O LIVRO DE RENESMEE ou LUA CHEIA
O LIVRO DE RENESMEE ou LUA CHEIA

quarta, 09 setembro, 2009
Continução do Capítulo 5

Ele riu sutilmente, ele parecia não se importar muito com a idéia da transformação. Na verdade eu acho que o que incomodava ele era o fato da transformação ficar permanente.

-O que vem depois? Transformação em morcego?

Como Jacob estava se adequando aquela bizarra idéia de transformação? Ele era realmente incrível. Ou era coisa da impressão?

-Jake, por que você nunca me disse que havia tido impressão comigo? Por que me esconder?

Ele ficou serio e me encarou, seu olhar estava especulador e acusativo, como se dissesse “Quem te contou?”. Eu esperei paciente sua resposta.

-Bem, eu achei que você não ia querer que uma impressão estúpida tirasse seu direito de escolha, embora eu soubesse que seria difícil você não querer ficar comigo.

Eu soquei-o no ombro.

-Au!-ele gemeu, exagerando.

-Convencido!-eu atirei, pois pra mim aquela história de impressão era novidade, eu não sabia muito bem como funcionava.

-Não estou sendo convencido, apenas sei que esse negócio de impressão não deixa a pessoa escolhida com muita opção, ela sempre acaba se apaixonando pelo lobo que teve a impressão.

-Hum... Então nesse caso eu gosto de você por causa da impressão?   

 Minha pergunta teve um tom afirmativo que fez ele sorrir de repente.

-Bem, não só, tenho certeza que minha beleza e o meu charme ajudaram a te convencer.

Eu gargalhei, era tão bom ficar assim com Jacob, como era bom ter alguém só pra mim, que cuidasse e me amasse. Nossos olhares se encontraram e ele não perdeu a chance. Prendeu minha face entre suas quentes e grandes mãos e levou-a de encontro a sua.

Novamente eu senti seus lábios macios e calorosos nos meus, que agora tremiam um pouco. Por um momento ele ficou urgente e fez o beijo ficar rápido, eu acompanhei o ritmo dele, mas logo ele já tinha saído da minha boca e percorria meu pescoço, beijando-o suavemente. Uma onda de arrepios tomou meu corpo, eu levei minhas mãos ao seu cabelo curto e comecei a acariciá-los.

Porém um barulho na porta fez com que parássemos, era meu pai.

Nos separamos como se tivéssemos sido eletrocutados, eu e ele encostamos na Ferrari e ficamos olhando para o chão, de mãos dadas, Jacob sussurrou algum xingamento ao meu pai, mas eu não fiz questão de ouvir. Edward entrou sem dizer uma palavra, mas tinha um sorriso irônico no rosto, ele devia estar ouvindo nossos pensamentos agora.

Jacob e eu o olhamos ir até o Volvo e apanhar sua pasta, quando ele ia saindo se virou e nos encarou, nos mirou por alguns instantes e atirou:

-Acho melhor vocês entrarem, Bella está querendo vir até aqui e eu não acho boa idéia vocês ficarem aqui em baixo sozinhos.

A cara de meu pai não poderia ser mais sutil, ele disse a frase com um sorriso torto nos lábios, se ele corasse, com certeza estaria rubro.

-É... Nós já estamos indo. -Jacob falou olhando pra minha cara e rindo por baixo do fôlego.

Meu pai saiu sem olhar pra trás e, antes de nós o seguimos, Jacob ainda me roubou um beijo que demorou mais do que o esperado, ele parecia querer prolongar só para tirar meu pai do sério. Jacob não tomava jeito, sempre tentando causar ciúmes em meu pai.

-Aff... Vamos lá... Enfrentar a vida real de novo. -eu disse tomando fôlego. Jacob gargalhou e segurando minha mão, me arrastou até a porta.

Não dissemos uma palavra até entrarmos na casa de Carlisle. Eu sabia que todos iriam me zoar, e logo tio Emmett estava deitado no sofá, com a cabeça repousada no colo de tia Rosalie.

Foi certo como 2 e 2 são 4, tio Emmett gargalhou extravagantemente, quando eu entrei, toda corada, na sala, de mãos dadas com Jacob.

-Ei, lobo! Edward acabou com a brincadeira, ein?-ele perguntou irônico, tia Rosalie riu quando Jacob rosnou para Emmett.

-Então, fizeram as pazes?-tia Alice estava vindo da copa com tio Jasper ao seu lado.

-Nós não brigamos!-Jacob falou olhando sério para a expressão confusa de tia Alice.

-É... Claro que não! Só perguntei por perguntar! Você vai ficar para o jantar? Estamos indo caçar uns quadrúpedes, se quiser vir...

Agora ela estava encostada na escada, nos olhando, parados em frente da porta.

-Hum, acho que não. Daqui a pouco tenho que voltar para La Push, ainda estamos em alerta por lá...

Jacob agora estava sério.

-Jacob! Era sobre isso que eu gostaria de conversar com você. -era vô Carlisle, vinha descendo as escadas junto com vó Esme.

-Boa noite, Jacob!-ela disse, sem perder a educação.

-Boa noite!-a voz de Jacob estava um pouco irônica, mas Esme fingiu que não percebeu, quando ela estava na sala veio me abraçar.

-Oi, vovó!

-Oi, meu bem. Soube do que aconteceu, que tristeza!-ela suspirou e eu olhei para o chão, eu e Jacob ainda estávamos de pé na porta.

-Por favor, Jacob, venha até a mesa da copa, tenho algumas perguntas.

-Claro.

Jacob soltou minha mão, porém eu acompanhei os dois. Meu pai e minha mãe logo se juntaram a nós. O assunto era realmente sério.

-Vocês reconheceram o cheiro do vampiro?-Carlisle perguntou.

-Não era familiar a nenhum de nós, até Sam foi lá para tentar ver se reconhecia, mas ele também não reconheceu.

-Bem, e onde é esse lugar?-meu pai quis saber.

 -É na floresta da reserva, ao norte. Está misturado com a vegetação e também é bem sensitível no local onde achamos Sarah caída.

-Sarah é a outra garota lobo?-minha mãe perguntou num tom de admiração. O rosto de Jacob se contraiu, e ele apenas gesticulou um sim com a cabeça.

-Você consegue nos levar até lá?-meu pai quis saber, claro que ele não queria me deixar aqui com Jacob enquanto toda a família ia caçar. Sempre meu pai!

-Acho que sim. -claro que Jacob ia levá-los lá, até por que a pergunta de meu pai foi meio desafiadora.

-Então o que estamos esperando?-tio Emmett estava em pé olhando para nós sentados na mesa. Todos nós levantamos e saímos da casa, Jacob foi na frente. Ele não se transformou em lobo, o que nos perturbou, mas mesmo assim ele era bem rápido, corria lado a lado com meu pai.

Todos nós corremos em direção à trilha que o cheiro de Jacob deixou pra trás. Não demorou muito e já estávamos na reserva indo em direção ao norte, como o próprio Jacob nos disse. Também não demorou muito e nós estávamos cercados por lobos, só não senti o cheiro da loba que me atacou. Leah também não estava no bando.

-Por que Jacob não se transformou?-eu escutei minha mãe perguntar ao meu pai.

-Ele não pode, está se recuperando de um ritual quileute. -meu pai disse por baixo do fôlego.

Perto de onde paramos, havia uma moita de samambaias, ali o cheiro da tal Sarah estava forte, também tinha o cheiro de sangue e outro cheiro, o do vampiro.

Meu pai puxou o ar com gosto e soltou lentamente, vô Carlisle também fez o mesmo.

-É meio difícil sentir o cheiro de algo com tantos lobos fedorentos ao redor. -tio Emmett chiou com o nariz retorcido.

Ninguém deu atenção a esse comentário a não ser pelos rosnados ocultos na escuridão da floresta. Era uma noite sem lua, o que deixava tudo mais escuro.

-Não pode ser!

-Impossível!

Meu pai e Carlisle sufocaram ao analisar o cheiro.

-É ele mesmo!-tia Alice concordou.

-Mas ele não tinha sido trucidado pro Demetri?-tio Jasper perguntou incrédulo.

-Era pra ter sido. Será que ele conseguiu escapar?-tia Alice disse.

-Isso é possível, Edward, quer dizer, alguém escapar de Demetri?-minha mãe perguntou encarando meu pai.

-Eu pensei que não.

Mas afinal de quem era o cheiro? Eu puxei o ar e tentei buscar na minha memória algo parecido e encontrei. Joham! O pai de Nahuel, aquele que trouxe uma criança como eu para minha família criar, que Demetri estava perseguindo. Mas meu pai tinha dito que Demetri o tinha matado. Como ele escapou?

-Não pode ser. Isso é ilógico, Demetri não se fracassa nunca. -meu pai estava confuso e pegou um ramo da samambaia e cheirou.

-Mas pode estar havendo uma coincidência aqui. -Carlisle estava tentando arranjar uma explicação para um fato tão inusitado-Ele pode ter sido morto por Demetri aqui ou ter passado por aqui. Vocês não perceberam nenhuma movimentação desse tipo em suas rondas, Jacob?

-Não, quer dizer, perto da fronteira das nossas terras até sentimos um cheiro diferente do de vocês, mas eu me lembrei desse tal vampiro que naquele dia Alice disse que estava vindo e eu não dei importância. -a expressão de Jacob ficou um pouco decepcionada com sua atitude.

-Seria coincidência demais, Carlisle. Até por que não tinha como um cheiro ficar tão impregnado assim a não ser que Demetri o tivesse destruído nesse local. -meu pai apontou para as samambaias.

-Onde esta a garota lobo? Temos que conversar com ela. Só ela poderá nós dizer como foi esse ataque. -Carlisle parecia bem decidido.

-Eu não acho uma boa ideia. Ela não gosta muito de vampiros e eu nãos sei se ela vai querer falar com algum de vocês. -Jacob falou me olhando e me fazendo lembrar do ataque que eu havia sofrido pela loba.

-Isso é mal.-Carlisle suspirou.

-Bem, a solução temporária para esse infortúnio seria você, Jacob, buscar mais informações junto a essa garota. Tente descobrir como foi o ataque e como era o perseguidor. Isso nos ajudará muito!

Jacob apenas acenou com a cabeça e virou-se para a floresta, chamando Seth. Logo o lobo cor de areia estava ao seu lado. Ele fez algumas perguntas sobre a ronda, enquanto essa cena se passava, tio Emmett e tio Jasper deram algumas voltas por La Push, tentando encontrar um rastro,uma pista, mas nada.

Resolvemos desistir por enquanto e a família Cullen voltou para casa. Jacob assegurou a Carlisle que falaria com Sarah e descobriria o máximo possível, só assim ele ficou mais descansado. Antes de partir, com todos indo em frente, Jacob me segurou, seus olhos mirando cada Cullen que sai floresta a fora, até estarmos absolutamente sozinhos. Acho que nem os lobos estavam mais lá.

O silêncio estava emanando tranquilidade, só o vento frio que balançava as folhas quebrava a paz do momento. Eu fiquei nervosa quando, na escuridão, ele me puxou contra seu peito quente e ficou só me olhando.

-Ok, que história é essa de que você está de recuperação e não poder se transformar em meu lobo?-eu falei, minha voz tremendo, quase saiu como um sussurro. Jacob gargalhou, meio baixo, mas soou alto demais no silêncio da noite.

-Ah! É sua forma de lobo? Pensei que sua transformação fosse de vampiro!-ele disse ainda rindo.

-Ei! Quem te disse que eu sempre posso me transformar em vampiro? Não sou como os lobos, tá!-eu falei virando o rosto.

-Ué, eu pensei que era você que estava na garagem escutando a conversa entre eu e Bella. -que droga, ele descobriu! Mesmo eu tendo todo aquele trabalho para não ser percebida. Eu corei e agradeci aos céus por ser uma noite tão escura, se não minha cara teria me dedurado.

-Bem, você não respondeu minha pergunta. -eu estava tentando mudar de assunto rápido, antes que eu acabasse confessando meu crime.

-É só mais uma das muitas coisas estranhas que nossa tribo guardou. Uma espécie de transfusão de vitalidade, coisa muito impressionante!-ele falou e eu notei uma pontinha irônica em sua exclamação.

-Mas, para que serve isso?

-Para salvar pessoas a beira da morte, que estão com o pé na cova. -ele riu, mas eu não entendi muito bem. Foi então que eu liguei os fatos. Depois do meu confronto com a garota lobo, ela deve ter se machucado pra valer, ela devia já estar fraca com o ataque e eu ainda reagi daquele modo com ela. Então, Sarah devia ter estado à beira da morte e Jacob fez a tal transfusão de vitalidade.

Eu era a culpada de tudo, como sempre. Mas o que estava me doendo agora era meu ego, um ciuminho infantil invadiu meu coração, me fazendo ficar um pouco irritada. Como eu conseguia isso? Eu sabia que era a culpada da transfusão, mas mesmo assim eu tinha ciúmes do que Jacob fez para salvar a tal Sarah.

-Nessie? Você esta me ouvindo?-realmente, eu não tinha ouvido mais nenhuma palavra, eu me desliguei para imaginar como foi a tal transfusão e nem ouvi mais o que Jacob havia dito.

-Eh...Me desculpe, Jake, eu viajei! O que você estava dizendo?

-Eu estava te contando como foi a transfusão. -ele parecia irritado com minha falta de atenção.

-E como foi?-eu fiquei empolgada agora, até pra disfarçar minha fugida de antes.

-Ok, não viaje novamente! Nós encontramos Sarah na floresta baleada e mordida pelo vampiro. Então nós a levamos para Conor, velho curandeiro da nossa tribo, e ele me mandou fazer uma transfusão de vitalidade. Foi estranho, parecia que minha alma estava escorrendo do meu corpo. -ele agora tinha soltado minha cintura e estava passando as mãos por seus longos braços. Então não fui eu quem fez Sarah ter que fazer a tal transfusão? Ótimo!

-Hei, se não fui eu, por que a Sarah caiu no chão tremendo  daquele jeito?-encarando ele, eu notei que sua cara na escuridão aparentava sinais de estar confusa.

-Bem, como eu te disse eu não me transformei em lobo por causa da transfusão e Sarah também não podia se transformar. Foi por isso que lá na floresta ela caiu daquele jeito. Era o efeito colateral da transfusão. Por quê? Você pensou que foi você que tinha feito aquilo?

-É, eu pensei!-Jacob riu.

-Nessie, ela não é tão fraca assim... -ele disse me puxando de volta para seus braços.

-Como você sabe?-eu perguntei mais desconfiada ainda.

-Pela transfusão... É uma coisa estranha, você parece que está saindo do seu corpo... E passando para o de outra pessoa.

-E você viu?-minha curiosidade queria perguntar outra coisa, mas eu estava com vergonha de parecer ridícula.

-Eu não podia abrir os olhos, eles estavam pregados. Eu só sentia uma coisa fria passando por meu braço, indo até a ponta dos meus dedos e entrando em Sarah. -quando ele falou o nome dela com tanta casualidade, eu senti o ciúme pressionar ainda mais forte meu coração.

E ele estava mais forte porque não tinha sido eu a culpada da transfusão, então não havia remorso nem dor na consciência que segurasse aquele sentimento bobo.

-Mas... Você fez a transfusão na forma humana?-tentei fazer a pergunta sair natural.

-Claro!

 -E você encontrou Sarah na forma de lobo?-continuei com o tom assimétrico, me esforçando ao máximo para não parecer que eu estava tendo uma crise de ciúmes.

-É, ela estava. -ele pareceu desconfiado então eu recuei, mas minha curiosidade era mais forte e meu ciúme também.

-E a transfusão foi feita nela como lobo? Quer dizer, ela estava na forma humana desacordada ou como lobo, desmaiada?

Jacob riu e pensou um pouco. Esse seu êxito me fez ficar ainda mais desconfiada, confirmando minha suposição.

-Nessie, você quer saber o quê exatamente?-ele estava me encarando, e eu sabia que estava corando. Jacob era esperto e passou as suas mãos por minhas quentes e provavelmente, rubras bochechas, rindo baixinho e sussurrando em meu ouvido a pergunta que não saiu da minha boca.

-Você quer saber se eu vi a Sarah sem roupas?-eu tremi, e senti minhas pernas fracas. Meu coração disparou e, sem a menor desfaçatez eu falei tremendo e piscando, com a cara olhando o chão:

-Sim...-minha voz pareceu um sopro.

Jacob riu alto, quebrando o silencio da floresta. Eu coloquei minha cabeça em seu peito quente, tentando esconder a cara de vergonha. Parecia ridículo perguntar aquilo.

-Nessie, eu não vou mentir... -ele me avisou confirmando minhas suspeitas.

-Vá em frente, perguntei por que quero saber. -falei sem humor ainda com o rosto em cima de seu tórax.

-Foi inevitável, ela se destransformou na minha frente, mas eu não vi tudo. Ela estava deitada de costas, mas deu pra ver o... -interrompi sua fala com um soco no estômago.

-Ow!-ele gemeu.

-Sem detalhes, ok?!-eu disse.

Ele suspirou, e ergueu seu rosto, olhando o céu escuro.

-Nessie, a impressão, lembra? Não vejo mais as garotas...

-É, mas você viu ela direitinho, não foi? –falei sem demonstrar agressividade na minha voz. O momento não era pra isso.

-Isso tá me cheirando a ciúme...

Jacob voltou seu olhar para mim, que estava mirando seu queixo fino e perfeitinho. Simplesmente olhei-o. Era ciúme sim e o quê eu poderia dizer?

-Foi só curiosidade. -menti desviando meu olhar.

-Rum... Sei. -ele bufou, não acreditando em minha negação.

Um vento frio passou suavemente na floresta, tremi com o contato e Jake percebeu. Me abraçou fortemente contra seu tórax febril e seu calor logo aqueceu meu corpo, que começou a se arrepiar com a proximidade daquele musculoso corpo.

-Engraçado o que você sente quando está perto de mim. –Jacob disse passando a mão no meu braço arrepiado.

Permaneci quieta, sentindo o calor percorrer minha pele. Jacob passou seus grandes dedos por meu cabelo e parou sua mão na minha nuca. A mão que estava na minha cintura, me prendendo contra seu corpo, veio para meu queixo, erguendo meu rosto, para encarar o seu.

Senti meu coração saltar quando sua respiração ficou perto do meu rosto. Meu corpo começou a tremer, minha pele a se arrepiar, e os lábios de Jacob a se aproximar dos meus. Suas mãos desciam até metade das minhas costas, e sua boca calidamente pressionava a minha, em um longo o beijo.

Meus batimentos foram acelerando e Jacob foi percebendo e parou por um minuto, beijando minha bochecha e rindo de mim.

Jake me abraçou e ficamos assim, eu me aquecendo em sua pele quente. Até que novamente me senti forte o suficiente para encará-lo e beijar seus lábios novamente.

Quando finalmente o beijo se encerrou, eu olhei em volta e me lembrei da minha casa, da minha família. Jacob bocejou, devia estar cansado. Mesmo não podendo se transformar em lobo, seguir seu bando como humano devia ter dado um enorme trabalho.

-É... Já é um pouco tarde. Acho melhor eu ir indo, antes que meu pai apareça... -falei me libertando dos seus braços.

-Eu adoraria... –Jacob me puxou e colocou sua boca no meu pescoço, fungando.

-É sério, Jake. Você não gostaria de ter meu pai aqui... -tentei novamente me libertar.

-Você quer ir?-com uma cara pidona, que eu imaginei pelo tom de voz, ele disse me encarando.

-Oh! Eu? Bem... Por mim ficava o resto da noite aqui, mas é sério, tenho que ir o sono nos chama. -falei bocejando.

-Tá... –ele disse colocando os lábios em minha bochecha e beijando-a.

-Por favor... Se você não me soltar vai ficar difícil... –falei sem forças pra me soltar daquele abraço de urso.

-Se você quer...

Jacob me soltou e ficou ligado a mim apenas pela mão. Quando dei meus primeiros passos, voltei, só fui até onde seu enorme braço deixou. Ele me puxou de volta e com um fervoroso beijo, me deixou partir, definitivamente.



postado por 121594 as 10:57:42
12 comentários:

pollyanna farias:
Oi, gostei muito da história, gostaria de saber de alguem tem o início do capítulo 6 e se oderia mandar o restoda história pro meu email, Obrigada.
pollyannaraissa@yahoo.com.br
29/08/2010 18:05:16
Bela:
Alguem tem o capitulo 4 ??? e alguem sabe quem escreveu ??? o livro só vai até o capitulo 5 ???
bjs
12/07/2010 22:21:34
Bela:
Nossa Gente ! Muito bom ! Alguem sabe quem escreveu ??? esta de parabéns ! Ficou muito perfeito até agora !
*-*
12/07/2010 22:18:34
thami:
kara essa historia e linda de mais
daria um otimo filme
11/07/2010 19:35:36
Thayne:
É liindoo....... fkeroo ver logo o finall.. deve ser muito romantico.. AMEII!!
01/04/2010 17:24:48
Camilla ;):
Não eh possivel , foi a stephenie meyer quee feez neeh? Eh tãao perfeito -*----------------*
19/02/2010 16:00:21
Vanessa:
Oh querida! Atualize logo... tô morrendo de curiosidade!!!! Sua história tem potencial. Bjssssssss
13/01/2010 20:02:26
Vanessa:
Oh querida! Atualize logo... tô morrendo de curiosidade!!!! Sua história tem potencial. Bjssssssss
13/01/2010 20:01:25
Larissa quileuturi:
ameei!!! muitoo ótimo!! *-* .......bom d-e-m-a-is !!!
30/11/2009 12:11:06
aniinha:
tah mto perfeitooo
ain *--*
to esperando o proximo post
continua
26/11/2009 20:31:24
Bruna:
Concordo plenamente com a Natascha!!!
Continue
vc tem muito futuro!!!
01/11/2009 12:20:42
Natascha:
Que tipo de pessoa loka é você que faz uma pérola dessas e não divulga karan??

Que lindo... to loka pra continuar lendo...
vô fazer divulgation lá na escola que tá todo mundo com fome de continuação... tá muito lindo msm...

Escreve mais, mais i mais!!

bjunda!!
www.cantinhodalolly.blogspot.com
05/10/2009 21:15:47
Comente este post
Início
Perfil
121594
Meu Perfil

Meus Links
>> Blog Grátis
Criar Blog
Manta Absorvente de Óleo
Hoteis

Palavras-Chave
>> Cont
>> cap5

Favoritos
Continuação do Livro de Renesmee
O LIVRO DE RENESMEE ou LUA CHEIA
mais...

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
Não há comunidades.

Posts Anteriores
>> Capítulo 6
>> Continuação do Capítulo 6
>> Continuação do Capítulo 6.2

Arquivos
2011, 01 fevereiro
2010, 01 abril
2010, 01 janeiro
2009, 01 dezembro
2009, 01 novembro
2009, 01 setembro
2009, 01 agosto
2009, 01 julho
2009, 01 junho

105497 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..