo que muitas vezes ele não a usa e que não é por causa dela que ele é rei; para o monarquista, o rei é rei porque é de sangue real, de natureza real; a coroa é só um sinal.

Quem quer que possa ser sinal de uma natureza pode ser interpretado como tal. É por isso que as discussões com os racistas são tão frustrantes. O racista não se dá ao trabalho de examinar e produzir argumentos sólidos; para ele, todo argumento é superficial, só diz respeito aos sinais, não atinge a natureza, porque a natureza não precisa de argumentos. A cor, a altura (os negros são pequenos demais, ou grandes demais, depende da região), o sotaque, a forma do nariz, tudo isso que o racista quer discutir ele não leva a sério na discussão: para ele, de qualquer modo, a natureza permanece.

Para o racista, é a natureza dos seres que justifica a discriminação: literalmente, a afirmação da sua diferença. Não há necessidade de postular a inferioridade; entre seres de natureza diferente, toda comparação é impossível. O apartheid é o desenvolvimento separado: cada um no seu lugar. O racista sul-africano negará que os negros sejam desfavorecidos: como são de natureza diferente, isso não faz sentido. As favelas são para os negros o que as habitações confortáveis são para os brancos. Por mais espantoso que pareça, aposto que os mercadores de escravos do século XVIII negavam que, para eles, os negros fossem inferiores; porque, por mais espantoso que pareça, ouvi muitos comedores de carne (anarquistas, é claro) negarem que, para eles, os "animais" fossem inferiores — "não, inferiores não, diferentes".

O discurso sexista também se baseia explicitamente na afirmação da existência de duas naturezas diferentes, feminina e masculina, e no elogio da Mulher, da Mãe, da Esposa, daquela cujo bem-estar e honra é fundar nações lavando as panelas. "Eu amo as mulheres!", diz o sexista (ou "as gatas", ou "as potrancas").

Do popular "não sou racista" ao "elogio da diferença" da nova direita, é sempre a idéia das diferenças de natureza que está por trás do racismo e do sexismo. E estas ideologias são falsas, não porque a pele branca seja "igual" à pele negra, mas porque esta natureza simplesmente não existe. Mas são ainda mais plausíveis porque quase todo mundo, em segredo, aceita o seu princípio e, acho eu, aceita porque a sobrevivência do especismo depende disso. Para manter o especismo, todos aceitam a idéia de uma natureza animal e todos, inconscientemente, aceitam, portanto, a idéia de uma natureza humana. E é aí que começa a ginástica intelectual dos anti-racistas especistas.

Mesmo princípio, mesmo discurso: "Não sou especista" e "os animais não são inferiores, são diferentes". "Serem comidos é o seu papel natural". O sinal desta natureza é que eles se comem uns aos outros. Assim são felizes: os leitões sorriem na vitrine das lingüiças.

É possível ser anti-racista e ao mesmo tempo sexista, é possível ser anti-racista e anti-sexista e ao mesmo tempo especista. Você pode muito bem me dizer: "tudo isso é verdade, mas os animais não dá para comparar: os seres humanos são iguais, mas os animais são diferentes".

E há um monte de diferenças entre o homem e o "animal"! É que ninguém poupa os meios de listá-las, como atesta esta tranqüila declaração:

Por muito tempo os moralistas, os filósofos e, mais tarde, os pesquisadores de ciências humanas tiveram como principal objetivo rejeitar toda inclusão do Homem no mundo dos animais ou, pelo menos, encontrar-lhe uma dimensão específica que o permita sair de uma família vergonhosa, de uma promiscuidade embaraçosa.

J.-M. Bourre, Diététique du cerveau (Dietética do cérebro)

Mas os seres humanos também são diferentes uns dos outros, todos sabem muito bem disso. Quando se diz que são iguais, só se diz uma coisa: que são iguais por natureza. E que os "animais" são diferentes deles, não pelo número de patas, mas por sua natureza.

"A razão é própria do homem". A "razão" é o sinal dominante para o especista, e é por isso — e unicamente por isso — que vou demorar aqui refletindo sobre a questão da igualdade da inteligência, questão que, de fato, reconheçamos, preocupa-me pouquíssimo. É, pelo contrário, uma questão que tem agitado muito os especistas racistas e anti-racistas.

Para alguns, a inteligência é o sinal da existência da alma, e a alma é a natureza dos seres humanos. Mas para os outros, o que é a natureza dos seres humanos?

Os porcos sorriem nas vitrines das charcuteries (açougues especializados na venda de carne de porco e embutidos), mostrando muito bem que o seu papel, a sua vocação íntima, a sua natureza, é virar presunto.


Este texto foi reitado do site  www.cahiers-antispecistes.org , em breve a segunda parte do texto que trata sobre RACISMO E ESPECISMO : , em breve a segunda parte do texto que trata sobre RACISMO E ESPECISMO :

http://www.cahiers-antispecistes.org/

Lembre-se que sempre que for divulgar esse e outros textos, jamais omita o nome do autor e o site de onde o texto foi retirado.Divugue esse texto, divulgue esse ideal, os animais precisam de ajuda.

Simone Nardi



postado por 25452 as 08:53:13 21 comentários
sábado, 13 janeiro, 2007
REFLEXÕES SOBRE A ATRIBUIÇÃO DA SENSIBILIDADE AS PLANTAS

Todo vegetariano já foi questionado em sua vida sobre isso, o tema não é novo, mas está sempre nascendo na cabeça de alguém que, por acaso, ouviu falar isso ou aquilo sobre as plantas.

Muitos indagam:

— Vocês não comem animais, mas e as plantas, afinal, elas também sentem dor.

Particularmente já me deparei com argumentos melhores, mas vamos lá, tirar da cabeça dessas pessoas suas dúvidas e mostrar-lhe na realidade, o que elas pensam quando perguntam tal coisa.

Há também aqueles que discutem um algo a mais que, segundo eles compreendem, as plantas além de sofrerem,são sencientes. O engraçado é que muitos sequer conseguem aceitar que os animais sejam seres sencientes, porém defendem energicamente nossas irmãs plantas.

Conheço alguns vegans que disseram que tais pessoas agem de má fé, ou seja, fingem se interessar pelas plantas para poderem, nessa disputa de argumentos, continuarem a desprezar e a ingerir vísceras de animais, num pensamento, creio eu, mais ou menos assim:

“Se você come animais, não deveria comer plantas, e se come plantas, também faz mal a elas. Eu por exemplo, pesando os dois aspectos, sei que ambos possuem sensibilidade, por isso não há mal nenhum em ingeri-los, já que, tanto um quanto o outro sofrem igual.”

O primeiro item a usar como base para essa discussão é:

Não se afastar do tema principal, ou seja, os animais e seu sofrimento.

O segundo é, qual dos dois seres possui maior capacidade de relacionamento homem-animal, ou seja, qual deles, comprovadamente, é mais senciente?

Nós temos cães como companheiros ou um pé de alface, a lógica aqui é raciocinar apenas levando-se em conta a senciência de ambos os seres vivos, afinal quem faz essa pergunta não passa a vida acariciando alfaces ou falando com elas.

Dos males o menor, só essa frase bastaria para vencer esse argumento.O animal sofre, eu vejo, a planta tem sensibilidade, não dor.

Agora, pensando mais racionalmente, a tese de que as plantas são realmente sensíveis, viria mesmo a calhar, pois apoiaria ainda mais o não-consumismo da carne animal.

Genial tal argumento:

“Se você se preocupa com a sensibilidade das plantas, faria ainda melhor com a sensibilidade dos animais, já que a olhos vistos, eles parecem sofrer mais do que elas.” (levando-se em conta de que, quem perguntou realmente se importa com tal sofrimento e não fez a pergunta apenas por fazer ou para ”testar” uma resposta)

Mais uma vez estaríamos usando a velha frase, dos males o menor, ou seja, melhor deixar o consumo de carne animal, que sente superiormente mais dor, e passar a ingerir vegetais ,do que ao contrário.

Claro que nem todos perguntam por má fé, há, e são muitas, pessoas que realmente acreditam na sensibilidade das plantas, eu também creio, já que em tudo há vida, tudo há sensibilidade e volto a perguntar:

Diante de teus olhos, qual sensibilidade lhe dói mais?

Você é capaz de debulhar uma espiga de milho, ou cortar brócolis e atirá-los dentro de um caldeirão de água fervente, mas faria isso, tal qual como falei, a um coelho, um boi, um porco ou um cão?

Já olhou nos olhos de um brócoli quando passa a faca em seu corpo? Qual a sensação?

Já olhou nos olhos de um animal que está sendo morto, qual a sensação?

Entenda bem que é a “Sua” sensação diante da morte de um animal.

Entre plantas e animais, segundo nos diz a ciência, qual deles possui o SNC(sistema nervoso central) mais complexo?

Músculos sensíveis a dor, visão sensível a queimaduras, estômago sensível a experimentos, etc, etc.

Não sabemos se as plantas possuem córtex cerebral ou lóbulos cerebrais como homens e animais, aos quais, comparativamente o DNA está mais próximo.

Dos dois seres em questão, qual deles tem maior individualidade, raciocínio, senciência/consciência?

As plantas sofrem ?

Os animais não?

Afinal me pergunto:

Qual o real motivo dessa pergunta sobre a sensibilidade das plantas?

Querer mostrar aos vegetarianos que eles estão errados ao deixar de comer animais, já que ingerem plantas e elas também sentem dor, ou seja, que são hipócritas ao pensar assim ou...e acredito muito nisso embora não deseje, abster-se de imaginar que os animais que eles ingerem sofrem, de forma que comer um ou outro acaba por não fazer diferença.

Há muitas outras coisas que não são visíveis aos nossos olhos em relação as plantas , porém nos são claras diante dos animais:

Abro aqui um espaço para lembrar ao amigo leitor que muita gente cultiva hortas em casa, porém bem poucos cultivam abatedouros.Há aqueles que dizem que amam os animais, tiram cães da rua, porem criam galinhas desde os ovos, alimentam-nas e depois as matam para alimentação.Isso seria amor??? Amor Verdadeiro???Ou um grande equivoco da pessoa???Continuando...

Medo de morrer.Sangue derramado nos abatedouros.Efeito de reação diante da dor, capacidades que não foram totalmente provadas pela ciência em relação as plantas, mas que, se fossem, e vamos abrir um vasto campo agora, o que faríamos?

Voltar a comer animais só porque descobrimos que as plantas sofrem?

De forma alguma, já que devemos usar a lógica da questão que é: Quem sofre mais diante da morte?Em questões de medo e dor?

Vamos convir que ambos não sofrem igual e isso é fato, SNC, motricidade, lóbulos cerebrais, sinapses. Será que as plantas são mais sensíveis do que os animais?

Mas, vamos supor, que as plantas realmente sintam dor e tenham medo. E nós, míseros mortais, nos abstendo de comer apenas carne, mas somos então um dos grupos mais seletos e mais corretos de todos, já que pensando assim, demos um grande passo para uma grande mudança; porém, não somos os melhores nesse aspecto e perdemos para alguns amigos muito mais adiantados nessa questão do que os crudívoros, vegans e vegetarianos que são nossos amigos frugívoros, que não comem vegetais e se alimentam de sementes e frutos, que não sentem dor já que acabam sendo de certa forma “descartados”, já que nascem , amadurecem e caem, se não forem colhidos apodrecem e se sentissem dor, já entraríamos em outro campo, o campo Divino e os motivos pelo qual “Ele” deixa pobres e inocentes frutas morrerem.

Somos seres buscando a perfeição, ao menos alguns, se não somos ainda perfeitos, temos ciência de que somos melhores que alguns e piores que uns outros, mas demos um importante passo para a nossa mudança e para a mudança do Planeta.

Os vegetarianos deveriam se preocupar com as plantas? Quem nega que um dia seremos todos frugívoros ?Quando descobrirmos que as plantas sentem dor, naturalmente mudaremos nossos hábitos, assim como mudamos quando vimos que os animais sofriam, e isso é inegável até para o carnívoro mais ferrenho, que defende as plantas ,porém não os animais.

E para aqueles que acreditam em Deus, acreditam mesmo que um dia Ele nos mataria de fome, conforme fôssemos caminhando em sua direção?

Um último detalhe a acrescentar as pessoas que se preocupam com a sensibilidade das plantas é que, o boi é um animal ruminante, e que no Brasil a agropecuária é de campo, e os bois que virarão bife se alimentam das plantas, ou seja, ao invés de você ajudar ao menos um, está matando duas vidas ao mesmo tempo.

Talvez a mesma discussão, tão difícil de ser compreendida hoje, pelos Diretos Animais, seja travada daqui há alguns anos, séculos, sobre o especismo direcionado as plantas, talvez lá adiante, sejam mesmos os frugívoros que estejam tentando mostrar que as plantas sofrem tal como os animais, e o que faremos? Na certa muitos que já não comem mais animais dirão que os frutos também sentem dor, e a história vai recomeçar, porque toda mudança moral é difícil nos seres humanos, mas elas acontecem, independentemente de sua vontade.

" A saúde do homem é o reflexo da saúde da Terra".Heráclito

Nessa etapa de nossa caminhada é melhor fazer o bem aquele que ,diante de nós, sofre mais , percebe mais e se relaciona mais de forma inteligente conosco , ajudar o próximo mais próximo, é melhor do que não ajudar ninguém.Preocupar-se com as plantas é pular um degrau necessário que é , antes de tudo, a preocupação com os animais, já que o sofrimento deles urge, e nessa caminhada, tudo está a seu tempo.

Talvez os frugívoros sejam os únicos a terem alcançado uma alimentação totalmente livre de crueldade, os vegans estão fazendo a sua parte e os vegetarianos e os crudívoros as deles, e você, o que está fazendo em benefício dos animais e do Planeta onde vive?


Simone Nardi



postado por 25452 as 06:37:17 1 comentários
domingo, 03 dezembro, 2006
ENFIM É NATAL...SERÁ?

Eis que se aproxima a festa da Natividade

Tempo de paz, amor e alegria.Tempo de união, de caridade, abnegação e fraternidade.

Ao menos é isso o que ouvimos todos os anos; que é na época de Natal que o tal “Espírito Natalino”, toma conta das pessoas deixando-as mais gentis, mais amigas e mais irmãs.

Uma grande festa para quase todos.

Sim, quase todos participam da festa que deveria ser de alegria pelo nascimento do Salvador, o Cristo nascido num pequeno estábulo em Belém, cercado de pastores e de  animais, que celebravam ali, a Natividade.

Árvores de Natal enfeitam as casas, presentes são trocados, há muita música, muita alegria e votos de muita Paz.

E eu pergunto agora:

Qual a “Paz” que desejamos?

Por certo a paz intranqüila de nossos corações, quando nos sentarmos a mesa de Natal para comemorar a vinda do Cristo, tendo em nossos pratos, os corpos sacrificados de vários outros animais que matamos para festejar a “Vida”.

Será que desejamos mesmo a paz?

Que paz teremos se diante de nós, muita dor, medo e desespero cerca nosso paladar?

Acredito que muitos ainda não tenham se dado conta disso, por acreditarem que Deus fez os animais para que nós, também filhos de Deus, os matássemos, para comemorar a vinda do Cristo.

Acredite, Deus jamais nos daria esse poder, mas sim a escolha entre deixá-los viver ou não.E nos escolhemos.

É nessa época que aumenta, indiscriminadamente, as mortes desses seres inocentes, que Deus criou para evoluírem tal como nós.

Para quem de nós, será realmente Natal?

Para os animais que dão a vida, mesmo sem querer, para saciar um paladar humano que se nega a crer que eles também sofrem diante da morte? Para nós que insistimos em comemorar a Vida com a Morte?

Para quem de nós, será realmente Natal?

Por certo não para eles.Pra eles essa época, o Nascimento do Cristo, que para nós significa paz, amor e esperança, para eles significa apenas medo, dor e morte.Para eles é uma época aterrorizante, temida e indesejável.

Para quem de nós, será realmente Natal?

Para o Cristo que todos os anos assiste ao mesmo massacre em seu nome?

Lembro-me agora de um conto de Natal, onde a família, reunida à mesa cantava um Glória a Deus; em seus pratos, os corpos de muitos animais, perus, frangos, porcos, bezerros e diante da mesa, encolhido e solitário, um homem, invisível a todos, chorava, não pela alegria da celebração, mas pela morte de muitos inocentes.

Nós temos  em nossas mãos uma escolha:

Fazer Jesus alegrar-se ou calar-se em lágrimas diante da dor de outros filhos de Deus, sim, porque tudo que há no mundo é Criação Divina e no Natal, a morte de muitos desses pequeninos filhos de Deus aumenta.Para eles, não existe a festa da Natividade, pois natividade é vida e esses filhos de Deus, encontrarão no Natal, apenas a morte.

A escolha ainda é sua. Comemorar a vida com a morte, ou festejar a vida com a vida, fazendo Jesus sorrir nesse Natal.

Natal é vida, para todos os filhos de Deus.

Simone Nardi



postado por 25452 as 05:00:33 4 comentários
domingo, 15 outubro, 2006
ESPECISMO SELETISTA!

           Já em outros artigos, abordei temas específicos ao significado da palavra Especismo, por isso acho desnecessário falar novamente sobre isso, até porque, com o desenvolvimento desse artigo, até mesmo o leitor de primeira viagem nesse assunto compreenderá seu significado.

Aqui, quero apenas tratar do Especismo-Seletivo que se instalou entre os protetores de animais.Sim, é isso mesmo, logo aqueles que cobram tanto dos vivisseccionistas, dos promotores de rodeios, dos donos de circos, enfim, aqueles que se intitulam “Protetores de Animais” e que são contra todo tipo de crueldade que possam vir a sofrer, padecem dos mesmos problemas de seus “inimigos”, ou seja, são também especistas, seletistas é verdade, mas não o deixam de ser.

Sei que vou comprar uma briga feia agora com esse assunto, mas acho que não adianta tentarmos pescar novas consciências para a causa animal, se entre nós, há também aqueles que praticam ou aceitam crueldades contra animais.

Retirar cães e gatos da rua castrar-lhes e dar-lhes uma nova vida, é por si só Maravilhoso, mas isso não basta para que as pessoas tragam para si o título de protetor de animal, nem servirá de exemplo para que outras pessoas passem a criar a consciência do direito animal.Até porque cães e gatos não são os únicos animais a precisarem de nossa ajuda.

Ou será que são???

Obviamente que não.

Embora cães e gatos sofram diante de nossas vistas - que é a desculpa mais usada por alguns protetores - devemos além deles, ajudar aqueles que não vemos, porém sabemos, sofrem muitas vezes mais, que muitos dos animais que tiramos da rua.

E que não se valham daquela antiga frase hipócrita, de que: Se os olhos não vêem o coração não sente.

Feche seus olhos e coloque o dedo sobre uma brasa, vai doer do mesmo modo,o que não significa que, por não vermos o animal ser abatido ele sofra menos e até porque, muitos protetores especistas-seletistas, sabem muito bem pelo que os outros animais que eles não ajudam, passam.

Raro o protetor que ainda não tenha assistido Earthlings.

E como são esses protetores?São pessoas que dizem amar os animais, pessoas que muitas vezes tiram da boca para ajudar um animal carente, pessoas que saem na chuva para resgatar animais doentes e que não medem esforços para ajuda-los só que, não despertaram totalmente suas consciências para a verdadeira proteção animal nem para os direitos que esses animais devem ter, ou seja, o Direito a Vida.

Acreditam realmente que apenas cães e gatos devam ser dignos de sua compaixão, porque estão ali, nas ruas, sofrendo.Mas e os animais nos abatedouros? Nas granjas? Não merecem eles um pouco de nossa compaixão e dignidade?

Quantas vezes não vemos aquele protetor autoritário, cobrando que as pessoas ajudem os animais, lutando contra as farras de boi, assinando petições contra rodeios, em meio a boicotes a circos, a vivissecção,touradas, um verdadeiro lutador, e depois de tudo isso vamos encontra-lo  convidando os amigos, para se encontrarem numa boa churrascaria!

Acaso os bois não são animais dignos de compaixão?

Pode-se lutar contra a morte deles na farra, o uso deles nos rodeios, porém pode-se permitir sua morte para que seu apetite seja saciado.Esse é um Especismo-Seletivo, onde as classes de animais são escolhidas por algumas pessoas, uns para serem amados, outros para serem ignorados.

Um dos muitos protetores, com quem abordei esse assunto, foi tão claro ao explicar os motivos que o levavam a se alimentar de outros animais:

“Defendê-los das farras e touradas não implica em parar de comê-los”

Talvez tenha sido a frase mais hipócrita que eu já tenha ouvido de quem deveria defender os animais, e não alimentar-se deles.

Talvez Earthlings desperte mais pessoas que ainda não são sensíveis a causa animal do que aqueles que estão no meio dela.

Então passamos a classificar, ao menos eu passei, a classificar esses ditos protetores de “ Protetores de Cães e Gatos”, e não de “Protetores de Animais” –considerando que bois, galinhas, porcos e peixes também são animais- que, tal como aqueles que hoje são contra os Direitos dos Animais, alguns se mostram terrivelmente contrários , a tal mudança ética.

Claro que despertar para o auxilio de cães e gatos é importante, mas adormecer aí é prosseguir dando margem à crueldade de outras pessoas, sem dizer que protetores que comem animais estão virando alvo de chacotas dos especistas de plantão.

“Você defende animais, e porque os come?”.

Contra tal pergunta, só basta ao protetor amargar o terrível silêncio de sua consciência e descobrir-se apenas um protetor de cães e gatos e não de todos os animais.

Ou seja: Especismo Seletista

Ele escolhe quem ajudar, e escolhe quem vai morrer para a saciar seu apetite.

Ele é contra a China e a Coréia comerem cães, mas não é contra que bois, porcos e galinhas morram para alimentá-lo.

E não adianta usar da “tradição” de dizer que isso é tradição ou da “cultura” de dizer que essa é a nossa cultura; um indiano na certa acha tão abominável que se coma carne de vaca, quanto um protetor ocidental acha um absurdo comer cães.

Acho que já basta desse especismo seletista que arma, com mais argumentos, aqueles que indubitavelmente são especistas convictos com todos os animais, esses ao menos não são hipócritas.

Os protetores precisam se conhecer melhor para saber o que realmente são e o que realmente buscam, não adianta querer despertar nos especistas, o amor pelos animais, quando eles mesmos possuem sua parcela especista.

Será que eles já imaginaram o que seria deles, se todos os especistas criassem a consciência de libertação animal que pregamos e deixassem, de um dia para o outro, de criar animais para a morte.O que esses protetores iriam comer????

Especismo Seletista de protetores, mais uma mudança moral que deve, imprescindivelmente ocorrer no movimento dos Direitos Animais, do contrário não teremos voz para lutar por eles já que, muitos deles serão ainda mortos, por culpa de uma consciência que ainda não despertou para a verdade.

Todos os animais merecem viver com dignidade e todos, merecem receber a nossa compaixão, não podemos mais escolher aquele que nos fará companhia, ou aquele que estará em nosso prato no dia de Natal.

O Especismo Seletivo deve ter fim antes de acabarmos de vez com o verdadeiro especismo dos seres humanos, aquele que ergue a mão para defender, jamais deve usá-la para permitir a morte.

Nós que somos a voz dos animais, temos que honrar nosso trabalho de forma radiosa e não de forma vergonhosa. Não podemos pedir paz aos especistas, quando nós mesmos temos nossas guerras particulares contra os animais.

Simone Nardi

15/10/2006



postado por 25452 as 07:20:45 26 comentários
domingo, 01 outubro, 2006
CADERNOS ANTI-ESPECISTAS

O que é o especismo?  (Parte 1)

Texto dos " Cahiers Antiespecistes" 

Texto dos " Cahiers Antiespecistes" 

http://www.cahiers-antispecistes.org/

http://www.cahiers-antispecistes.org/

                                          David Olivier

O artigo aqui reproduzido é a versão levemente modificada de um texto publicado em abril de 1991 na revista Informations et Réflexions Libertaires, na seção “Anti-especismo” que nela mantínhamos.

Embora necessária, a argumentação racional a respeito do especismo tem um certo travo frustrante. Afinal, os nossos adversários não se preocupam muito em procurar argumentos sólidos; e pouco se preocupam em examinar os nossos. Para eles, o especismo dispensa justificativas racionais. Recentemente me aconteceu de quase suplicar, de dizer (a um anarquista, aliás): “Mas me diga por quê, me dê um só argumento, porque é claro que você acha que o sofrimento das galinhas em gaiolas é um assunto secundário...” A única resposta dele: “Para mim, é”. Por quê? Porque sim. O caráter evidente do especismo, o fato de que a imensa maioria dos seres humanos estão do lado dos opressores, é o obstáculo principal que o anti-especista enfrenta.

 Trata-se, mais uma vez, de estar do lado daqueles que são desprezados e oprimidos — sabendo que o desprezo respinga sobre quem os defende. Houve um tempo em que o branco defensor de “negros” podia ser tratado como um “negro”. É relativamente fácil hoje em dia ser anti-racista ou anti-sexista na França, pelo menos na opinião; nem sempre foi assim. Hoje, pelo menos na esquerda, é o anti-racismo e o anti-sexismo que ficaram evidentes, quase lugares-comuns que se passam por argumentos. A nova direita ficou com o belo papel, diante de um anti-racismo que à pergunta “Por quê?” respondia “Porque sim”, de, por contraste, parecer gente que pensa.

 No entanto, em nível mundial e no decorrer da história, é o racismo e não o anti-racismo que, assim como o especismo e o sexismo, é e sempre foi o pensamento dominante. A opressão e os massacres inter-étnicos são comuns na história passada e presentes na história de quase todos os seres humanos. Se muita gente hoje pode parecer que faz parte do campo anti-racista, é, antes de mais nada porque se opõem ao racismo dominante, o da cultura ocidental, que apaga as suas diferenças e a sua cultura no que ela tem de melhor e também de pior. Sabemos muito bem que a cultura kanake é, no conjunto, sexista, mas psiu! isso não deve ser dito. É preciso “respeitar a cultura como ela é”. Não dizer nada é respeitar as pessoas?

 Diante da imensa predominância do racismo, do sexismo e do especismo, não temos de nos contentar em nos escandalizar e nos referir às “evidências”, mas sim refletir e argumentar, sem medo de estar do lado dos “negros”, das mulheres ou dos cachorros.

 Especismo: o especismo está para a espécie assim como o racismo está para a raça e o sexismo está para o sexo: uma discriminação baseada na espécie, quase sempre a favor dos integrantes da espécie humana (Homo sapiens).

 Animais: a linguagem não é neutra e a nossa língua comum chama de “animais” todos os animais exceto os seres humanos, pondo assim uma barreira entre seres tão próximos quanto um homem e um gorila, e colocando no mesmo saco um gorila e uma ostra. De acordo com o uso científico, amplamente justificado, chamarei de “animais” todos os animais, humanos ou não, e de “animais não humanos” os que não tiveram a honra de ser “bem nascidos”.

A minha posição

 

Sustento que não pode haver nenhuma razão — com exceção do desejo egoísta de preservar os privilégios do grupo explorador — de evitarmos estender o princípio fundamental da igualdade de consideração dos interesses aos membros de outras espécies.

 

Peter Singer, Animal Liberation, 19751

É preciso ser anti-especista? Bem, é preciso ser anti-racista? É evidente que sim? Não é evidente para todo mundo; e não parece que todos os anti-racistas sejam anti-racistas pela mesma razão. A minha posição é que o anti-racismo não se justifica porque (quase) todos os seres humanos sejam igualmente inteligentes, nem porque tenham linguagem articulada, nem porque sejam sociais etc.; o anti-racismo e o anti-especismo se justificam porque um ser senciente e oprimido sofre e que o sofrimento e o bem-estar de todos os seres sencientes, ou seja, suscetíveis de sofrer ou de serem felizes, têm a mesma importância e devem, conseqüentemente, ser levados em conta com peso idêntico.

 Sou tão “defensor dos animais” quanto aqueles que lutavam contra a escravidão dos negros eram “defensores de pretos”, como os racistas os chamavam; defendo os animais oprimidos, humanos ou não, não por capricho, não por vocação, não porque eu “ame os animais” como outros “amam as flores”; defendo os animais e, especificamente, os animais não humanos porque a minha intenção é defender todos os seres sencientes, sejam quais forem; porque o único critério que justifica levar em conta os interesses de um ser é que ele tenha interesses e porque, como explicarei no próximo IRL, o fenômeno da sensibilidade limita-se aparentemente aos animais, sendo que as plantas não teriam sensações nem interesses. A minha oposição ao especismo é a oposição a uma ideologia que serve para justificar o sofrimento ignóbil e a morte que a quase totalidade dos humanos infligem sabidamente, deliberadamente, quotidianamente, a milhares de seres tão sencientes quanto eles.

Este texto foi reitado do site  www.cahiers-antispecistes.org , em breve a segunda parte do texto que trata sobre RACISMO E ESPECISMO : , em breve a segunda parte do texto que trata sobre RACISMO E ESPECISMO :

http://www.cahiers-antispecistes.org/

Lembre-se que sempre que for divulgar esse e outros textos, jamais omita o nome do autor e o site de onde o texto foi retirado.Divugue esse texto, divulgue esse ideal, os animais precisam de ajuda.

Simone Nardi



postado por 25452 as 08:05:52 23 comentários
domingo, 24 setembro, 2006
"CADERNOS ANTI-ESPECISTAS"

Contra o apartheid das espécies   CA n°14 (dezembro 1996)Sobre a predação e a oposição entre ecologia e liberação animalYves BonnardelTradução: Anna Cristina Reis Xavier; revisão: Simone Nardi

O homem mata animais para se alimentar; é uma das leis da natureza que o fez carnívoro.

Claude Elsen1

Desde que abordamos o assunto de considerarmos igualmente os interesses de todos os animais, ou seja, de dar tanto peso aos interesses dos não-humanos quanto aos dos humanos, as pessoas contestam com uma série de argumentos que são sempre os mesmos. Principalmente aparece a referência a predação: «Mas os animais se comem entre eles; então por que não deveríamos fazer o mesmo?» - ou, ao contrário: «Se nos opusermos contra a exploração dos animais, também é necessário nos posicionarmos contra a predação da Natureza».

Sabemos como é fácil responder a este tipo de argumento: os humanos possuem justamente esta especificidade tão glorificada pelos especistas de poderem mudar de comportamento, por razões morais, com maior facilidade do que os outros animais. Mas essa resposta, se é formalmente suficiente, evita uma questão fundamental: a predação representa em si própria um problema bem real e logicamente leva à reflexão aquelas pessoas que se preocupam seriamente com os interesses dos outros animais.

E trata-se de um problema que tentamos sempre evitar, pois ele faz parecer louco aquele ou aquela que tenta refletir calmamente sobre o tema, e porque divide de tal forma os consensos, inclusive no seio do movimento anti-especista2.

Apesar disso, é um assunto que deve ser abordado. E se ele pode dividir, pode também ajudar a fortalecer o movimento, principalmente ao esclarecer suas posições com relação ao ecologismo e ao naturalismo (esta crença religiosa na «Natureza»).

Minha posição é a mesma que S.F. Sapontzis argumenta em detalhe3: eu considero como justo, ajudar todo indivíduo que precise a menos, evidentemente, que o remédio seja pior do que a doença. Considero justo tentar modificar um estado de fato (uma sociedade ou um ecossistema) no sentido de um maior bem estar global dos seres implicados.

 Creio que uma tal decisão desencadeie debates por, pelo menos, duas razões:

- Ela parece implicar no fim das contas ,um domínio e uma gestão total da «Natureza» e da vida de seus habitantes, enquanto que os humanos dos países desenvolvidos apreciem, hoje em dia, nesta «Natureza», a imagem do que eles não encontram mais em suas próprias vidas, submetidas a um fortíssimo controle social: a não domesticação, o caráter livre e selvagem de comportamentos não limitados por artifícios ou inibições sociais... Por outro lado, identificando-se facilmente apenas com os predadores, estas pessoas idealizam uma imagem paradisíaca da «Natureza», imagem utópica e ilusória, digamos de passagem.

- Mas sobretudo, há um forte caráter religioso associado à idéia de «Natureza» que a faz parecer intocável. Questionar a «Ordem Natural», não mais se manter à distância habitual e respeitosa. Conceber a reforma dessa «Ordem Natural»! Ai ai ai! Ainda mais hoje em dia, pois para várias pessoas «a Mãe Natureza» substituiu Deus e lhe atribuímos, ao mesmo tempo, o papel de vítima da «violência humana4».

O questionamento da predação é apresentado de forma caricatural, como se tratasse instantaneamente de intervir nos ecossistemas sem ter os meios de matar todos os predadores... enquanto nós nunca afirmamos dispor atualmente de soluções globais ou particulares para a predação, que não sejam ainda piores do que o mal da predação. Uma boa comparação que já foi feita5 me parece ser aquela sobre a Aids: neste caso também não encontramos até hoje a solução global, radical, mas já é necessário nos pronunciarmos contra a aids, é necessário nos opormos contra as pessoas que enxergam nessa doença uma justa punição de Deus: de um lado porque tais posições possuem em si próprias, um impacto ideológico importante e por outro lado, porque ao nos posicionarmos contra a aids, procuramos combatê-la cada vez que isso é possível, ainda que nossos esforços possam surtir poucos efeitos – cada pessoa que é salva conta.

Este texto foi reitado do site  www.cahiers-antispecistes.org, para ler o restante dele, acesse a página em portugês em :

http://www.cahiers-antispecistes.org/article.php3?id_article=293

Lembre-se que sempre que for divulgar esse e outros textos, jamais omita o nome do autor e o site de onde o texto foi retirado.Divugue esse texto, divulgue esse ideal, os animais precisam de ajuda.

Simone Nardi



postado por 25452 as 03:58:12 0 comentários
domingo, 25 junho, 2006
FEIAS, VELHAS E MALVADAS

É isso mesmo, Íris Bruzzi, Ana Maria , Xuxa e tantas outras são as feias, velhas e malvadas da TV brasileira, por uma estranha coincidência todas da Globo, aquela TV que fez apologia as torturas de animais numa novelinha que apoiava os rodeios.

Cheias de “querer aparecer” na mídia, agarrando seus felpudos cãezinhos de raça, essas já, enrugadas senhoras, não demonstram o maior sentimento que pode ter uma mulher:

SENSIBILIDADE.

Íris Bruzzi, ex-vedete, ex-atriz, ex-mulher, pois mulher que é mulher é sensível. Disse que usa vison pois não se importa se o animal foi morto ou não.

É mais do que claro que  ela queria aparecer, e conseguiu, porém da pior forma que lhe seria possível.

Tão ignorante quanto a modelo Gisele, que alegou que só desfilava com casacos de peles porque aqueles animais eram criados para isso, essas senhoras demonstram desconhecer o modo como são mortos esses animais, e desfilam por aí usando cadáveres do sofrimento em seus pescoços, achando que são chic.

E são Chic sim.

Cruéis Horrendas Insensíveis Cruelas

Parabéns a ignorância delas, mulheres hipócritas que abraçam crianças, levam seus totós para programas de tv, e sequer sabem que os animais são mortos da pior forma possível para cobrir uma pele tão vergonhosa e tão dura como o coração delas.

Simone Nardi



postado por 25452 as 08:55:09 0 comentários
domingo, 18 junho, 2006
IGREJA X TOURADAS

ONDE TERMINA A FÉ E SE INICIA A GANÂNCIA....

Você acha possível que possa acontecer de um padre católico, da ordem dos Franciscanos, incentivar e mais ainda, jamais deixar de comparecer a uma tourada?

Você que talvez seja católico responderá, não. Estará errado.

É isso mesmo que vem acontecendo em Portugal.Para quem ainda não sabe, a Igreja católica daquele País é uma das instituições que possui o maior número das temidas e famigeradas Praças de Touros.

Os padres de lá incentivam o povo a comparecer e assistir as barbaridades que são cometidas Covardemente contra os animais.

Para quem não conhece touradas, ou para aqueles que afirmam, serem elas uma luta justa entre homem e animal, saibam a verdade:

Só os forcados são nove ou dez

Antes de entrar na praça  são administrados aos touros, tranqüilizantes e laxativos, é provável que lhe esfreguem vaselina ou petróleo nos olhos de modo a que não veja quase nada, e ainda será espancado nos rins.

Nas horas antes da tourada será mantido na mais absoluta escuridão, para que na hora de   entrar na arena a luz e o barulho ainda contribuam mais para a confusão do animal   "Crava-se a garrocha uns 15 cm na espádua do animal para o sangrar e debilitar.

As bandarilhas, com o seu arpão e peso, rasgam os músculos e abrem feridas à medida que o animal se movimenta.

Com a espada tenta-se trespassar o coração, a maior parte das vezes sem êxito ou perfurando-se então os pulmões, provocando a  asfixia devido à hemorragia interna.    Com a última estocada, tenta-se cortar a medula espinhal do animal em agonia.

E por vezes, depois de tudo isto, o touro ainda respira."

A luta agora lhe parece justa? Justa talvez aos covardes.

Não bastasse os sádicos quererem manter viva essa atrocidade, vem a igreja e ainda incentiva que se perpetue as touradas para arrecadar dinheiro para os enfermos, quando os verdadeiros enfermos são eles mesmos.

Não bastasse as denúncias de pedofilia, vem a igreja que deveria levar o fiel à Deus, e anuncia:

Vem aos touros CANTAR O FADO


 Uma das responsáveis por essa barbaridade é a Santa Casa da Misericordia de Santarem  , juntamente com a radio Católica Renascença  ,um dos padres o senhor Vitor Melicias, da Ordem dos Franciscanos (Francisco de Assis é considerado pela igreja católica o protetor dos animais) é um espectador assíduo das touradas.

A Igreja não sabe? Ou permite?

O que você tem a ver com isso? Você pode ajudar.escreva para o Vaticano.Para as arquidioceses, você principalmente se for católico, se calar-se diante disso, vai estar negando a Criação Divina e a bondade de Deus para com seus filhos.

Não é preciso lembrar que só há um Deus, só um Pai, e gostem ou não, somos todos criaturas Divinas, vindas do mesmo PAI.

Escreva, peça o modelo de carta se desejar, mas não deixe a igreja cometer mais esse crime contra a humanidade.

Emails: 

 com.cultura@patriarcado-lisboa.pt, misericordias@mail.com, franciscanosofm@mail.telepac.pt, mingen@ofm.org, pax@ofm.org, agencia@eclesia.pt, benedictxvi@vatican.va, mail@rr.pt,rp@rr.pt

vicariatocom@uol.com.br, pastoral.arquid.sp@terra.com.br, scavi@fsp.va, 

office@net.va office@net.va,domclaudio@terra.com.br

conheça o site

http://www.iwab.org/contactpor.html

NÃO DEIXE DE LUTAR POR AQUELES QUE DEUS CRIOU E QUE NÃO PODEM SE DEFENDER SOZINHOS.

DEUS DESEJA QUE ZELEMOS POR ELES NÃO QUE OS MATEMOS.

SIMONE NARDI



postado por 25452 as 10:10:15 20 comentários
segunda, 12 junho, 2006
Quando a crueldade humana terá um fim?

Alguns anos atrás, todos os animais foram embora. Acordamos uma manhã e eles simplesmente não estavam mais lá. Nem mesmo nos deixaram um bilhete ou disseram adeus. Nunca conseguimos saber ao certo para onde foram. Sentimos sua falta.

Alguns de nós pensaram que o mundo tinha se acabado, mas não tinha. Só que não havia mais animais. Não havia gatos ou coelhos, cachorros ou baleias, não havia peixes nos mares, nem pássaros nos céus. Estávamos sós. Não sabíamos o que fazer.

Vagueamos por aí, perdidos por um tempo, e então alguém observou que, só porque não tínhamos mais animais, não havia motivo para mudar nossas vidas. Não havia razão para mudar nossa dieta ou parar detestar produtos que podem nos fazer mal.

Afinal de contas, ainda havia os bebês.

Bebês não falam. Mal podem se mexer. O bebê não é uma criatura racional, pensante. Fizemos bebês. E os usamos. Alguns deles, comemos. Carne de bebê é tenra e suculenta. Esfolamos suas peles e nos enfeitamos com elas. Couro de bebê é macio e confortável.

Alguns deles, usamos em testes. Mantínhamos seus olhos abertos com fitas adesivas e pingávamos detergentes e shampoos neles, uma gota de cada vez. Nós os marcamos e os escaldamos. Nós os queimamos. Nós os prendemos com braçadeiras e plantamos eletrodos em seus cérebros. Enxertamos, congelamos e irradiamos. Os bebês respiravam nossa fumaça e, na veias dos bebês, fluiam nossos remédios e drogas, até eles pararem de respirar ou até o sangue deles não correr mais.

Era duro, é claro, mas necessário. Ninguém podia negar isso. Com a partida dos animais, o que mais podíamos fazer?
Algumas pessoas reclamaram, claro. Mas elas sempre fazem isso.
E tudo voltou ao normal.

Só que...
Ontem, todos os bebês se foram. Não sabemos para onde. Nem mesmo os vimos partir. Não sabemos o que vamos fazer sem eles. Mas pensaremos em algo. Humanos são espertos. É o que nos faz superiores aos animais e aos bebês. Vamos bolar alguma coisa.

A pessoa que me cedeu esse texto, a quem quero agradecer, não se lembra de quem é nem de onde o retirou, por isso se o dono, que pelo visto ama os animais o encontrar aqui, quero agradecer por mostrar o quanto na verdade, os homens são cruéis.

E se o mundo mudasse como no texto a vingança dos animais que fiz? A imagem acima seria real e você provavelmente se revoltaria, então mude agora antes que seja tarde.Diga não ao especismo.

Simone Nardi



postado por 25452 as 09:29:52 1 comentários
sábado, 10 junho, 2006
Você também teria........

As experiências em animais beneficiam a saúde humana?
Pense outra vez!
Os sistemas do organismo animal reagem de forma tão diferente dos seres humanos (aos vírus, às substâncias químicas, aos alimentos, etc.) que o resultado das experiências em animais (freqüentemente cruéis) sempre é inútil, não faz sentido e pode ser perigosamente errado. Muitos vivisseccionistas nos dizem isso. O Professor Pietro Croce, patologista que fazia experiências em animais, declarou:
Existem pessoas demais que ainda acreditam que vivissecção protege a humanidade de doenças. Não protege!
Outro vivisseccionista, o Dr. Philippe Shubik, confessou:
... nossos modelos animais são totalmente inadequados para responder às perguntas óbvias diante de nós.
Ainda outro vivisseccionista, o Dr. Frederick Coulston, declarou claramente que forçar animais a tomar grandes doses de substâncias químicas, para ver se essas substâncias são seguras para os seres humanos é ... só tolice!

Também na psiquiatria, o vivisseccionista Dr. R.W. Brimblecombe disse dos resultados de testes animais para a psiquiatria: “Nossos resultados não tem o menor valor para definir a dosagem [de medicamentos humanos]...”; e, em toxicologia, o vivisseccionista Dr. M. Ottoboni declarou abertamente:
A diferença com que reagem as espécies á toxicidade de substâncias químicas é tão grande que a cega transferência de dados animais para o ser humano é muito perigosa”.
Como animais podem permanecer ilesos a produtos químicos / pesticidas, etc. que são prejudiciais à saúde humana, aconteceram muitos desastres com produtos químicos. Na Inglaterra, meio milhão de pessoas sofreram danos na audição depois de tomar medicamentos testados em animais. Em 1996, o medicamento Alredase, para os diabéticos, causou a um em cada 20 usuários danos no fígado, algumas vezes irreversíveis e a morte de alguns pacientes — apesar da droga ter sido testada em animais. Tais acidentes com medicamentos testados em animais são numerosos. Isto acontece porque o metabolismo de ratos, camundongos, coelhos, gatos, cachorros e cobaias, etc. pode ser muito diferente daquele do ser humano.

Na realidade, a vivissecção induz a tanto erro, que durante anos mostrou que fumar cigarro não representa perigo — porque fumar deixou definitivamente de causar câncer do pulmão em camundongos! Pense nas milhares de mortes humanas e quanta doença pode ter sido causada devido aquela falsa informação obtida pela experência animal. Como disse recentemente um médico:
Vivissecção não é nada mais do que um método irracional que não só mata animais, mas mata seres humanos também.
Entretanto, vivisseção é um imenso negócio, que pode trazer grande lucro para quem participa de sua prática ou promoção. Por isso continua.

Se queremos o progresso de pesquisa médica, precisamos abolir as experiências em animais imediatamente e aplicar a tecnologia moderna do computador e da cultura de células e tecidos humanos.

_____
Fonte: UKAVIS — UK Anti-Vivisection Information Service, Londres, Inglaterra

Um estudo da clínica feminina da Universidade de Munich, Alemanha, mostrou que:
"A cada ano morrem 30.000 pessoas devido à medicamentos que antes foram testados em animais. 61% de todos os defeitos congênitos em recém-nascidos e 88% dos natimortos ocorrem em decorrência de medicamentos"

_____
Peter Zondervan, Natürlich Vegetarisch, nov/dez de 2005

fonte site


postado por 25452 as 03:49:25 20 comentários
quarta, 07 junho, 2006
Sem argumentos as Crianças viram escudos

Sempre as crianças

Presidente da camara de Portugal é a favor de touradas

Sempre as crianças

Nesses tempos conturbados, onde se espera vencer o especismo humano que degrada a vida e o meio ambiente, as crianças se tornaram o ESCUDO daqueles que insistem em promover a violência contra os animais.

Sem argumentos fortes, as frases mais usadas por essas pessoas desprovidas de qualquer capacidade de amar, são sempre as mesmas:

“ Preocupem-se com as crianças que morrem”

“As vacinas salvarão as crianças”

“Porque os animais e não as crianças”

Sempre as crianças.

A incapacidade dessas pessoas de perceberem o mundo ao seu redor é tão ridiculamente reduzida, que nem mesmo eles se lembram delas, a não ser claro para pedir que outros façam o serviço deles, sim, pois quem geralmente “explora”o argumento Criança, é o que MENOS faz algo por elas.

Ele simplesmente quer fugir do assunto, quer tentar encerrar algo para o qual não possui qualquer argumento técnico, moral ou ético. Sua incapacidade de enxergar mais adiante, transforma crianças em animais, já que para ele é possível tal comparação.

O que defendemos está muito além de sua visão estereotipada do mundo.

Defendemos os mais fracos, sejam eles crianças, velhos que NUNCA são lembrados e claro, os animais.

Se acaso realmente se preocupassem com as crianças, não as deixariam entrar numa praça de touros , onde aprendem que,matar um animal não humano não é crime, esquecem esses senhores, de que toda criança que aprende a matar animais, logo se transforma em assassino depois de grande, as pesquisas estão aí para confirmar isso.

Deixar uma criança assistir a morte sangrenta e violenta é preocupar-se com elas?

Mas perdoem essas pessoas, eles não possuem outro escudo para a carnificina que apóiam, seja na Europa, considerada primeiro Mundo, ou aqui, no terceiro mundo onde pouco a pouco conseguimos leis de proteção animal.

Por sua covardia e falta de capacidade de enxergar além, sempre usarão as crianças como escudo, é melhor proteger-se com ela do que tentar mudar/evoluir.

São os grandes que ensinam os pequenos.

Violência contra animais não é o que eu diria, o melhor aprendizado para a juventude.

Pobres crianças que morrem ainda em todos os cantos do mundo, além de todos os seus problemas sociais, ainda são comparadas aos animais por pessoas sem a capacidade Moral e ètica de enxergar a vida e, como se não bastasse, são o Escudo dos Hipócritas

Abaixo a prova de quem sem argumento, o escudo é sempre a criança, é a resposta do Presidente da Câmara de Portugal ao meu pedido que deixar de apoiar as touradas, ao que parece ele desconhece que no Brasil não há qualquer Força de segurança que mata as crianças, sinal que além de tudo, não é um bom político:

Estimada Simone

Em vez de te preocupares com a evolução de Portugal porque não te inscreves como voluntaria na UNICEF e faz alguma coisa pelas crianças que diariamente são assassinadas por  "forças de segurança" no Brasil.

Preocupa-te com o que fazem com as crianças do teu pais, faz alguma coisa para que  as crianças brasileiras possam crescer livres da violência, exploração, abusos e discriminação... e deixa os bois em paz

O Brasil precisa de evoluir...

Minha resposta a ele:

Prezado senhor que desconhece a verdade

Eu ajudo sim as crianças do meu Pais, coisa que com certeza o senhor não faz aí no seu, pois pessoas que ADORAM maltratar animais dizem EXATAMENTE o que o senhor falou ou seja :

"Escondem sua COVARDIA atrás das crianças, já que esse é o Único Argumento que conhecem."

Sempre usam de escudo as pobres criancinhas indefesas.

Talvez o senhor não tenha capacidade, mas nós temos e muita, a capacidade de lutar por varias causas ao mesmo tempo.

Por que não faz o senhor também um "Bem" pelas criancinhas de Portugal que também passam fome e frio,mas que os senhores escondem????

Por que não lhes ensina educação através  do amor do que através da violência, elas se tornariam adultos bem melhores do que o senhor.

Talvez o senhor ainda não consiga pensar em muitas coisas ao mesmo tempo, e ache que apenas as criancinhas merecem auxilio, engana-se, no mundo há muito mais do que elas, e o senhor deveria saber disso, pois aí como aqui, não é tão diferente assim.

Pense melhor e TENTE, se conseguir, arrumar bons argumentos favor da carnificina que apoias.

Agora com seu email , que repassarei para outros confrades seus, todos saberão o que realmente o senhor tem na cabeça.

Estude mais

Simone

Esse é o email dele pra quem quiser escrever:

"Presidente - Câmara Municipal V.N. Barquinha" <presidente@cm-vnbarquinha.pt>

Li essa frase num blog e acho que serve pra muita gente

A MAIOR TRADIÇÃO DO SER HUMANO É EVOLUIR!

Simone Nardi



postado por 25452 as 11:49:54 21 comentários
terça, 06 junho, 2006
O que há dentro da cabeça dos Seres Humanos?

Será que eles pensam ainda que são realmente a raça superior desse planeta? Será que ainda se acham donos do mundo, da terra, das florestas, dos animais?

Quando há tantas guerras, tantas doenças, tantas  catástrofes naturais, o ser humano, vai ainda mais longe.

Mata! Mata por diversão!

Quem faz isso está realmente longe de ser inteligente.Está longe de ter moral.

O ser humano esqueceu um dos mais sublimes dons que deveria nortear suas vidas

Piedade.

Turistas do mundo todo vão a uma praça de torsos para assistir a morte desses animais, por homens covardes.Por uma curiosidade meramente mórbida, eles pactuam com essa carnificina sem qualquer valor moral ou ético.

Há muito que o ser humano rebaixou-se as camadas mais inferiores da Terra. Não possui mais qualquer senso de responsabilidade, desconhece o respeito, a fraternidade e a verdadeira coragem.

Não há honra em vencer um animal quando os mesmos são julgados inferiores. Não há honra em vencer um Touro, diante de uma platéia medíocre que apenas deseja ver sangue, nem que seja o sangue do toureiro.

Não há qualquer honra nem coragem, pois todos sabem como os Touros são infinitamente maltratados, como estão enfraquecidos, sempre será a vantagem do mais covarde sobre o mais fraco.

O homem não é grande.O Homem não é nada. Rebaixou-se quando entendeu que Reinar sobre os animais, era Matar os animais.

Quem reina através da morte é  um tirano.Só os tiranos desconhecem a piedade.

Altruísmo

Caridade.

Humanidade.

Beneficência.

Piedade.

São agora sentimentos que descobrimos, os animais possuem em sua grande maioria.Infelizmente para a humanidade, tais sentimentos desapareceram de sua alma e de seu coração transformando-os em seres brutais, violentos e inferiores.

Inferioridade é tudo o que restou a humanidade, mas ainda há aqueles em que sentimentos tão nobres ainda permanecem em seus corações e se levantam para lutar contra os tiranos do mundo.

Salve a Vida.

Salve os homens que ainda sabem o significado da piedade.

 

Simone Nardi

06/06/2006

 

saiba como ajudar no site

http://www.barcelonacontrabalana.com/index2.php

e

www.ajudem-nos.blogspot.com.vr



postado por 25452 as 02:18:41 23 comentários
segunda, 05 junho, 2006
Dia do Meio Ambiente e da Ecologia

Dia do meio ambiente e ecologia

Hoje se comemora o Dia do Meio Ambiente e Ecologia, mas se pararmos para pensar, não há muito o que comemorar.Desde que criei o primeiro blog sobre Ecologia e Meio Ambiente, participei de muitas lutas.Lutas essas que se repetem todos os anos, todos os meses, todos os dias.Sempre as mesmas.

Há mais o Brasil assinou o protocolo de Kyoto.

Parabéns , não fez mais do que sua obrigação, mas não faz “Bem” sua obrigação dentro do território Nacional.

Nossas florestas continuam sendo devastadas.Nossos animais continuam nas listas de extinção.Nossos rios continuam poluídos assim como o ar que respiramos.

Fizemos progressos? Bem pouco e sabe por quê?

Porque não fazemos a nossa parte.

É eu, você, todos.

Quando assistimos a imagens de nossos rios, das enchentes, o que vemos logo de cara?

Milhares de garrafas de refrigerante.Que saíram do mercado, foram para a casa dos brasileiros e dali para os rios. Vemos lixo espalhado por todos os cantos, em cada esquina, em cada terreno baldio.

Animais abandonados nas ruas. Crianças maltratadas por seus pais.

Desrespeito.

O homem ainda não acordou para a vida.Não descobriu que ele mesmo, é o parasita dele e desse Planeta.

O Meio Ambiente nunca vai ter vitórias para comemorar enquanto as pessoas não forem educadas e respeitarem a si mesmas.

Quando aprenderem a respeitar, deixarão de  jogar seus lixos nos rios que também pertencem a elas. Deixarão de cortar e predar as florestas que também pertence a elas. Deixarão de poluir o ar que elas e seus filhos respiram. Enquanto isso, as enchentes continuarão a destruir suas casas. O ar continuará poluindo e intoxicando seus filhos. A água continuará a escassear e ele sem perceber que se mata, continuará a criar novas doenças por causa de sua imbecilidade.

Ou começamos agora a respeitar e a preservar aquilo que é nosso, ou seja, o Meio Ambiente ou um dia morreremos pelas mãos de nós mesmos.

Simone Nardi

05/06/2006

postado por 25452 as 05:36:48 20 comentários
sábado, 03 junho, 2006
Um Medico que é contra a vivissecção

e-mail do Dr. Marcelo Andrade Ribeiro
Médico assistente da Unidade de Terapia Intensiva do Instituto do Coração da Faculadade de Medicina da USP, enviado à Dra. Izolda Nolli

Carissima Dra Izolda. Gostaria de deixar claro o quanto admiro pessoas como a Sra. Li seu email e fiquei tocado pela sensibilidade e inteligência com que abordou o tema da vivissecção em animais "em prol da ciencia". Sou médico cardiologista e trabalho no Instituto do Coração (InCor). Sou um pesquisador. Vivo da ciencia. Conheço vários aspectos técnicos sobre pesquisas com animais. Posso assegurar com total conhecimento de causa que exibições de vivissecção, como a proposta pelo Hospital Sirio Libanes, são desnecessárias e totalmete inúteis. Ninguém é capaz de aprender ou aperfeiçoar qualquer tecncia de cirurgia numa demonstração de poucas horas. Esta carnificina cruel não traz qualquer beneficio para a ciência. Sei do que estou falando. Sem dúvida, ao destacar no "folder" do Congresso as práticas em animais vivos, o principal objetivo do hospital e dos organizadores do evento parece ser atrair mais público pagante utilizando a curiosidade mórbida comum a maioria dos seres humanos. Alguns médicos pesquisadores parecem se orgulhar da propria insensibilidade e sentem uma curiosa atração por sessões exibicionistas, cruéis e inútes que as vezes ocorrem até mesmo com seres humanos. Penso que ser médico envolve responsabilidades não somente com as pessoas, mas sobretudo com a vida. Todos os pesquisadores sérios sabem do que estou falando. Sabem que, como bem reforçou seu texto, os animais sofrem muito nas abominaveis sessões de vivisseção. Quem já viveu a dura experiência de encarar um cão subanestesiado tendo suas vísceras extraídas, e ao olhar seu olhos ver lágrimas, apenas lágrimas como manifestação de dor, já que toda sua musculatura está paralisada pelos bloqueadores neuromusculares, quem já viu isso sabe exatamente do que estou falando. Penso que devemos evitar abusos desta natureza a todo custo. Estou absolutamente solidário com a sua causa. Estou a disposição para o que for necessário. Sou médico, cientista, estou concluindo um doutorado. Sei que a ciencia não precisa disso. Seguindo sua sugestão, já enviei para a secretária do Sírio um email mostrando, de maneira educada e sensata, que "estamos de olho" e não vamos deixar um crime passar em branco.

Parabéns pela luta.

A disposição



postado por 25452 as 08:32:12 0 comentários
O que é VIVISSECÇÃO ?

Vivissecção-Muita gente ouve falar sobre isso mas não faz a mínima ideia do que seja, vamos esclarecer a necessidade urgente de da criação de leis anti-vivissecção.

Vivi é vivo e secçãocortar. Vivissecção é cortar um animal vivo. Com o tempo o termo foi abrangendooutras coisas e significa qualquer procedimento onde você pega um animal vivo,induza um determinado estímulo nele e obtém um outro em troca. Existe avivissecção invasiva e não invasiva. Se eu só colocar um porquinho da Índia,por exemplo, para tirar uma chapa de raio-x, é uma vivissecção não é invasiva enem pode ser considerada antiética. Mas, por exemplo, se eu pegar um animal ecortá-lo, ou injetar qualquer coisa nele ou fazê-lo tomar uma droga oralmente,isso é vivissecção.

É desse modo que os médicos burlam a Lei de Crimes Ambientais e continuam a praticar seus congressos de pôs-graduação com animais, normalmente cães do CCZ.É crime abandonar um cão, deixá-lo sem alimento, água ou abrigo.Mas parece não ser crime médicos e cientistas torturarem animais em nome da falsa ciência, até porque hoje existem centenas de metodos alternativos para os quais eles simplesmente fecham os olhos, bem como os juízes fecham os olhos para as leis de Crimes Ambientais e deixam tal massacre prosseguir.

Seassassinato e tortura são crimes, porque, então, matar e torturar animais"em nome da ciência" ainda é aceitável? A pergunta sequer faz sentidoa partir da visão antropocêntrica da sociedade ocidental no século XX: osanimais estão no mundo para serem usados pelos humanos. Dessa maneira, nem sequestiona o sacrifício de bichos para uma suposta causa maior, a pesquisamédica. Assim, cruéis e desumanos experimentos em animais são aplicados todos osdias. Nas universidades, em cursos de biologia, veterinária e medicina. Emcentros de pesquisa que utilizam verbas públicas e em laboratórios de fábricasde produtos químicos, de limpeza e cosméticos. Milhares de animais morremanualmente em nome da ciêcia. São, principalmente, macacos, gatos, cães, ratose coelhos.

Muitos nomes da ciência, como um dos membros da Fiocruz, ainda desejam continuar a matança, pois se negam a aceitar as novas mudanças técnicas, tudo para eles gira em torno das vacinas, como se todos os experimentos fossem apenas isso.Esquecem porém que a crueldade deles vai além das meras vacinas, das quais sempre usam como desculpas.

Dissecar animais vivo não cura a humanidade.

Quebrar patas de animais para observar o stress não cura a humanidade.

Queimar olhos de coelhos não cura a humanidade.

A humanidade é seu próprio cancer quando se recusa a aceitar que os animais sentem dor e que nós não temos qualquer direito sobre eles, a não ser aqueles que nos outorgamos.

São hipócritas aqueles que ainda hoje dizem serem necessário o uso dos animais para o aprendizado de cirurgias, exames, perfumes, novas armas e até mesmo na alimentação. São hipocritas porque sabem a verdade e mentem para si mesmos e para o mundo. São fracos porque não querem mudar, tem preguiça de mudar, mas tempo virá em que, nas palavras de Tom regam, os laboratórios de pesquisas terão uma placa escrita:

"Proibida a entrada de animais"

Antropomorficos e antropocentricos, os animais são livres e precisam ser respeitados, apesar de vocês, isso um dia se tornará realidade


Simone Nardi




Os desenhos " A Vingança dos Animais" foramcedidas pelo desenhista Renan Nuche, quero agradecer de coração acolaboração dele com essas imagens maravilhosas que expressam claramente o que o homem vem fazendo com os animais.
Obrigada Renan, e parabéns pelos belíssimos desenhos.

Simone Nardi




Os desenhos " A Vingança dos Animais" foramcedidas pelo desenhista Renan Nuche, quero agradecer de coração acolaboração dele com essas imagens maravilhosas que expressam claramente o que o homem vem fazendo com os animais.
Obrigada Renan, e parabéns pelos belíssimos desenhos.


postado por 25452 as 01:56:52 22 comentários
terça, 30 maio, 2006
A Vingança Dos Animais

A vingança dos animais

Uma vez conta a lenda, Deus cansou de ver o homem reinar
Sobre a Terra lançou suas mãos e tudo transformou
Fez o céu virar terra e a terra virar mar
Aconteceram grandes mudanças e até o homem mudou


Uma única frase de Deus, ecoou sobre a Terra
Os papeis vão se inverter,
Quem antes caçava, agora vai correr
Quem antes era homem, agora vira fera


Ficaram soltos os passarinhos, todos a gorjear
Os peixes subiram a Terra e o homem desceu ao mar
Os papeis foram invertidos
Foi quando o homem pensou
Meu Deus , estou perdido

Os papeis foram trocados
E os bichos, antes enjaulados
Ficaram livres a passear
O homem que era livre, quanto mudou
Para dentro das celas ele rumou

E Deus lá do céu contemplava
A triste face do homem
Pois na sala fria ficava
Sozinho e passando fome

Aqui se fazia, aqui se pagava
Assim era a Lei de Deus
E quanto mais o homem rezava
Mais perdia os sonhos seus

Ele que fora um senhor soberano
Na verdade um tirado
Hoje sentia na própria pele
A tristeza , a solidão, a morte
De quem não lhe tinha a mesma sorte

Pescado foi ele, por um peixe ferido
Noutro canto, era apenas a gaiola o seu abrigo
Pela ciência acabou dando a vida
Que seu corpo marcou em ferida

Conta a Lenda que os animais
Do homem tiveram compaixão
Pediram a Deus que tudo mudasse
E ao antigo modo retornasse

Pois que um dia o homem seria
Tão racional quanto um animal
Que jamais tiraria a vida em agonia
Ou mataria um ser igual

Compaixão tiveram eles, da triste sina do homem
E Deus atendeu-lhe as preces
Por isso hoje o homem
Se envergonha do que faz
E fala a verdade quando diz
Nós não somos animais

Os animais tiveram compaixão
Nós os homens, não.


Pense nisso antes de fazer mal a qualquer animal
Simone Nardi

Os desenhos " A Vingança dos Animais" foram cedidas pelo desenhista Renan Nuche, quero agradecer de coração a colaboração dele com essas imagens maravilhosas que expressam claramente o que o homem vem fazendo com os animais.
Obrigada Renan, e parabéns pelos belíssimos desenhos.



postado por 25452 as 12:47:46 1 comentários
segunda, 29 maio, 2006
Articulista da Folha on line erra de novo ao falar sobre animais

Olhem bem a imagem, se isso for bom para a Ciência, que Deus nos perdoe por existirmos e pelo que fazemos.

Articulista da Folha on line dá nova Gafe

Embora mostremos sempre aqui nesse Blog, como em outros , as atrocidades que acontecem dentro dos laboratórios científicos  diante da experiência animal, percebemos que ainda hoje, mesmo com o avanço da internet e dos meios de comunicação, algumas pessoas simplesmente desconhecem, ou acreditamos, fecham seus olhos para a realidade, ignorando os métodos alternativos e se mantendo nos tempos arcaicos dos antigos Duelos.

Assim como a Folha on line está permitindo que um de seus colunistas, sábio bacharel em filosofia venha a publico para fomentar o medo entre a sociedade e os protetores de animais.

Ele alega não ter dito, o que disse e está em sua coluna do dia 11, se diz ofendido, e o único erro que admite, entre muitos, é a grande besteira que falou sobre o fim do mundo caso as pessoas todas se tornassem vegetarianas, comprovando sua falta de conhecimento sobre esse assunto.

Ele usa meios conhecidos para falar sobre o que ele, particularmente ele, sente sobre o assunto, não o que realmente sabe.

É lamentável que a Folha deixe isso acontecer, vazar opiniões pessoais sem embasamento ético ou moral.

Por isso aqui vai meu pedido “Aos defensores de animais”

Vamos unir, mostrar que não somos pessoas que se preocupam somente com cães e gatos abandonados.A Defesa Animal não é apenas isso, é mais.Vamos mostrar que estamos unidos sempre, para o que der e vier.

Leiam, não tenham preguiça, a coluna da folha on line, onde o bacharel em Filosofia, coloca os defensores de animais como perigosos Homicidas.Sim, homicidas.Vocês que tiram cães da rua também, vale para todos.

Depois, com educação, mandem suas reclamações para o email da folha, solicitando que esse indivíduo se retrate das acusações.

Mande sua reclamação para :

http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/acidadeesua/reclamacao.shtml

 Se não nos unirmos para uma coisa tão simples, quem irá se unir quando tivermos que sair as ruas para combater a vivissecção ou coisas piores, que esse senhor é tão a favor???

Reitero que defender os direitos animais não é apenas recolher e doar cães e gatos, é também falar por eles e essa é a sua chance.

Para ler a coluna:

Natureza cruel
http://www1.folha.uol.com.br/folha/pensata/ult510u243.shtml

No meu flog  www.conscienciahumana.gigafoto.com.br já há duas cartas de protestos que eu e um amigo  enviamos, tanto para o filosofo que aprova a vivissecção como para a Folha , que permite que ao invés de arigos bem documentados, o articulista coloque apenas o sente em seu estômago, mas precisamos de muitas outras

Grata

Simone Nardi


postado por 25452 as 03:14:18 0 comentários
sábado, 27 maio, 2006
Mortos pela Ciência

Reportagem completa pode ser lida no site da Revista Época

http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT1199034-1655,00.html

Mortos pela ciência

Documentário analisa se é justo ou não matar cerca de 100 milhões de animais todos os anos para estudos e propõe alternativas

POR CRISTIANE SENNA

A utilização de animais na ciência é muito antiga, data de quando o homem queria entender a mecânica do corpo humano. Graças aos avanços tecnológicos e científicos, essa prática ficou ultrapassada, mas ainda é tida como padrão por instituições de ensino. Médicos, biólogos e demais profissionais da saúde devem, para a sua formação, passar pela vivissecção, ato de dissecar animais vivos. A partir do século 19, essa técnica foi intensificada e virou uma indústria.

Animais saudáveis criados em biotérios, lugares reservados nas instituições para criação de cobaias, ou mesmo pegos pelo Controle de Zoonozes de suas cidades, são submetidos - vivos - a técnicas de sutura, injeção de substâncias, queimaduras, indução de fome e estresse para que seus organismos sejam estudados.

Pensando no respeito e na compaixão para com esses animais, o Instituto Nina Rosa trabalhou durante um ano para produzir o documentário Não Matarás - Os Homens e os Animais nos Bastidores da Ciência. Nele, médicos, veterinários, biólogos, filósofos e especialistas no assunto debatem sobre o não uso de animais para fins educativos e científicos. 'Queremos informar e sensibilizar a sociedade para as crueldades embutidas na maioria dos bens de consumo e oferecer liberdade de escolha para consumidores que não querem patrocinar empresas que utilizam tais métodos', afirma a ativista e presidente do instituto, Nina Rosa Jacob.

No Ensino
O documentário narra as experiências às quais os animais são submetidos durante o processo de aprendizagem do aluno. Um claro exemplo do abuso praticado no curso de veterinária é a injeção de estricnina em ratos. Há séculos sabe-se que essa substância é um poderoso veneno, mas a experiência é repetida para que todos os alunos, a partir do segundo ano, vejam o efeito: convulsão e morte. Segundo ativistas, aulas como essas são consideradas rituais.

Thales Tréz, biólogo e professor da Universidade Federal de Alfenas, é representante da Interniche Brasil, organização que se ocupa da implementação de recursos substitutivos no cenário educativo, para formação de profissionais da saúde e biológicas. Tréz afirma que na educação existem vários recursos capazes de ilustrar os processos realizados em aulas práticas com animais. Tais processos podem ser classificados em vídeos, modelos e manequins, simulação em computador, utilização ética de cadáveres e tecidos animais, clínica médica com pacientes animais e voluntários, auto-experimentação do estudante, práticas laboratoriais in vitro e estudos de campo. Cada uma dessas categorias possui diversas aplicações e vantagens e, quando combinadas, oferecem mais abrangência e clareza do que o uso tradicional de animais, o qual por vez não dá certo e ocupa muito tempo da aula prática.

Um exemplo de sucesso na substituição de animais por meios alternativos de aprendizagem é a disciplina de Técnicas Cirúrgicas e Ortopedia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zoologia de São Paulo. Os animais utilizados são obtidos através do hospital veterinário da instituição. Neles, é injetada uma solução chamada Larssen, que preserva os cadáveres. Esses animais serão utilizados de 4 a 10 vezes durante um semestre, poupando a vida de, em média, 300 cães e coelhos por ano.

Em outras áreas
Em todos os produtos comercializados, sejam cosméticos ou remédios, há um rigoroso padrão de testes para evitar qualquer efeito colateral, intoxicação ou alergia. O que muitas pessoas não sabem é que a maioria deles é feita em olhos, pele e até no estômago de animais. Não Matarás se aprofunda no tema e aponta uma deficiência nessas experiências: elas não são totalmente seguras.

Seres humanos e animais são fisiologicamente distintos - inclusive os primatas. Certas espécies têm diferentes reações às mesmas substâncias. Exemplos que confirmam a afirmativa são mostrados no documentário. Em uma pesquisa, cachorros foram submetidos a inalar fumaça de cigarro durante meses, mas como reproduzir os efeitos cancerígenos em animais era muito difícil, pensou-se por muito tempo que o câncer não estava relacionado ao fumo.

Apesar de exaustivamente testada em animais sem nenhum efeito colateral relevante, a Talidomida, um sedativo receitado para mulheres que enjoavam na gravidez, provocou deformidade em mais de 15 mil fetos no final dos anos 50. 'Testes e experimentos baseados em animais podem ser resumidos da seguinte forma: os animais são sacrificados primeiro e, depois, são os seres humanos, devido aos erros induzidos pelos testes feitos nas cobaias', diz o vereador carioca do PFL Cláudio Cavalcanti. Ele foi criador de diversos projetos de lei promulgados no estado do Rio de Janeiro, como a criação de pronto-socorros veterinários 24h, proibição de circos que tenham animais como atração e a introdução da disciplina do Bem-Estar Animal nas escolas municipais. Seu mais recente projeto de lei - que proibia a vivissecção no estado - foi vetado pelo prefeito César Maia depois da reação da comunidade científica. Pesquisadores garantem que esses testes ainda são necessários e que suas cobaias são tratadas com o devido respeito, pois as pesquisas têm acompanhamento de comissões éticas.

Para finalizar, o documentário enfatiza que não é contra o avanço da ciência, mas da substituição de técnicas invasivas por métodos alternativos já existentes, como estudos in-vitro em culturas de células e tecidos, técnicas modernas de tumografia não-invasivas, estudos clínicos e epidemiológicos, uso de placentas para testes de toxicidade, estudo pós morte, entre outros.

Segundo Nina Rosa, a troca de recursos animais por alternativos ainda não se fez totalmente devido a dois fatores: o especismo, que é a discriminação baseada na espécie, ou seja, que supõe que membros de sua raça são superiores às outras, e o comércio da vivissecção, que envolve mais dinheiro do que se imagina

Para ver as imagens, saber sobre o documentário e ter acesso a todo conteúdo, acesse o site da revista:

http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT1199034-1655,00.htmlhttp://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT1199034-1655,00.html

Gostaria de parabenizar a colunista  Cristiane Senna e a Revista Época,pela coragem de mostrar a verdadeira realidade do que acontece com os animais dentro dos laboratórios.

Simone Nardi

A utilização de animais na ciência é muito antiga, data de quando o homem queria entender a mecânica do corpo humano. Graças aos avanços tecnológicos e científicos, essa prática ficou ultrapassada, mas ainda é tida como padrão por instituições de ensino. Médicos, biólogos e demais profissionais da saúde devem, para a sua formação, passar pela vivissecção, ato de dissecar animais vivos. A partir do século 19, essa técnica foi intensificada e virou uma indústria.

Animais saudáveis criados em biotérios, lugares reservados nas instituições para criação de cobaias, ou mesmo pegos pelo Controle de Zoonozes de suas cidades, são submetidos - vivos - a técnicas de sutura, injeção de substâncias, queimaduras, indução de fome e estresse para que seus organismos sejam estudados.

Pensando no respeito e na compaixão para com esses animais, o Instituto Nina Rosa trabalhou durante um ano para produzir o documentário Não Matarás - Os Homens e os Animais nos Bastidores da Ciência. Nele, médicos, veterinários, biólogos, filósofos e especialistas no assunto debatem sobre o não uso de animais para fins educativos e científicos. 'Queremos informar e sensibilizar a sociedade para as crueldades embutidas na maioria dos bens de consumo e oferecer liberdade de escolha para consumidores que não querem patrocinar empresas que utilizam tais métodos', afirma a ativista e presidente do instituto, Nina Rosa Jacob.

No Ensino
O documentário narra as experiências às quais os animais são submetidos durante o processo de aprendizagem do aluno. Um claro exemplo do abuso praticado no curso de veterinária é a injeção de estricnina em ratos. Há séculos sabe-se que essa substância é um poderoso veneno, mas a experiência é repetida para que todos os alunos, a partir do segundo ano, vejam o efeito: convulsão e morte. Segundo ativistas, aulas como essas são consideradas rituais.

Thales Tréz, biólogo e professor da Universidade Federal de Alfenas, é representante da Interniche Brasil, organização que se ocupa da implementação de recursos substitutivos no cenário educativo, para formação de profissionais da saúde e biológicas. Tréz afirma que na educação existem vários recursos capazes de ilustrar os processos realizados em aulas práticas com animais. Tais processos podem ser classificados em vídeos, modelos e manequins, simulação em computador, utilização ética de cadáveres e tecidos animais, clínica médica com pacientes animais e voluntários, auto-experimentação do estudante, práticas laboratoriais in vitro e estudos de campo. Cada uma dessas categorias possui diversas aplicações e vantagens e, quando combinadas, oferecem mais abrangência e clareza do que o uso tradicional de animais, o qual por vez não dá certo e ocupa muito tempo da aula prática.

Um exemplo de sucesso na substituição de animais por meios alternativos de aprendizagem é a disciplina de Técnicas Cirúrgicas e Ortopedia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zoologia de São Paulo. Os animais utilizados são obtidos através do hospital veterinário da instituição. Neles, é injetada uma solução chamada Larssen, que preserva os cadáveres. Esses animais serão utilizados de 4 a 10 vezes durante um semestre, poupando a vida de, em média, 300 cães e coelhos por ano.

Em outras áreas
Em todos os produtos comercializados, sejam cosméticos ou remédios, há um rigoroso padrão de testes para evitar qualquer efeito colateral, intoxicação ou alergia. O que muitas pessoas não sabem é que a maioria deles é feita em olhos, pele e até no estômago de animais. Não Matarás se aprofunda no tema e aponta uma deficiência nessas experiências: elas não são totalmente seguras.

Seres humanos e animais são fisiologicamente distintos - inclusive os primatas. Certas espécies têm diferentes reações às mesmas substâncias. Exemplos que confirmam a afirmativa são mostrados no documentário. Em uma pesquisa, cachorros foram submetidos a inalar fumaça de cigarro durante meses, mas como reproduzir os efeitos cancerígenos em animais era muito difícil, pensou-se por muito tempo que o câncer não estava relacionado ao fumo.

Apesar de exaustivamente testada em animais sem nenhum efeito colateral relevante, a Talidomida, um sedativo receitado para mulheres que enjoavam na gravidez, provocou deformidade em mais de 15 mil fetos no final dos anos 50. 'Testes e experimentos baseados em animais podem ser resumidos da seguinte forma: os animais são sacrificados primeiro e, depois, são os seres humanos, devido aos erros induzidos pelos testes feitos nas cobaias', diz o vereador carioca do PFL Cláudio Cavalcanti. Ele foi criador de diversos projetos de lei promulgados no estado do Rio de Janeiro, como a criação de pronto-socorros veterinários 24h, proibição de circos que tenham animais como atração e a introdução da disciplina do Bem-Estar Animal nas escolas municipais. Seu mais recente projeto de lei - que proibia a vivissecção no estado - foi vetado pelo prefeito César Maia depois da reação da comunidade científica. Pesquisadores garantem que esses testes ainda são necessários e que suas cobaias são tratadas com o devido respeito, pois as pesquisas têm acompanhamento de comissões éticas.

Para finalizar, o documentário enfatiza que não é contra o avanço da ciência, mas da substituição de técnicas invasivas por métodos alternativos já existentes, como estudos in-vitro em culturas de células e tecidos, técnicas modernas de tumografia não-invasivas, estudos clínicos e epidemiológicos, uso de placentas para testes de toxicidade, estudo pós morte, entre outros.

Segundo Nina Rosa, a troca de recursos animais por alternativos ainda não se fez totalmente devido a dois fatores: o especismo, que é a discriminação baseada na espécie, ou seja, que supõe que membros de sua raça são superiores às outras, e o comércio da vivissecção, que envolve mais dinheiro do que se imagina

Para ver as imagens, saber sobre o documentário e ter acesso a todo conteúdo, acesse o site da revista:

http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT1199034-1655,00.htmlhttp://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT1199034-1655,00.html

Gostaria de parabenizar a colunista  Cristiane Senna e a Revista Época,pela coragem de mostrar a verdadeira realidade do que acontece com os animais dentro dos laboratórios.

Simone Nardi



postado por 25452 as 12:04:52 0 comentários
segunda, 15 maio, 2006
Médicos ou Monstros

Médicos ou Monstros?

 

                  Semana passada, apesar da luta de várias entidades e protetores, aconteceu  uma coisa cruel que nos remete ao tempo da barbárie NAZISTA.Sim, onde se matava sem se importar, pois “aquilo” que se matava era “inferior”.E vimos isso novamente num congresso de videolaparoscopia em Goiás.

Tal como os “Menguellis” da vida, esses médicos, para aguçar suas práticas cirúrgicas, submeteram cerca de 200 animais a pelo menos três cirurgias e depois a pena de morte.Os animais, já há dez dias sem comer ou beber, aguardavam apenas seus carrascos para se verem livres desse sofrimento.

Não, se isso te fizer lembrar de algo não é mera coincidência.Muitas pessoas morriam de fome nos campos de concentração, as que não morriam eram submetidas a intervenções cirúrgicas e depois a morte.

Esses doutos da ciência alegam ainda, sim depois de séculos de aprendizado, que a morte de animais ainda é necessária para que se aprimorem as técnicas cirúrgicas. Passeando pela internet pode-se ver muitos deles alegando isso, por “preguiça” de buscar novas alternativas talvez, já que essas existem e se espalham por Países mais adiantados que o nosso.

E eu pergunto, repassando aqui, alguns trechos da carta que enviei a esses doutos, mas que não me foi respondida:

Até quando vamos ter de ouvir dos senhores que os animais são necessários para que os novos cirurgiões aprendam a trabalhar? Até quando vamos ouvir dos senhores que não existe outros meios?

Até quando os senhores querem nos fazer acreditar que um cirurgião que mata ou permite matar um ser vivo, tenha algum tipo de sentimento pela vida alheia?

Não acredito que nenhum dos senhores não tenha em casa um animal de estimação.Também não acredito que deixariam que ele fosse usado nesse curso de Imersão para formar cirurgiões que não respeitam a vida.

Claro que nesse País de grandes confusões, onde há leis de Maus-Tratos a animais, os senhores doutores obviamente conseguirão burlar a lei e mesmo assim, maltratar animais.

Ah, eles são anestesiados!

Que bom.

Depois são eutanasiados sem sentirem dor!

Que ótimo.

Por que então não trocar esses animais abandonados pelos que os senhores possuem em casa, por aqueles cães ou gatos com a qual presentearam seus filhos, já que não sofrerão nada, não há porque temer a troca.Por que não aprender em pacientes do SUS, que são talvez, inferiores aqueles que podem pagar um plano de saúde e tê-los como médicos? Não se consideram bons o suficiente para isso? Porque não buscar métodos alternativos. Por que são caros ou porque pensam os senhores, os animais são inferiores?

Quem será realmente inferior aqui?

Até quando vamos ter que agüentar pessoas dizendo que isso é preciso simplesmente porque não Querem buscar meios alternativos?

Sim, doutos senhores da ciência e da medicina, existem outros meios sim e há inúmeros países que os utilizam e nem por isso formam péssimos cirurgiões, caso contrário o Brasil seria o melhor de todos os Países em medicina, e não é o que vemos.

Sete dias de prática?

Sete dias de morte para os animais!

A segunda grande guerra durou cerca de seis anos, vocês mantém sua guerra particular por séculos. Isso é medicina? Matar para curar?Alguns “Menguellis” também pensavam assim, mudam os personagens, mas a maldade continua.

Sei, devem estar dizendo:

“Você daria sua mãe para um cirurgião que não aprendeu praticando em animais”.-Essa frase está na internet, podem procurar.

E eu, a meu ver, te respondo:

Sim daria, porque ele demonstrou sentimento e consciência ao buscar práticas alternativas, encarou o animal como um ser vivo digno de respeito e, se fez isso por um animal, o que não faria por um ser humano?

Pensem bem que o que estão fazendo não é aprendendo, a partir do momento que se tira uma vida, não se aprende nada, a não ser tirar uma vida.

Ah, porque são animais?

Se ensinássemos nossos filhos a respeitar o menor dos animais, com certeza ele se tornaria um homem que respeitaria o mundo. É disso que precisamos, de pessoas que respeitem a vida e não que passem por cima dela com a desculpa de aprendizado.

Essas vidas que vocês tiraram e que ainda irão tirar são únicas.

Únicas.

Lembrem-se disso quando chegarem em suas casas e seus cães ou gatos vierem agrada-los.Lembrem-se disso quando verem seus filhos rolando no tapete com seus animais de estimação.

A vida deles é única e quem as tira é tão ou mais culpado como quem os abandonou.

Não matarás, é um dos mandamentos de Deus e Ele não frisou:

Não matarás apenas os homens

Pensem nisso com o coração e com a razão e se ainda conseguirem, daqui pra frente, tirar a vida de um animal, que Deus os perdoe pelo crime que cometeram contra Ele.

Lembrem-se que precisamos de médicos e não de monstros.

Simone Nardi

 

Você que leu o texto e é contra esse tipo de experiência, mande um texto para o blog, email de.nardi@ig.com.br com o título Médicos ou Monstros, os melhores textos estarão no blog , participe dessa luta, vamos acabar com a crueldade para com os animais.

Um grande abraço

Simone Nardi



postado por 25452 as 02:59:39 1 comentários
terça, 09 maio, 2006
Uma Vida Em Preto e Branco

Uma Vida em Preto e Branco

Assista ao vídeo depois de ler

http://www.youtube.com/watch?v=IhnaTEzGIKs

Seu filhote vai crescer e sua casa talvez se torne pequena

Seu filhote vai se tornar adulto e você sabe

Os adultos sempre envelhecem

E alguns até adoecem

Algum dia você vai querer mudar

Para um lugar mais apertado, mais longe

E não terá lugar para ele

O que vai fazer?

Talvez a única coisa que aprendeu na Vida

Abandonar

Abandonar, desistir, ceder

São as coisas pelas quais você vive

Sem se importar com o que acontecerá

Você sempre opta pelo mais fácil

Fácil para você

Mas como será para ele?

Quem se importa?

Se ele irá viver ou morrer, você nem liga

Para você ele deixou de ser aquele filhote

É apenas um empencilho

Que te proíbe de viajar, que te proíbe de ser você

É mais fácil larga-lo do que deixa-lo viver

E você segue, sem amargura, sem arrependimento

Ele é só mais um entre tantos

Andando nas ruas, assustado, sozinho

Entre tantos que tiverem alguém tão vazio como você

Daqui há alguns anos, você nem se lembrará mais dele

Vai olhar outro filhote e recomeçar seu sadismo

Vai vê-lo crescer, se tornar adulto e quando ele envelhecer

Vai fazer o mesmo que sua consciência cega lhe ensinou

Abandonar

Porque sua mente limita vê tudo em preto e branco

E você acha que tudo é cinza como você

Você não dá valor a vida, nem a sua nem a dele

Transfere sua cegueira para ele

Sua covardia para ele, sua hipocrisia para ele

Você o viu crescer, e jamais irá ver como ele irá morrer

Nos olhos dele a saudade

De alguém tão sem sentido

No coração a esperança, de poder vê-lo talvez mais uma vez

Mas você não estará lá

Porque mesmo a sua vida, não tem mais sentido.

Simone Nardi

 Assista ao Video: Uma Vida em Preto e Branco

Link

http://www.youtube.com/watch?v=IhnaTEzGIKs




postado por 25452 as 04:19:15 2 comentários
Cuidado Com o Cão

Cuidado com o Cão

Essa é a frase que se vê nas casas, nos portões, nas grandes empresas

Pit Bulls, Rottweilers, Pastores, Dobermans, de focinheiras

Leis de extermínio, holocausto total

Ataques, ferimentos, mortes

Animais ferozes, seres bestiais

Nascem tão pequenos e indefesos

Delicados como todo filhote

Crescem, abrem os olhos pela primeira vez

Dentinhos de leite que caem dando lugar a poderosas presas

Hora de arranjar um dono que lhe amor e carinho

Tão lindo, tão pequeno

Fome, frio , confinamento

Dor, isolamento, solidão

Instigação, tormento, tristeza

Em cão de briga o transformam

Os levam a rinhas, batem, humilham

O sangue escorre, o ferimento abre

Feridas expostas, dor e morte

Alivio, sossego, paz

Cuidado com o cão.

Dê-lhe amor, não lhe traga dor

Cuidado com o cão

Dê-lhe carinho, não confinamento

Cães não são ferozes, seus donos são

São cruéis, ignorantes, impotentes

Vêem no cão o que falta neles

Coragem, dignidade, valentia, amor

Cuidado com o cão, não

Cuidado com o homem

Só ele é capaz das maiores atrocidades.

É essa a verdade dos cães ferozes,

Por trás deles há sempre um doente

Louco e sádico

Cuidado, muito cuidado com o homem.

 

 

Simone Nardi



postado por 25452 as 03:47:47 2 comentários
Consciência Humana

Image Hosted by ImageShack.us
LUTANDO POR UM MUNDO MELHOR.

"Blog criado para despertar nos homens,a consciência de que eles são o meio ambiente onde habitam. Preservar o Meio Ambiente, é preservar a vida na Terra!"



TRATAMENTO ESPIRITUAL DE ANIMAIS


O Grupo Fraternal Francisco de Assis realiza o tratamento espiritual de animais todos os Sábados às 14hs, a Casa se localiza na Estrada Galvão Bueno,n° 5143, Bairro Batistini, SBC, SP. Aconselha-se chegar pelo menos meia hora antes"
Grupo Fraternal Francisco de Assis

Informativo GFFA- Fevereiro 2011

Informativo GFFA- Março 2011




Grupo Irmãos Animais fica localizado na rua Força Pública,268278. Bairro Carandirú ,SP, e os trabalhos se realizam todas as segundas às 20hs, mais informações somente através do email: irmaos.animais@terra.com.br."




A Assema realiza o tratamento espiritual de animais durante toda a semana, os horários podem ser vistos no site da Associação,ela está localizada na rua Manoel de Moura, n°63, Pq Vitória, Tucuruvi. SP."
Associação Espírita Amigos dos Animais




O CELE realiza o tratamento espiritual de animais todas as terças feiras, esse tratamento é somente realizado a distância."
Centro Espírita Luz da Esperança de São Francisco de Assis




A Casa do Caminho realiza o tratamento espiritual de animais todos os Domingos às 16hs, mais informações através do email: passesemanimais@yahoo.com.br."
Associação Espírita Kardecista Casa do Caminho




"PALESTRAS ESPIRITAS SOBRE ANIMAIS"


"Notando a grande dificuldade de algumas pessoas, dentro do movimento espírita, ao iniciarem o trabalho de tratamento espiritual de animais, principalmente no que tange a palestras evangelizadoras sobre o tema, estou disponibilizando alguns modelos de Palestras que já foram realizadas no GFFA. A maioria das Palestras postadas abaixo são baseadas no Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, e todos os ensinamentos foram retirados do Livro dos Espiritos."

Antropocentrismo, a visão humana: Um breve passeio pela história
A Missão do Homem Inteligente na Terra
Cólera, filha do Orgulho, Gatilho da Violência
Não Julgueis para não serdes julgados




Uploaded with ImageShack.us




ARTIGOS ACADÊMICOS SOBRE ANIMAIS

Mito da Caverna
Filosofia Antropocêntrica ou Filosofia Pela Vida?
Abolição sim, Segregação jamais
A Missão Pedagógica da Filosofia Rumo a Libertação Animal
Ensaio Sobre a Cegueira
As Plantas
Esquecendo o Antropocentrismo Filosófico
Nosso Antropocentrismo de Cada dia
A Cultura da Frieza e da Indiferença: Um Grito pela Liberdade
Descartes, a “Razão sem Razão”: Crítica ao Automatismo Animal
Quem são os Oprimidos? Uma Questão de Alteridade
Ética e Moral
Construção e Libertação da Consciência




Artigos - Animais x Religião


Colunistas- Feal - Animais nossos irmãos


Vídeos sobre Animais

A Vingança de Gaia
Propaganda Gratuíta
Os Bárbaros do novo Século
Quer Adotar?
Qual Será o Futuro?
Nuvens Passageiras
Aprenda a Amar
Uma Vida em Preto e Branco
Olhar da Solidão
Um Sonho de Liberdade
Sobre Abandono de Animais
Animal Cruelty
Sobre Pit Bulls
Direitos Animais-Não fique indiferente
Dance Macaco,Dance



Artigos - Animais x Religião - Outros Colunistas

Reencarnação de Animais
Eutanásia Animal
Castração de Animais
Dor nos Animais








Métodos Alternativos Para Testes e Aprendizado
InterNich Brasil
Frente Brasileira p/Abolição da vivissecção




:: LINK-ME ::Conciência Humana




Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Nós não precisamos de jaulas maiores,
precisamos de Jaulas Vazias!
Tom Regan


Palavras-Chave
>> Cão
>> cuidado
>> responsável
>> abandono
>> pit
>> bull

Visite a página da Associação Pró-Carnívoros
Favoritos
PONTALNEWS "NO AR SITE OFICIAL PONTALNEWS.COM"
ASSOCIAÇÃO PROTETORA DOS ANIMAIS DE VALINHOS
mais...

adicionar aos meus favoritos



RESPEITE A VIDA, QUE A VIDA RESPEITARÁ VOCÊ



Posts Anteriores
>> IRMÃOS ANIMAIS - CONSCIÊNCIA HUMANA
>> NOVO BLOG
>> Incoerências de uma vida incoerente...
>> IRMÃOS ANIMAIS ?
>> Almoço beneficente
>> Tratamento Espiritual de Animais
>> QUAL A COR DA CARNE QUE VOCÊ COME?????
>> SANDUICHE NATURAL????QUANTA ABOBRINHA...
>> TEM COISA PIOR?.....
>> SO RINDO MESMO...

Arquivos
2013, 01 agosto
2012, 01 junho
2011, 01 novembro
2011, 01 março
2010, 01 outubro
2010, 01 julho
2009, 01 julho
2009, 01 março
2009, 01 fevereiro
2009, 01 janeiro
2008, 01 dezembro
2008, 01 novembro
2008, 01 agosto
2008, 01 fevereiro
2007, 01 dezembro
2007, 01 outubro
2007, 01 agosto
2007, 01 julho
2007, 01 junho
2007, 01 abril
2007, 01 fevereiro
2007, 01 janeiro
2006, 01 dezembro
2006, 01 outubro
2006, 01 setembro
2006, 01 julho
2006, 01 junho
2006, 01 maio

59145 acessos

Image Hosted by ImageShack.us
Obrigada por visitar o meu Blog.Volte sempre, os animais precisam de amor. Simone Nardi


Image Hosted by ImageShack.us


PETA2.com


Image Hosted by ImageShack.us



Image Hosted by ImageShack.us

 Links & Sites

CRIAR BLOG GRATIS   
..