pupilavirtual
pupilavirtual
segunda, 06 agosto, 2007
Game para deficientes visuais valoriza a audição


"Onae, a aventura de Zoe" é um jogo de aventura criado em cinco idiomas: castelhano, catalão, galego, basco e inglês - produzido pela Vector Animado.

Em relação aos outros jogos desenvolvidos para portadores de deficiência, este é o primeiro em que qualquer pessoa, possuindo ou não o sentido da visão, pode competir, graças à tecnologia tridimensional utilizada, disse Eugenio Pérez, diretor do departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Cidat-ONCE (Organização Nacional de Cegos Espanhóis). A Cidat-ONCE já expôs o jogo em caráter experimental e deve começar a comercializá-lo no segundo semestre.

"O jogo permite que vários irmãos, com ou sem visão, joguem", diz Paco Vázquez, um dos criadores do game e que destaca o elemento integrador como uma vantagem para romper o isolamento de portadores de deficiências visuais.

Segundo Vázquez, até agora havia muitos jogos para estes usuários em duas dimensões. No game, a personagem Zoe é uma jovem estudante de geologia que trabalha em uma mina recolhendo amostras e que, no meio de um terremoto, vai parar em um mundo povoado por uma civilização desconhecida.

Ela, então, é obrigada a cumprir várias provas para sair desse outro mundo. Para isso, os efeitos sonoros são potencializados ao máximo, diz o diretor do Cidat-ONCE.

"Com o sistema, um deficiente, através da audição, tem mais informação do que um jogador comum, já que o elemento sonoro o ajuda a ter certas vantagens e a avançar dentro do jogo. O jogo se passa em um formigueiro praticamente às escuras, no qual é preciso se movimentar superando obstáculos como paredes e portas e resolvendo situações", diz Pérez.

Nesse mundo de galerias com pouca luz, "a pessoa que enxerga tem dificuldade de se movimentar com agilidade", e por isso, os sons são a pista fundamental.

"Trata-se de implantar rotas de som. Os jogadores com deficiência visual ouvem um apiyo e, pela freqüência e a velocidade, sabem onde um objeto está", afirma o criador.

Além disso, existem teclas de apoio que dão pistas para saber onde o jogador se encontra, e, muitas vezes, o cenário "não representa vantagem alguma".

"Pelo contrário, há situações nas quais enxergar atrapalha - acrescenta. - Há situações nas quais é preciso escolher um som e, se o jogador se guia pela visão, vai se enganar", diz o diretor da Vector Animado.

Da Agência EFE
fonte: http://www.pernambuco.com/ultimas/nota.asp?materia=200786085112&assunto=194&onde=1

postado por 35548 as 10:40:57 #
0 Comentários
Comente este post!   |    <<< Voltar para Início

 
Perfil
35548
Meu Perfil

Links
Blog Grátis
Hoteis

Palavras-Chave
tecnologia

Favoritos
Não há favoritos.

adicionar aos meus favoritos


Colaboradores do Blog


Comunidades
Não há comunidades.

Posts Anteriores
Não é propaganda, é acessibilidade
Miolo lança vinho com rótulo em braile
Breve história do Goalball
Empresas descobrem força do consumidor deficiente
FRANCÊS INVENTA SENSOR QUE CONVERTE LIVROS EM BRAILE
Brasil - Acompanhante de deficiente terá desconto em passagem aérea
XI CBDEV, Tradicional Congresso Brasileiro em Educação Especial Acontece em Novembro
HSBC firma compromisso para capacitar deficientes físicos
Cordel alagoano é publicado em braille
site LER PARA VER

Arquivos
2008, 01 agosto
2008, 01 maio
2008, 01 março
2007, 01 dezembro
2007, 01 outubro
2007, 01 setembro
2007, 01 agosto
2007, 01 julho
2007, 01 junho
2007, 01 maio
2007, 01 abril
2007, 01 março
2007, 01 fevereiro
2007, 01 janeiro
2006, 01 dezembro
2006, 01 novembro
2006, 01 outubro
2006, 01 setembro

18979 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..