Momento Esportivo
Momento Esportivo
segunda, 23 fevereiro, 2009
Equador no imaginário (23/02)

Tão logo terminou o empate por 2 a 2 com o Uberaba, sábado à noite, no Uberabão, pela sexta rodada do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro passou a se dedicar apenas a seu segundo jogo pelo Grupo 5 da Copa Libertadores, quarta-feira, contra o Deportivo Quito, na capital equatoriana, às 21h50 (de Brasília) – na estreia, goleou o Estudiantes por 3 a 0, no Mineirão. A preocupação não é somente com o adversário, mas também com a altitude de 2.850m.

Na Libertadores do ano passado, a equipe celeste teve experiência ruim na altitude da boliviana Potosí, onde sofreu sua pior derrota na história da competição: 5 a 1 para o Real Potosí. Na verdade, a cidade boliviana está bem acima de Quito: 3.967m, mas a altitude não deixa de ser um ingrediente para a partida de quarta-feira.

“Estamos tranquilos. Sabemos das dificuldades que vamos enfrentar. Potosí é muito mais alta e jogar lá no ano passado foi uma boa experiência. Aprendi bastante”, avalia o lateral Jonathan, um dos jogadores que mais sofreram com a altitude. “Espero suportar o tempo todo, se for solicitado pelo técnico (Adílson Batista). Será um jogo difícil na altitude. Não conheço a equipe, mas vamos entrar com força máxima para sair com a vitória.” Adílson procura tirar um pouco da pressão sobre o assunto, diferentemente do ano passado, quando o próprio clube fez muito estardalhaço por atuar na altitude boliviana. “Já joguei lá e dá para fazer um bom jogo e vencê-los’, avisa o treinador. “É só se posicionar corretamente, compactar a equipe e rodar bem a bola.”

Um motivo de pressão a menos sobre o time é a manutenção dos 100% de aproveitamento na temporada. “Sabíamos que uma hora aconteceria o empate ou a derrota. Bom que ainda estamos invictos”, comenta Jonathan, referindo-se ao empate no Triângulo. “O importante é que também não perdemos e continuamos com nossa invencibilidade. Agora é trabalhar para melhorar para quarta-feira”, analisa o zagueiro Ânderson. “Não podemos ficar pensando nesse empate. Temos um jogo difícil na quarta”, completa o volante Ramires.

Realmente a altitude prejudica o Cruzeiro pois no Brasil não existe nenhum estádio com a altitude muito elevada. E o Cruzeiro tanto como alguns outros times brasileiros ainda não se acostumaram  a jogar em estádios com altitude muito elevada, pois a altitude prejudica a respiração e faz o jogador cansar mais rápido.



postado por 84623 as 02:26:14 0 comentários
sexta, 20 fevereiro, 2009
'Muito prazer. Kléber!' (20/02)

Os mais de 34 mil torcedores cruzeirenses que foram ao Mineirão, ontem à noite, ver a goleada por 3 a 0 sobre o Estudiantes, de La Plata, na estreia no Grupo 5 da Copa Libertadores, sabiam que o jogo seria nervoso, truncado, cheio de catimba dos argentinos. Mas estavam conscientes de que, apesar de todas as dificuldades e de algum sofrimento, o final seria feliz. Não erraram. Os 100% de aproveitamento na temporada estão mantidos, em oito jogos, e, mais importante, surgiu novo candidato a ídolo com a camisa celeste: Kléber.

E ele não fez cerimônia. Marcou dois gols, nos 14 minutos em que atuou. Poderia ter sido um momento mágico para o novo atacante celeste, logo em sua estreia, conquistando definitivamente o torcedor e mostrando o quanto será importante para as competições da temporada. Sem medo de desafios, encara os obstáculos de peito aberto. Foi para cima dos argentinos, mas não perdeu o rótulo de um dos mais geniosos jogadores do futebol brasileiro, criando problemas nos jogos, de tanto reclamar das faltas recebidas e ao cometer algumas faltas duras, além de não aceitar as marcações dos árbitros.

Ao fazer seu segundo gol, Kléber não aguentou de emoção e tirou a camisa, levando o cartão amarelo. Atendendo  pedido do técnico Adílson Batista, que não gosta de ver o adversário sair jogando livre e exigia isso de Guilherme, o novato derrubou Verón, em falta normal de jogo, e recebeu outro amarelo, consequentemente seguido do vermelho. Em outras situações, o mundo poderia vir abaixo. Mas o jogador recebeu a punição com tranquilidade. E a torcida o aplaudiu intensamente.

Kléber reiterou a promessa de mudar o comportamento, que o levou a receber 15 cartões amarelos em 27 jogos pelo Palmeiras no Campeonato Brasileiro. Adílson manifestou a convicção de que o reforço construirá nova e bela história na Toca da Raposa. Pelo menos mostrou que será importante para um time que almeja o terceiro título da Libertadores, repetindo os feitos de 1976 e 1997.

No primeiro tempo, o time praticamente não existiu. Não conseguiu fugir da marcação do Estudiantes. Apenas a partir dos 35min, quando a torcida deu o grito, tudo começou a clarear, mas foi na segunda etapa que realmente ocorreu o que todos esperavam: eficiência no futebol, velocidade, mais luta e, sobretudo, gols. Mas também foi o período em que os argentinos mais ameaçaram, com duas boas jogadas logo no início. Henrique salvou uma e Fabrício, outra, ambas com Fábio já batido.

Pouco depois de Kléber substituir Thiago Ribeiro, Wellington Paulista recebeu de Fernandinho e foi derrubado pelo zagueiro Cellay na área. Pênalti, que Fernandinho cobrou com violência, à direita de Andújar. No segundo, em tabela rápida de Kléber e Wellington Paulista, o estreante chutou cruzado, no canto direito. Em seguida, Wellington Paulista encontrou Marquinhos Paraná pela direita e o volante, rapidamente, virou o jogo para o meio, onde Kléber entrava livre, para bater rasteiro, novamente à direita do goleiro. Apesar da expulsão, o Cruzeiro soube administrar o jogo e até criou chances para ampliar.

MORTE Antes do jogo, houve um minuto de silêncio, pela morte do jornalista argentino Sebastián Echeverría, de 30 anos, do jornal El Día, de La Plata, que veio a Belo Horizonte fazer a cobertura do jogo e foi atropelado, no fim da tarde, por um ônibus, na Avenida Cristiano Machado, próximo ao Minas Shopping.

Kléber fez uma otíma partida contra o Estudiantes (ARG) com seus dois gols que garantiram a vitória do Cruzeiro por 3x0. O Cruzeiro começou com tudo a Taça Libertadores da América de 2009.



postado por 84623 as 11:54:29 0 comentários
segunda, 16 fevereiro, 2009
Tabu azul e queixas alvinegras

Pela 10ª vez seguida, o Cruzeiro saiu de campo sem perder do maior rival. Mas o placar de 2 a 1, ontem à tarde, no Mineirão, pela quinta rodada do Campeonato Mineiro, poderia muito bem ter sido outro. Depois de fazer 2 a 0, sem alguns titulares, e ficar com um jogador a mais, no primeiro tempo, a equipe celeste relaxou, permitiu que o Atlético descontasse e quase empatasse no fim. Prevaleceu, porém, a maior eficiência da Raposa, que chegou menos ao gol adversário, mas teve melhor aproveitamento, mesmo com as várias chances perdidas. No lado atleticano, sobrou reclamação contra o confuso árbitro Alício Pena Júnior, que errou bastante.

A vitória manteve os 100% de aproveitamento do Cruzeiro na temporada e foi a sexta consecutiva diante do Galo, todas sob o comando do técnico Adílson Batista. Com 15 pontos, o time está classificado às quartas-de-final do Estadual e ganha mais tranquilidade para iniciar a campanha da Copa Libertadores, quinta-feira, contra o Estudiantes, no Mineirão. O Atlético joga quarta-feira pela Copa do Brasil, diante da Itabaiana, no interior sergipano.

O clássico começou quente. Logo aos 5min, em arrancada de Carlos Alberto, Leo Fortunato cometeu falta próxima à entrada da área. Enquanto o técnico Emerson Leão e os jogadores pediam pênalti, Alício mandava o lance seguir. Se marcasse a infração, seria cabível a expulsão de quem a cometeu, porque a jogada teria grande chance de resultar em gol. A falha perturbou o árbitro, que cometeu outros erros até o final, sem ter influência direta no resultado. Dois minutos depois desse lance, Thiago Ribeiro passou para Ramires, que chutou na trave direita de Juninho.

O jogo continuou muito disputado, com boas jogadas de ambos os lados. O Cruzeiro usava bem as laterais, principalmente Thiago Ribeiro pela direita, e o Atlético explorava a velocidade pelo meio, com boa participação de Carlos Alberto. Aos 16min, Welton Felipe arrancou e passou a Éder Luís, que chutou para a defesa de Fábio.

O placar foi aberto aos 18min. Jancarlos roubou bola de Diego Tardelli, que tentava puxar um contra-ataque. O lateral teve tranquilidade para ajeitar e cruzar na cabeça de Ramires, que marcou seu quinto gol na história do clássico. Depois disso, o Galo cresceu, tentou responder, aproveitando espaços no meio da defesa celeste, e criou uma sequência de boas chances. Aos 22min, Diego Tardelli deixou Yuri na cara do gol, mas o garoto, depois de ajeitar, chutou mal, para fora. Aos 28min, cruzamento fechado de Júnior quase surpreendeu Fábio. Dois minutos depois, Carlos Alberto chutou cruzado e o goleiro defendeu. No minuto seguinte, Leandro Almeida, livre na área, acertou a trave.

Outro lance decisivo foi aos 37min, quando Welton Felipe cometeu falta em Soares e recebeu o segundo cartão amarelo. Nos cinco jogos pelo Mineiro, o Cruzeiro conseguiu forçar expulsões do adversário. Com um jogador a mais em campo, a equipe de Adílson Batista não demorou a ampliar. A jogada começou com Thiago Ribeiro pela direita. Ele lançou Soares, que passou pelo volante Renan, penetrou na área e chutou forte. A bola passou por baixo do corpo de Juninho, aos 43min.

'REFORÇOS'

Para o segundo tempo, Leão pôs Thiago Feltri na lateral e passou Júnior para o meio-campo. Mas a superioridade numérica facilitava para o Cruzeiro, além da melhor técnica. O time da Toca chegava com facilidade à área adversária e perdia oportunidades de aumentar. Aos 9min, Fernandinho tabelou com Soares e chutou para defesa de Juninho. Aos 14min, Ramires passou a Soares, que finalizou para fora.

Adílson decidiu “reforçar” o time com Wagner, Wellington Paulista e Jonathan, tirando os três que haviam recebido cartão. Curiosamente, o ritmo da partida caiu muito. Enquanto o Cruzeiro não forçava, o Atlético não conseguia pressionar.

A situação mudou quando Carlos Alberto recebeu livre na frente e se chocou com Fábio na área. Alício marcou pênalti, contestado até pelo volante atleticano Márcio Araújo depois da partida. Diego Tardelli cobrou, com paradinha, e diminuiu, aos 31min. O gol animou o Atlético e acordou o Cruzeiro. Aos 36min, Thiago Ribeiro recebeu na frente, passou por Juninho, mas Leandro Almeida salvou o terceiro gol.

Além de não ter aproveitado a vantagem de um jogador para definir o jogo, o time celeste perdeu Thiago Ribeiro, expulso aos 41min. Dois minutos depois, Márcio Araújo desperdiçou oportunidade clara para empatar. No último lance, Wellington Paulista sofreu pênalti de Juninho, não marcado pelo desastrado Alício.

O Cruzeiro está com um forte embalo para começar as outras competições, na minha opinião se o Cruzeiro continuar dessa forma irá ser só vitórias e vitórias.



postado por 84623 as 09:57:31 0 comentários
terça, 03 fevereiro, 2009
Adílson aposta no sucesso de Kléber no Cruzeiro.

O técnico do Cruzeiro, Adílson Batista, entendeu a necessidade da diretoria de negociar Guilherme, principal atacante do elenco, mas mostrou-se satisfeito com a chegada de Kléber, de 25 anos, envolvido na troca com o Dínamo de Kiev da Ucrânia.

Estudioso do futebol, Adílson considera Kléber um atacante já amadurecido, com boas noções táticas. Pelo que o treinador conhece do jogador, ele seria mais concorrente de Thiago Ribeiro do que de Wellington Paulista, ambos titulares no momento.

“É um jogador que também joga pelos lados, que protege, que faz gol, que briga, que volta, que recompõe, acho um jogador interessante”, comentou Adílson em entrevista à Rádio Itatiaia.

Na última semana, Adílson chegou a declarar que, a partir da saída de Guilherme, o Cruzeiro não teria nenhum outro jogador com as mesmas características. Agora, com Kléber à disposição, ele entende que o time ganha uma alternativa diferente das demais.

“Ele tem um perfil diferente (de Guilherme), mas supre. É um jogador que tem característica de jogar a Libertadores, já jogou, é experiente, veio do São Paulo, trabalhou fora, fez uma grande temporada no Palmeiras. Pode perfeitamente suprir. Acho que o Guilherme tem uma característica diferente, é um jogador que não é um centroavante de ofício”, acrescentou o treinador.

Na verdade, Kléber estreará em disputas de Copa Libertadores pelo Cruzeiro este ano. Ele já participou das Copas Sul-Americanas de 2003, pelo São Paulo, quando marcou cinco gols, e de 2008, pelo Palmeiras. Pelo Dínamo da Ucrânia, ele também disputou a Liga dos Campeões, torneio similar à Libertadores no continente europeu. (UAI)

Adílson Batista realmente ficou satisfeito com a chegada de Kléber pois com a negociação de Guilherme o Cruzeiro ficou sem ter um centrovante para fazer gols apenas o Wellington Paulista, mas ele sozinho não iria dá vitórias para o Cruzeiro. Mas agora com uma nova esperança de gols (Kléber) o treinador Adílson Batistaestá mais motivado.



postado por 84623 as 04:32:20 0 comentários
segunda, 02 fevereiro, 2009
Cruzeiro goleia o Social e lidera o Mineiro: 5 a 0.

O reencontro do Cruzeiro com a sua torcida no Mineirão, na primeira partida da equipe em Belo Horizonte na temporada 2009, foi no melhor estilo: com uma goleada, que valeu aos estrelados a liderança do Campeonato Mineiro.

Com amplo domínio da partida durante os 90 minutos, o time de Adílson Batista soube envolver o Social e não deu qualquer chance de reação para os comandados de Wantuil Rodrigues.

Os gols de Ramires (2), Wellington Paulista (2) e Jonathan significaram para a Raposa a oitava vitória consecutiva no Mineirão e o décimo jogo de invencibilidade em compromissos válidos pelo Estadual.

O jogo

De olho na liderança do Estadual, após estrear com vitória na competição, o Cruzeiro recebeu o Social no Mineirão, neste domingo, e logo partiu pra cima da equipe de Coronel Fabriciano-MG. Antes dos dois minutos, Fernandinho escapou bem pela esquerda e cruzou na medida para Thiago Ribeiro. O atacante desviou de cabeça e Nivaldo tirou no susto, com a ponta dos dedos, mandando a bola para escanteio.

O Social respondeu com muito perigo e desperdiçou um gol feito. Após um lance em que a defesa estrelada parou, pedindo uma falta, Isac recebeu livre de marcação e na cara de Fábio conseguiu o mais difícil: chutar pra fora, à direita do camisa 1 celeste.

A Raposa fazia sua estreia em Belo Horizonte na temporada 2009 e imprimira ritmo forte à partida, jogando sob o olhar de sua torcida pela primeira vez no ano. O Social, mais recuado, tentava surpreender nos contragolpes.

Aos 15 minutos, o Cruzeiro chegou mais uma vez. Jonathan cruzou da direita e Ramires subiu para escorar de cabeça, à esquerda do goleiro do Social. Cinco minutos depois, o lateral-direito resolveu concluir a gol e o placar do Mineirão foi modificado pela primeira vez. O camisa 2 recebeu um cruzamento de Fernandinho e emendou para as redes: 1 a 0.

Logo após a nova saída de bola, o time de Adílson Batista quase ampliou. Wellington Paulista disparou pelo meio  e só foi parado com falta, quase na risca da grande área. No lance, Thiago Emílio foi expulso pelo árbitro Alício Pena Júnior.

Aos 39 minutos, o Cruzeiro conseguiu um placar mais justo como recompensa pelo que vinha produzindo dentro de campo e por seu volume de jogo. Wagner descobriu Ramires bem posicionado e rolou para o volante, que invadiu a área e chutou de perna direita. A bola passou por entre as pernas de Nivaldo e morreu nas redes: 2 a 0.

Acuada, a equipe de Wantuil Rodrigues pouco produzia. Aos 41 minutos, o Cruzeiro ainda reclamou um pênalti. Wagner recebeu dentro da área e foi derrubado, mas a falta não foi assinalada pelo árbitro.

Segundo tempo

As duas equipes voltaram para a etapa complementar com as mesmas formações e o Cruzeiro com o mesmo apetite. Antes da segunda volta do relógio, veio a primeira investida. Marquinhos Paraná arriscou um chute, que foi desviado por Nivaldo.

Aos quatro minutos, o Mineirão balançou de novo. Após um cruzamento de Fernandinho, Wellington Paulista aumentou para o Cruzeiro. O atacante se antecipou à zaga e ao goleiro e bateu de perna direita, para fazer 3 a 0.
A ampla vantagem não serviu de freio para o time. Aos 08, Jonathan bateu de fora da área e Nivaldo não segurou firme. Ramires, esperto no lance, pegou o rebote e ampliou a conta na Pampulha: 4 a 0 no Mineirão.

Com o marcador já construído, Adílson mexeu na equipe pela primeira vez: sacou Fernandinho e colocou Soares no gramado. Depois, tirou Wagner e escalou Gérson Magrão.

Após o quarto tento, já cansado, o Cruzeiro não agredia tanto e administrava o resultado. Aos 23 minutos, o time teve outra boa chance. Após uma cobrança de escanteio, Ramires quase deixou sua terceira marca nas redes. Com o triunfo garantido, Adílson promoveu sua terceira alteração: Alessandro ficou com a vaga de Thiago Ribeiro.

Mesmo num ritmo mais lento, a Raposa ainda marcou mais uma vez. Aos 34 minutos, Jonathan cruzou forte e Wellington Paulista marcou seu segundo gol na partida: 5 a 0.

Após a goleada de mão cheia, a Raposa terá uma semana para se preparar para a terceira rodada do Estadual, quando enfrentará o Villa Nova, em Nova Lima, no próximo domingo. (LM).

Realmente o Cruzeiro começou 2009 com um ótimo desempenho, e eu como cruzeirense espero que ele continue com esse desempenho para as outras competições.



postado por 84623 as 11:08:28 0 comentários
segunda, 22 dezembro, 2008
À espera do ídolo (22/12)

  Por considerá-lo um jogador diferenciado, o técnico Adílson Batista confirmou ontem, enquanto aguardava no Estádio San Siro, em Milão, o jogo Milan x Udinese, que o lateral-esquerdo Sorín entra definitivamente em seus planos, podendo reestrear no Torneio de Verão, no Uruguai, a partir de 17 de janeiro, contra o Atlético, ou dia 25, contra o Uberlândia, no Parque do Sabiá, em Uberlândia, pela primeira rodada do Campeonato Mineiro. O treinador gostou muito da viagem à Europa e da experiência que adquiriu: “É melhor ver ao vivo o que ocorre e ainda aprendi alguns métodos de treinamentos que poderemos adotar na Toca. Estou feliz ainda pelo fato de os ingleses também acompanharem nossas atividades. Tanto que eles têm gravado o jogo Cruzeiro 3, Grêmio 0, com vários itens avaliados da partida”.

  Para Adílson, a única interrogação sobre Sorín é a parte clínica, porque o jogador, fisicamente, está excelente: “A parte profissional e técnica dele não se discute. Vamos rezar para que não tenha problemas –ficou três meses cuidando do joelho direito, onde fez uma cirurgia –, pois será muito útil na temporada. É um jogador que tecnicamente não se discute, além de ser muito experiente”. No dia 5, Sorín vai cumprir o mesmo programa de treinos dos companheiros, para ficar à disposição e disputar o primeiro jogo da temporada: “Vamos precisar apenas de inteligência para aproveitá-lo na hora certa, olhando bem sua parte física, poupando-o em algumas oportunidades, porque, mesmo não tendo privilégios, é um jogador de 32 anos”.

  O técnico não se preocupa com o fato de o São Paulo já ter feito cinco contratações importantes para a próxima temporada e que o Grêmio esteja à frente do Cruzeiro em relação a reforços: “A qualquer momento, poderemos ter o encaixe, os jogadores chegarão, e estaremos prontos para começar a temporada confiantes pelas opções que teremos”. Adílson confirma que há mais de três anos o clube celeste tenta trazer o lateral Vitor, do Goiás: “Mas ele é muito caro e foge de nossa realidade”. Falou sobre o zagueiro Luiz Alberto, do Fluminense, que estava praticamente contratado e não é mais a opção para a defesa: “Ele jamais foi a nossa preferência nº 1. Continuamos conversando com o zagueiro que desejamos como prioridade”.

  O treinador assegura, porém, que o zagueiro não é Adaílton, do Santos, muito menos seu companheiro Domingos: “O Domingos é mais um becão. Já o Adaílton é superior tecnicamente. Eu o acompanho desde a categoria de base, jogando pela Seleção Brasileira”. Adílson está satisfeito pela contratação de Wellington Paulista: “É um jogador que esteve muito bem contra a gente. Sabe jogar na área, preparar a bola e finalizar. Será uma opção importante para o ataque, com o Wanderley, porque ambos têm as mesmas características”. Não falou em Rômulo, mas, ao ser indagado, reconheceu que o atacante, que se recupera de uma contusão e também joga enfiado na área, é importante: “É bom ter três jogadores assim à disposição”.

  MANTER A BASE Hoje, o Cruzeiro define se realmente Wellington Paulista vem. Na última reunião em Belo Horizonte, com o Ability, grupo investidor que detém os direitos do jogador, confirmaram-se o acerto e os detalhes para que, a partir de 1º de janeiro, o clube celeste seja dono de 50% dos direitos do atacante. O problema é que ele ainda não assinou contrato, o que pode acontecer hoje. O atleta quer receber, inicialmente, o que tem direito no Botafogo. Reclama três meses de salários atrasados, mais o 13º salário.

  Para Adílson, o importante é que o Cruzeiro mantém a base e não negociou nenhum jogador-chave do seu esquema: “Sabemos que o clube vai vender pelo menos um, mas, se vamos manter este grupo, como falei depois do jogo contra a Portuguesa (em 7 de dezembro), é uma vantagem muito boa. A estrutura, nós já temos”.



postado por 84623 as 02:37:39 0 comentários
quinta, 18 setembro, 2008
Thiago Heleno comemora bom momento dentro e fora de campo (18/09)

 Zagueiro,que ainda comemora o nascimento da primeira filha, completará 90 jogospelo Cruzeiro diante do Figueirense, no próximo domingo o zagueiro cruzeirense Thiago Heleno tem três ótimos motivos paracomemorar. Na quarta-feira, o jogador, além de completar 20 anos,assistiu de perto ao nascimento da primeira filha – Maria Luísa –, em Belo Horizonte. Já no próximo domingo, na partida diante do Figueirense, em Florianópolis, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, ele estará alcançando a expressiva marca de 90 partida como profissional do Cruzeiro.

Eufórico,o jogador falou sobre as mudanças que ocorrerão em sua vida com achegada da pequena Maria Luísa. “Muda muita coisa. Temos que ter uma responsabilidade a mais, pois sabe que há uma criança para cuidar.Temos que estar sempre atentos, trabalhando, para que consiga dar um conforto para ela”, comentou o zagueiro.

Já sobre a marca histórica que completará no domingo, Thiago foi mais comedido e disse que a comemoração só será completa com uma vitória diante do Figueirense. “É sonho de qualquer atleta estar em um clube grande como o Cruzeiro. Com apenas 20 anos estou atingindo essa marca e espero completá-la muito bem, com uma vitória no domingo”, disse. “Agente quer brigar e quer chegar ao título. Para isso, temos que buscaras vitórias. Temos um plantel muito bom para chegar em Florianópolis ebuscar a vitória”, acrescentou.

O bom momento do atleta fora de campo também se reflete nas quatro linhas. Para o técnico Adílson Batista, Thiago Heleno tem chances de sefirmar como um dos principais zagueiros do futebol brasileiro nos próximos anos. “O Thiago é um jovem, com potencial muito grande. Um zagueiro firme, rápido, que estamos observando desde o ano passado. É um jogador que cresceu pela dedicação e está mantendo uma regularidade.Ele amadureceu e o Espinoza tem contribuído para isso também. É um jogador que terá um futuro muito bonito se mantiver essa dedicação. Tem tudo para crescer na profissão e pensar na Seleção e Europa”, afirmou o treinador.



postado por 84623 as 04:06:20 0 comentários
sexta, 05 setembro, 2008
Sorín de volta ao cruzeiro

Olateral-esquerdo Sorín será reapresentado oficialmente neste sábado, às11h, na Toca da Raposa II, como novo reforço do Cruzeiro. Esta será aterceira passagem do argentino de 32 anos pela capital mineira. Aprimeira foi entre 2000 e 2002, quando ele chegou como reforço maiscaro da história do clube, comprado por US$ 5,08 milhões junto ao RiverPlate. O segundo ciclo, bem mais curto, foi em 2004, entre o empréstimopara o Paris Saint-Germain da França e a venda definitiva para oVillarreal da Espanha.

Soríndesembarcou em Belo Horizonte na tarde de quinta-feira e foirecepcionado por cerca de 300 cruzeirenses em Confins. O lateral ficoubastante emocionado com a demonstração de carinho e disse que tentaráse recuperar o mais rapidamente possível de uma lesão no joelho direitopara jogar logo pelo Cruzeiro.

“Aexpectativa é muito grande, mas eu acho que os jogadores estão fazendouma temporada muito boa, e vamos lá, vou tentar ajudar eles tantodentro quanto fora do campo”, disse o ídolo.

O jogador inicioutratamento nesta sexta-feira pela manhã no Centro Avançado deReabilitação Esportiva (Care) para tentar se livrar de uma tendinite nojoelho direito, que o incomoda há tempos. Por conta do problema, elefoi operado no ano passado e ficou 11 meses inativo. O retorno aofutebol se deu em abril passado.

Oúltimo jogo de Sorín pelo Hamburgo, clube com o qual rescindiu contratoem julho, foi em 10 de maio, na derrota por 2 a 0 para o EnergieCottbus, pela 33ª rodada do Campeonato Alemão 2007/08. O lateralargentino entrou no segundo tempo e atuou 33 minutos.

Inicialmente,ele assinou um contrato até 31 de dezembro, em que receberá um saláriode R$ 10 mil. A partir de janeiro de 2009, será feito um novocompromisso com a duração de duas temporadas. (UAI)



postado por 84623 as 02:29:27 0 comentários
domingo, 20 julho, 2008
Ficou barato no Olímpico (20/07)

 Mesmo sem os volantes Ramires e Fabrício, suspensos, e o armador Wagner, contundido, todos peças importantes do time celeste e com o técnico Adílson Batista obrigado a fazer outras mudanças, em função da ausência do atacante Weldon e a volta de Marquinhos Paraná ao meio-campo, esperava-se um futebol bem melhor do que o apresentado pelo Cruzeiro, ontem, contra o Grêmio, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Muitos eram os motivos para acreditar. O principal deles: os gaúchos são concorrentes na briga pelo título e não seria bom permitir a ultrapassagem do rival na classificação. O time ficou atrás e foi castigado, perdendo por 1 a 0, placar que poderia ter sido ainda maior, não fossem as espetaculares defesas de Fábio.

A verdade é que o técnico Adílson Batista, que gosta de inovações, surpreendeu em apenas uma posição, ao escalar Jonathas, que jogou na vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, ao lado de Guilherme, no ataque. Não houve, em momento algum, o entrosamento com o companheiro de ataque e ficou fácil para o Grêmio jogar defensivamente. Tanto que seus dois laterais avançaram e o goleiro Victor foi exigido, durante todo o jogo, apenas duas vezes. O Cruzeiro poderia ter chutado mais. Houve momentos, principalmente no segundo tempo, em que tocou a bola, avançou um pouco mais, mas as poucas finalizações foram longe do alvo.

Quando alguém se lembrar do jogo, dois detalhes não faltarão: as defesas de Fábio, espetaculares, e as falhas do zagueiro Espinoza. Por duas vezes, ele complicou. Na segunda, por pouco o Cruzeiro não levou o segundo gol, já que passou para Perea que completou livre e Fábio defendeu. O resto cairá rapidamente no esquecimento, porque não foi nada de extraordinário: um futebol agressivo do Grêmio e o Cruzeiro tentando se defender. Se houvesse mais um gol, ele teria de ser dos donos da casa.

O gol saiu logo no começo da partida. Rafael Carioca desceu pela esquerda e centrou. A bola foi na direita para o lateral Paulo Sérgio, que chutou de primeira, entre as pernas de Fábio. Mesmo sem agredir, Adílson Batista não quis fazer as três alterações a que tinha direito. Lançou apenas Jajá no lugar de Gerson Magrão, que não conseguiu jogar como no Ipatinga. Fisicamente está bem, mas falta-lhe entrosamento com o grupo.

É bom o cruzeirense esquecer o que ocorreu ontem e apostar tudo na reabilitação, quarta-feira, contra o Goiás, no Mineirão.

CONQUISTA

O Cruzeiro conquistou invicto ontem, ao golear o Karlslunds, da Suécia, por 6 a 0, a Copa Gothia, em Gotemburgo, na Suécia, competição na categoria sub-16. A final foi no Estádio Ullevi e os campeões foram aplaudidos, de pé. Os gols da equipe dirigida por Hamilton Mendes foram marcados por Sebá, Dudu, Eber, Alan, Maceióe Marcos.





postado por 84623 as 09:50:40 0 comentários
sábado, 28 junho, 2008
Convocação desnecessária (28/06)

Otécnico Adílson Batista sabe da importância do jogo de amanhã, às 16h,no Mineirão, contra o São Paulo, pela oitava rodada do CampeonatoBrasileiro, e está convocando o 12º jogador, o torcedor do Cruzeiro,para fazer a diferença e ajudar aqueles que estarão em campo, lutandopela vitória e para quebrar um tabu, já que desde 2004 o time azul nãoconsegue derrubar o tricolor. O treinador pede incentivo e paciência, oque passará confiança aos jogadores para que possam manter os 100% deaproveitamento em casa, o que considera fundamental para uma campanhaque tem tudo para ser vitoriosa.

“Quero compreensão da torcida. Peço a ajuda dela, porque sabemos dograu de exigência da partida e dos perigos”, destaca o técnico. Ele vêo tabu como mais uma forma de incentivo: “Foram feitos para serquebrados. Quantos já quebramos este ano?” Duas destas façanhas foramno Campeonato Mineiro: desde 2004, o líder da primeira fase nãoconquistava o título e o Cruzeiro ainda alcançou a histórica goleadasobre o Atlético, por 5 a 0, maior placar sobre o rival.

Se for depender da torcida, não haverá problema. Ontem, ela estevepresente nas bilheterias do Barro Preto, Cruzeiro Mania, Mineirão esede Campestre, e foram vendidos 15.003 ingressos. Em todos os postoshouve filas, à tarde. O movimento foi tão bom que, no Barro Preto, oclube teve de aumentar de cinco para 10 o número de bilheteiros. Aestimativa é de que 30 mil ingressos ou mais sejam vendidos com a vendaantecipada, que prossegue hoje até as 17h. A carga inicial é de 35 milbilhetes. Os preços são os seguintes: geral, R$ 5; cadeira de setor eanel inferior, R$10; lateral, R$ 20; superior, R$ 25; e especial, R$35. Estudantes, maiores de 60 anos e menores de 12 pagam meia. Amanhã,no Mineirão, os ingressos aumentam para R$ 10 (geral); R$ 20 (cadeirade setor e inferior); R$ 25 (lateral); R$ 30 (superior) e R$ 45(especial).

PERDAS E GANHOS

Os cruzeirenses que estarão envolvidos no espetáculo já tiveram dorde cabeça, nos últimos três anos, com o São Paulo. A começar porAdílson Batista, em 2005, então técnico do Figueirense. Mesmoenfrentando um adversário com time misto, pois os titulares sepreparavam para a disputa do Mundial Interclubes, no Japão, perdeu por4 a 2, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, e sua equipe foipara a zona de rebaixamento. Faziam parte do grupo dois de seuscomandados hoje: os armadores Marquinhos Paraná e Bruno.

Já Marquinhos Paraná e Henrique, em 2006, perderam duas vezes para oSão Paulo: 2 a 1, no Morumbi, e 2 a 0, em Florianópolis. Fábio, além doduelo particular com Rogério Ceni, de quem já levou cinco gols, tenta aprimeira vitória com a camisa celeste. Há três cruzeirenses que podemfalar com orgulho de vitórias diante do tricolor: o zagueiro Thiago, ovolante Fabrício e o atacante Guilherme, que, em 2006, ganhou o títuloda Copa São Paulo de Juniores, exatamente em cima do São Paulo: “Foiuma conquista que marcou toda uma geração, a principal da base doCruzeiro, e vamos tentar o mesmo agora. Chegou a hora de virarmos estamoeda”.

Thiago não enfrentou o São Paulo pelo Brasileiro do ano passado,porque no primeiro jogo (2 a 1), no Mineirão, tinha sido contratadoalguns dias antes e na segunda partida (1 a 0), no Morumbi, estavacontundido: “Mas, pelo Campeonato Paulista de 2007, ganhei deles duasvezes, inclusive fazendo gol (4 a 1), jogando pelo São Caetano”. Naprimeira fase da competição foi 1 a 0 e no primeiro jogo dassemifinais, 4 a 1. No segundo jogo, 1 a 1, e o Azulão garantiu aclassificação para disputar a decisão contra o Santos.

O Cruzeiro está pronto para amanhã, mas cheio de mistérios.Treinaram como titulares Jonathan na lateral direita; Leo Fortunato nazaga, no lugar de Thiago Heleno, suspenso pelo terceiro cartão amarelo;Marquinhos Paraná improvisado na lateral esquerda, no lugar deJadílson, impedido de atuar pois o São Paulo detém seus direitos; e, nafrente, Weldon e Guilherme.

“Fiz um coletivo um pouco antes de a imprensa entrar e usei outrasopções, mas o time é mais ou menos isso que todos vocês viram. Não hácomo fugir muito disso”, disse Adílson. Hoje cedo há recreação.



postado por 84623 as 01:55:15 0 comentários
Perfil
84623
Meu Perfil


Meus Links
Hotéis no Brasil
Encontra Brasil
Guia MG
Encontra Minas Gerais
DNS Dinâmico
Blog Grátis
Hotéis
Palavras-Chave
Cruzeiro
Favoritos
Não há favoritos.

adicionar aos meus favoritos

Colaboradores do Blog

Comunidades
Universo do Esporte
Comunidade Esportiva
sou feliz, e dai? ta te atrapalhando? to nem ai!!
Posts Anteriores
Equador no imaginário (23/02)
'Muito prazer. Kléber!' (20/02)
Tabu azul e queixas alvinegras
Adílson aposta no sucesso de Kléber no Cruzeiro.
Cruzeiro goleia o Social e lidera o Mineiro: 5 a 0.
À espera do ídolo (22/12)
Thiago Heleno comemora bom momento dentro e fora de campo (18/09)
Sorín de volta ao cruzeiro
Ficou barato no Olímpico (20/07)
Convocação desnecessária (28/06)
Arquivos
01 fevereiro, 2009
01 dezembro, 2008
01 setembro, 2008
01 julho, 2008
01 junho, 2008
01 maio, 2008
01 abril, 2008
01 janeiro, 2008
01 dezembro, 2007


1804 acessos
CRIAR BLOG GRATIS   
..